Voz da religiao no Cariry

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Voz da religiao no Cariry
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Creator:
unknown
Creation Date:
February 7, 1869

Subjects

Genre:
newspaper   ( sobekcm )

Notes

General Note:
Newspaper issues from the personal collection of Pe. Cicero Coutinho, Juazeiro do Norte, featuring articles on Padre Cicero.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
University of Florida
Rights Management:
All rights reserved by the source institution.
System ID:
AA00008749:00007

Full Text
-..I+
41'


__________________ _____________________ -- ,


A VOZ DA RELIGI.10 NO CARIR.. as de sua div:qo ?rto. ,- e no Tamp o,
fbs a sue oblate tn r r' s iru de, e
entrega ao Summo Sac ord o .: Iho.

A SOLEMNIDADE RELIGIOSA DO DIA 2 DE FE 0 ve!ho S:imO o ren b e ? "r' b:"; os, e s,-
., suea aln ro'uven"c. r de ner: ,,':,"k; .r. a.i. n. prezon-
q" GO sei PRde or, e iuv.. o r-e.or m, maravi-
Ha 19 seculos, quo no Templo de Jerusalem sBe a e s.s .m.er.crdia e c '.r.',
veritlcou o grande mysterio, quo hnje soiemnisa a -Meu DEUS, eiz posso '.-- '-I' : mei espir:to
Sancta Igreja pela instituigao commemorative da Fes- resebrou a psz, taa p'.AvrA c;:"":- -s e mtis
tividade Purificagao da Virgem Mie. lhus viro o Salvador cue .. "ot,, humanidaj,"
Apreci~dnos A lus da historic a origem e excel\ e- e.nte a face do tcosos 's pr I, z que dissi
cia deste facto, e entremos no espirito d.e sua d cu- as trevas que envo'via, as Gaetes, a Gloria do
tria_ Israel, tea povo:;
.- -. %. V


A Lfl H",ra1(rm prescrevila me uu.. I t -.v i
nascidos de e rel, em reconhecimento ,do soberno -E tu, ar
eldquoddeade este mormenlo e' lnce so scriPclo pelo
dorninio d DEUS sobre todis as creasuras, fossem que da human d e:e r
apprezenta.los ao Sinhor de todos os series. res e a mah e:
N gsta ouazia, so fasin urna off renda para o ho- -Sim: elle veo c" psre svao, resur-
nocausto: os ricos 1h deiiavyo a prata, o pobre um re io e gloria para mutos. < .ire^to ser4 para
ca:lI de ponhos, ou duas r6las. I outros ura object do escU.nP, e e ruina em lsrael
Sobediencia esta lel, MAIA, depois de 40 --Seri como ,tn estndarte de coitradico, e


1; ;r r ,n- a 1nndade, ums n tresa, um fm qua prophetisava
i *1. i ura future sanct.
0 luxo e va 'ade forao sempre para ella phan-


VIDA E ORTE
DA PIED8OA LEONARDA DO CORA10O SE JiSUS.
PELO D. .
Cidade do Ass .
Men Deus, auaCiI-me !
Virgemr sa:itissima i'luminai-
me para que eu diga aqui
somente a vYrdade.


A febre amarella aeabs de .ser mais umna vi-
tirma na pessoa da donze!a Ie mnarda do Cora&Ao
de Jesus, que se achava recol.hia d Casa de Cari-
dade, instituida aqui pelo virtuoso padre mestre Josd
Antonio doL Maria Ibiapina
Esta piedosa malber lilha de pais pobres, porem
de familiar bonrada e temente a DEUS, desde a mais
tenra idade, indicava possuir um corag;o amavel, urma
alma caridosa, uma ijdole cheia de abuegagao e


Sasma qcue nur'ca tomarao corpo, e nunca domi-
ci:iario-se em sua a'ma.
Em seu corfio t:nbha somente urn desejo o ser
freira, porque em sua alma tinha somente uma fN:
a do Christianismo.
Rea!isado em prpte n a ste seo fervoroso pensamen-
to, a piedosa Lponard d.,pois de receber do vir-
tunso padre Ibiep-na no mez de Setenibro de 1862
o habito de N,.S. do Carmo, entra para a Casa oa
Cnridade no mesmo mez e arno, e ahi exercitan.
do o seo caridoso genio, alimenta se comi a prece, e
vive 6ts morti'cac6es.
A1a ,do extremnosa e desveladamente soa prima Lu-w
fsa do Cra'aO d. Jesus, que do padre lpiapina rece-
boo iguaes ievores, e que a ;Iegente ca Casa de Ca-
riddede. a piedosa Mulher na u cohecia Sacriticius, nMo
sentia enrado e noo poupavas ncminmodos para que sua
primna nao arruinasse sua saude jA bastunte a t-ra
da corn o penoso lidar, e par quea casa da Cari
pade levasse a melhor direct A b6a liegeute pornn .ti obrigada 6 ir respirai


-__a


-'


L-- ----------~


''


I ---;------


m m awF .*ML


AA NAM



-T IT 1 DnCTE OWN, G tS
Ci ATO 5- .

OUTROS PONTOS o 00 SosAUsPICio Do L '. : aro
NUMERO AVULSO
IPADR.E JOSE ANTONIO DE 2A AR BAL -
PUBLICA-SE AOS DO :NGOS E RIDACO 10 DE
J osS JoAQUIm TELLS MARROCOS.' s..


::




~HlBBB-, '~s.


2 A VOZ DA RE LIGIAO O 0 CARIR[
: -.~~~~~A; 1. ;, _i..-w .. ,, ._.


Sou do so nosso reparador como ao nosso creador.
Senior Redactor 0 p~osamento d o mesmo.
Constante Litor 0 0 .
constant itor est a metaphysics de nossa alma e, quei
P'. Jose Antonio de Maria Ipiapina. saiba quer no a origem de nossa situaio poli
ba 26 de Janeiro de 1869. Perdenrdo insensivelmentI a razao pelo onfr
__. __..-" ..- .. '- mento da idea de causa, quoe a sua fonte, pe
A VOZ DA RELIGIAO NO CARIRi. a pratica, pela negal;io de um facto que serve
s- e 4 experiencia universal, abandonamos as di
LUZENCIA DA THEOL.TA NA POuTICA. 0 as sociedades caminham de dia em dia p :


da realidade.


Nso temros por certo bem prezentO esta nolao que
a piedade mantiiha outrora tgo viva em cada .m0 de


n6s como no espirito do maior sabio.
Ji so86 ios occupanos bastante de )Dcus, send elle
a cause primoira!
M6s quell pode o bomem sentir as pulsa'des de
seu coracSo scm agradecer no mesmo instant Deus?
Ora, o orgulho que ji enfraquece .m nos a idea
do Ser, que o oncobre o nos impede de ver todo 0o l


nada q son is, di a '-

nmal, dependemos de IETUS nao s par a areafio, ,
mas tambem pfara a reparagio de nosso ser.
Si bem que omal decorra de todos-s lades, qu
Bios comprima, que nos suffoque, podemos dizl-o,
Ano queremos mais velbo no fUodo de nossa natu-
esa: elle vemn de cutra fonte, 4 precise atacal-o pr ou..
tro meio.
E nAo o queremos, para n0o contrahirmos obri-
ga65es iateriores, para nlo termos de nos submetter


Gloria des Virgens,
Sublime nas Estrellas,
A imuribunda accompanhdra este cantico com a voz
sutnida, apenas perceptivel pelo fraco movimento dos
labios.
Seu ultimo suspiro fdra ainda uMr surrizo!
Nas faces gelidas do cadaver lia-se-e MORREO- mas
riellas transpareceu alguma cousa do sereo e padii-
do que parecia dizer:- ESTA NO CEO-
E nesta mesma hora em que havia expirado a
enferme, o Teneravel Padre Ibiapina celebrava Missa
Ia lgre' do Croatd, que dista das Pombas, iunca
:.. -" :. .. m enos de ':O leguas '. ". ".. ::."-. .. : : ,:
.lle. love revdlagao do que se passou, e, depois'
do sacrificio, aniuiicia abs circunstantes, 0 factor que
tqve lugar tAo lorige.
)is' depeis n eoxpresso enviado pela Casa de
Caridade des Pombas veni, confirmar a notice.
A' vista destas circunitancias que tanto maravi-
har&o 0 povo, se ouviu em todas as boccas:
A Irman Josefa de Sanct'Anna morreu sata..-
Nesta crensa as lagrimas qu e-.


r se 0
itica.
aqueci.
erdendo
de ba.
recses,
a alem


Barbal
Jl


...-." .. ..... .-.. "- .I


OCCUR.RENCIAS DO TEMPO.


MEZ DE JESUS.--Communicao-nos da Barbalha o
eguinte:
i A piddade do nosso povo contir.da fervorosa na
oelebra'Ao do mez de JESUS.:
a Nestes dias em que se commeinorAo os tormen-
os da PaixAo, o Ieverendo Missionario Apostolico tem

|o cons ernador coma se assitisse em pessoa cs scenas
nt-ozes doi Judeos.
SE quem nAo derramar lagrimas si ouvir o San- .
0to Oraaor fallando inspirado pelo amor de DEUS,
pelo doloroso sentimernto del sua alma em prezen-
a da igratido cornm que o home paga os bened-
cios de un DKEUS?!

TRIO0. 0 Rm. Commendedor Ignaeio de Souza
tolim ezsaiou a cultural do trigo nas terras do Crato
e colheu os milhores resultados.
Temos hloje mais um cereal no nosso commercio,
quo p6de dixar immensas vatntagens, se a sua cul-.


mora niao tinhao o amargor que derrama a mnorte
do peccadrr rso coraevAo dos amigos.
:A sua'morte fora mais uime victoria do espirito
sobre a ccrne do quo a duollo entire a vida que
fnrceja ficar na terra e o espirito que demand na
E irmidade a sua origemimmortal..
Na sua camp dpvia I6r-se esta inscripoo:
-Jovem alma feliz,l'I foi unir-se
A' Sempterna Gloria, origem sun.-
Netla se veria, como em ,ynlweso. tudo o que so
poderta dizer sobre esta morte de alegria que nuo-
0ca foia concedida ds alas escolbidas, que DEUS

Cheio de voneraVio para enrn a Santa cuja vid~a r
hei esbo;ado ao corror da penna, devo perguntar
como o grande S. Ambrozio:
Q Oue podemos dizer que seja digno daquella
cujo nome bastea 6 para sen 1ouvor?.
4x Admirem-na as homeiis, animem-se$ s peque.
x nos, pasmem as Matronas, imitem-ua as Virgens,
1 ^I M ** "






A YOZ DX RI1 GIAO NO CAni.


lura na0rorsandona n -
t provavel que esto anno tenbamos ura colbeita
rica e abundante, so com effeito, todos os que4em
sementes de trigo, plantarem segundo o process
lhes foi ensinado. -


MORADA AOS POBRESO Virtuoso Padre Henri-
que Josa Cova'canto d. aos pobres mendig)s terrens
para levantar suas clioupanas no sitio qi. fica fron.-
teiro' as do S' Major Bilhar no Pimenta. .
Este terreno, que foi offerecido pelo senhor,,D'. lRas-
cinieuto a Sancta Casa de C iridade desta cidade, tem
de ser tneis tarde occupado para o edificio do' Asilo
dos Meudigos, o qu.l te.m de ser estabeliciAuj lq Bro,.
Missionario Apostolico, o voner.vel Padre Ibipina.


CONFERENCIA Em virtue ddispo&ie..o Re-.
gulamento do Internato as quintas-feiras s&o distina-
das pare. a conferencia.
Cumpre-nos fazer menAo da que teve, "Offar no
dia 28 deste .mez.
1 nella que o vice-director do, Eslabeicimento.
explica o programma do ensino, tdtinando' por Voto
de p artida a educaao religiosa e moral :
Rezumindo a allocugao dirigida aos altiifibs, o
sou Preceptor assim so exprimiu:
#"".


Alumhos, recebei neate Internato
Do Coranio de MA[tRIA, o nosso ensino.
0 nosso intent pois somente almja
A instruc ao do quo eniia a sancta 1greja.
Apartando-so deste ponto, o Educador fTad todo
mal possivel 80 educando, families e sociddadede
por que tern .squecido a primeira e-I prindpal e-.
ducaso que garante (dis M'. Daligact-'& obse1y '
go da iei qua todo home social acih,':grabvada
no fund de feu corabao, o que se cbam.a-el nea
tural- '

CASA DE CARIDADE 1DE POSSIN O.-Folgamos de
prazer corn as noticias que recebemos deste Estabe-

Tudo alli vae bemrn e prcmette muitoem favor'do
paiz e da Religio. '
Tivemos o(casiao de appreeiar as obras d'a gulha
feitas pelats educandas e rnuito admiramos a perteieao
destes trabalhes que parecem nao seem feito no
centro dos sertSes da Parahyba.
A' superi6ra da Casa, irmam Damasia Imr-
maculada Conceiiao de Maria Ibiapina dams as nos-
sos emboras. pelo progress de sues alumnas e boa
oconomia do Estabelicimento.

PUBLIC A PEDI DO.
PUBLICAc0O A PEDIDO.


7,1 A MM


OUVADO fOB CHOR J ESt m C.-

Sr. Redacter. "*'

A ingratiodMo o vicio maiet horrivel da humanl-
dade.
Filha da soberba, irman da desobedlencia, a in-
gratido perdeu nossos primeiros paes, e cmomo a
plants nascida da semente earunchosa, sablftos bei-
as de rail deleitos, sendo uaidos mai6lew ingra-
tidjo. '
.t' ,: ,- ,^ .
STjamos agora as proves.
A urn numero iromenso de pessoas beneficiadas
pel FoIote do 'aldAs, e qua'ntos sao os que ja sa-
hirao a dar testemrtitro ilestes favo'"is?
W Luisa Pesinho, e mai, ai.oguempi
Peis disso nAo yvem hora e ghlria para Deus?
'ao influe na sorte da huianidade?
IMas no: o hnosso egoismo 6 tarito, qutirecbbene
do o beneficio temos pejo de confessal-O.
rrva isto de correcgAo e estimulo a alguem, quo,
como eu, receber das grasas a:quella fonte Milagro-
ftR.


Fui asli levando em minha b ompanhia minha filha
Anna Florinda da AraVe e sua filhe de nomeAnne,


Todos soffriamos; eu do fraquesa de. vista qqe nAo
podia ler, nem escrever; minh filha e sobrinha dos
olhos desde creanvas, minlia netinha do urns fistula
no puvido, e a liberta de desarranjos histericps.
Prevenidos corm os Sacramentos Aa confisslo e corn
munhao tomamos os S banbos preceituados e vollta
*Mno. satisfeito's
Eu. minha sobrinbe a liberty eamos bons: mi-
aba filha e minh neta..ecahirAo arm pouco ficando
today via muito milhoradas.
Devo porem confessar, para vergonha de nossa m"

Sahimeg curados: mas em lugar de virmros agrea
decer a DEUS os favors recebidos, fortos fazer visitews
ditrahVMmo-os cUw divertimentosl pf anPo, nto1.
do ter "oletado nossa romaria.
de ter com,
Sirva as 6 enos, a nossa comfissAo de reparo a
nossa falt, e d' eimpto-a tros que vlo o voltao,
do Caldas sem pr, V4 .
Temos' de pedir a %EUS pordlodi nosas fa
tas, e, voltar de novo a; entao-faremos sa-
ber o que occorrer de no6d04v .
be o &S, ... ..
Comnosco esteve Francisca de nircaial des Fre-
noel Ferreira, morador no sitio dta Ft I

g s ia muiher soffii de u:m otlhoque tinha' qu. per.A
dido pr u.ma panceda: tomou umr banho" resi'
rou-se boa.


S. Perguntando-se-lhe prque nlo tomou os tri
A FONTE .MIRACULOSA noios responded muito ingenuanete:
erna~rd: GoIrne d 4ruj, qu e i tern "n' i -Eu hia con muita.P f, para que, queria ms A,
: Abrimos hoje espago pars o testemunho do Sr ium banho :. ,
Bernardino Gomes de Araujo, que se tem encarre- l Misio velha 2 delJarieiro d6 1869'
gado de confessar as maravilhas que prezenciol 1io
tCaldas b ternardino doi &de AraulO.,


.........L**..


,. J .. ..


I w


--T-jr- -


-I


r Itr.,rIM


-I--.---- --~----


I


'*


;:::-








A VOZ DA RELIGIAO NO CARIRI


pela violencia do sol, curva a front para o chio
e morro, perque a ddr tambem mata nas oonvul,5-
es extremes da agonia.
Mas a oralo !... Felizes os que podem chorar,
mas tres vezes felizes, tres veses abencoados os qua
podem orar.
A dir e pungente, a mOgoa 4 intense, o calit da
sgoniai fi exgutado, o spectro do desesperoassoma
a port d'alma,-m~ o pensamento eleva-se ao ceo,
os labios mflrmuram n 'o sei que palavras myste-
riosas e san .etas, e o espirito atravessa o espa8o f,
wve depositor aos pes do Deus os gemidos da mi-
seria, as angustias do coraco...
E por mais horrivel quo seja a d5r, e per mais
polentaa que seja a mago, e por mais profundo que
seja o desale:]to, elSe cede d consolaoao da oragao,
e abranda as furias, corno outr'ora ao som da pa-
lavra imr ponente do Filho do Hoiem abrandaram-se
as agoas revoltas e encapelladas do lago.
Perguntae-o 'i pobre viuva que acaba de perder
So companheiro de sua vida, a alma de sua alma,
o esposo querido que recebera e.n face dos altares....
Perguntae-o or(,h&i que vib cair mortos a mse
extremosa, o pae idolatrado, e que fica s6 no mnun-
do, maerc do deslino, sem protecco e sem am-
pare,...
1'^1YifttAA-fl A t^Mt~ fl@ mm *ffam AA An


quo gemem, a todos as que choram, onde acha-
ram forgas para resistirem, ride acharam armas pa-
ra combaterem!..
Sim; bemaventurados, tres vezes bemaventurados
os que sabem orar Qs labios b lbuciam, o espi
itoe eleva-se, as preces sobem ao ce&, e o enjo do
esperanga, baixandi do seio de Deus, desprende as
azas c6r de neoye e leva a paz e o conforto dquelles
que estavam prestes a succumbir ao desespero.
Gloria a Deus, que ao coravao que soffre nas ago-
nias da d6r, no desalento da vida, dbo as lagrimas
que suavisam e a oraco que cicatrisa as mais pun-
sentes e dolorosas feridas d'alma.


AFONTE MIRACULOUS


*1


Os facts que hoje narramos repousam sobra otes-
temunbo dos benreticiados, que sao todes moradores
nesta Cidade.
A senhora do T. Manoel Ferreira Lima iteRldso, de-.
pois cde 5 mezes de soffrimentos occasionados pelas ca-
maras de sangue, recorre aos banhos do Caldas, e
promptamente restabeleteu-se.
0 senator Manoel Agostinho val ao Caldas e volta sem
a muleta.
0 paratictico de tanto tempo 6 hoje o home agil
0 for te.
A pequena Maria, filha da Ea,. Sro. D. Hercu-
lina Candida Collares padecia a tempo dos olbos e d'u
m. lepra em todo corpo, toma. os banhos salutares
e fica boa de ambas enfermidades.
Umna escrava do Sr. Capa. Jo0o Victorino Gomes,
anem!ca e oppilada, aprezentava todos os symptoms
fessa estar boa.
Alem destes benificiados aqui estlo muitos outros:
os Senhores Izidro Francisco de Paula, que narre o0
sOu curative e o de sua Filbinha, e ~4elbrando Sisnan.


do Baptists, assim como tantos outros cujos nomes
declinaremos mais logo.
Servulo de Maria.

ANNUiNCIOS.


EX PE DI EN TE

Aos Senhorps assignanteM a quern falta o *. n."*
deste Jorial rogamos o favor de vir reclamal-o no
Escriptorio da Typographia dq3 Internato.
E AOS NOS&Os (.OLLABORAD RES que tem es~ ii0to em
oriem do nosso progiamma, agradecemos muito o sett
concurso, e sollicitamos veuia pela demora na public.
dade, pots o pequeno espa(o do Jornal ndo con-
porta tanta material.
Satifdremos a todos, mais de conformidade corm
as exigencias em que nos vemos empenhados.
/ '.. .. "." -'. '-.."... .. .. .


1NTCR1NLTQ


AULA DE MUSIC.
Acha-se aberta a matricula desta aula, desde o dia
20 do correnle.
Becebem-se alumnos a 2:000 par meez.
A aula funccina duas veses no dia.
.. ,,.* ***' "_! r .
o P. IGNACIO DE SOUZA ROLIM, Director do In..'
ternato do Coratao de Maria na Cidade do Crato far
saber so respeitavel Publico que the seido necessario
voltar ao seu sertao na provincia da Parahiba confia
today a direcao e administragao do Estabelicimento
aO S'.. Professor Josd Joaquim Tellis Marrocos quo
durante a sua ausencia exercerd em toda a pleni-
tude que Ihe pode ceder o emprego de Vice Director:
Por tanto as pessoas interessadas podem corn elle
entender-se, e bem contractrar segundo Ihes convier
a respeito dos Alumnos que destinarem para o0 aito
Coellegio.
Cidade do Crato i4 de Janeiro de 1869.


AVISO.
i ..\ *^ S \y ,. .*- : .', ; '.

0 abaixo assignado, encarregado do servivo da
Capella deS. Vicente Ferrer pede a todos quoe term
prometido dinheiro para o mesmo servivo se sir-
v&o faster a sua entrega quanto autes.
E Aquellas pessoas fidedignas que fiserlo suesa
promessas. mas nao declararam o computo de so-
us donativos, que o fatgi, para que possa fervir de
base ao contract do service que nmais precisa so
faser na dita Capella. 18, 69
SCrato Si de Janeiro dt$6889

Antonio GoWes de Campos Petico.j

Craot Largo da Matriz, Typ. do Internato
Imp. por, Agoatinh Luiz Arnaut.


q


I


.. ... ;, ,
I I ii __. 1 .... =:: .. z_- w. .a r-


~:z'r~~~~ '-1~- .~~~L '----""rrr"r~-u""-~_~--~l-cll*ll-. -- I --~- ---'.il


L