Voz da religiao no Cariry

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Voz da religiao no Cariry
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Creation Date:
January 31, 1869

Subjects

Genre:
newspaper   ( sobekcm )

Notes

General Note:
Newspaper issues from the personal collection of Pe. Cicero Coutinho, Juazeiro do Norte, featuring articles on Padre Cicero.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
University of Florida
Rights Management:
All rights reserved by the source institution.
System ID:
AA00008749:00006

Full Text
L( I


A VOZ DA RELIGIAO NO CARIRI.


Tor0------------


-ITE E UUDOCTE
ASSIGNATURS. ide em todos os pontos,
CRATO 5000
OUTROS PONTOS 60000 SOB os AU
INUME[O AVULSO 120 pADREjSIANT
PFA.D.oRE 05 ooANTON
PUBLICA-SE AOS DOMINGOS E REI
Jost JOAQUIM


EXPEDIENTE.


LOUVADO SEJA NOSSO SENIOR JESUS CHRISTO.


/ Muito Illustre Senr. Redactor da Voz da Reli-
Io no g.arir-nvo.

Pinhorade peas generosas expresses da TLLUSTRE
MUNICIPALIDADE DE CIDADi DO CRATO a mimr dirigidas,
julgo-me obrigado agradecer-lhe solemnemeute; fa-
S a-me portanto o favor de publicar:
S-Qe o PADrE IBAPINA mais apr ciou esse testemu"..
I ho de benevolencia e bondade da beroica Cfdade do
Crato, a elle dirigido, que muitos outros obsequios, que
Sem differentes paizes so lhe tem feito.
E este aprego nao 4 somente por ser sympathica
a expressAo d'aquelles que slo na mesma terra nas-
cidos; pois bern conhego que toca mais a xpressio
dos da patria quo a dos estranhos; d tambem por'
que send esta CorporagAo compost de Ci iadaos il-
lustrados e roconhecidamente amantes de sua pa-


4~ -. --.---. ,m- -

TRA OS B1OGRAPHICOS

JOSEPHA DE SANCT'ANNA
ARIAX DO CARMO, I PROFESSOR N
CAZA DE CARIDADE DAS
POMBAS
HA PROVINCIADA PARAHIBA DO NO RTI.

(Conculslo)
S. Agatha que nos maiores tormentos, dizia: Meu
ooragso, estd seguro e. firmne em JJsus CHRisTO-nflo
saudou a: more comr umn rizo,


OMNES4GNTES.- SANCTOS DI SEIM ANA.
ensinaea todos os poros. 31 Dom, S. Julio.
I Seg. S. Ignncio.
-~ 2 Tre. Purtic. do N. S.
SPICO s DO 3 Quart. S. Bras.
IQDE MARIA IBIAPINA 4 Quiin. S. Andrd Corsino.
ACAo iE ,5 Sest, Agalha.
TILLIS MARioc08. 6 Sabb. S. Tito.


*' *" i ;
I




i
/.' 1. *.:


tria, tern muito alcance o que disem em abono de
quem prega a Divina palavra.
Eu vi ainda uma significagho nessa manifestaiao da
Illustre Cameara, e habilitar-me com o concerto que
me d4 em suas expresses para tonar-me recommen-
davel e acceito em todosos povos, onde os decretos
soberanos me conduzao.


nicipal da Cidade do Crato; estou por isto agradecida


muito e tambem niuito oontente porque os conside-
ro collaboradores commigo na grande obra da regene-
raqao da moral e triumph da .Santa Religijo Cao-
tholica Romana.
Como neste Jornal se publicou o que tanto me
agradou e obrigou, faCa-me Sr. Redactor a obsequio
de ajudar-me a desempenbar de -uma divide em que
o coraglo agradecido esid comprornettido e o espiri-
to forlalecido, e alegre corn a cooperagdo que se me
presta.
Publique por tanto este sentir do meu cora &o i
Illm'. CAMERA MUNICIPAL DO CRATO.


S. Cecilia, no triduo de seu martyrio, vy o seu
algoz luctar 3 dias corn exforqo inhurmano para de-
cepar-Ihe a cabeoa, u u teve uma imprecao para
0 i(arrasco, e nem um rizo na bora supreme.
Mas Josepha de Sant'Auna, grave em toda sua vida,
apenas cahe doente, ri-se constantemen'.e corn today
calima e serenidade.
A molestia reconhece-se, por todos os sympthomas,
em .prog| civa march e nao deixa mais lugar pare
uma esperalia siquer de milhora.
A Enforma o sabe, e, contra today expectativa, ale-
gra-se cada vez mais, e surri corn tanto prazer cobo
se por ventura saboreasse o qu hd de mais ine-
favel ne dj'icias da vida feliz.
E assim expira l. .
Neste monmeno supremo e indeflnivel, a aurora vi-
nha rutilando, siu iada pela music dos passaros e pe.
as harmonies da naturesa,
E a commun dale el gisa de Pombas acabava do
entoar mais urn cantico i Virgem Maria,


AMO I. DOMINGO 31 DE J"NEIRO DE 1869. s 9
. .. l !.. i i* I M 1 i i. .1 ..1l i .. ... .. ..


,I .. r~ I


:: :::::;







A V07. DA rFIGlIAO NO CAnRI1.
C-
_,,_,,_ _ -. __ -.---- --**** """qfg-'"'

E n a este Christianismo divinamente conservado A epochsa pior do que parece, porque do es-
na Igrpja que os povos chamao o Catholqcismo, par pirito quo esid taacado.
que ello d ver,iadleiro, geral, e proprio a tolo ho- Sim hoje duas nooes nos escvpam cada vez
mern, a todo povo, a todo mundo. mais: a da creagao e a da queda.
A Tgrpja, pois, 6 a verdade entire os series in- A primeirni desapparece da rasao o a segunda da
tf'ligettes. mesa expiriencia.
E113a nos o sentido do homemr neste mundo, Equecem.-Ros que s6 [EUS pode existir por si
lla 6 a a1ma da civihza Co e a vida dos Estado,s mesrno, quo a nossa propria origem estd nielle, o del-
pela lei que impfem 6 almas e pela direct o quo le nos veio a lci de nossa couservasao e de nossa
niprimoe nos espiritos. felicidade.
0 home nao olhra "no depois que pensa: ex- d
amine-se pois a funte do pensamento.- ...-- --
OCCURRENCIAS DO TEMPU.


n recizo ver, o qi1e ha no home para saber o !
cue a nea socdcidde; precizo ver si as ideas qu / FESTIIDADE RELIGIOSA.-~Na PovoenQo do Jo
elle rcehbe do onto em qte es3, o enicaminham para aseilo, na Capella de 'N. Senhor s das Dores, fl ia1
a clvi!i.a.o ou o dirigem pars outro alvo. da Igreja Matriz desta Cidade, ceh brarao-se as novenas
S d Padroeira corn muita re!igiosidado e devo:ao.
0 corabalo human tern o poder decisive de arrebatar
o espirito atd onde quer. o que torn o bornem res- Nc dia do corrente cantou-se a Missa e teve lugar
"onsavel por seus maos como per seus grades pen- a procispo.
samentos.


Mas as cotivicqes form-o-se lentamerte, e por um
S a L: *a a. 0 ..A


COS~ltUR"~gt (l ,
:haurivel. .. ..


Deffinitvamente, o que fids o home, a sua f6.
A ordem civil e po!itica, a historic no o pode ig-
onrar, decorre da ordem moral, e a ordem moral da
ordem spiritual on dos d:;omas.
Os axiomnas 'unidos sos dogmas d.o o estado d0
razao: dahi procede o estado da Sociedade.
Spr esta ras.ao que today political, today ordem de
governor e dirigir o povo nos vem do Ceu.
0 que se dG somente 6 que nos esquecemos de!
volver eara cUle as iiossas vistas.


Si nao comprehendermos isto, eshiremos an uma
Sfmpotencia absolute, seremos esmagados sob o pezo
dos factos.
',lm'sntmm ._"-- -- ------------.-

gentee dolnrcsa commoVo.
Mas nao!... EllA contiriua a surrir corn torla cal-
ma e. sereniiilade, tranquilisa e console ias suas alum-
nas e .as suas irmans e parece mesmo nada soffrer
em seu corpo.
-At6 hoje nada senti que me incommode, disse ella,
amanhan, so a tonse aipparecer, soffrerei no meu es-r
: pirito a mnior das amarguras, porque, se estou pthi-
teica, privar-nme-ha de receber a Sancta Eucharisti-

0 tempo dissipa sua aprehensao, e a doente con-
timia a surrir em prezenga da murte que so apro-


ASILO DE MENDIGOS. 0 veneravel Fundador do
Re~i de ai4de.. n viftl de Barbalha. d
ffli t**- a J &4 A ft'4'w VAIA ilfrr 6A j rit h


ir.ento dos mendigos do sexo-masculino, razervan-
do para outra oppoitunidade a creaao de outro
azi'n para as mulberes.


A instituijio dos estabelicimentos deste genero
trm por 0fm suavisar as amarguras do infeliz, dan-.
do o pan ao faminto. eo vesluario ao. desgraeado
que percorre ruas todo esfarrapado, e ,td mesmo
nU a pedir uma esmola de port em port.
Aos homes generosos, que tern um coraoio, se
aprezenta pois a ac1a0iio de praticarem a grande
acBao qu tern a sua recompnsa, a su a cotOa no
Ceo, segundo a palavra do mesmo DEUS: -


Vinde,benditos de meu PNe, possui o reino que vos esid
preparado desde a creagAo do mundo: ou tive fome,
v63 me destes o pio, eu tive sede e vos me dostes


Chega nfl:almente a ulltma hora de sua vida.
Como a esposa que se ntavif. para as nupciasdo
Cordeiro, Josepba do Saoct' Aw a recebe pela ulti.-
ma vez o Sacramento do Divino Amor, unge-se, er-e
gue suas mdos ans CEUS em acqo de gragas, ten-
ta entuar um cantico, mas ja niio p6de.... a voz
Ibe falta para tanto.
Seas othos perdem o brilbo... o corpo se ener-
va.,.. e somente umr rizo que assomLu-elhe os la-
bios dA uma expressAo de vida is suas faces gela-
*<~ ~ ~ ~ a evi i *. ****
I do$, .. : :. !


i


//


xima. A moribunda pede .os circunstantes que ornem
Segundo o costume, a moribunda recebe ainda a as parades de su. camera corn todos s quadros
CommunhAo dianamente, qua as seus confossores lhe dos Santos que haviao na Casa e qua cantassem
baaviao consentido; lanta era a sua puresa, a sua em derredor de seu leito da more canticos festivos
virtudo. e alegres, e que ninguem perturbe sua alegria ver-


S ... .


' '
""" MU MM M a


- F


II-


OCULIYLCI-~







I /







* I
..
'~ -:'



,.'


- ~- ~~-m-~


de beber, estive n6t, o v6s nie vestists, --


GUEIIRA. Pelo correio public que chogou no dia
18 deste recebemoos o bolotim do Diario Pedro. 2'.
'com favoravels not1iias da guerra.
As tropes alliads ganhario a victoria do comba-
toe de Viltdla em 11 do Dezembro e occuparao es-
to ponto.
0 marochal Lopes fugira ferido.
Os paraguyos tivera rn fora de combat miAs ded
4:000 homes eatre mortos, feridus o prisloieiros,
o n6s% 1:500.
Segundo a opinion dos Jornaes que notic0o. es-
to ftito d'armas, tuLlo parecia annutciar a prnxi-
ima concluis. desta guerra quo nus t fm flagelado
4 annos.

PARTIDA'. Na tanrde do dia 20 do vigente par'
tio para a Villa do Cajazeiras o Rm0. Commonda-
dor lgtacio de Sousa Rolin.
0 illustre Professor teve um accorrp nh.mento nu-r-
rneroso e deixa a par de tantas saudades urea falta
por de mais sensivdt na prOstasgo de seus services no
ministerio spiritual.


Fae votats pela sua prospora viagem e proxi-
wtlfa -iingul


nidade, colocou o aniloto to do ven3o0, 6 brnm
ao lado do ma, e a patria h:)s:.era O'he 0 nau-U
frago deranda bern perto as oacas ri as o- de-
sonfreaias do oceano.
Glocria a DETUS a to coro que sofT'e nas agn-
nias da dor, no desae, to d(I vi(.i, 1 .o as li gr,!sti3
q uo suavisam e o basim :ndo ..e que cic.rlisa as
F, .g"iites e do 'c ? i" i las d'" '
A flor d.cla de qa em, urce -. aos r.aos abrnsa-
doores o so do estio, tern o orvah da ro ra-
do e sunave q, h, rc..en..e f-.' a da h, alea-
tos para sporir 0o cal do dia.
Sem o crvalho do ceu que a regpr.T-a, a pobhrrzi.
nba e.nlanguecida 6 mirg'.ga de sclva, pe:',eria re-
seccada da haste, e cauitia dLc '.c:. o nm.rt.
E o homom 4 comn a C.r dos CqmoY: queima-
do o0 sol arde te dias i .ixos i, v5,, vi,;enu das
temnes.ades desle mund(;, em ucta abxerls o1m os
lementos con uos, al.men'.a.do-se d d does, aca-
brunhado 8o pespo das :r.agos liCceral:io peo acoite
do destino, o que 'seria d efe, se io neo deera Deus
as lagrimas-- corn qu' a dor e desabafa, e a ora.-
Cio-- qu, como o orvabo do ceu ie retem. era as
forpas c lhI co.nso!a e suavika as agonlis do upio!


Gloti a aDeas, que tanto so compdece da nos
Guundo na A so cstoro an via!.'nfcia dA *dr, 3Lei
do a magoa punge-rnos bern fund, ncndo o d.do
da desgrar nos iem marcado a fronte:
Oh as legrimas! Qu'anto a"ivio se nIo sci.o qaando
,r .ntn dr abcnl rnhlma fl do& hihos!


-I-


- -- Ot I


VISITA. Os alumnos do internato seguem hoso
para a Villa da Barbalha no e:npenho de visitar o


veneravel Misstonario Apostolico, que tem presidido,
iustituigao do estabelicimento, onde recebem sua edu- I Ai 4eaquelles que ndo saberm ou que n0o podem
cagao, ede lovar urn obolo ao Hospital de Caridade, chorar!
que so edieica no lugar. J Ai d'q. aos ques r ret rar
... d'quelles ans osqumia eq r r aic L ara dento,
.. qu.ies seccou essa fonte abo-coada de coG~slaos
e dae a:'ivio!
COLL C. A-O. Abrasados pelo fogo da d6r que os consome, es-
magsados pela violentitn da mAgoa, que Ihes dL'speda-
A c ,- a o cora ao, o queo hes resta senaoo desstiero o a
A 2 rCte.
SGloria a DEUS, qe em c de.a dpobre huma- Pianta que o orvaiho nlo homedece, f.6r crestada



tenlo siquer iuma ag:'.. ....
.Sa voutade s s3ai:'..s .E lcom effeito jl d muto receber corn resigna-
A nave da C ea eo "trior cc estabelici. 5' o a entierridde cruel que vem terminar nossos
rnento retumbam com 2a sor.oes harmonia das vozes. dias, ja muito conformar-nos : vontadte de DEUS
Eta scans teve luga" r .cr.:0r da aurora do no moment. supremo do temeoso golpe da mor.
dia 20 de Junho de ISi7, cr qe a Igreja so. to.
lmnizava a festivldade do corMo de DEUS. na vida dos Sanctos, na historic dos heroes do
0 povo, aff!ue ao e,1c!o, na cnn enur a da ee- Christianismo no so depara um exemplo id.ntico.
lebraao da solemnidide do di:, e fic;"i 'ps mado ven- 0 fact que so p:eenclava, era, comr eleito origi-
do quoe l estd a expirar a ra m osefa de Sanct nai,
Anna. S. Ignez, por enlre as chmmnks crepitanteos da o-
Todos se interrogavio om,, r.er.e co hI~ iao guera, adora a DEUS co nsola os qu chorao, per-
em lugar da v:u plarigente qaue eo.-as Qn uribun- nmanece tranquil, uao chora. mais taobem niao so
do canticos too alegres, 0 hyt:os ,c sC'Co5?!,... tv.
Tods maravilhavao-se v itdo em 1.?: ,7 oni-
as o enferino que se debate ,is w .r- P mor- roo
S I bs surrisos de uma alegia tao -i':' sere-


A VOZ D.L ~1'AGliO NO CAn! .. .....


*1


I .


---


1./ .*


I:




P:


Aqui termina-se list que nos foi remittida pelo
S'. Pedro Lobo; mas ndo deixso do ter lugar mui-
tos outros milagres que serko levados A publicidade,
quando veriflcarmos a sua ideutidade emprezenga do
suas testemuuhas occulares.
Servulo de Marit.

CORRESPONDE1\CIA.


Missao-'vlb 7 de Janeiro de 1869'.
Louvad, seja Nosso Senhor JESUS CHIUSTO! Siim:
louvado, eja, por todos os habitantes detsa freguezia
pelos grande beneficios que tern derramado sobre es--
ta porvAo do rebanho Cearense: por ter conservado,
nesta freguesia, o epirito de paz. de concordia e de
p6 lade christa,
Sim: fiz erao se as festas N. S. das Dores, e S. Rita, pelo Natal, comb 6 de
costume, cornm o maior esplendor e devo~&o que era.
possivol.
No dia 22 de Dezembro levantou-se a bandeira da
fiesta, corn grande sollemnidade. sendo accorpanba.
da por urn grupo de maninas vestidas de bronco,
corn bandeirolas braricas, e alguns anjos quo ao
som da music, cantavao veisos analogos.

posiqao do S. S. Sacramento, grande numero'de
irmAos, e muita concurrencia de fieis.
Sendo engeitada a 8.* noite, 0 Rnm. Vigario fal-
lou A estas5o da Missa, aos homes da villa; e im.
mediatamente Oor sentio-sb ferido pelas detona6oes
dos fuzis e dos fogu4tes: essa note foi uma das mi
Ihores.
CantarAo-se nos respectivos altares as misses de N.
S. das Dores e S. its:; o no dia de anno bom a
feta do Padroeiro corn graile pomrnpa e solemnidade.
Cantou a missa o RRm.0 Vigario Felix Aroaud, eu
evangelho o ld. Manoet Rodrigues Lima, e a epis.
tola o p. Francisco Casimiro de Sousa; foi procu-
rador da festa e mestre da music o sr. Manoel Ja-
ic Qme de Carvalbhob.
A' tarde bouve procissao que esteve esplendida.
Toda a Sagrada Familia sahbiu na prociss&o: e mais
as Imagens de Sancta Rita, S. Miguel, S. Francisco
e N. S, da Concei`o.
Um grupo de rneninas vestidas de branco e seis
anjos accornp'nhargo o andor do Padroeiro, e o palio,,
sob o qual fulgarava o Senhor Sacramentado, feixa-
va o augusto prestito.
Todo as dias seocantava, no fim da novena o
eguiute
8 HYMNO DE S. JOSE.

Glorioso S. Josd,
Patriarca Sublimado,
Ouvi nossos louvores,
Como nosso Adevogadoi
Dos fe s deste bispado
Snis o Sancto Padroeiro;
SSde con J esus Me nino
0 ioso0 medisaieiro
N6s festejamos o dia
De seu "sancto Nascimento,
Tomando como pinhor
VossO grande valimento:
Pelo prazer ineffavel, :


Que tivestes em Belem,
De ver nos bragos da Virgem
Reclinado o summo Bern.
Pedi-lhe quoe nos concede
Por suS misericordia
Perdao dos noses peccados,
Unilo, paz e concordia.
No dia i retuni-s. a Me-sa da Irmandade do
S.S. Sacramento e votou que se fizesse a festa
da semana sancta.
FoyAo sorteados para a mesma festa os seguinIst
seab ores Irmaos:
JUIZES.
Pedro Martins do Oliveira
Antonio Furtado Leite
Man-el Furtado Leite
1). Rita Maria Leite.
ESCRIVAES.
Patire Manoel Rodrigues Lima,
Francisco Mascarenhas de Qulutal
Manoel da Silva Lima .
Manoel Jacob do Nascimento.
IRMAOS DE MESA-
I Josh Perefra Arnaud
2 Manoel Sampaio Pamplona
3 Alexandre Martins Parente


6 Ladisldu Pereifa Mascarenhas
7 Antonio Pereira da Silva
8 Idelbrando JoOs Correia
9 Lcurengo Ribeiro de Castro
10 Jos6 da Cruz Neves
Ii Jose Gonsolves ita
.1 Antonio Joaquim da ;Silva.
13 Vicente Ferreira da Cruz
14 Felinto Olympio Ferroira da Costa
15 Simias Oorrteia de Macedo
16 Jobo Manoel da Crus
17 JosO Gonstlves Martins
18 Aristides Jose Filippe
19 Joaquim Ruberto Correia A
20 Manoel Domingos Landim
21 Paulino Correia de Araijo
22- Manoel Lourenueo de Castro
23 Antonio Jose .uares:
24 Candido da Cunha Camello.
No dia 6 cantou sua primeira missa 0o Reveren-
do Francisco Casimiro de Souza.
o acto esteve importantissimo e nmui editicante
pela coricorrencia extraordinaria e pelo bello e su.
blime das ceremonies religiosas que forab execu-
tadas corn exactidao e iedade pelo novo celebran
toe que mostrou mnita pericia e conhecimento da t-,
thurgia romana.
Assistirao 0 aoeto 4 sacerdotes o bom Vigario
Felix Arnaut que foi o pregador e satisfez plenamente
o grande auditorio, o virtuoso P*. Henrique .Jos6
Cavalcante, o BiRmn. Manoei Rodrigues Lima e oCa-
pellao da Venda, Ignacio Ferreira do Bomflm.
Continuarei a missyo de correspondente da VOZ,
DA IELIG[AO NO CABIRI, e corn os 5ses leitores
terei ainda de dizer: Louvado seja N. S. JESUS
CHRISTO!
- .. ... :
Crato, Largo da Matriz, Typ. do Internato.
Imp. por Agostinho Luiz Arnaut.


~~~UI ~a~~s--~--rarrrPn%-arP-----insae~r~ ~r ~----,-- __ I


A VOZ DA BRtLW AO0 NO CARIRI t
. .-' ^-.: ^,::. .'' .".- .,':-, a a-' "" :' ." : ".'. .* '" "* ^ _


II I r C ~ r~' CI ---~--1 I