Rebate

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Rebate
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Creator:
unknown
Creation Date:
June 25, 1911

Subjects

Genre:
newspaper   ( sobekcm )

Notes

General Note:
Newspaper issues from the personal collection of Pe. Cicero Coutinho, Juazeiro do Norte, featuring articles on Padre Cicero.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
All rights reserved by the source institution.
System ID:
AA00001672:00087


This item is only available as the following downloads:


Full Text




























CEARA'-BRAZIL JOASEIRO DOPADRE "CICERO DOtWGO, 25 DE JUNHO DE 1911


.# A~%'NO-II. NUM. XCVIJ


EXPEDIENTE tia-se, comtudo, forte e comr ba- existenria, retiroi-s p. ma-
.EATEpubstante i seposio tie animo para ca As costas, vergado sobre tiurn
0 .REATE. bliea-e sema&ment. arrastar corn as difthculdades da bordao, para o Assar'...

IEDACTOR-CHEFE-Padre Joaquimlucta que i travar com as for-1 Mas nao chegou a effectuar
de Alencar Peixoto. 9s da naturesa, costa d'Africa alli, como desejava, o arrenda-
da vida em f6ra. mento corn a vida.
TE-Frne LTorn Forrado por esses tAo inveja- Antes le veneer os ultimos

ASSIGNATURA vels accidents, e por circum- tombos do caminho que condu-
stancias-particulares que me no [ a hquella localidade, prostrou.

Anne.............................5$000 convem aqui graphal-as, nemr oa enfermidade,
seme-:re..................3$50C caberiam ellas, por certo, ra A caridade d'uma viuva, po-
contextura d'este conto, deixou rem, que a- Bondade Suprema
PAGAMENTOS ADIANTADOS Gaio a companhia do rico pro- Ihe deparara n'aquelli altura,
A* publie.ties de inteiesse particular printano para fazer a vida, tra- estendeu-lhe o brago, tomnou-o
(, ainnun i-,s deeiidem de eontractoe, sen- balhando allugado... pela mao e u conduziu para a sua
(, o pagmento adiantado. N'esse tr A Mre. nao.: re0. ponSavlpeeupa- a que se entregara corpo e al- cia e jh quase, ieis immediagies
ie t.e: .-ined'e -riaese, nem pelas pu- ma; n'ess- tao arduo e improbo d'aquella villa.
;Uapes alheia,. aisignadai. trabalho de rangar terra, cavar, Pobre,. sem recurso algum,
Atceit;,se.-e orgos de religto, seiencia. regar, mondar, semear, levou em companhia somner.te d'um fi-
litteratura etc. prehenchendo ctrtas coB- elle annos e mais autros. Iho mais velho que Ihe poupara
Sa morte, e que contava, de eda-

RedueJr;. gerencia e typographia=Rua -* de apenas, doze a nnos, vahia a
Padre (iceo--*. a4. viuva a ciata de mel silvestre,
Trabalhava Jose Gaio a mor- internandp-se matt A dentro, a-
J -I DO PE- I rer... e quanto gai.hava, ajunta- fim de, corn d sea product, ven-
JOAZEIRO DO PEM CICERO ) va, s-m que ch na vida a deado -o p o mais ou na-
e.pender um s r conm ai- d?, pbder suste~ita-o.
Setj & guem. E n'esse afanfeo lidar foram-
l SC IForreta que elle er was for- se dias, forarti-sa semanas, fo-
reta, on avarento ? ram-se meses...
c(te tuil 0 desejo em que se ardia de Como d.caridosa a mulher do
ganhar e acumular dinheiro che- povo por eases sert6es em f6ra!
Nasceu Jose Gaio no ar aba gou j tal ponto que andava sujo, Achava-se, porom, Josd Gaio,
Ldo da florescente e legendaria maltrapilho, eafarrapado... jA no ultimo-periodo da terrivel
cidade do Crate. E agora quanto ao passadio ? molestia:.era aum esqueleto tao
Filho espurio, nao conhece Era, com effeito, enorme o horcivel e tdo felo como aquelle
ille nemr mie ne pae que, jjum que ja por ultimo se dava typo oriental delque fall Bom-
corm Earinho anmor e-ncami- a si mesmo o rafado. biases, o Sabio, em made sua s


nhassem os seus primeiros pas-
sos vascilantes no caminho dar
existencia.
Creou-se em aposentos de-
mnasiado estreitos d'um velho
carvoeiro, a quem a fragilidade
humana lhe commetttra os de-
stinos da vida, e sem luz e sem
ar, condemnado innmcente A u-
ma nutrigAo miseravel e insuffi-
ciente.
A acqao prolongada d'esse
mean insalubre e a insufficiefnia
,la alimnentaio deixaram-lhe
bem patente na care um estig-
Ima que, com difficuldade, apa-
Zou-se, gracns a um meio rela-
'amente mais codfortante.
Abandonandoa na edade de
treze anros, a sen pae por crea-
tiao, o velho carvoeiro, passou-se-
para a companhia d'om abasta-
do proprietario da serra.
E, ahi, esteve, por alguns an-
nos, prestando-lhe, a tempo e
a hora, e sem paranca, os seus
scrvijos.


Entrava jA o rapaz
seus vinte annos...


para o6


Si nao tinha Jaos Gaio, como
0 home das montauhas e doe
ctarnos, o sol no sangue que
produz o calor e a alegria, scu-


E, assim, foi-se, a pouco e
pouco, exgottando-se, cxtinguin-
do-se o home.
Mas, pouco ou nada Ihe im-
portava isto, que mais do que a
saide, male do que a vida, mais
do que a propria essenoia, valia-
Ihe o dinheiro: os seus acts,
intentos e affects levavam a mi-
ra s6 n'esse malaventurado ob-
jecto.
Tomou-se, em verdade, e por
todos era apontado como tal, o
typo, o transumpto mais bem a-
cabado do avarento; era, por as-
sim di'er, a Fropria avaresa em
caren, em sangue, em osso.
Contrastando corn as demais,
crescia-lhe n'alma, a proporgio
que ox dias rapido se Ihe cecoa-
yam, essa paixAo infame.
*


Exhausto, abatido, sem mais
forva edispositao para a traba-
Iho, devido. spmmoa enorme,
que, dc energia, perdera, e, so-
bretudo, ao mal passadio a que,
poravaro, se dava, ao miseravel
sobrevelo-the terrivel uma. eon-

No intuit de, sem dispesam, e
s6 conm i mudana de a d, mc-
Ihorar ou restabelecer-se do
grande mal que Ihe minava a


memo r.as.
.
**
Um dia, i para um canto da
pobre casa, sentado junto a ma.-
ca de que se nao separav, ris-
cando o chIo.Q varela, totsindo
de vez em vez, escarrando a es-
paqos, e raspandosempre aguel.
la, como quoe setiu o avarento
rogar-lhe a front corn a ponta
da aza o archanjo da miorte.
E sem mais deMaora, arra-
stando-se, vag*rosamente, che-
gou-se A um dos aposentos do)
casebre que Ihe ficava mais pro-.
ximo, e, ahi, porta 4 dentro, dan-
do volta ad chabv, trancou-se.
Estranhando por demais essa
acaec do tuberculoso, poz-se a
viuva a olhar pt-lo buraco da fe,%
chadura... .
E estdjcbu-se minutes depois
cheia de admiragio, cheia de
pasmo, cheia de. assombro, cheia,
de horror! .
Jos6 Gaie, abricdo a maca,:
saccou d'ell um grande masso
de sedvNfais;accenldeu uma vela, e
queimou-as-todpa uma pa uma,g
deitando-lhes respeitosamente,-
cuidadosamente*asc iama sobirs
uma-grande pedra lisa que 1a
dentro liavia, aja briuta, ha mil-1
lenios de espera, ,quen, sabe j
por esse sacrificio horrendo...


Desgragada humanidade !


* *


Queimadas as sedulas, Jose
Gaio ajuntou-lhes as cinzaw, oo-
meu-os e... logo ap6s expirou.
Alma miseranda !

N'um repto de indig'nao e
commiserabilidade, dirk ainda
commigo o leitor, em conclusdo
d'esta historic : alma miseranda!

Padre J. de Alencar Peixoto


OS BOTOES


Eram de madreperola, sim-
ples e ate parece exquisite que
alguem tivesse tanto amor as.
sim Aquelle par de bot6es que
me idetu uma moia que canta
comic urnm rouxinol e e boa conio
os anjcs do cdu.
Mas que indiscretos magi-
cos Apenas en juntava os
punhos, li estavam os dois a
cochicar; al contar-me histories
e sponteando finos sorrisos de
creancinha corn tosse.
---0' mano, 6 mano! que tem-
po immense levamos press no
lengo rendado, cheiroso de vio-
leta; onde brincavamosde escon-
der por traz dos beijos que nos
dava a menina, porque iamos
ser o primeiro mimo...
Psiu interrompeu o outro,
ap6s curto silencio.
Depo.s, estivemos na caixinha
do leque; depois no porta-joi-
as, depois...
E eu, nervoso, sacudia os
punrrhos calando-os; e alegre, e
triste e alegre chorava e ria lem-
brando o moment em que, em
uum cartao, intercalando as syl-
Ilabas de souvenir-qual si a
;pronunciassem em solugos-vie-
'ram-me aquelles bot6es sim-
ples, de madrnperola, mimo de
uma mora que e b6a como os
anjos do e~,u e canta como um
rouxinol.


*


Quando a dexei recolhida na
saudade, como uma estrel-
la em um novello de brumas,
trouxe-os como lembran;a viva
de to adorada creature. Nunca
os deixava; nunca!-Viviam comn-
migo juntos; quando *,escrevia
"batiam elles sobre o papel cornm
a cadencia das rimas; ora can-
tando, ora riAdo e solueando as
vezes... os indiscretoe magicos,
os encantadrs palradores... Po-
rem-com magua o digo !
-Perdeu-se um delles, em


Caotaudo e riiao


28 .

(2.1 junho 911)

.As minhas allu-
cina,;oesl de ve-
lho, porqe e niao
coifessal-as en. '
caitando e ridto?.
Uma d'ellas.'eil-a
ahi, pois!


Que faze?, donzella,
Sem ven, sem capella,
N'este ermo, tAo bella,
Do diaao raiar? :-. .
Contempla,, sorrindo,
As flores se abrindo,
Perfume, espargindo.
De, a gene, enlevar ?

Contemplas, brilhante,
0 astro gigante,
Qu' em carro flammante
La vem nos sandar ? "
Pois, n'isso, a mimosa -.
Fl )r tAo melindrosa,
TEO linda e formosa,
Sumin-se no ar !...


um dia enm passeio a Tijuca. Po-
bre botao! Cahio cornm o punhu.

*

r.Que o proteja o vento, tanja-o,
role-o, role-o pelo espiral da
estrada e sa:uda-o no mar para
que as ondas o conduzam rquel-
la que m'o deu e delle ouqa a
historic triste de minha desven-
tura...
Ambos encerravani uma lem-
branga; duas lembrangas' hoje
quarda este outro queficou e'que
ja nao anda commigo... Tenli'-o
fechado corn o punho e s6.a noi-
te, occulto, de joelhos, beijo-o;
interrogo-o, chorando; o pobre-
sinho, tremulo como pas&~ o
assustado, balbucia saudoaa so-
da vida de meu amor e todo o
amor de minha vida; qie a-
quella moca que canta como um
rouxinol e 6 boa como os anjos
do ccu...


Guimarues Passom


A MONTANHA



E' preciso, filha, nmaito .re-
ciso que saibas amar. Como se
edfica nossa alma, filha,. '. in-
do area Nao 6 que a coisa 6u a


li*


3i


' '


__


-- ---


'I


Josed lerreir:a,c
.. .







7.;


alforge.
0 home contou o dinheiro e
dissc:
-Devia ser oitocentos mil
reis, quo foi a quantia qu- eui
perdi: no alforge encontro ape-
na, setecentcs; vejo, mea amf'go,
que recebestes adiantado os ceem
mril reis de alvia'rns, estamos pa
gos por conseguinte.
O born do eamponez.que rem
por sombra tocara no dinheiro,
nao podia nem devia Lontentar-
se covn senmelhantes agradeci-
mentos.
Foramn tor comr o juiz que,
vendor a mri M do avat,.-nto, deun
a .e.,Jintte.. ente.oa:.....
---Urn de v6s perdeti Mocen.
tos mil reis; o outro encontr(ou
uam alforge apenas corn setecen-
tos. Resulta dahi clramente que
o dinheiro nao deve Per o mesmo
a quo o primetro s' julga comr
direito. Por conseguinte, tu, men
born home, leva o dinheiro que
encontrnste e gu.arda-o at6 que
apparega o inuividuo que perdeu
somente setecentos mil reis. E4
tu, o unico conselho que posso
dar-te, e que tenhas paciencia
at6 que appareqa algum que te-
nh. achado os oitocentos mil
reis.


Guerra Jtunqueiro


COLLABORAtAO


0 Marrtyr


VWde-o que passa corn o ma-
chado sobraqado em dqmandn
do matto.
E' o carpina. Vimol o seguir
de olhar fito no chAo, pernas
vacillantes.
Elle recebe dois mil reis dia-
rios e ji deve certa quantia adi-
antada.
O patrao quer o fervico, nAo
attet.de ao seu :stado de abati-
melito.
Mas elle esta tAo fraco, e tAo
mio o passadio e ainda eente
syntomas da febre que o pro-
strou a bem pouco tempo.
Mulher e filhos esperam de si
o sustento, roupag, aluguel de
casa, agua. lenha, remttlio etc
0 salario 6 ponco, o servigo
pegado e eil-o que core aos mat-
tos com esses pensamentos in-
certos sobre o future de sua fa-
milia.
Esti ali a batrana que serve
para a moends, mede 9 palmos
de roda.
Comeca a entalha.
A sede augment e o suor e
trio e abundante.
Dez vezes, senta-se e ergue-se
para ganhar nobremente o seu
-alario.
A bocca amauga; labics con-
strangidos; uno pede seiner ali-
mentar-se.
0 sol jA decline e a bara6na
ferida zomba ainda das fracas
machadadas.
Cada minute que se passa a-
quelle pobre home perde uma
celula da vida.
E quando o solsomme se nas
brumas do occaso leva nos seas
ultimos raios, os ultimos fies d*a-
quella vida do moffrimentos.


Baptista Siqueira


fa


de tresenteeo j prgarwm as sues
La~s-4giwuvw,,- a Franciaco
a Liwtwes Thevr,6o a. Ovato,
onde qu"os sedoe aida eSao
verpi'4aa,-as.-oep.} 4 e A-
Se eart Pe's;".o; e. sMilagres,--o

t rfsfamos que oodos atlen-
&mar ao voow pedido, mandan-
dcoo, quanto a' es, satisfazer as
s se ssignaturas, pois o egun-
do arwo de publicaqso d'esta
sa qne passa por ahi, senhoreq, foIh. esta prestes a expirar.


de othos eastanho* e fidalgo porte
ea prineeza ideal de men& amores
e a maif franzina perola doinorte.

Contamn qre Tnma nitfe de e pdei 1is,
hymhtm rantarttirnp jogi vre
as estrellas em magtico trawporte. -

A.reditae" talves Per phantazia ?!...
en vos diri qfue no, em prrto dia
qinando Ella entron na festival capella

En vi a Virgem mergnlhada em pYai to
e o Ch'risto de martin fltal-a tanto,
conm se fosse apaixonado d'Elia.


Hertneto Lima


Em $)Jl


(AO RE1PACTOR-CIHEFE DO 0
-REBATE*

Bellissinma tarde d(1 maio, po-
utica, encantadora, e muito !
De passeio, perlustrava eu u
mna das ruas d'esta Varzea-Ale-
gre.
0 ceu eseampado de nuvens
arqueava se azulino por sobre
minhn cabcea; parecia um esten
dal de snphyras.
E andei nmuito., .
Ao passar ein trtnte a egreja
de S. Raymundo Nonato, depa-
rou-se-me uma donzella de
aspect subtil e mysterioso.
Alcandornmdo-me d'ella, del-
The a ent.nder no dialect
mudo de meus olbos que deseja.
va fallar-lhe, matando-me assim
a curiosidade que me assoberba-
va a respeito de sua origem.
E eis sinrIo quando estonteou-
me a sna formusura ...


Era um archetypo de belleza
em todo o seu conjuncto, como
em cada uma do suas linhas.
As swas faces eram rubras de,
carmin; os olhos, scintillantes de
estrella; os dentes, dabrancura
do marlim; os cabellos, dir-se-ia,
toucados de sol.
0 que porem, mais me eston-
teava, nho foi tanto a'sua for-
mosura, oem parece r-m e
ella intangivel, mas sim nAo
poder eu approximar-me d'ella,
como desejava, e por mais es-
torcos que empregasse.
E nesse afti-M n4Bfodia eu ar-
ticular uma s6 paitra que nao
fosse a d'um phantasma ou da
sombra.
Comprehendendo ella o ien
desejo de fallar-lho comno pa-
ra fazer-lhe unma suplica, atirou
para o meu lado um elegant
into verde qne reluzia comr o
mesmo brilho d'um brial de par-
paras que trazia.
E en, semr poder ainda ligar
duas ideas, lembrei me entso d's-
quellas palavnmsde Camillo e comn
grande esforqo de minhma alma.
cheguei a tartamudeal-as:
-Seras, porventura a Espe-
mrana que vem do eco para miti-
gar oom a does fronts mi-
gas as minhas dores e trialtesza
Sejam bem vinda, poise, 6 doce e
eternal Esperan"a, pois que to,


parece-me, ser t1ha dos ciumcs,
dos amores eterno ....
E a este tempo aoordei e nada
mais vi do que, d'olhos fechadoo,
eu via ...
E a passarada cantava ja ale-
gremente: era de ananhA.

Varzea-Alegra

Renovato Junior


Quando tens othos de unma luz celeste
Nos minus se fitar, perfAmosa flor,
Eu leio n'ellescom paixio intense
Santa palavra que se chama amor.
Acho mais belles teis mimosos lablos
Que a magnaaurot com vivaz rnbor;
Prefiro is flores teas lindas faces
Sc tu me fallas devirgineo amor.
Mais antes quero te fitar, donzella,
Que a Venus grega de astral fulgor!
E's bem formoon se corando lembras


Aqnellas juras de.perenne amor !
E's terna e pura, ten sorrir encanta,
Tens da innocencia o divinal candor;
Nao tremas tanto qnando digo A briza
Os tens receios do primeiro amor !


0' n0o creanoa de candura tanto,
Perfeito archanjo, que s6 tern primary!
Sou rei, se beijo tens cabellos pretos,
Se escuto as juras d'um ardente amor.
Bemr sabes,virgem,qne te amno e adore
Tern fm,;tem crefna neste teu cafitor;
Prefiro a estrella, uta fronte meiga,
Prefiro a tudo o ten singello amor.
F. Mucambo, Pernambuco, 4 de
Novembro de 1910.
Levino'de Barros Netto


TT.~A3=


No sentido de melhorar esta
nos.a folha, prestos a entrar
corn todo o demassombro em u-
ma phase talvez a mais interee-
amnte de sua existencia, pedimos
encarecidamente os que nao pa-
ga'sm as suas assinaturas, al-
guns ainda do primeiro anno, o
obuequio de mandarem sadsfa-
zeli-as.
Sao encarregado. da cobran-
5a aqui no Joazeiro, onde mais


of. Norio Suwke Jlaw

Temos' o prazer de register
que se acha entire ,t6s o exmo.
sr. dr. J6se da Cruz Moraes
Sanipaio Filh., Engenheiro A-
gronomo e Ajudante da Inspe
ctoria Agricola do 5? District
e encarregado da 3.a secao
corn s6de na ciAade do Crato.
S. s. eetdi em viagem de ins-
peccao dos municipios d'esta
zona, estudando corn criterio as
condig6es da rossa vida agrico-
la, afim de poder orientar-nos so-
bre os meilhores meios de desen-
volvimenio d nossa lavoura que
ainda 6 feita pelo systetna o mais
rotineiro.
Conforme communicou- n o s,
muito em breve installarn no
Crato uma exposicao de appa-
relhos apropriados ao movimen-
to agricola, bem comoini :iarai a
respective applicacao, para tor-
nal-os conhecidos e aesim facili-
tar a sua acquisiq~o ..
E n6s que applaudimos today
idea de future, satisfeitos, nao
regatearemos nossa admniracao a


Iqtqa se esforza pelo
blico.


bc.m pu-


If. Maceio


Estbvc a passeio n'esta fiutu-
rosa localidade o illustrado dr.
Simeao Correa de Macedo, di-
stincto capitalista, resident na
visinha cidade de Barbalha.
Visitamol-o.


Cornld 3JIo (czera


Vindo da capital do estado,
aonde f6ra a ngocios commer-
ciaes, acha-se entire n6s o distin-
cto coronel Joao Bezerra de Me-
nezes, critericso a honrado ne-
gociante, resident n'a.ta praga.
-Ao illustre cavalheiro, o nosso
cartao de visita.


Mar 3Jb Sorera


A-


----


artilres socasc


Foi um frade, do tempo de D.
Joao V, que escreveu. n'um livro
,de apontamentoa. hoje conser-
IVSdo, a seguinte curiosa rela-


cLists dos nmartyres do mun-
do, apud Escol. Decur. tou I
jol. 133:
0 soberano, martyr de irTpor-
tunaq6es;
0 pretendente, martyr de es-
perangas;
0 rico, martyr de cuidados;
0 pobre, martyr de necessi-
dades;
0 poderoso, martyr de ambi-
goes;
0 discreto, martyr de enten-
dimentos;
S0 ocioso, martyr de vicious;
i 0 occupad$., martyr de can-
ceiras;
0 sabio, martyr de invejas;
0 nescio, martyr de presum-
pqoes;
0 despachado, martyr [de en-
fados:
0 escuso, martyr de desejos;
0 virtuoso, martyr de escru-
pulos;
0 peccadar, martyr de culpas;
0 tmerarto, martyr de ris-
cos;
O cobarde, martyr de temo-


-,a- uc cniegair de seu pas- res;
seio ao Estado visinho do Piau. returc.de, martyr de esque-
Ky, a illustre mooo major JoAo cimentos;


ownvalves booreira.
Cumprinientamol-o.





De Fortale7a, onde demorou-
se alguns dias, e aonde fora 4
negocios commerciaes, regres.
0ou A esta localidade o sr. major
J. Ferreira de Menezes, active
negoeiante d'esta priqa.


0 entromettido, martyr de
desprezos;
0 valid, martyr de receias;
0 desvalido, martyr de senti-
mentos;
0 glotm, martyr de achaques:
O necesntado, martyr de mi-
serias;
0 caaado, martyr de obriga-
c6es;
0 softetro, martyr de descom-
modos;
0 ambicioso, martyr de sus-
tos;
0 bemfeitor, martyr de in-


m


--oi


...... O N M "AT E


-- --- --- --


Serbo recoLhidae sem deseon-
cosah30 detjunhe as seguin-

250000 d 8. e 10 estampas
1004X00 da 109a estampa.
SFAbricadi a.Ingl .erra. ..
$000. 50000 100 J0,. .
20*)000 e 500(0001
Essas notas soffrerao dcscon-
tos desde 1 de fulhq em dian..
te, send:
S2 q/o nos mzes de julho, a-
gosto e setembro de 1911;
4 o/o nos mezes de outubro,
novcmbro bro ;
"0 iezes de janeiro,
fevereiro e marco de 1912;
8 o/o nos mezes de abril, mai'
e jtnho;
10 o/o no mez de julho do
mesmo anno e mais 5 o/o ern
cada mes que seguir, ate perde-
rem todo o valor.
Serao trocadas em moeda de
prata, sem limited de prazos, to-
das as notas de 1$000 e 2$000
E' facultative aos portadores do
troco das notas de 5$000, .
10$000 e 20$000 que estejam
em substituigdo, por moeda de
prata.
A 30 de junho finaliza o prazo
para o recolhimento e o respe-
ctivo troco de m, edas de cobre
do antigo cunhc.


<^r,


Es








.1


0.1 "P_ P L
......*"'**'*-^-^-_" 11 \i'_.._____ 0 R J!! ATE


..' ,,.rtyr,.de Is dons de rua intell.gencia e,-
0 aa',n!t, martyr de fas: clar.ceda, tircu o d eloma k
() ,nte,. mrtyr ,e mes. professor public e n'este mister
consumiu toda r'sua vida.
Politico, que clleera, militou
QuaOS!$ Satos ha ? sempre no lado do Senador Pom-
pOu e con a nit morte d'este ao la-
31iitos de nssos leitorei fi- !do doCexm sr., dr. Nognuira
riam eimbarajados, si tive.,sem lcci0ly, chef, supremo do .u-
,ie responder a esta pergunta. jante partido republicaino cearen.
i'm ta'ctor inglez da o nufmer ise e actual president do esta-
d, ctrinta ri' [lelo metros>. Masj do.
,sse actor nao inspire cor.fian. Casando-se, ja pela terceira
c.,. Um erudito allemao. Pot. vv-z,com urna filha do coronel Pe-
thast, cujo nnime t aucturidade dro Jnyme, de saudctoa meui,-
im material historica.- d (com ria, deixou deste consorcio, co-
.s nonmes e a dacta ecclesiastica mo dos demais, nu.3 subeums
-a fesca consagrada pela egreja quantos filhos.
ScaJa um) 7.860 s-ntos au- Re-istrando aqui o pNisa-
:hent camente c nionisados. Este rmento do major Antonio Siebra,
:v.inero nao comprehend os ca- enviamos a todos .s membros
nonit.c'os do seculo X\III: sem e sua distinct familiar, especi-
duvida pouco numerosos. No almente a.seu.irmao e a seu so.
stculo XIX, a canonisago d if- brinho. majors Raymundo Fer-
!cultou-se muitissimo e so o.reira Lima Siebra e Jorge Fer-
,oncedida As sanctas: Philomena, Ireira Lima Siebra os nossos ma-
Colomba. Gerard Magilla, Hf- is sentidos pezarnes.
reneta, Maria Clotilde de Fran-
a, Ursia. Muitos beatificados
estlo aguardando a sua canoni-


as., a'en de sdY tr 1am \hagh
;omwuo.a do talo a'Irr or (a perna
'ireita, tambem era dtonte de unu
ceimosa vt,rmeliihidt'o a palp.bras.
tppqiiqu.i-ibe doi. vidros do grandv
remedio e logo .jve a elemina(i.o,
1dos vivos buuta _os destruindo as-
me atos.n'nmapa 'vracuraddo de tudo.
O stu 1)EPUR.I' VOCUANI)DOt)
iulalivel, conmo f'denmunstram quan-
tos 0 esperimenutats.
Assigno-m'; satisfeit:ssimo

De Vmc. Amigo dedicado
Jose Manoel de Jesus
S. Tbereza, M. -Velha 7 de Nt-
ventbro e eli .-'* -- ..
(Firma reconhecida)



INEDICTORIAES

Rldmo. Amigo padre ptixoto
Cordiaes sanda<6es

R.metto-lhe jnn t Umento.co es.Uta.
copia d'uma carta que acabo de rece-
ber d'unm am;go da capital do Estado,


Sao paraser pnblicadaem sel conceituado
SJornal,ORebate". Remetto-lhe sin-
g* dA ida com esta a importancia de dez mil
W a II reis (10:000). de duas assiguaturas
do mesmo Jornal. (s negocios por

Qtir~tz um arOSCOPt? aqui correm-semr novidade. Apresten-
Qurmfl iS barost o ? j Passaste! E a Ina, que no espaco azul tando-lhe os moe s pratestos de muita
Espargia o sea manto de luar, estima e considercaio; sou
Tom..m 30 centigrammas de Chamou a navem do sul
ca.mphora, ouras tantas de san- E velou-sc talvez envergonhada, D* Rvdma.
htre e outras tantas de sal anio- i Da Juzdo teu olhar. I. Ani Att. e rato
niaco. Dissolvam-n'os separada- ln Perea d ilva
mente em alcocl poro ou em IPassaste! Ero rouxinolque nabalseira Antomo Ai drelin.) Pereha d ilva
a .uard-nte forte. 0 ftsco. que Canlout-se einverbonado: Villa Bella, 22 de .alaio de 1911
contiver a camphcrs, por-se-a ouvira a melodia encantadorin
-,m agua qupnte, afim de que n D'essa voz teiticeira.
dissolucoio seja complete. Mi R A 16 I itai0 (o
sturem-se depois as tres soluc6es Passaste! E este men peito s.ilitario,
n'um pequeno provete ou n'um Cheio desom, de luz, de aroma ecar, Amigo Antonio i aa
frasco appropriado. Tape-se e Transformou-se no tnlgad .sacrario,
I S Oude eu adoro a host'a sacrosanta
:acre-se. S.uspenda-se o fr2aco, e ereste.meu doido amor. Acceite m:nhas sauda6es
ter-se-a o baroscopio. I
d \ 1 7 --_ i- I


UO oaroscopio assim installada < /s.epe
dar-nos-a indicaq6es exactas so-
bre as variaqpes do tempo, de .
accordo corn as seguintes in-
strucgoes: v.,A.- ..^^^ .v-.vv
Liquido claro, bom tempo.
Liquido turvo, chuva. r. Joa0 o. tlSff -
Liquido coagulado no fundo, a
*'C .* ** /-t ---^-._ t Tt .4ri~y


trio.
LIgeiras nuvens suspensas no
liquid, tempestade.
Nuvens mais densas e umidas,
chuva ou never.
Filamentos na parte superior,
ve-nto.
Nebulosidades, tempo humi-
do variavel.
.ebulosidades corn tendencia
a subir, ventos oas altas re-
.gioes.
Este baroscopio pode qual-
quer constr'l-o e pode. tambem,
ter a certesa d'elle The poder
prestar verdadeiros serviwos.





VActima de antigos encom-
modos de saude, fWilleceu no diia
10do corrente nia pittoresca ci-
dade doJardim o illustre major
Antonio F. Lima Siebra.
0 fallecido, que contava jA 62
annos de edade, era natural do
municipio do Crato.
Muito v1o0o, sentou praga.
naquella cid3de, como volunta-
tario da patria e, seguindo para
a guerra do Paraguaio, adeeceu
em caminho e de tal forma que
via-se obrigado a voetar. '
Restabelecido, depois, de, se-
us encommodos, e aproveitando


Medico, Ouperatuor e r uviiro
Diplomado pela Faculdade de
Medicine do Rio--Ex-interno
do Hospital de Misericordia do
Rio de Janeiro, etc. etc. etc.
l -
Consulta em sua residen-
cia a R'ua das Laranjeiras
na Cidade do Crato.

Acceita chamados A qual-
quer h6ra e com a maxima
brevidade promptifica-se a'
attender consultas e chama
dos parda a zona do Cariry
por prego razoavel.-

-CE
SCRATo-CEARA
' ^^^^-^-^^


C



I


Nuca falbkaudo!

Sr. Pharmaceutico Manoel Candi-
do das Dares
Saudacoes

Tomo a liberdade de enviar a vos-
sa mereT este attestado, julgando
que ber r agradavel saber da es-
timae&oqu estt alcanuando o beit
famous DEPURATIVO CANDID
ra ana meridional deste EstadO.
Aristides Pedro, pesaoa de minha


Alfa~ataia fxtkvato "Padre

Vicente Pereira e Fernando Piani Ci
-,stabelecidos nltimamente nesta
Villa, enearregam-se do fett'o de to
-la e qualquer ronpa sob medidis pari
homin-is e -rean;a-, gara-tind" per- Este ectabelecimento
eiy;i, pmntnahdade e modicidade em cacao intellectual., fundat
pre. daT Mat-iz n localidad- nos 7 Jo
Ria da Matriz n". 393- /...... I A....


BAZAR POPULAR

0 proprietari6 deste serio e con-
ceituado estabelecimento avisa aos
seus hons fregneses e ao public em
*geral que se acha con um ruovo, born
complete smt :mento de fasendas,


do e,_lu-
do nests
c.;rreute


(margo), sob a direcao de Ray-
rmundo Siebra, comp6e-.e de
lois cursos primatio e stcunda-
rio.

Corpo doceute
Padre J. de Alercar Peixoto
Conde Adolpho van eon iUi-u
Raymundo- Sicbra.


'erraeiu'n. mindesas etc. ert. e q|1
as vende po- preen's-o wI i esu m.i- MATERIAS DE ENSINO
d is possivti aqui n iJoasti u a Pt \-
(2A D)A INDI.PLNI)-.NIA 2237 Corso pnimario:-lcitura, es-
Vere co prar. I .
'ia visited, pis, ao BAZAIR P0- cripta, granmatic- arithm:et:ca
PIL.I : de elementares. etc.
Fiausto (Gi'mi rits CiL)rso secunda rio :- portu-
que-, franctz. arithmetic, geo-
graphia, hii-toria, etc. etc.


R. L R Tm PRE(;O-S
Pagara cada alumno. mensal-
Oimente, pelas unaterias do curso
primario-2:000 pelos material
D E do curso sect:ndariv--5.U00.

JOAO VICTURINO DA SILVA OS PAGAMENTOS SAU. A-
DIANTADOS.
Granr'de estabelecimento de fa-
z n la, nilidr.zas ferragens. lou-
&,'s, vidnt,s, tintas, bebidas, mno- O0 director granted aos snr,.
Ihados, cinp6os, calqados, portu- paes de ftrmilia to Ic o cuidado
m:arias, livros, relogi,'s, e des- nan educagio intellectual de seus
lumbrante stuck do artigos de. till-os e agrad ce a cu!:tiancaquii
modn, ttd, a pireo baratissimo, n'elle depo,itarein.
sent comietencei,.
Unia vi-ira, pois, a A LOJA C (xrutato c7alrC CtCefOi tLnc-
TRINTA DE AGOSTO cion :i PraA d'. In-lependencia
n? 56.
PRL'A.i DA INDEPEXNDENCI.A
N': 1211. _
JOAZEIRO DO PADRE CICERO
A V1'7I


Ainda nio.veio o accordao do I 1ItIt-
Supremo Tribunal federal c por Franiico cvai.uanti, res.deiit
isto deixo de mandar a certidao AO PUBLICO JOAZEIRENSE em Fliriaio d 'taido do l'aul:
re-pectiva, tim todo caso, tendo Aeiido rtdquer: io por .om'ra n 11,
,ehdo adguit el'd rt dr ni-,raiiplazi"
sido como fci ptiblicada no D;a- Miguel de Freitas, recente- da Cant Arecia rete denio (-.i'io i
rio Official. os rapazes est no niente ,o c do n'esta villa., visa visa e aceiia eratorei-o Estado.
isentos de qualquer prso, e ao respeitavel public Jo.nz iren- quba e laviad,res que quizerein s
sao cidad.os como outros que se que abriu sua Alfaiataria a Rua oggre.-r ni. meniesa fazenda fixand
takes o sejam S. Pedro n? 1884, onde poder- i "no re-sidlei.ia de fi itiva".
Convenm toda prudencia para ser p-ocurado pain os ister-es C hana attreinito especial das lies
nao haver alteracao por nossa de sua profiss.ao. i neis u prcteidlereni se agrengai"
e de su prosso. para o sguinte: HA na fazenda Canii
parte. i Executa-se comu perfeirao: to Alegre grades manif:obaes. cran;
A nossa convengao de 2 de Palitots, Jaqueitoes:, Calqas, des brejos e. baixaes, estes apro.iVIA
M-io deste jai foi recnnhecida Frachs, bluz ts, Colletes e tudo dos para totda. qualquer platnta.7
pelo Governo Federal e proceres as concrnente a n en arte. e ordem a toferecer adcile Itr ti
damaip ocotccann:t a eosma; adte. ae"r em
da political ncional; d agra em Garante-se o bem acabado e a voresultdo a qe se
deante a situagae o political vae se adurao dos trabalhos de sua E' intuit do proprietario tor"Har
assentuarem nosso favor e seI Altitiataria-, visto ser deo pri- sua grande fazenla habitada sntfl.i-
alguma cousa, houver de maaor 'neirn qualidade todo o material entemnente: garante 1po is-') egali;
importancia, lhe telegrapharei. empre ado e vantagens ainda ua0o o0iffe'recidai
0 Hermes suspended o recen- por nenhun outro propr;otarin .1-
seamento e dimittiu todos os l A.soio, ordem e sinseridadeD! terras em enoir ot ipd t lrat 14 ,-
empregados desse serving Joaza~o do Padre Cicero 'pretender residr teporaria o --
Poreisto e oiftras decepiues 01fiiivamente na imencionada fitzenda
Por stot e outras decepomes o Canto Alegre dirija-se ao prorieta-
Governo do Estado jh comeqou rio em Floriano.
a romper em oppozi;io a,, Her- ALFAIATARIA PEREIRA
mes,oque, para n6s, de grande ALFlATARA PEREIA oriano, 15 dJuno de 91
utilidade. Logo que vier o ad- PIANCO Francisco Cavalcanti
ministrador dos Correios s era no-
meado para ahi o seu Agente. CLUB COOPERATIVO DE
Tenha sempre arregimentado os ROUPAS BRANCAS
nossos amigos e pode garantir-
Ihes que em breve estaremos Os proprietarios d'esta alfaia- 9
salvos. Tendo dito o Diario de taria avizamn ao public do Joa -
hoje que teem ido cangaceiros zeiro, que acha-6e aberta a ins- Acha-se exposta venda, no
de Villa-Bella para o Doutor crip;Ao d'am club de roupas Crato, uma b6a clsa sita a run
Santa Cruz, eu di.-se ao Chefe brancis que pretendem organizer Nogueira Accioly, no 60, Coin
de Policia, que isto era falso, po- para 60 socios durante 30 bema- cinco portas de frente, nmra ha-
is Voc6 nada tem que intervir nas. Cada socio tern direito A um da, etc. Quem pretender compral-
em negocios da Parahyba e ape- terno de superior brim H. J. na, a, dirija.se ao abaixo assignado
sar de ser seu amigo, nao deve- moda ou a vontado do socio,- I que todo negocio fari.
mos intervir na questdo que elle Cada contribulqao custa 2000 n
mantem em Alog6as do Mon- reis por semana. Joaqnim. Saldanha MiIa
teiro. CorrerA no bilhar nos domin-
Escreva-me sempre, Igos. GR ATO

-'0*N


4-~
1'


-.. -


I


- -- 71 a mm lm -. -


*he .* wk






S. .l .
^ 'i


-4
ORIH ATE _-_ ..._
.... ... ... -_ r.-. 17-.,.- ___________-___


1T, *INA w ?

Lea s; :.-


, -H1
?
aji ,


Ft
~


2' '


J;?"'
. 'ly "
*a
^
s''.-
t"-*tK


% ~
'*~;~* ,~


-~ ~-


.-* t.rJ p
f.f
I d.


A


0- I_ _. A-%, r--%


3JO.A.3eX O APATARIA i caiSA ,rRQT;CHNICA I UUNOMiSI DUIOA

PERSEVERAN9A .F-raacsa se enEarrega qtual- PAULiSTA
,qur tr;abflho qua diga respeito a CAIXA TNTERN.ACIoNAL DE PEN-
Esta sapataria se enearreta de logo e polvo a. SOES VITALICIAS.
INCINIATO U .!LVA qu'qner trabalho todos em c.uro e Fogu.L.io duzi a a &#),) fo:os de Approvada per Docrto Feder.al, corn
... ,,,,,3 bonibas,duzia 1500; lll.eLapi-s, dnzia depo-ito de gi.intia no Thesouro Federal.
Vindo de Garanhuns. estado dle Per garante aos seus fregueses obr que i, ;- ba..dlZ iJ.50 "., )-1 a -, ia o d ia no Thesor Fedral.
..pda.O P t, Auia 4000; cra-0eir, pro,)prionai ao capital d(o pe:,,ses doe mni


nambueo. acha-s est:-. i-ideio .esrt pra- cO s Iosela d(.ej ir AgMi& -i u
va com um complete e variado oir-tiento g "- ., "Z
do faiorsendas e niorcadorias qutv vende po, "rel- r .. --!C
preu Opti c f T ii. Treiio iial
dio nmais .xigent.* fr..geoz. Rua do Craz-irl n'.' 1
Um;- visit. poise. a LOJA E.STiIr.LL.
de <'incmato Silva, Rua Padre Cicerc


PArsACIA CAR0ALW
Ha nosta cinceituada phlarmacia un,
variado sortimento de drogas e product:
chimnicos, especialilades pharmaceutica-
nacionaes e estrangeiras.
Aviamn-se receitas a qualquner hora cop
promptidto. cuidado e asseio.
Rtua Padre Cicoro 4t.

0 ARATEIRO
Manoel Vetorino da Silva.. orn dua-
ojas bemn sortida (de todos os artigos de
Commercio. Rua Nova, no. 9%f e Rut-
Padre Cicero. no. 2s.
Pre(os sin cormpeteneia, custo da capital.



Loja de fasendas e outros artigos de
eommercio, vendas pelo custo no empenho
de apurar u capital empregado.
O freguez procure na Rua Nova A cas.-
mn. 955 e na Runa Padre Cicero a loja no.
30, quo serA servido A media de sen de-




Loja de fasendas. ferragens, e estiva. .
aa Prada da Liberdade. n. 972. Sinceri--
dade de negoeio. modieidade de pre'os e
affabilidade do fregnesia.
Diomedes Siqueira & Irmao.


FUNILEIRO

Officina complo'a de todos os artefactos
Utonsilios em flandres,. comn grande sorti-
mento para vendas em grosso e a retalho.
Si acharem outro barateiro, nao ha de
.sr tanto como o proprietario Joao Antoniol
Fnrtad,.
Praca da Liberdade n0.978.





do fazendas mereadorias e?-ivaa, ferra-
gens, chapens. Tendo recebido do CearA
nm complete sortimento dos artigos acima
inencionados qune so vendidos por preco
s-m competencia, convida todo o public
para fazer ama vista a dito e;tabelecitner.
to que se eertificarA do que 4 affirmado.


VERDADEIRO


QUEIMA!


-*-


UnLI l) Iuflif iitj
DE

TNsiiomirs Saualto ft At-car


APROVEITEM! APROVEITEM!
Este estabelecimento tern con
Joao Baptists de Oliveira. stantemente. explendido stoch d
Rua Padre Cicero NX. 336 FAL.4)0 3 na:t,)a u- eestrange
ras, Mindezas, Ferragens, Lol
_--- gas, etc.-
.Brilhante sessao de -artigos d
4 aIroda como calgados, chapeos, gnr
pa a a vatas, fichus, mantilhas etc. etc.
OS PREQOS SAO OS MAIS
Esta Sapataria de Joaquim Beserra So- COMMODOS D'ESTA
zcha-se A disposicgo do public e dos PR A
amigos e encarrega-se de todo e qualquer
urabalho em eoiro com grande prestesa e Praa da Independencia no; 2236
modicidade em preo. Bua do Crnseir ro
B.990. i oazeird 4o Padre Ci ,ro


9-)


.-i


4


0 reti ,itilei,- d INtv


Pep)l/a lo per Sit.izo J.is Wi t' 7r7


Approvado plaI lnspectori de i,.;'g-no
-yinmercial do io Ceara e atorisa lo por deerut 1 9 1o
.." re '- d6 19o9.
S. BENTO. 63 7 0 R ,,ufifo em quept e" plr, ..
Serip"oriolIn f viianhia Mo-ya 0 a:e enerie nn 'e comet i,[: n,:,;
ulns 100- I'i;ialt no Po: RUA 7 DE SETEMBRO, UM era's de quae',r feurewv t ," ,',
I.trlla- te J ul,. duzia 12.): but-- .... .


n- .


I


1


r7' ;;.


OLTIVETRA & NATIf
O'proprietario de-tte acre:litado e-tiabe-
iocimento te;ndo recentemonte che.aido d,(
-apital do estado avisa aos seus innume-
0os freguezes e ao public em geral que s
Icha co:n urn compl:t3 s.irtinmnto die
mnercadorias nacionaes, cxtrangeiras: al;a-
lolei..rn.l rliominson e senhoras. suspen
iorios, cadetias do alminnnium, redomas
.'xtractos do diversOa qualid'4e., brilhan-
tinas. oleo de tiboza pira o ecalelSo; li-
*idas de divera;is qualidades. conservas,
loces, cops dc phanta;;ia, bico;, rendas:
ut-.es graga,. te etc.
Trdo Ai diaheiro A vi-sta e p)r prevos
mnodicos. 0 PROPRIETARIO
OLIVEIRA & NATIM



Avisa ao. seom frogne cs que ,heieon nm
grande sortemento de Vinbo do Porto. MNo-
'atelSunerior. S .to Antonio. Coac.meer-
mnflt. Vinin, de Cisa. <'a-rni. pRrrot de
.Xnipapo. Aguard -nte de CajA. de Lima e
Canna! Cigarros Tuipy.La Morena, Botoe.
Comeo ShBons.doe Pallh'. as Qnuano Ligap.
popnnlres doce Posqneira-lose Fa<;nha
Mpnto .v B3retoI, Excelllnte. Papag:,io, Pi-
anhv: Banha de pnrco omt lata.
Tu.lo por preOos modicos
Rua P.'Cieero n.'62.



Jeronymo Francisco de Lima
tem, nesta localidade, i venda, duas
casas de taipa cobertas de telha, umra
sita a Rua de S. Francisco e a outra
na traV~essa da Rua Nova,pelaprimei-
ra pede200:)0)0;pela seunda l80:000
A'tratar na RUA DOCRUZElIRO(

GRANDE QUElMA !!

Jose Evangelista de Sant'an-
na preAine'ao publicoque reso
veu taser formi lavel queinma, en
grosso e a rotalho no seu varia
do s~irtimento de fasendas, terra
gens e miudesas na'
Praca da Iniependencia n. 190E
Esquinf- da Roa do Cr piro
( 089dmwab Padre- 'oto


d .... ........... .. .. .. ; m_,Jdernn) ,po e; ll f, 'ota; t .er am' T ,,
'oI ieta., duzia 13:. "'ENTRE GONQCALVES DIAS E AVE- le..;a d'e oriflem vnreaeif: o EL1X1 !-
SPreuos estes os mais rasave s IDA CENTRAL) CANINANA eaec~t&rn a sotr cur c-,.
asi R DA CENTRAL) c rapida
Joaseiro, Rn ia Concei ? 26 e 0 n'1 roPA A venda nas Pharmnaeias e no dpr,.dtr,,
I PRESIDENTE-Senador Lui Pia, I geral. Phanrmaca S:lva.
I Ji! Gom s1l3 A lmeida Duda S,_nador Est:;doal ex-e;efe de Policia e o
S' Soeretariga da Agriciltura, do E. doe S. XAROP
[ Paulo. j
SSERETARIA-iC-omme-:.:d:idor Leoncio DE
j k (,rgel, da firma Silva Seabra & Ca., da
Ll Ul L : '1Frica ete Tcidos S. Bernardo. E.yp
W GERENTE-. Dr. Cla.Jio de Sousa, me- i
SI dico e industrial. Composto e prep;'rado por
THESOUREIRO-Dr. Gabriel Dias da ,as Dotes
'bSilva, advogado, capital's-a, director da |
-- Companhia Industrial de S. Paulo e da Mtito util nos incomnmodos do apnarpifo
VA : h R MA C I A Companhia de Potos do Caldas.. pulmonar: Tosses, defluros, 1.-/o,;-f't.. :-
C ueho FSl '.qq..e. asthmnm e.'. A vendh na
CaTopiF Ao S e e Fin Pharmacia Josi Candido Rua do Vid'-o -1
Tophilo A. aleate. o. Snr. Conde de Prates, Director
Tendo inmdudo a suna Pharmacia da do Bakco de Sao Panto-Exmo. Sur. Cu-
Traves.a da California no 41 para a rna ronel Feniando Prestos, vice-presidente I ran .U*
D. Nogineira Acioly, prodio n. 31. com- do Estado-BarAo de Diiprat, director da
mnnica aos soen Am*". e franmezes que
continue da memina formna sorsando-e Comrmhia Industrial de So Paulo=Dr. pr(parado pelo bot cario Manmol and;,
I para hem sorvil-os, ospzrando por isso, dRdolpho Miranda. proprietario d ti Fbri- das Lores, e de p ovada effs-icia n I- .-
rneeer acotinmatcio de saas estimadas ca do Teer-los .re:.in:, de Piracicaba rigosas atffect;es bounaticas, sypii:'..c-,
ns rato 12 do Janeiro de 1910 e deputado federal-Dr.Joio Alvez Dima, escrophulosas e dartbro,-a
medico e proprietario-Pharm. L. Pinto E o grande desalojador dos hlmor,. vx-
-- l-,e Qneiroz, da firm. L. Qneiroz & C. c;idos e o poderoso elinminador d- t]l s
,1 lropr;et.riagda-a1uog-ria AmericanA e doen-as pertinazes que tern sua orin-ge
IF.- r--- T % Fabrica de Prcductos chi,,;eo- Dr. Pedro na impuresa do sangue.
S. { ^. .V-d Poetual e Dr. Victor Godinho capitalistas. Unico depesito na p!armaeia Jo, it-
A ECONOMiS ,DOiRA PALISTA c dido, na Rua do Viddo.
Casas. Sitio, fasennas de gado uma sociedade mutua, con fiscalisan.ts do -------
neote mflici]>io n1o term de Sant- Governo, cujo im estabeleecer uma REN-
Annado Carir yA vendler. DA VITALICIA mesaa, em dinheiro, aos rHARM ACIA ILVA
JTose RodIrig es Monteimro tendo de" seus socios. Teem duas caixas, a caixa A
ret~rar-se d.st.r cidade no iutuito de e a caixa B.
i proiurar na irpa alivio a-sua Os socios da Caixa A pagam 5003 de de SilvinbJ .TAd da Silva. no Rua do( o',m-
saiude sempyre atItrada. declara, a joia e 25;00 de mensalidade e t6m direi- mercio, no. 8; tcm um grande e var!ia
Sqnuem enteressai, 4 e estao e p stas to, no fi&n d- 15 an n. a ium en- o que jsortimento de drogas, pr.luctus chimic.-
a venda todas si:a- casastiesta cidade nao seri maior de 150$000 por moz. e especialidades phiaromaceiuticas.
e snas fazendas de gad,) neste muni- Os socios da Caixa B, pagam 55000 de Despacha os receituario.I comic me.!-.c-
cipio e no term de Sant-Anna do (oi e 5000 d memsalidaJ e tmdirei mentos de reconhecida pureza e gir-:i
joia e5$00 do memsanlidaJe e Omudirei..
riryn mais un siti d o esmo re- to. no firnde 10 an o, a t a pensAo aceio, presteza eodicidade de pre-o.
feridotermo denminadoQno poderi exceder de 100$000 por mez.
com engmenho do trro e casa propria, No caso de falecer ande0 d0pchegar a
casa de vivenda, tudo de telha e er.]
semura ckstru_O, corn ia peq Iuena receber a pensno, a associagce pagarA aos "".'
a sens herdeiros necessarios todas as con-I
uascer e d pd etrib-iues queelle tii-er feito .em ju-os.
t cannavial para dusentus cargas de Dando-so "
Srapaduras, possnmudo extensas mattas ad-i o fallee mento depois que o mn- Desappareceram de meu sitio .,
corn madeira de (onstrui'ao: ontro t'uarioestir em goso da pens"o, estafi- burro cardilo e uma burra castani'-
sim pede it aquelles dos seus amigos eara extineta, sem que aos seas herdeiros azi preta ambos co esta mara -
L- que tem cornm o esmo negoio, q quer direto. qazi preta ambos corein fresta ara
queirao por bondade satisfaser seus A pension serA pa ao proprio indivi-eguinte fi
compromises, amh vez que tern de dno, ou ao sen procurador legal, on por
8 ausentar-se por tempo indetermina- intermeiio die qualquor Banco, quando o
) doe ter de prover-se de recursos suf- mutuario se achar no extrangeiro. Quem der noticias certas na Rea'
i socioe contribuinte em dia, que ficar I d'ORhat-ovie
.. imposibilitado de proseguir nas suas en- 9ad 0 at u vier me er -
96-1m f, t radas. depoisde ciaco annos de associa- gar ditos animaes, sern gratifikc'a
--i0-o, ern consequencia do molestia chronic generosamente.
incuravel, qua o inhabilite para o t na- Sit Bre
S- .lho, sera coosiderado suspense e n Barbalha, Sitio Breo, 10 (de
/-'----- perdera direito A pensao. vembrolde 1909
Os pagamentos anteocipados de 1 anno Jole Demosthenes Fernandes Vicira
CRAT 0 zm da rdn o de 50 o/ os pagamentos
de 10 anuos, 209o/o0e0os9pagmentos de 1,5
ELEGANTE qu .se ifcnr.e..se.rever m.. ez
"D anteos do sorteio e tiver a sor de s
premiado, pagarA apenas poncos mil ris
tera direito a uma pensto -para o
Le A. BELEM SOBRINBO swa vida. p a nso Para toda a
i- Atd dezembro foram sorteadas cinco
i- 45-RUA DO COMM~ERCIO-45 earde netas, on seino perdode' nore
La CRATO_-CEARA'. quoe faz sorteiosde dois em dois mnezes .0 M 0
um grande sorteio no Natal!
SciOs iti riptos de abril de 1908 a Um cavallo carda Io rudade, not-o, v.i-
Estabelecimento deFazendas finals, Janeiro 19W.O Nenhuma otr a so- ao
Miudezas, Novidades, artigos de uso do- eiodade obteve tal numero de, ocios toboito, inteira, hot'do, olhos amets.
mestico, Alta fantasia, & & &.- SeS pzrieiros mezes.
mestico, Alta fatwia, & & &Pedidos do prespectos, prop stas, cador
Especialidade em: artigos para netas e inform s ios o Marca e Ribeira
bomense senhoras; objeetos pars presen- arca Ribeira
tee e perfmaria fimissima!! Representante no Crato.
Preqos sea oompetidor! B eles obriao Quem o eneontrar e eFtrea.r o r. ,*-
~Diaheiro avs 4 R d Co rop -for Igs-aszim -im M., .res sc' '"
pjuheiro vista. 45--Bs do Commercio,5 I ifiado.


A