<%BANNER%>

UFLAC



Rebate
ALL ISSUES CITATION THUMBNAILS DOWNLOADS PAGE IMAGE ZOOMABLE
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00001672/00086
 Material Information
Title: Rebate
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Creator: unknown
Creation Date: June 18, 1911
 Subjects
Genre: newspaper   ( sobekcm )
 Notes
General Note: Newspaper issues from the personal collection of Pe. Cicero Coutinho, Juazeiro do Norte, featuring articles on Padre Cicero.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: All rights reserved by the source institution.
System ID: AA00001672:00086

Downloads

This item has the following downloads:

( BRIDGECACHE )

( BRIDGECACHET )


Full Text


I


, iTAFR-ra -Pr L Jo.qim t.-d par d"e" tcadora. s a nao sabe reprimir .s i mpd u-atos * 27ae



ASS1GoATURA e a DProposito de n.adin. tIgido. que ihelarrancara. fizera nomo rfo que,-
S G TIE m M alviIA I z irru R lo... aq uella f uitada... v* e .e IITla
..... re............... ......... .,-,: m.nau humor, como o disse, o almt ao pobre do longarela, conto um1 palavra s6, e basta: n redo
sombrid, coa.-ntrida, fraca, t-| talvez, hem imaginarnem phan alma d= hyena ltii!1em as e U -
A(AEXPEIENTETOS ADIATADOS a iid s a incommoda, nlgIas ve- tasiar posse a uimaginao e a eti?..

S dr aenidein de ccnxrricte, stp- e pretciiosa, brutal e vqnu elde tiva, fez.e oi
.que.ntdadianta2o. todos vtes sinacs moraes, tra-. q e cre tr o

S :t--o 'o F. re-ponsave l pe.ia zide-os erl ima tresso ein taodo que no sabe repriNrt msnd, ei m a m tos
di- :tones. er m peia o n- -eu txmerior de muiher pequena. e seu corra Nete m o. sm foi para me viver
h a-ignai. E t am -H n attu e de -1 C erto dia, cerca 'im a hori Pde1 -, J( P l r n ca nt9udo e rinu o
A, r-ee dr rels scsenu:.. leixadn, t- rsumda, G hulho- da larde, csrto diam que Mar-de 1 *to ae,.-inso (o mnh ter.
rif:ra ex'. pr-ehenched e.rtas Co.- sa; es.tavadu -lp e no anle ar deS- i fnho voltav..a dos trabodlbos dot De navo gsu lo p mos. A estra. d I i
gua1 e T 1: estavam-b d no campo, encaraogado d i fo.ne, di basalto hearrancou; e pnetrafzera- Minha vinterprt
A G Nrer.elae tUvpgrap Ia= rn:i Lrosto, CIJos tragos moves reve- olhos cheios di feracidade do mo..entre arvoredo-. num aro-t .1diis sr..vis n'eti alteia.
i :ero-n. 343.. lavim tao fielnent. as im e N- solo e estriados e arestas lurri- ma de po rs, p ara compl e a A iieui lule hs e.scuiden '
........ ..i..... .s.es ep cuj.s linhas re-tectian nosas, M Jvi sbria, concen- bundancia e fescura.sta
OAZI.r DO P....................... 3e ': a maneira etbiual tra lma ao pobre do Iongarela, cOh! que differentes se mostra- u r e







S -de qucr r e sentir; estavamohe sempre, most. n lo-lhe, ms' vam esees caminhos, estas col
no olbar .,ora apagado, ora per- sem uz, sorriso, a dentua alvar, lin pha nas, q hyen vi din antes, Jo errera
A.A FN A -NTAD nurbado. cra pei-ido; estavam- e abrasiando-o pela vez print ira ; em torno a Cidado Santa, des-
DE He A ih tna palavra array t eida, vaga, -0 almo! esto prompto, seccadas pJ.r ude Ae nto di ab-
l XOteris;estav'm-lbefinalmente, disse-lhe ella, entremos stracqao, o brr.ncas da car dai um tcixo em fo-ma de urn, no
eem dem de s o .ractos ainda no m- Martinho entrou. ossadas... lado ua e n buxt alt, f. i ..lhad
entnos importantes. Sentado. urns nraes, t gesto da mu Agora tudo rra vard-, regdo, sabia-ne c iio d ly is
roi bem perto d esses tem-1 N1'o havia claridad a n'alna Iher, na ciibece:.-a da mesa. e. murrnuroso, e corn sombras. A aves c'cm ticas p cavam a chas ,
pus coloniaes que b Im long 'e mulhrdemuer peque.esada e sombria, pua 'amente depois de Ihe tar .esma lu perdera tor mago- coberto ue ureii escar. e, nui,
tempesLuosa e terrivel. elZa inesma preparado a prato, ado, a cor doi Ja, corn que eu rua de platanos, onde 0s bravo-
1alvina. filba da terra, casa- c-mecou de, corn sofreguidao, sempre a vira, cobrindo Jerusa- de hera fni2m de tronco a tron-
rdse com um abastadao portu- t, servir-se... lem; as folhas do rnmo de abrier co festoes aonai os quo ornam
nuua que, vindo da Bahia, n'esta i -Que t\l a friada ? inter- desabrochavim num azul noo, um tempro: a rma dos lourei-
tura fixara -esidencia. Eme pnlena floraeo da came,' rompeu-lhe ell-. otonro, cheio de espernqa como ros ,velv, de- .som bras ;a nude
ra elk- senior de muite s fa- pois rimha-se casad' muito nova, -Muito bo., minha ama ellas. E a cad instance se me das estatuns.
-."crda. p comsa;ou de, Malvhna, amar apai- nuhca colti Jigo tao bom, dto iam os olhos longamiente neses E sb urn caramarchTAo de
No piimeiro deccnnio do pas-o xonadame-te a uim dos mais gostoso e tao bem preparado cc- vergeis da Escriptura, ue nioo vinha, ao rumors da agua le:ta
'ado sculae, a1da se encontra- moos vaqueiros da moe reenda. mo ete. feitos da oliveira, da nfgueira e cantande nrumi bacia de bronze.
vamn vestigios da que, de pref.- Era um rapaz de car morer.i, -Pois fica sabendo que fu; eu da vinha, e onde crescem silve- urn velho de toga, sereno, riso-
rencia h s deDIaiS, por ser a olhos grades, esgarie dos, cur- mesa quemr t'o prepares. stoes, e mais explendidos que o- nho, ditoso, lia junto a urna ima-
nai. confortavel, residia c.m a polento, de estatura mais que -Onde minha abra anda no do red Salonia o. s fie rios verme- gem de Escua.lpio m long rol
a familiar. median; cotava apenas vinte ega. Ihos dos cadeetepos! de papyro, emquanto uma ra-
De m, u conhecimdento, se- annos chamava-se Martinho. -Comer mais... Enlevado e c ntaroiando, eu riga, corn nma flcch;i de or
gundo Cs mais annosos, essa A origem d'esse amorce Mal- artinho enterrou, a e ntuaal ri trotava so cenprido de una se- nas tranas, today vestida de linl
Grande fazenda era situada no vina para cope o vqueo ftavaoi abra come labe today entrelaada de rosas. Ivo faza um grinalda con s
mites hoje do Crato con Mis- to rapid quo inexplicavel. )eois do almoo pruntou as Topsius deteve-me, mo- floresque the enchiam a reg.-
sdo Velha. E que tudo e surpresa n'essa .- ao !' Pcrgun0a strou-me no ahodo outeiro, so- co... Ao passo dos nossus caval-
Si no exact a nformao raptua dos sentidos e coram -talveaao veaqueiro bre un faftio sombrio de cypre- los ella ergueu os olhos claro.
qe me deram os que mais ve- o -Sabes de que fo a friada tes e cedros, uma casa abrndo Topsius gritou-C / sakie, pl
ho j ln se foram, isto pouco s iocortanto es u rao; nao se que acabaste de comer ? paa a lado do oriented e da r lz cherries Eu gritci- d,'a la
ou nada importa. I sabe onde elle cahe, sinao quan- -Dc figo, minha ama o seu portico bi'anco. gracia!
Fallemos de Malvina perto dessedo catern- iu. -Fio, de que Martiho ? ertenca, disse elle a u Os meros cantavam nas ro-
S0 que, entNetanto, lIhe favore- _De carneiro ? roman, parent de Valeri manzeiras erm fir
c -aessa amor Nesadae sombria, pau;ao amente deoida Syria; e tudo alli parecia pe- Ea id Qa teociosidade dese pirito, a -Dnesa preparado o prat? ran d d.e paz amavel ee ugra-
Contrastando trrelmente sordem dese cora ea anar- -Nada! ve cr Mfrtinho! a latira. Ur tapete vioso dea- de hera arn atrn


conm seu marido, umnhomem ,de chia de sua vontact.
bor character, amavel. alegre, A ociosidad3, brn dii o pro- E, agarrando-o pelo brago, relva br-m lisa extendia-se em
bom character, amavel, alegre, A ociosidad em oa m-e Ve levou-o a um dos aposentos da declive at6 uma ala de alfaze
bondoso, expansive e digno, de- verbio, a ociosidade Csa.. ma, tendo ao meio, sobre o ver-
adoe sinero, conciliante e to raos os males que ella en- Horrorisado, apavorado, ser de, dosenhadas corn linhas de
nzao mes o tempo, sombera al- estra, uitas maezes, de tal powder articular uma s6 palavra, flores escar!ates, as iniciaes de Urn home rico, mas avaren-
'n de mtrada humor, tisom bria si- nature que ao se redimem. vaqueiro desgarrou-se da ama, Valerius Gratus : em reaor, on- to. tinha perdido dentro de um
ncnmoda; frdi catimida e imreen- naturealma despreoccupda see- transpoz d'um pulo o limiar da tre canteiras de rosas, de aqu- alforge uma quartia em ouro.
omoda ella capdir-ichs quespreseniam- alma u campo sc cultural port ao casarao, e, veloz como ceuas, orldos de myrto, res- bastante avultada. Annunciou
va ella caprichos que fzeriam.. e a grdado; as hervas noci- urma setta, enfiou-se, desappare- plandeciam nubres vasos de que daria cem mil reis, de alvi-
E casa, como na fazend eiae mal gurddo;s hi brota e cendo, para sempre, no coraa-o marmore corinthicc, onde se en- areass a quem lh'a trouxesse.
as vsnhanas n o essem haia as mole- crsem esponaneamente; os a- da matt que Ihe ficava mais rolavam folhas de acantho: um Apresentou-se-lhe em ca.
u ella janAo o t ariesse mole- crescem esninh al proxima, serm que ninguem mais servo, de capuz cinzento talkava um ccmpon.-z levando coms.go o
-ado; qualquer contrariedednimaes dammnhos




k I











) R.AATF "7


EXPED!ENTE
o .-1EEATE, i. -;::' -se ...



G AST-'raTRA.

AS~-;NATLRA


A n .............................",$ .

IPA,.AMENT.S ADIANTApI .
As 0 b.,.licag l s !t : :.,- . ;. T:eir r r


e, -",



; : *, ..^ U^ i 1-" .' "<* *
y I#
IL, ,*%


R ciiata do mat


]X imnT'Us) Mar inaravilhoso, amargos,'
Marilhos.z mrmtilaina computwgentes
Cai- a'.s vir't:e1ns (ie ern1;Joeos latentes,
i sei n'js in rnus. mrbidos letliargos.


ir lior C, uria::o urMa p"ixao a-
,norosa que hehi no era passive!
e.prim.r erm : opi:a-.
lI:ccnveniente, desvr.irada.lou-
c,, ella cQnseg:i'u de manejo em
manejo, dEprovocava(o em pro-
o~cicao, anedar do lance a tri-
stvi Henri lucta e c jnq'ist-r o
quasi no.vo da irmia.
Eata des'.ic o principio per-
cebeu tuJo, mas nao artieulohV
uma quix.i: imostrou-se indiffe
rante ev insensivel aquella infa
mila.
Cy1priano e A-p-lina casaram-
se.


No senti-do die melhrara esta
nossa fliha,prostes a entrar 'uit
codo o des',ssombro em ur .
phase talvez a nais interes's'i-t
do su existencia,pedimos enc..-
recid.mente aos; que nao p...'-
ram as sua; nssignataras, al us
jireda do prim ;iro an.-o, o ubse-
quio de mandare!n satisfazel-as.
Sao encarregadog -lda cobra2--
,a ?qui no Joa.e.ro, onde mnais
de tresentos ja pagaram.n as


A rr Can s. leves can(.jes de gondoleiro0 I ass;gnaturas,- o sr. r rIanci:sct-
l re :aneso r. u stalasala, Linhares T' ourinho: n, Crait,
.',-- .,. sa- -. Irait cor o Ma-r. -n as ouasesverea Ias, onde quase todus a ,a est-:li
Se lazgiui:os e teainUos nrvoeiros! Quando na alcove nupcial tio pagal-as,-o sr. Jesus de
a.:;:. pr : ch-.o.-,. c caram o priuteiro beijo, formand Alenear Peixoto; em M:lagr.1,
rt e. mar:nho.,0 belh Io deunes rules, um grupo que lembrava o do co --- .r. Ravnmundo Hercules.
..... i 1ivindades .ldos tattai-os abysmos,
-- ibra, verde. e acres eletri-ms nhe;do quadro-Enfn sels.'- Esperanmos que todos atte.-
r .Gicer0--. 54.. Ias Vagas, flantas e harpas e alaiides. Cyprino perguntou: ao nos pedio, manJan-
; -E's feliz. Angelina ? do, quanto antes, sati~fazcr
(-' Mar Cpremo. de filagrancia cri;a, -i -Muto feliz; mas ha na mi- as suas assinaturas, pois o s-
as p a d pesmpolsaci ee asperdsareezas, nha fehicidade uma nuvemzinhai... gundo anoode public:a o d'e-
as pernas desfallecidas, e c h iu, Cantai. canta. ,, tedios e as t:stezas O--Qual ? a folha est prestes a xplirnr.
e desatou chorando. j ae er.m nas It;as solidoes da Lua!..... inh i ..a t1 .
E Nampur, seu Grao Vzir. -N' irma. No proxim-o nunero do 0
ergueu tambem a voz e chorou Cruz e Souza -Ora Rebatet, comeqaremcs de pug
copiosamente. I I -Gosravas della antes de blicar a lista de todos os que
E assim estiveram os dois, em -o star de mim. pagaram, bem como de todes os
prantos. por espavo de uns qua- viuva, que tinha especial predi- gens. -NRo creias tolinha Como que nao pagaram ainda as su.s
tro mintos. lec"uo nor Angelina, cujos vesti- A desalmada nao se confo- poderia egostar do Henique- respectivas assignaturas.
Atd que o espelho foi removi- dos e adornos cram sempre mais mon com a preferencia dada .. ta, sendo t-o feia, que s6 por
do. apreciosos que os de Henriqueta. outra, e nessa mesma noite fez un, inexplicavel capricho da na- I -
Fito o qu, Ibrabim Pach Eta, porem, nao se queimava, o possivel por attrahir a at ten- turezu.e tua irma? Era de ti que
enxugou os olhos; mans Nampur, ach!ando atd muit-o natural qu2 a 5ao, ou antes, as attenqOeu de el1 gostav., mas como ja te co- Ii c 1(n9o
seu Grio Vizir, contiTuou:.- der- irm: boaita corno era, goz:,sse Cypriano, que assim se chama- nhecia, como nd-o ignorava a
ramar lagrimas, corn abundan- de to im.iu.sta preferencia. va o mope; este, poren-i nio per- sorte d:e quantos te pretenderam Com e-n e titulo encontrmn .s
cia. A velha fazia prodigos de e- cebeu ou fez que nao 'eccebia, .antes de mim, fingi que nao te n'A Razao, de Estaicia, Sergi-
E entio, Ibrahim assim fallou quilibrio orgamentrio. afir de e continuous a conversar anima- quera, para que tu me qmzesse. pe. a seguint tersant loc:
a Nampur, seu Grdo Vizir: quo os ,'eus recursos che nem I damn:nte c.m H.nrquqet dan-Jog'ei por tabela, e, cemo vs, Ha annos, quado nao e.ta-
--Pela barbas do Propheta !, para cora ost.ntagdo. E.-ava sando coi cond ndo-acertei. am ainda s ,.oisns tio bic,'df.
isso m.s que sypathia. No convencia d, ue o future dasi 'edp juntos -E-itdo, minha irmin foi... como hoie, j;i o prcjuizo que urn
.- ,- v fiii p-,s-"-' d4i *. g g!e -Foi a tabella, coitada! Ell mai ai signante dava ,emprez-
St-'Eu ja Lmp1i as lar'- am ridicules e, por conseguint ue me perde. de um jorrial semanal, n' m anno
mas. Porque continues a chorar sacrificava-se, coitada, at- "i pri- e de assignatura., era este : -
Nampur, V.e l lo a 10 reis pj r ir.l
E Nampur, o Gro\ izir res- Quem as visse num bile do Sentindo-se apeada de um *Pp* l" '0 r(,-*.riia 1
pondera-lhae:s T tft
pondera-lhe: I Cass.no. ou num camarote do idegrao do sen throno, e morti-, -Ex:uisado d dizer que o casual Tnt oi tdor ,i o '.rt
Tu, Sublime Pachi, falas, Pedro II, cobertas de se.das e ficada pelo egoismo e pela inve-ndto foi feliz. Tralinho doetvposr'Iiho ('-si
bern. A cara id tua, Oem o se. oias. nao adivinharia jaimaislja, Que nella se tornava unmsen- Assionaturn iUTnda, a i p didS.,
o " r "^ ,"m Extenuada por uma vida de Tempo pcrdido 00*
MAlas tu apenas a viste urn s6o mo- que naquelle dia houvessem co- timento absurd, Angelin a, e n a r d.., Ofiensa..q:., idcT. :mp o.or.. I n-
ncrito;-o passo ue en, teu Si'd iavztmnoasre ~agei prazeres, de noit-s mal dormidas bhtiacn.aaiore
me-nto; ao pass que eu, teu ser- mido, uma vez ,6, apenas feijao quando recolhida a sua alcova, e de bli grandcoaitao cerebral,
vo, tenho de vel.a constantemen- oreto, care seeca, farinha e ba- passou em claro o rest da ma- e d randeagitago cerebral
e. Angl.ina morreu trez annos de-
te. nanas. drugada e toda a manhd. 6. d ano -
E desatou em maior choro. Os estomagos padeciam,mas... Quanlo ao meio aia appare- pots de cas da, deixando a Cy-. U conto e inte e quatro
Jnas... b rr piano duas filbinhas. mieis: eiespre7ani, as frcoc-
que tinha isso ?...-toda a gente ceu na sala de jatar, traziauas linaez o
o ignorava. grande olheiras e tinha os olhos Nao soubera ser m.ae. Foi 5Oes, d o p-. ju.iz que dai um
Entretanto moravam em casa vermelhos de chorar; ndd qui7 Henriqueta, a boa Heuriqueta, assignante velhaco e tractante,
A TABELLA propria, possuiam mais dois pre- tomar o cafe nem comer o pdo que creou as meninas cor o af- durante o anno.
dies bem alugados, ,: recebiam sem manteiga que a esperavam, fecto, a solicitude, o carin-ho de
Havia nesta cidade do Rio todos os mezes o montepio dei- e mais tarde, As duas hcras, uma santa que se fizesse ama
de Janeiro, vac para trinta annos, xado pelo chefe da familiar. nao participou da feijoada eco- secca.
certa senhora, viuva d, um alto A belleza de angelina propor- nomica. 0 viuvo ficou embaragado. C ofti'O Theophil0
funcionario, com duas filhas mo- cionava-lhe muitos adoradores e Como vi:er em companhia das
eas que nao se pareciamn nada pretendentes, mas a orgulhosa filhas sen, as tirar de junto da Esteve, n'esta futuro.a loca-
uma corn a outra. moa nenhum achava digno de cunhada ? Depois de muito pen- lidade. A negocios de sua profis-
Angelina, a mais velha, era ser seu marido. Em todos en- Cypriano, que era desemba- sar resolve pedil-a em casa- sao, o illustr3 e conspicuo cava-
ambieiosa e tinha em grande xergava irremediavois senses raqado, apresentou-se rsoluta- mento. Iheino, colonel Theophilo A. de
conta os seus encantos physics, que a desgostavam. mente em casa da viuva, .e foi Henriquefa recebeu de peiatraz Siqueira Cavalc inti, conceitu.-
realmente notaveis. Alta, o porte -O maior defeito dos teus muito bem acclhido. o pedido, e resistio corn toda a do pharmaceutico, resident na
arrogante, o andar magestoso, o pretendentes, dizia-lke a mae, e Desta vez ainda as suas at- dignidade: mas a mae corn taes visinha cidade do Crato.
olhar altivo, a front erguida, pa- nao erem amados, porque tu, tengDes foram todas para Henri- arguments a tanta eloquencia Cumprimentamol-o.
recia uma soberana, vendo em minha filha, tens tanto amor a quetal a ponto de imaginar a interveio, que ea\3l acabou per
cada home um vassalo rendi- ti mesma, que nao p6des, por 'in.-h'a 'isse pe- ceder. . .
do A sua realeza. maisque queiras, amar a mais dir- asaento.
Henriqueta, a mais nova, era ninguem. ljsso.que Henriqueta pa- ** .Sastre talltel
o contrario: Baixa, enlangueci- E era verdade. rec~ ensivel a todos ,s -galan-
da, feia, era humilde resigna- tei&f -visitante. a outra; mor- Depois de casados, Cypriano, Quarta-feira d'esta semana;,
da, mostrando-se affavel para ** dina labios, batia corn o p, para penitenciar-se, contou-lhe a pelas quatro horas da tarde, o
com todos e sinceramente jubi- suspitando, agitada que nemr um historia da tabolla, podindo-lhe Joazeiro em peso ferveu de ahlvo-
losa do success de plastic ob- Um dia o c-so se passou num demonio. que o abso'vesse. rossp corn um estampido enorme
tido pela irma nos sales, nos baile-foi apresentado a familiar Desde entao alguma coisa de -No tenho do que o absol- de fazer estremecer a terra: in-
theatros, nos clubs de corridas, um mogo que tinha boa p civo extranho se passou naquella al. ver, responded Henriqueta, por. cendiaram-se, por complete, as
e principalmente na rua do Ou- no commercio, e Angehnl sor- ma ifnpura9 que no fim dr s contas, a tabdla offecinas pyrotechncls do Sr Jo-
vidor, onde era infallivel aos sab- preza e despeitada, not2n que Angehlina, que vira tantos ado- nAo fui eu: foi Angelina. se Duda.
bados e onde a sua presenca elle pouca attenao Ihe presta- radores de roja aos seus pes, Dos emptegados que la se-
causava sensacao. Va, e parecia muito intressado que recusira .vjnte casamentos chavam nhado ao a
Si a natureza f6ra de uma po.u Henriqueta.' vantajosos, que nio encontrara ** a bocca, trees sahiram bastant
parcialidade revoltuhante na di- Era a primeira yvet que sua entao na nielhor sociedade cari- Excusado e d:zer que o casal queimados,e dentre este.; um pa-
stribuigao de seus beneficios a irmm recebia takes aenloes. oca, um eaallieiro, civil ou ni- foi feficissimo. rece que n-o escapar.
cada urma dessas irmids, no me- Ate entao t.vera ABgelina o hlitar, digno de Ihe dar seu no- Foram on
nos parcial ern a propria mie,a doce monopolio/, das homena- me,-Anglirgn comyoti a sen ARTHUR AZEVEDO as victims n m, dica a. pel


-- -- -- -- ------ p-UW..~~.


_~~______


I


. _


~kt~i~9~t"i"~EQVa~"~i"r/












O Pt-IlA'PT


pharmaceu(thico o sr. major Jo- os);, soffreramn fortes prejuizo,
^basti-o de Carvalho. oeia aco da larvas do alu
O pr-juiso e avaFado em ma- i oroletas nocturne, quoe te
is de cinco contos de reis. multiplicado de am mdo extra
A pr c d'um fg.uete ordwmari.o. Para impedir xtue e
soltad, a pequena distnia ,d.s ates prejuizo. so repetissem nos
officinas. eis a. ausa d'es! des- annus seguintes, era prcih.o tra-
,,t'e larwintavel.. tar de destruir o insecto aites
d ulle p-)r os ovos.
EaLre us muios posts em pra-
Stitu pare se conseguir este fiiu,
a odtr J kI TORiZ i-ha un particulaiuento digno de
u1eUn;ao, tanto upea sun sitgula-
Acaba de ser distinguido pe- ridade, come pa Sa eac
h. S<.nta Se corn a iomeacao de pratica.
bitspo e Scrgipe, o t ldutrzdo oe Fui a este system que se re-
virthoso aces da St va- JOse correa no verau passado, em
nhtmrzl Gomes oda Srsva. Zitdtan, (tia S xollia), e quu vemi
N tural d. Rio Gra-de do descripto em uma artigo publica-
,orte, s. revdma. comecou se- do p o dr. A. Gradniwtz, .na re-
u, e.tudos no seminaio de O- vista allemA D.i- Utasclatau
lind,., em Pernambuco. termi- XA admimistraao tl.nerai do
fnltdo-os depois no seminario da it teve a ida de utrliztr, pa-
P.ihyba do Norte. ra a dertruiqao das boi bobetas
Ordenado. ahi, de presbytero, que infestam o b3sques visinho s
em novembro de 1896, s. oa cidade, a attracqAo que os
revdma. continuon a exercer os griandes icos luminous exercein
eargos, que ja exercia, como es- Otbre us insects nocturnes. Pro-
tudant,' ainda, de professor de you-se que cata attraeqao era tan-
portug tz e de secretario do to maior quanto mais poderoso o
bispado t6co de luz.
Intelligenc'a robuta -servida; Eim neguida a um aeeordo fcito
por uma memorial admiravel, al- entire a administragAo tiorestal e a
ma virtuosa, trabalhador infati- direcqj da tabrica elecLrica da
gavel na vinha do Senhor, s.j ocalidade, toram tirados, durante
revdma. que tantos beneficios algumaI nites, aura certo nu-
prestou aquella diocese junto ao iMru de lampadas destinadas A
,r-u ordinario, maiores benefici- i1iuinauAo das estradas, os glo-


os 0o prestara ainda, por certo,
h religido e a humianidade, como
bispo de Serc ipe.
Pela distingao que acaba de,
em b6a hora, receber da Santa
S digne-se de, o novo bispe e-
leito, acceitar as mais ardentes e
cordiaes f3licitao6es do 0 ( Re-
bate.



Jotas a rec0l1er

Serato recolhidas sem descon-
tos ate 30 de junho as seguin-
tes nutas :
55000 da 8., 9 e 10 estampas
20$000 da 8 e 9. estampas.
1005000 da 10 estampa.
Fabricadas na Inglaterra. ..
$000, 50*000 100$000, .
200.000 e 500$0001
EFssa.8 notas soffrerao descon-
tos desde 10 de ulho em dian--
te, sendo :
2 o/o nos mezes de julho, a-
gosto e setembro de 1911;
4 o/o nos mezes de outubro,
novembro e dezembro;
6 o/o nos mezes de janeiro,
fevereiro e margo de 1912;
8 o/o nos mezes de abril, maio
e junho;
10 o/o no mez de julho do
mesmo anno e mais 5 o/o em
cada mez que seguir, ate .adde-
dercm todo o valor.
Serao trocadas em moeda de
prata, sem limited de prazos, to-
das as notas de 1$000 e 2$000
E' facultativo aos portadores do
troco das notas de 5$000, ....
10$000 e 20$000 que estejam
em substituigio, por moeda de
prata.
A 30 de junho finaliza o iPazo
para o recolhimento e o respe-
ctivo troco de mi edas de cobre
do antigo cunhc-.





No decurmo dos ultimos annos,
as florestas da Allemanha, (e es-
pecialmente as mattas de pinhei-


i.


bus de vidro fosco quo atteouam
o esplendor da luz, produazda pe-
los arces voltaicos.
Attrahida. pelo clOarao deslum-
braute, as borboletab nQCturnas
allfuirunm em grade numero das
muattas visinuas e come'aram a
esvoacar em torno das lampadas;
um grande numero, entraudo em
contact corn os carvOas incan-
desceutes, encontrou morte in-
Sgtantaea.
Em seguida aos bons resulta-
dos obtiuas por essas expernen-
cias procurou-se aperteiqoar o sy-
stema empregado.
Sobre o telhado de um dos
mais altos edificios de Zittan in-
stallaram-se urmas poncas deo lam-
padaa de arco, poderosissimas,
manidas de reflectores. .
Estas lampadas eram access
as 11 horas da noite, e os feixes
luminosos dirigidos para os bos-
ques infestados pelas borbolctas
nocturnal.
Para tornar mais effective o
resultado d'este poderoso raio
luminoso, apagavam-se. pela mes-
ma oceasiao, todas as lampadas
da illuminacao das estradas.
As borboletas affluiam anos mi-
lhares e approximavam-se das
lampadas, attrahidas por esta luz
d4slambrante, indo quasi ao en-
contro de uma morte certa. Ao
lado de cada lampada tinha-se
collocado um poderosissimo.aspi-
rador de ar.
As borboletas arrastadas pela
corrente de ar, eram arremes-
sadas pars dentro do aspirador
donde eram lanqadas, corn gran-
de velocidade, contra ures rede
metallica, cujas malhas dunham
cerca de um centimetro de lar-
gu ra..
Indo de encontro a esta rede,
as borboletas quebravam as awas
e caiam mortas on 5fivam pelo
menos incapases de voar, tom-
bando dentro de grande cestos
collocadgejnnto do asprador.
A' medidaque estas canastras
se iam enchendo, eram removi-
dase mubtituidas por outras., .
Con ete ystema consegu nu-


se destruir 400:000 b)rb,aletas
por noite.
Pode observar-se quo as con-
diqoe atnmospherica4 inflfiram de
urn mo.lo bastant-, sensvel nos re-
sultados d& operaqao.
0 vento contrario, o abaixi-
mento da temperature, o luar.
tendiam a dirniniair a quantidade
de borboletas capturadas.
Obtiveramn-se *.s melhorci re
sultados nas noites cilmas, tWpi-
das (12?-15? e sem laar.



0 3 aa Chiaa

Pare os chineses o numero 3
tem grande importancia religio-
sa. Em todas as habitacqes do
palaci. imperial, bern como nos
tumulos dos timing;, ha trees
I portas. E quan.io o imperador
reside em Pekin, n,-m mesmo os
mais altos t ignatarios se po-
dem ac-rci~r d'ellc, sem faze
rem tres grande reverencias,
O temple do Ccu term tres pavi-
mentos, umia escadaria de mar-
more de tres langos, e todo o
seu symbulismo mistico contem
o numero 3, ecus m'ltiplos.



Joia macabra

Em 1530, recem-subido ao al-
to throno de Inglaterra o rei Car-
lo 1, um joalheiro de Lond-es pe-
diu-lhe audiencia para Ihe oTfere-
cer um annel. Mai o rei via a jo-
ia encolorisou-se sumamente, e
fez expulsar da sala o joalheiro,
qua, por.inadivertenait, ou por
outro motivo desconhecido, dei-
xou cahir o annel ao chdo, d'on-
de o levantaram e entregaram
ao rei novamente.
A joia, que tdo fcrtemente ti-
nha impressionadi o monarch ha,
era formada por dois esqueletos,
que entire as suas maos crusa-
dut sustinham um grosso rubi ccr
de sangue, tend gravada a ter-
rifica ins:ripqao: Momento mori.
As pesqnisas que se fizeram
para encontrar o joalheiro em
Londres, em toda a Inglaterra,
Escossia e Irlanda foram inuteis,
e Carlos I dicidiu-se a usar o
sinistro annel que por outro la-
do, jera uma formosa obra de
arte.
Sem embargo, 4 forga de lor
e de meditar a sentence gravada
no annel, o rei venceu a su. reo
pulsio, e ,tanto se habituou a
idea da more, que corn tran-
quillo pass e rosto Isorridente
chegou ao patibulo ondo acabou
os seus dias.



OSn t oiIS

Quem 6 capaz de negur
que ells sao nosso bemrn?...
tazem-flios soffrer, lucta,,
men Dens... mas isso que tern...

Pedagos da nossa alma,
qualquer nome que lhes dem,
nossa forga e enossa palma
vem d'elles, de mais ninguem!


Seja em qualquer situa5io.
perto on long, aquem ou al6m,
sio o nosso corag o
nosso amor e n9sso bem!
(hristovam Ayres

ml'v^


S&xtuuato "?ade
Jr. Jei A. (scr

Medico, Operador e Parteiro Cicero
Diplomado pela Facnidade dd
Medicine do Rio--Ex-iuterno Este estabelecimento de eIu-
do Hospital de Misericordia do caq;o intellectual. fundado nesr~;
RiodeJaneiro,etc.etc. etc. localidad,-- nos 7 Jo corrente
-- (margo), sob a dirtcgio de Ray-
Consulta em sua residen- mundo Siebra, comp6e--e de
cia d Rua das Laranjeiras dois cursos primario e srcunda-
Ina Cidade do Crato. rio.
-- Corpo docatte
Acceita chamados at qual- Padre J. de Alencar Peixoto
quer h6ra e corn a maxima Conde Adolpho van ren Bru1l.
brevidade promptifica-se Ai Raymundo Sicbra.
attender consultas e chama
dos para a zona do Cariry MATERIAS DE ENSINO
por prevo razoavel.-
,---| Curso pi iwario:-leitura, es-
CRATO-CEARA. cripta, grammatici e arithmctica
elementares, etc.
*'<.,^^^^ *..,^, ^ Curso secuhndrio portu-
que-, frarcez, arithmetica, geo-
INEDICTORIAES graphia, historic, etc. etc.


Ao presaio Jrmio francisco tery


En, que tonho-te por irmao e ir-
mao e irmnao bom; qlue corn tigo pas-
sei a inexqnecivel phse da intancia,
tAo cheia de atractivos, de multiples
encantos; que, dura-te toda nossa
existeucia, tenho ,admirado a correc-
'Ao de tua vida domest!ica e social, a
pureza e bondade de tita alma, o ex-
trenio de amor que dedicas as que
corn tigo se ligiam pelos elos do san-
gue, e ainda, pelos da amisade que,
segundo o sabio raciocinio do Padre
Antonio Vieira, tem a mesma pujan-
qa, parque tambem se engastam no
coraqaio; que sei quanto o, casanierto
to tfoi prospero, felici4simo, pela ru-
tilante '.scollia que sonbestes fazer:
cumnpro o agradavel sympatbico e in-
deel'avel dever de, mesmo do retire
que tro de b'ja vontade escolhi para
a carta pprigrinafqo da vida, felici-
tar-te pela area data de hoie na
qual complctas 13 annos de casado,
todos na mais desejavel paz e ambi-
cionavel harmonia conjugal!
Salve, 31 de Maio !
Maria Lop-)ldina F. da Solidade



GRANDE QUEIMA!!!

Jose.Evangelista de Sant'an-
na preAine ao public que resol-
veu taser formidavel queima, em
grosso e a retalbho no seu varia-
do sartimento do fasendas, ferra-
gens e miudesas na
Praca da Iniependencia n. 1908
(Esquina da Rua d3 Cruzeiro)
Joareiro do Padre Cicero



Alfaltarla

Vicente Pereira ,e Fernaado Pian-
c6-estabelecidos ultimamente nesta
Villa, encarregam-se do feitio de to-
da e qualquer roupa sob medidas para
homes e creangas, garantind- per-
feitgo, pontualidade e modicidade em
pregos.
Rua da matriz n? 393-


PREOS
Pagard cada alumno, mensal-
mente, pelas materias do curro
primario-2:000 p)eles nmterias
do curso sectindario-5.0to0.

OS PAGAMENTOS SAn A-
DIANTADOS,
N .TA
0 director garantc aos snrq.
paes de fimilia todc. o cuidado
na educacgo intellectual de se,-.-
filhos e agra lece a cui:fianqa que
n'elle deosbitarein.

C Eti.mat-o Padre Cimo, frunc-
ciona A Prayi cia Independenci.
n? 56.


AV!ZO


Francisco ('aval.:-au ti, 1 e.S:Ci n;i
em Floriaio d.o lE-tado dIo lPaihy,
tendo adquerld pir compra n flium, -
da Cant- Aleg-reI, municipio .':e
Apparecida deste memo Estado. *-
visa que aeceita-extraetore' lte maii-
(oba e lavraifires qne quizerem -e
oggregar na mesma tazenda nfxando
un nao residencih definitiva.
Chania attent;Ao especial das ]ie--
s.)as que pretenderen se agreR;::-
para o seguinte: Ha na tazenda Ca:r-
to Alegre grandes manihobae,, gria:.-
des brejos e baixoes, estes apropri.-
dos para today e qualquer plantaqo
em ordem a offerever tfaeile lucreri-
vo resultado a quem se dedicar a lh-
vou ra.
E' intuito do proprietario tor-ar a
sna grande fazenda babitada suff:.--
entemente: garante por isso regalins
e vantagens aiuda nao otferec;dws
por nenhmnmn ountro proprietario (le
terras em condicres identical Que;a
pretender residir temporaria on de-
finitivamente aa mencionada fazenda
Canto Alegre dirija-se ao proprieta-
rio em Floriano.

Floriano, 15 de Junho de 910
Francisco Cavalcanti


BAZAR POPULAR A' Vluda

0 proprietarie deste serio e con- Acha-se exposta a venda, no
ceituado estabelecimento avisa oas Crato, unma b6a csa sita d rta
sens bons fregueses e ao pnblico em 1 .. Acciol, no O,. com
geral que se acha com um novo, bom ." .c ra ef -n r oh
e complete sortimento de fasendas, ciuco portas de freute, muralha-
ferragens, mindesas etc. etc. e que da, etc. Quem pretender compral-
as vende por pregos -os mais resn- a, dirija-se ao abaixo assignado
midos possiveis aqni no Joaseiro I que todo ne -ocio far.
PRACA DA LIBERDADE N. 2237 a.-
Ver e comprar. .
Uma visit, pois, so BAZAR PO- Joaqnim Saldanha Maia
PULAR de
Fausto Gaimardes GRATO


- .


<1
I*
V


'I


-L r


-a U.I.


ImL;i~-~i~liea;srru L~pebL.Ci~"d4~ie~Y-~L~~ ~~ ~---~C4lslrLg~~CPiY~PI~qllbB~9&62~yyipL


__


Zb~- ------- -I


.


1tf^


44
.o ;,& ,












REBATEE


SI ...--C IO



i & 0


4 ~ ---F


30.A.ZEILO F



CINCINATO SILVA
Vindo de GaraniiumT. est"n.o de Per-
nambuco, acha-se e4 titAh-i' .et*a prat-


ga com um complete e varind * **ir o


de fasendas e mnereadoriht que veade poe
pre'os gem competencia, A content mesmo
do mais exigente freguez.
Umi visit, pois. a LOJA ESTRELLA
deo Cincinato Silva. Rua Padre Cicero
n'. 329.


PHARMACIA CARVA.HO
Ha nestsa eoneeituada pharmacia uam
variado sortimento de drogas e producto0
chimicos, especialidades pharmacentieas
nacionaes e estrangeiras.
Aviam-se receitas a qualquer hora cow
promptidio, cuidado e aseeio.
Rua Padre Cicern r'. 41.


t0 BARATEIRO
Manoel Victorino da Silva. eomn duas
ejas bern sortidas do todos artigos de
Commercio, BRn Nowa, n'. 96 e Ru
Padre Cicero, Bn 2M8.
Preoe sem eompetencia. custo da capital.


A- POPULAR
Loja de fasadae e outros artigos de
commercio, rendas pelo ensto no empenho
do apurar o ,mpital empregade.
0 fregueo procure na Rua Nova casa
a*. 955 e na Bas Padre Cicero a loja n.
30, gue ervido A media de sen de-



DoIS IRMAOS
Loja de fasendas, ferragens, e estiva3,
Ma Prags da Liberdade, n. 972. Sinceri-
dade doe egocio, modicidade de precos 'e
affabilidade dfreguesia.
Diomedee Siqueira & Irm.ao.


FUN ILE I R -


I SAPATARIA
PERSEVERANGA

Esta sapataria se encarrega de
qns'quer trabalho todos em couro e
zarante aos sens fregneses obris que
nao se podem desejar melhores e de


pre'os rasnaveis.
Trenin Cabral de Oliveira
Rna do Cruzeiro n? 1085



MERCIARIA.
OLIVEIRA & NATIM
O'proprietario de-te aereditado estabe-
lecimento tendo recentemente chegado da
capital do e4tado avisa aos seus innumo-
ros freguezes e no public em geral que se
acha con urnm compi t sortimento 'de
mere dorias nacionaes. extrangeiras;palqa-
doe, meias.para homnens e senhoras.suspen-
sorios, cadeias de aluminium. redomas,
extractos de diversas qualidades, brilhan-
tinas. eleo de baboza para o cabello, bi-
bidas de diversas qualidades, conservas,
doess, cops de phantazia, bicos, rendas,
sutaxes grega.as. ate etc.
Tudo A dinheiro A vista e pnr: preies
modicos. 0 PROPRIETARIO
OLIVEIRA & NATIM

Asi 6JL.WPNDM
Avisa ao sfns freguesis que chegon um
grande sortemento de Vinho do Porto. Mos-
eatelSuperior. Santo Antonio. Cognac.Ver-
mute, Vinho de Missa. Geropiga. Serrot de
Jinipapo. AWard nte de CajA. de Lima e
Canna: Cigarros lTunp.La MlorenaBostoc,
Comno SAo Bona,de Palha. as Quatro Ligas,
Ppnlar: doce. PeTqneiral Jcs= Fa .nha-
Mantiela Bretel. EzceIllnt'l. Papagao, Pi-
anhv: Banha de porco em lata.
* Tudo por preqos modicos
Run P.eCicero n. 6-2.


MJeronymo Francisco de Lima
tern, nesta localidade, a venda, duas
casas de taipa cobertas de telha; nima
gita A Runa de S. Francisco q a outra
na travessa da Rna Nova;pelaprimei-
ra pede200:000;pelasegunda 180:000
A'tratar na RUA DO CRUZEIRO


OMeina complete de todos os artefactos
utemailie em flandres, corn grande sorti-
mento pama veadas em gross e ea retalho. HEGQU7I H GDIIJ
Si acharem outro barateiro, naio ha de
*er tasto como e proprietaria Joao Antonio SEMENTES DE MANIQOBAS DO
Fartado.
Praga da Liberdade n*. 978. PIAUHY
A melhor semente da actualidade

Vende Jos6 Alves da Silva


LUJA


de fasendas mercadorims estivas, ferra-
gens, chapeus. Tendo recebido do Ceara
um complete sortimento doe artigos acima
mencionados que alo vendido. por prego
**m competebnea, convida todo e public
pars fazer nma visit a dito ertabelecimen.
to que so certifreari do quoe atlrmado.
VERDADEIRO QUEIMA!


APROVEITEM!


APROVEITEM!


JoSo Baptista de Oliveira.
Rua Padre Cicero N* 336


5Qptahff Wi es(rau .

Fta tSapatn ua do Joaquim Beoerra So-
acha-M & dispoeiIte do public doe
vaig" oBearga-ee de todo qUalquer
brabho ea eoiro eOm grande prestem o
icidade em prepos. Ra do r i


A pregos BARATIBSIMOS.
IUA DO PADRE CICERO IN? 301
JOAZEIRO DO CARRY



BAZAB BAMALHO


DR


Thne gouibe o maM, t AleUa

Este estabelecimento tern con-
stantementej explendido stoch de
FAZ.D O aS i na.ii ts eestrangei-
rag. Miudezas, Ferragens, Loa-
Jas, etc.
Brilhante sessio de artigos da
moda come calados, chapeos, gra-
vatas, fichus, mantilhas etc. etc.
08 PREIOS S8O OS MAIS
COMMODOS D'ESTA
PRA4A
Praga da Independencia no. 2236
"q-geiro do Padre Ciero


CASA PYROTEOHNICA

SEsta Casa se enearrega do qual-
quer trabalhe qnue diga respeito a
fogo e polvo a.
FogueAou dnziga 5$000; fogos de
3 boibas,duzia InW0; buscap6s, dazia
2500; e'pada, driia 4000; craveiro-,
duzia 3400; pistoltas, duz a 14) ;
pistols. diizia 2000; pistolao, duz a
3500; fogos de bemgalla,duzia 4000;
cara Para, duzia 1000; exquesito, du-
zia 1200; rodinhal desala.dnzia 1200;
bat-rias caundellas romanas, 1400;
estrellas de S. Joao, duzia 120); bor-
boletas, dazia I3&I.
Predos estes os mais ras)ave's

Joaseiro, Raa da Con.eiiao no 1268
J.Jse Gomes de Almeida'Duda


CRATO


"',VA PHARMACIA

Cel. Theophilo A. de S. Cavaleante.
Tendo mudado a sea Phahrmaeig da
Travpsua da Palifornia n" 41 para a rua
D'. Nogueira Acioly, prodio no. 83, com-
munica aoM seas Am*. o fregozee quo
continue da mesma forms sforsando-so
para bern servil-os, esperando por iwso,
mereeer a cntionacado de ua emtimdasd
ordens.
Crato 12 de Janeiro de 1910



ATTENC.AO

Casas, Sitio, fasenaas de gado
neste municipio no term de Sant-
Anna do Cariry A vender.
,Jose Rodrigues Monteiro tendo de
retirar-se desta cidade no intnito de
procurar na Enrupa alivio a-sua
sande sempre ;dte-rada, declara, a
quem enteresat, lque estao exp3stas
a venda todas san casasnesta cidade
e suas fazendas de gado neste mnni-
cipio e no term de Sant-Anna do
Cariry e mais nun sitio no mesmo re-
ferido termo denoaminado Quneimado-
corn engenho de terro e cas propria,
casi de vivenda, tudo de telba e
segnra construlte, corn Uma pequena
nascenea e aud,-d,, pedra e cal, corn
cannavial para dnsentas cargas de
rapaduras, pomsindo extensas mattas
com madeira de sonstrnuao: outro
sim pede A aiquelles dos seas amigos
que tern corm mesmo negocio,
queirao per bondade' satisfaser seus
compromissos, unta vez que tern de
ansentar-se per tempo indetermina-
do e ter do prover-se de recursos snf-
ficientes.
Crato, 26 de Ontabro de 1909

Jos6 Rodrigues Monteiro


10 CRATO
ELEGANI-T *
DE

A. BELEM SOBRINBO
45-RUA DO COMERC-45
CRATO-CEARA'.
Eetab.eeimento deFazendas fim,
iudexas, Novidades, artigoA de.use do-
mestieo, Alta fantasia, & & A -
Especialidade em: artigos para
home s enhoras; objectos para preMa
toe perfnmaria finissimal!
< Preo seas compoetidor?
Diaheiro A vista.


ECONOMIST DOBA
PAULISTA
ICAIXA TNTERNACIONAL DE PEN-
SOES VITALICIAS.
A pprovada per Decreto Federal, corn
deposit de garantia no Thesonro Fe;loral.
proporcional ao capital de peasoes de mil


Exmo. Snr. Conde de Prates, Director
do Banco de Sao Paulo-Exmo. Snr. Co-
ronel Fernando Prestes, vice-presidente
do Estado-BarAo de Dnprat, director da
Compauhia Industrial de Sao Paulo=Dr.
Roddlpho Miranda, proprietario da F.ibri-
ca de Tecidos Arethusina, de Piracicaba
e deputado federal--Dr. JoAo Alvez Dima,
medico e proprietario-Pharm. L. Pinto
do Queiroz, (proprietario da Drogaria Americana e
Fabric de products chimicos) Dr. Pedro
Poatual e Dr. Victor Godinho capitalistas.
A ECONOMIS.1DORA PALISTA d
uma sociedade mutua, corn fiscalisagAs do
Governo, cujo fium estabelecer uma REN-
DA VITALICIA mensal, em dinheiro, aos
sens socios. Ternm duas caixas, a caixa A
eo a caixa B.
Os socios da Caixa A pagam 5$000 de
joia e 2$500 de mensalidade e tem direi-
to, no fimn d 15 annos, a um s ensio qune
nAo serA maior de 1508000 por mez.
Os socios da Caixa B, pagam 50000 de
joia e 5$000 do mensalidade e tmrn direi-
to, no fim de 10 annos, a uma pensao que
nao podera exeeder do 100$000 por mez.
No caso de falleeer antes doe eegar a
receber a pensso, a associavLo pagarA aos
sens herdeiros necessarios todas as con-
tribiqoese que elle tiver feito eem juros.
Dando-se o fallecimento depois que o mu-
tuario estiver em goso da pensio, esta fi-
card extineta, sem que aos seas herdeiros
assist qualquer direito.
A pensao sero paga ao proprio indivi-
duo, on so son proeorador legal, on por
intermedio de qualquor Banco, quando o
mutuario so achar no extrangeiro.
O socio contribuinte em dia, que ficar
impossibilitaddo proseguir nas suns en-
tradas, depois de cinco annos do associa-
CAo, em consequencia de molestia chroniea
e ineuravel, que o inhabilite para o tra-
balho, aerk considered suspenso e nao
perdera direito i pensao.
Os pagamentoe antecipadoe de 1 anno
gozam da reduce9 o de 50 o/o. os pagamentos
de 10 annos, 20 o/o e os pagamentos de 15
anuc 15o/o.
S0 muntuario qune se inscrever am mez
antes do sorteo e tiver a sorte de ser
preiniado, pagark apenas poucon mil r~i
terf direito a uma penslo par& today a
Ate dezembo form sortendas cineo
ardrneta, on seja nopeiodo denoe
mes. A ECONOMISADORA a noie
quo faz. sorteios de doisn.m dois mezes e
am grande sorteio no Natal!
SOeis inscriptos de abl d 1908 sa
Janeiro 1909:-34000. Nem $ bum eatrwso-
ciedade obtev9 tal aunoro do ocion nos
Iea priBro mezese. -
notas do infe prapectw, proBt, cadet

Eepresentante no Crate.
Belet Sobrinho
45-RuA do Commreio==45


BARB L. HA

0 re d do' elpaarativs

. CHiXIr aepoulJrfo dI CAt-AA
Preparado per Silviao Js dt .S'I':


puoratIV Candido

prel arado polo boticario Manoel Candido
das Dores, e do pcovada effisacia .nis po-
rigoaas atfecyoes bonbaticas, syphiliticas,
escrophulosas e darthroeas
E o grande desalojador dos humoras vi-
ciados eo poderoso eliminalor de todas as
doencas pertinazes que tern sua origem
na impuresa do sangue.
I Unico depesito na pharmacia Jeosd Can-
dido, na Rua do Vido.


PHARMACIA SILVA

de Silvino Jose da Silva, na Rua do Coin-
mercio, nO.- 8; temn un grande e variado
sortimento de drogas, products chimnico?
e especialidades pharmaceuticals.
: Despacha os receituarios com minedica-
mentos de reconhecida pureza e garante
aceio, presteza e modieidade de preo.





Desappareceram de men sitio uni
burro cardao e uma burra castanha
qnazi preta ambos corn esta marca -
e corn a seguinte freguezia



Quem der noticias certas na Redac-
gAo;d' 0 oRebate:.ou vier me entre-
gar ditos animals, sera gratificade
generosamente.
Barbalha, Sitio Breji'o, 10 de No
vembrolde 1909
JoLe Demosthenes Fernandes Vieira


MILAGRES


CAVALLO UMIOU
Urn cavallo card.o rulade, novo, ,>ii-
lobonito, inteiro, chotOo, olkhos siue.


Marca 4 1i eRibeira

Quesn o e ceatrar e entreqar o G r. 3 a-
jor Jos I4gs.c -m Afrs 'res scra f'.*


.


~- t


contos do reis. Approrado pela Inspectoria de Hygiene
SRegistrada na Junta Commercial de lo CearA e autorisado por decreto de 9 da
ISAo Paulo. Novembro de 1909.
! Side em S. PAULO: RUA S. BENTO, 63 0 Phcumaismo em q'u la!er p-i.'7,o "t,
S; pha'e ener icamete .M "d .; sy p-il ;
.Antigoescriptoriopiaeompanhia ltena-ea, pcaieea' eomleif -i ,; SypE i
Filial no Rio: RUA 7 DE SETEMBRO. Uceras de qulquer natu n e.... ,
113 modernn) pelle; E-scofidas; Ca',ers e qmali-'r umo-
(ENTRE GONCALVES DIAS E A E- Wesa de orq'"n vera; n ELIXI l) D
NI"A CNTRAL) CANINANA eanccatrain a sut euraz cert
e rapid
D|REECTOPRA A venda nas. Pharmaciai e no deposit
PRESIDENTE-Senador Luiz Piza, geral. Phiarmacia Silva.
Senador Estadoal ex-chefe de Policia e
ex-Secretarie da Agricultura, do E. de S. XAROPE
Paulo.
SECRETARIA-Commeadador Leoncio DE
Gurgel, da firma Silva Seabra & C'., da
Fabric de Tecidos S. Bernardo. Balsamo de Tolu e Euctlypio?
GERENTE--Dr. Claudio de Sousa, me-
dico e industrial. Composto e preparado por
THESOUREIRO-Dr. Gabriel Dias da rManoel Can'ido das Dores
Silva, advogado, capitalist, director dia
Companhia Industrial de S. Paulo e da Muito util nos ineommodos do appare~o
Companhia de Pocos do Caldas. pulmonary: ToJsee, dCfluxoi, bucdites, la-
SF I'tryngttes asthma etc. A venda na
CIns. ho lSeiiel I Pharmacia Jos6 Candido Rua do Video 21


I


~IC ~