<%BANNER%>

UFLAC



Rebate
ALL ISSUES CITATION THUMBNAILS DOWNLOADS PAGE IMAGE ZOOMABLE
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00001672/00046
 Material Information
Title: Rebate
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Creator: unknown
Creation Date: July 18, 1910
 Subjects
Genre: newspaper   ( sobekcm )
 Notes
General Note: Newspaper issues from the personal collection of Pe. Cicero Coutinho, Juazeiro do Norte, featuring articles on Padre Cicero.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: All rights reserved by the source institution.
System ID: AA00001672:00046

Downloads

This item has the following downloads:

( BRIDGECACHE )

( BRIDGECACHET )


Full Text
' T ," 2 9 .* "

" - .' ..


* ~


* 1.


#u:, i. ,.- ^ ^ e.


p:


~ear~-~razil


iegaw a-feira, 18 de. J3l de 1910


,*
* *


Ano 1-jln. III


DEUS


NOS


ADJUVET


D(56!rO PC juLiO- 1910


Par entire as luct.is que teve a susten-
tar, e por entire os peri-ros que por toda
parte Ihe sitiaram a jornada, ( 0 Rebate
conta hoje felizmente o seu primeiro an-
no de existencia jornalistica.
Si tern que agradecer as almas boas
u, generosas o benigno acolhimento que
ihe dispensaram, senate primeiro que tudo
a necessidade de ajoelhar-se, de erguer
indos supplices ao Ceo e entoar,hymnos
de louvor e de reconhe*-imento a Deus
pcla bondade e pela misericordia, corn
que lhe amparou a fragile existenci- que
comegava no meio d'inimigos que rdo
conh-cem outro genero de combat sinao
o que mata e supprime para sempre 0
adversario !
Bern o sentimos todo o travo desta
lucta, e nossa tenda de trabalho nio foi
sinao o campo d'uma batalha sem de-
scanso, d'uma vigilia sem interrupp;o
Multas vezes o sicario, o canibal, o
cangaceiro que nos vinham desfaryados
do campo' inimigo, nos encontraram d'ar-
masna mro no posto perigoso de senti-
nellas da noite, que prepararam para a
surpreza.
E os inimigos tanto tinham de ferre-
nhos e odientos, como sobrepujavam de
recursos officials.
Sua ultima tentatica mirava d'ante-
mao o mais horroroso triumph: extasia-
va-se no brilho de 150 sabres c na fuma-
ga infernal de suas armas de morte.
Ah como foi accidentado o periodQ
que atravessamos !
E nao ha negal o, quao temeroso se
vai desenrolando nos horisontes de nosso
future o novo espago que hoje se abre 4
nossa jornad .
Deus nos guie Deus nos adjuvet l
Os inimigos sao os inesmos e aind;'.
estao ia sua hora de trevas.
O Rebaten nao p6de nutrir illus6es.
No mesmo posto, donde bradou aos
povos paz on guerra, donde fallou aos
inimigos, donde increpou os vasques;tem
pois de continuar o seu programma.
Sim, porque como a 18 de Julho de
1909. ainda hoje, continha a rnesma si-
tuacao.
E' forcoso repitil-c.
Repitamol-o! Continfaremos rosso
programma: i -


Io


Ao ssa IssIo


Terrivel, a fei6ao que apresenta a
epocha que atravessamos.
Terrivel, e muito.
Ninguem havera que de emogoes,ndo
sinta enroscarem-se-lhe alma e cora-
gco.
Todos o sentem.
O sentiment, porem, que nos emo-
ciona magoados pelas desgragas que se
desdobram como uma avalanche por so-
bre o pantheon da patria, tern um como
sabor bern different segundo a estructu-
ra moral que nos carecterisa: assim o
desespero que tem lagrimas de fel, em-
pallidece e mbrre em face da resignacao
que protege, que consola, que fortalece.
Tal a que nos acompanha ante essa
cadeia de desastres e descalabros, de
desordens e crimes; cade'a esta que re.
mata em pinha na derradeira scena da
comedia estupenda. Comedia na velha
concepcAo dantesca corn o topo no subli-
me e o fundo no odioso, no disforme, no
abjecto.
Collocados nas situag6es mais graves,
como todas as desgragas se commettem,
todos os crimes se praticani, todas as in--
famias se perpetram, toda a luz se obrum-
bra, toda a verdade se denega, e todos
os horisontes se fecham, n6s, quando se
nos delaram os abysmos onde se multi-
plicam as voragens do perigo e os perigos
da voragem; quando o ceu se tapisa de
nuvens que desatam os horxores da tem-
petade, n'esses moments em que o tro-
vao ruge medonho e o vendaval toma umrn
fremito de pavor que estont'ia, n6s, op-
premidos pela fatalidade que acastela
desditas e na solidao d'alma que golpha
terroresa, nao 6 corn a insensibilidade, fi.
lha d'um falso estoicismo, que temos de
encarar a dor que nos subjuga, a dor que
nos avassala, mas corn a resignacao que
fortalece e dd coragem.
Zumbrir ao peso da desventura e
cerrar os olhos a toda a luz e abysmar
n'es:a anti-camara do suicidio que se cha-
ma desespero.
Encarar, pois, os grandes Soffrimen-
tos, as grandes oppress6es, as calamida-
des grandes corn a resignago que levan-


ta a fibra da coragem e que a fd liberali-
ta, C buscar na adversidade um ensina-
mento e nas difficuldades d'um combat
as armas que tornam mais glorioso o tri-
umpho, mais gloriosa, mais brilhants, a
victoria.
A constancia, que anima os apostolos
6 irma da dedicagao que illustra os mar-
tyres; ambas sao filhas d'essa crerila que
irrompe das cellulas do coragdo human
e levanta-se em espiral luminosa para o
insondavel Alem dos limits da vida.
Ante as desgragas omnimodas que
nos pungem a alma e nos ferem o cora-
cao, rao nos abatemos.
E, a prova disto, vamos dal-a...
A resignagao, que nos vem de long,
nos fortaleceii e, mais que nunca, nos for-
talece, nos dia coragem de sombra para,
em meio d'esse immense cahos em que
todas as miserias acachoam, todas as pai.
x6es crepitam, todos os odios fremem,
todos os rancores estuam, atirarmos essa
valvula por onde respirar possa umrn povo
sao, essa alavanca que vae levantaro ni-
vel social de toda uma populagio.
0 (REBATE), eil-o ahi!
Desassombrado, e sem temer os ho-.
mens da sombra, horriveis noctivagos,
soterradas toupeiras, al:nas frias de ophy-
bio q'ue, evocando o passado, pretendem
arvorar, sobre a base do future, farrapos
d'um bandeira maculada de iniquidades
e torpesas, de sangue e de lagrimas, eil-
o, ainda o repetimos cheios de ufania,eil-
o ahi!
Levar luz e calor 4. consciencia do
povo, adelgagar as cerrag6es do espirito
human, cantar como uma musa todas as
glorias, sentir como um coragao todas as
miserias, comprehender como um genio
todas as harmonies da naturesa, todos os
commettimentos dos povos, todos os ais
que a hurriahidade geme em seus luctuosos
moments, eis a minsso da imprensa. Me-
nos complex, que a dat imprensa, e a
missao do jor al. Assim qne, trabalhar
pelo Ideal das Ltras, da religiao, da pa-
tria 'e da humanidade, sem se envolver
cona a politicagem que tudo avilta e re-
baix eis, em poucas palavras, o pro-
"grar ma d'O miss o. Cumpril-a-emos.

I


h 3 - IF

- \ .-"rC ,


-2 A.~Jhji~, L,:


i


,a ~


'A-. i'- r -


---~ ,- -- _ ____


I II I, ,


I ,


'


fi


i




M *. ..


-_ 0 REBATE


penhascos vin relnzirem canos, d'ar-
S mas de fogo.
S Bscavam-n), ?0 antes estava:
*h na pista do as.&Lsaiuj eladr-o do vc-
Iho fazendeiro. Sem dovid- hav'a
servido aos persegu'dores o rasto en-
sauguentado do caminubwlie.
Que fazer.
Sccultar-se ? impossivel; tratr de
fngir Adirt.ta, ou A esquerda ? era
perdiio.
S 0 s a!to do cino !
Hetrocedro uns qntutos passos
irAz, fez am esfori%; S.pl'Vm!:j e.
salron...
enu esfor!o fo' int'l.
ovrp do fugit v cahf'a no bair-
ranco desapparecen entire a-; aguas
do rio que continuous mirmii'ran lo,
I:lzubre e enistro, no futii da pa.
ver..sa cortadira.


EustaSqtqi ) (4itm


je~rI


lte a ttLr.


Sei que me do 'as... Sim, bern sei! Comtudo
Aino tc mn w,m U.l to msais anda...
Talvez nao ":bas qne, paixIO infinda !
De ti, sintoprazer em soffrer tudo !

Sei que nao mais, emquanto vivo, find
E.s-a res'gnaelo na nqual me e-cudo...
Pois fico aos tens esearneos seinpre mnuo,
E's se:npre para m'm bonlosa e linda !

Qnal o tanf-o que o plago a--:'tando,
Quauto mais ihe fustiga o dr so agreste,
Ta-to ml:s trrna-o inai :asa e fcmnidndo.


phiis am tica- ou recent erain-ie c I- Assim ten oe.o, bern o sabes, flNr !
o ELXIR DE CANrIN.NNA Quanto mais forte o coramao me invested,
Tanto miis forte augmenta o men am or.
oiN va Si!v:no

Alvaro Reis
EALBALHA CEARA Alvaro


D E VI CTORI A des apanhar-m,'. Nao tentes por-
me a mac.*. beito Augustano, S. Bonifacio e
EM VICTORIA 0 hinMem sentou-se junto a Sio Martinho que foi Martyr ino.
Villa de Campos, ( stado de Ser- uma arvore onde estava a ave e, tempo do imperador Constanti-
gipe) 5 de Maro de 190. er no su desespero, comecou a ar-I no.
ran-ar os cabellos. Alem destes sanctos; cultures
lUmo. Sr. -JoJo da Silca Sireira. =Bem ve qae o m-u seg-undo da music tern havido mui dis-
orn o ora cho do m conselho ndo te era inutil. Etais tinctos e n taveis pela sua virtu-
Hole, com o coracao che o do mas 1
v:vo prazer, venho agradecer a Ia te atormentar em v5o, saben- de, pela sua sciencia e pelas su-
re-ultado maravilhoso, obt do cum ido que nio podes recupero;r oas adimiravcis composigoes musi-
vo<,so E'ix,. ide Xogieira. Ha ma's perdido... Quanto ao terceiro, si caes em h,'nra e glorin, de Deus
de um anno soffria de uma granle Ce- n houvesses comprehendido, ter- e de SLU. sanctos.
.- da na perna e a gargantA infl n ur- poupado a tanto de-gosto e -=-
da e ferida tendo jia me receitado p.r i
4l v.rsas vezes'e nAo podendo obter trabi-lho.Como possoternocorto Abeora monstre
rtelhora pnnim-i. reori ai se uma perola do tamanho de uni Co io de Araraara
... rado E.;e v .i, aon.-iovoseurnovo t. maor .> o Comnmercio de Araraguara,
lart parado zitx;; tie t17.:e,,, acon- ovo, se um ovo d major +ie o P
s.rhadb p1or diver-sos amigos, pegnei meu corpo inteiro? .Paulo, acaba de noticiar que
a usar, dentru de p,,ncu teilmpo tique: o Sr. Rcdo'pho Miranda, mi-
0 onpletamente re.qtablecido, usanado ^^^ nistro a Agricultura, recebeu
s6mente qatro vidro.. PofFrs Dr IDE DENTES ? d'urn agricu!tor no estado de
Sern mais, son de v. s. erd? e att.' I-ai OLONTALINA que curar-vo-ha S- nta C tharina, uma abobora
Glycs-il Ju. (erquIra 1 -- que pesa a insignificancia de
Ven.e-se nas bias harmac.ias e -A uI. cento e vinte kilogrammas, ou 8
drogari is deta cidade e nas da ca arrobas.
Ipital e Rio de Janeiro-Fabrica- Carc-a, mais ou menos deste
PlIota~-Rio Grande do No:te. .obre exempl tamanho, teremol-a, si a abobe-
0^ i fo Greira arrancar-lhe as flores, .dei-
S0 ultimo filhlo de GuilhormeI xando-lhe ta o somente uma. Es
Fetrias antigaes,p buas, dart.hrp equal I, o principe Joaquim, que ac- ta vingando, e recebendo toda a
quer w.olestia de pelle.tIeZusd
Curam-se corn otuahnente taz seus estudos se- seivada abobereira, dard, por
ELiXIR DE CAXNINANA de cundarios, comecou tambem a a- certo, uma abobora monstro. E'
S:.!vno silva prender um officio manual con- uma verdade de experiencia.
fo-me 4 de uso iha familiar r. al Experimentem.
dos Hob.nzellern. Todos os dias -__
PARABOLA ORIENTAL elle vai a tenda dnm ferreiro e Sto leia ealis.
se exereita no mister de seu po-
Certo dia, um home apa- bre mestre. JA sabe que estA excommun-
r h-u um passarinho, cujo canto Quanto rrpaz por :ahi so en- gado quem vendeu o patrimonio
delicioso o seduzira. vergonha do .prender um officio, de S. Vicente Ferrer; pois o Con-
-Que tenciona fazer de mim? e vive come p rasita A custa dos ci!io Tridentino o disse no capi-
inquiriu a ave. Na gaiola nao outros ou mendiga emprego pu- tual XI, sessao XXII:
Canto e sou pequenino demais lblico! 'Fica sugeito a escomunhao
para que me comas. Restitue- -=-- qualquer clerigo ou leigo, ainda
me a liberdade. Dar-te-ei- tres Brasileira aero .;ufa que seja imperador ou rei que
conselhos de summa utilidade. usurpe por se ou por outros cornm
-Pois di-me e soltar-te-ei, res- A baroneza d'Ende, irmn, do qualquer artificio, c6r, ou pre-
pondeu o home. barao e do conde Nioac, obteve texto, a jurisdicqao dos bens,
-Eis o primeiro: Nao procures ultimamente, na Allemanha, um cenbos, fructos ou quaesquer ob-
spoderar-te daquillo a -que nao ruidoso succebso. Piloteando um vinqoes de alguma egreja ou be-
podes chegar; segundo: aNao dirigivel de sua propriedade, com neficio=em quanto nao os res-
te atormentes corn o que nao a seguranqa de mao de um ver- tituia inteiramente a egreja ou
podes recuperarn; terceiro: sNao dadeiro profissional, elevou-se a- beneficlo e obtenha a absolviqao
creias sinAo no que e crivel. aos areas, em Berlim e, affrontan- do Summo Pontifice.a>
0 home soltou-o, murmu- do o vento eo e o rio, abandonou a Quem vendeu o patrimonio de
random, porem, que taes conse- capital allems para ir apza 15 Sao Vicente nao crA, nem se im-
lhos nao Ihe ensinariam nada horas de viagem deseer em Pra- porta coxm lei da Egreja sinio a-
de novo. ga, onde uma multiddo accorreu quella que manda pagar emola-
-Por isso tambem, disse-lhe a para accianar a corajosa brazi- mentos ao parocho,dar cobres no
-ve, fise:te mal em me larger leira.- yigario; mas indagueoque fim le-
porque tenho no corpo uma pe- --=- you o gado do usurpador do pa-
ro'a do tamanho d'um ovo, que Musicos qre foraim Sanetes trimtnio de Sao Jos4 de Missao-
sefria listante para te errrquecer. Velha.
Et;o, furioso, o home pro- Alegre-se a Orchestra de San- -=-
cu:,. tornar a pre-der a ave; eta C~oilia, que d~s cultores da Primus Petrus
nmas esta nao teve difficuldade Musica nao foi somente sancta a
(uviu bemrn cangado, disse-lhe: Tatnbem foram mnuscos e san- ta de impor aos ,atholicoa o ca-
- Bern viste que precisavas do ctos o papa Leao IX, sio Oddo samento ecclesiastico antes do
n eu primeiro conselho. Nao po- abbade, S. Romso, Saneto Al- ivil[


Domingo, 26 do mez passado
cerca de 5 horas da tarde, foi
preso, na vismnha,cidade do Cra-
to, o Snr. Simeao de Meneses
Jurumenha, distincto membro
4'uma das mais importantes fa-
milias d'aquella localidade !
Motivou essa prisdo o facto
de ter esse mogo mandado dar
umas correadas em uma mulher
publics de nome Maria Bella
que andava de public a enxo-
valhar a sua reputacgo de mogo
probo e honrado !
Preso, e mettido na cadeia
public d'aquella cidade, exigi-
ram d'elle as auctoridades-qui-
nhontos mil reis para aquella ra-
meira desbriada !
A' interferencia, porem, dos
amigos e ,a familiar "o Snr. Si-
meao, ficou r-edusida a oitenta e
tantcs mil reis-a quantia exi-
gida !
Pagou-os,sem mais tugir, nem
miugir,o pobre do moeo, pondo-o,
depois, em liberdade, as aucto-
ridades da terr i!
Mas, vejam l as coisas como
ainda vdo por alli: hontem, mo-
gos de familiar, em numero de
quinze ai vinte, defloraram bru-
talmente a uma donzella, de
menor edade. orphan de pae e
mae, atiraram-n'a, depois, como
morta, para o mcioda rua e ndo
soffreram esses infames saios
brutaes de sua honra a menor
repressao por parte das aucto -
ridades; hoje, potim, o Snr. Si-
mero de Meneses Jurumenha e
arrastado aos horrores da prison
e exigem d'elle as mesmas au-
ctoridades do Crato--quinhen-
tos mil reis-para uma mulher
public e desbriada !
Vejam 14 !

Prese aso rabate
Acha-se ha dias preso ao gra-
bato um dos actuaes regulos da
visinha cidade do Crato Posto
sejamos adversaries francos e
leaes das ideas que elle alimen-
ta, e do modo por que s3 cenduz
e continue a condusir-se na di-
rechio dos destinos d'esta terra,
n6s fasemos votos aos ceus pelo
seu complete restabelecimento.
Por quanto, ruim mesmo como
tem sido o Sr. Antonio Luiz Al-
ves Pequeno, preferimol-o tres
vezes ao Sr. Jose Francisco Al-
ves Teixeira de que Deus por
misericordia nos livre. Ab omni
malo liberal nos Domine.

0 BRASIL
DADOS INTERESSANTESF
Sabem o numero de fabricantes
de leis que conta a nossa patria ?
Nada menos de 1.040, assim des-
criminados: 63 senadoresge 212 de-
putados federaes; 126 senadores e
639 deputados estadoaes.
Nas 22 circunscripcSes territoria-
esautonomas-20 estados, e Distric-
to Federal e territorio do Acre, tern
o Brazil 1.154 municipios, compre-
hendendo 555 cidades, 599 villas e
3.161 distrctos municipaes.
Ao ponto ie vietsjudiciario, apre-
senta o Brazil 573 comarcas, 86 ter-
mos e 3.265 districts de paz, send
que estaa ultimas Idenominacoes nao


sMo uniforms nos Estados; ao pon-
to de vista sanitario, ha trees distric-
tos; ao ecclesiastico, havia em 1907,
4 arcebispados, 17 bispados e 1.883
parochias; ao da arrecadaglo de im-
postos, fancionavam 19 delegacias
fiscaes, 23 aifandegas, 19 post& fis
eaes,783 collectoriasa f6raa recebe-
doria na Capital Federal; aomilitar,
existiam a'nda em 1907 sete distric-
tos militares, com effectivoIe........
19 399 homes, entire pragas e offi-


eiaes,elevando-se o da armada, ao to-
tal de 8.071 homes, distribuidos
em quaMt divides e duas flotilhas.
A ppihlagIo do Brazil deve osci-
lar entire o maimo de 22 e o mini-
mo de 20 milhoes, de habitantes.
Predomina o sexo masculino no
Di.tricto Federal, no Amazonas,
Espirito Santo, S. Paulo, Parana,
Minas-Geraes, e o feminino em Per-
nambnco, Cearai, Maranhao, Rio G.
do Norte e Sergipe.
Residem presentimente no Brazil
mais de 1 milhio de estrangeiros.
86 na Capital Federal, trabalham
573 estabelecimentos fabris.
Possaimos cerca de 19.900 kilome-
tros de Ivias ferreas em trafego e u-
ma rede telegraphica de............
28:395:612 kilometros.
Aproxima-se de am milhio o al-
garismo dos alumnos matriculados
nas escolas de ensino primario publi-
eas e particnulares; de 31 fil !os que
frequentam institatos de ensino se-
cundario e 6 mil o de ensino superi-
or.
Descendo a particularidades, en-
contramos no Brazil inteiro 108 the-
atros e ficamos sabendo que o noEs)
governor tern effectuado, ate hoje, 23
emprestimos, externos e 6 internos.


Alem-tumulo
Por cartas que acabamos de re-
ceber do Ouricury chegnu-nos a
triste noticia de ter fallecido em
Queimadas o estimavel cidadao
Jose Cypriano de Salles.
Era de edade regular e consti-
tui rao sadia, que Ihe promettia
mais larga duragqo; mas cahio
victim das febres perciniosas
que alli reinam, e cedeu A fatali-
dade da morte.
Seu fallecimento foi begin sen-
tido pela consorte, pelos fithi-
nhos, pelos amigos e pelos pa-
rentes, a quem enviam-s nossos
pesames, especialmente a Exm?
Sr? Maria Rosa de Lima e ao Sr.
Othoniel Lucas de Salles, nosso
operoso empregado.


Deloreso !
Victim d'um parto laborio-
so, succumbio inopinadamente
na madrugada de 24 de Junho
ultimo a Exm? Sr? D. Anna Ma-
ria de Jesus, dedicada consorte
de nosso bom amigo Joaquim
Satyro de Sousa.
Natural de Missao-velha,filha
legitima de Jo.o Antonio do
Nascimento e de D. Isabel Ma-
ria do Espirito Sancto, ella resi-
dia, entretanto, no seu sitio Ca-
ni;'n, da parochia do Orato, on-
de fixara sua residencia ap6s de
seu consoncio.
Apreciada por todos, a todos
deixou infindas saudades, sobre
tudo ao lar domestic, onde oito
filhinhos em tenra edade deplo-
ram a sua premature perda em
companhia de nosso desolado a-
migo.
Acceite elle nossas condolen-
cias corn os votos que fasemos
para que Deus lhe de o confor-
to, a resignagao e o linitivo pe-
logolpe doloroso que Ihe con-
frange o coraio.


Deuter ine huribus


OQuvi diser que da Europa
Voltaste feito douVor?!
-Parece-te isso impossivel?
E' verdade, sim Senhor!

*
-E por que Academia?
E qual sciencia entao ?
Isso nlo sei, o diploma
E' escripto em allemmo.
V. d'Araguaya


n. 990. wma"usageaBSI


:-~


I u I -- I--


f -


V%. .I










I


Pr.eesto nigaoe

Niao Iese y'e em 't mo seg-rdo
EtenuamuenIte iqRem Teu;t peccados,
si da luz da verdalde t ns tu mtdo
(s mais: in',iin:;tos tL';ze sufocalhos;

,. times a repulsa e o degrdo,
A ie si) illnstam1i-ntt -mCUande iado
S- erver'oss e vis que, tarde on t e l(
V Sao sens a-tos,nm i or a:n,ljula-s

: do infrno. m r o -;o cog:ta
.i:is vetS que ao'nin.) vc: i t-.ilas e ( s
['I.taw
'- ", 1.?' a..ap .... r r "":' taZ
Ai.r- e~ a *:Itiva"-' t preji 'ro:
2'R p. :t.cr.i. ft- t t pa: a v itj. n .H
J osji C, r'.-i tr.-






Nato ha triste--?em coe-.In
.NerM feliz-- sew protei;ao.
N'ao ha fei.-sem s[;a gT;- ',
Net'i lonitv--sea se.in.c.
N'o ha rico-sem dinheiro
Ne!.n honit,--sem seniio!
Nao ha vclho que n'io) q(-:ria,
C'oin erteza, se enfer'tar !
Todo preso qner ?cr .sIto.
To:'a a inota qiitr caesar:
Todo o po'.re quer e-mola,
To'..a a uo. qur es,;r '
Do alfaiiate os uniforumes,
Uazend.us furtadas sio.
L;n'-n', o'ar. 0 -t.teiro,
To'.0o 1 onrives + lad-rAo.
0 ferri-iro e exommungado,
Todo nurives 6 ladroo.
O trahailho d:, saude,
V-,uos to iS t-ts,;;!r:o
Lolu t frade rein i>;'.tm;1,
To' n e.T fTj a t-in altar,
Toda ; venda tem i'leco,
Yo'l; egreja tezii altar.
A c:achaa temn virtuw'!e.
( omo nada p-ode t-'r !
FIra calor-e procnrada,
l'ra o frio-n;o tern que ver !
C aheneiz esobre-tudo
I'r;o o frio nio tern que ver.
Estunante-- bicho man
Peas mie livre de caixeiro!
E da prz.za=o petimetre,
K' da roga-o Lruaqueiro.
E' da Flora-a rosa bella
E" da roa-- brnaqueiro.


0. REBATE


S--
Term eneantao a canmpina, mAsa grande cuberta de pano azi P6s Candido, para matar Ra. Olho Candido, para cabello.
As mncs qne nioe namoram cum os beigo arribtado. Espirei qu. bo de Coiro. Encontra-se na Encontra-se ha Pharmacia Jo-
ertiaeacad e. vice o jant, nada. Esperei o ca Pharmacia Jos6 Candido. sd Candido.
A perfidia e aeallUmLia nad i. R o- l,*
C;-.,tigadas devem ser. oMen'I o eum ponco mais dois zo- J & Ruado Vidon.21-Barbalha
me agarraro tres 6vo de pato, buta- -DU-----INHU
ATs 1hoa rb d inho, ro im cima da mfsa, partiro numa LOJA DUQU HO & CiA VENDA
O despreso d'uma ingraita cerquinna de vara qui tinha na pa-
E'amargoe como fel, rdee. tiraro cada um umavara, qua- proprietario e Cis comuni-
01 -nar semn ser-e amado j'do eu vi umn d'elles agarrou um pe- cam aos saus Tregoezes que Iten- Acham-so expostas 4 veuda 3
0 amargo e cono 1i. ,da;o de s6bo, passion na caqega da do mudado o se-i estabelicimen- casas n-sta localidade,sendo uma
Pra vivr precisaeito,emrcou na aea dos co. to da esquina Rua de S. Pedro mutto bernm onstraida,com 24.
i1 'ra riverpreeisa geito, VIaQuaRldo ed vi elleseRatac cadmr
i e pr a s or aas cabea das vara nos o, vi para a mesma Rua, Predio n? ras e duaanlas de. frente, 2
To.a a fiota tern earetas mes:io a meleira das gemas dos vo 1 S82, esporam ser procurado de salas grande, 3 quai-tos ,coslnha
Todi alma estima resa, ina cabepa das varas, e quando elles todos, garantindo delicadeza e ber acabada,1 terrasso de lado,
SToa a festa tern careta. batero nos ovo, niem mn se qnebron. modicidade em prepos. muradacacimba e bawbero;outra
K' is pdrtio n9ni0 rusarlo de con- 1 com 2 portas e 1 janella de frente
A pr.giiea traz miseria, co qui tnha na pare, dispencaro Joaseiro, de Junho 90 2 poaa s e 1 janellato, et; otra
i Tr i,,afZ ois feliz los oa tres e voltaro outra veis em
!'ao ha tritumpho s-em com' a'e-finalmente, eom ports que se
Todo o minndo assim diz, eima.dos Ovo, e nada de si quebra. GRATIFICA-SE finalmente, corn portas que se
Pae mcia t sa virtue, !Fiqnei a4mirado, Pedro, pois nunco presta para negoscio.Todas estas
Todo o muindo ass-.m o diz. vi 6vo tio duro Sb me parece nma bem a quem aprehender e entre- casas estao encravadas na Rua de
Sulda~do .o tem aigopalutIrca on oum feiti(o de nega ve- gar no Joasieiro ao Sr Manoel Sao Pedero, uma das principles
Sohdado n o tern amigo, jlha do sertao. .de novimt
S negci ni ha verdade; S"a e quando cheg-ei casa numa Victornmo da Silva, e no enge- e de mais movimento.
A uientira 6 d( diaan, -l.u. Quem pretender, pois, negsi-
S E'de Deus a caridade, grande e bonita, vi uma maezinha nho croata, Villa Vioza, Alago- Quem pretender, pois, negoi-
0 emnonio ama a avaresa ,a&se4 tada na rodinha de 'urn carro-as, ao respectivo-dono Joaquim al-a dirija-se ao abaixo assignado,
E' de Deus a carilade. na cobea de uam too. Abriu a tam-IFernandes da Costa umrn Praga da Liberdade n? 976, de-
Atui Am,' nd ipa de um caixao prato e atacon os sta loalidade. -
Anna meinda Danas. d cma quem cata feijao ai foi CAVALLO ta enelon Pittaalidade.
ique a to jue ra salo bon:ta. A' mue- "enelon tia
zi-ha toqueira danada ... .
Qu.r V.S.crar-se de ATHMuo ito que tadmiro-se; Ma- co os gnaes seguintes-crinas BOLETIM COMMERCIAL
Usai o XAROPE DE AROEIRA nuInn en me admirei tonibein, e nao As direitas, castanho-ruzi boa
NOMPO:STO de slvino Silva. pude entendM nada. A mode que a.Ialtura, baxeiro, um'tanto bardt- Preqos dos generous durante a se.
quelle pivo da praqa e tudo feiti- gudo, edade regular, e com 4 mana finda:
S-, ceiro? 1 Carne verde kilo $600
SQuaando n6s volta, Pedro, vamo ge sece a ( 8$00
SarreparA tudo aquillo pra mode cum- Y < de porco W $600
INTER I'SSANTE! rnde e mi5 contA as nossa gente -J de carneiro $600
de:a do serti'o. < de bode < $600
Na estrala de Campiua-Gr-.ni ti Toucinho 1$000
ouviu-se -e do>: matuto3, qne d'all Desappareceu ou foi furtado Farinha 80 litros 3000
;voltaram, a segna.ut e cur.o-a nar-1 arceMilho 7 < 38000
ra : i 0 XAROPE DE AROEIRA em Margo desto anno. Gomma 700ooo
pina-Grinde. LA jA se apare;ia d) i-ual'iuer t0sse em 48 horas. :p3nsar4 bem a quem entregar o Sal 12$000
born e do mi6>. referido cavallo. Feijao de corda 88000
;'E' vrdal n, Man; e o q o ^^ de arrancar 10$000
,'ie ti v e': l yi de m e ? LOJA E ARMAZEM Cafe (rio) arroba 12$50)
S Mtnino en vo1 le conti: En sa' H JEDE Assucar branco -c 9$000
jpela rua do D:. Malaci P.n iro e M IPf Joao Beserra de Meneses Araruta 8000
quando che,,uei ninau caza qi elles JGOl 1 IUUJ Farinha do reino- 9$500
,chama Quarte, vi nma z.nu;a qu Grande liquidaAo de fazendas, Algodao a 3$000
:aema un-mtr)pa inorme ta'o de si tr6 Jo'it Biptista Correia, nao de- calgados, chapeos, punhos, collar, Raspadura o as caarga 198000
ac.t...o de ma..e rie na outi it- seja ln m tis contminuar corn a nhos, meias, lenqos, suspensorio- Kerosene lata 7$000
tn,.o num barrio tie cour eon t.. ,, sua cPad.iaras,) nesta localidade,graVtas, extracts, copos, bebidas Phophoros groza 98000
a Faindo! vende,por preo modico, em bom rda Bacalua "arnrica 558000
Chliegrei na portI, quando vi umastado ainla, todos os utensilios odos, pois, grande iquida io Aguardente canada 38000
muleque qniz bate cum dois chape'oque lhe pertencem. Rua do Padre Cicero N. 5 2 7 Vinho branch 4*000
raso na mlnha cara e en saiY uan e-& Vnagre tinto 4*000
'-o i e im Assim, quem pretender com- ART MUSICSolla un meio 7$000
,Cbegunei cA -em baixo num sabra.pralos, dirnija-se ao mesino Joao ACouro de espichla uIm 8$00
Jo qui eiles charna ote, tinha uma:Baptista que fark born negocio. vende-se nesta redacpAo Couro de bode am 1 2400


A VITALICIA PERNAMBUCANA






SOiCJDADE MUTUAL DE PE'NOES VITALICIS

APPROVADA POR DECRETO DO GOVERNOR FEDERAL, N? 7638 DE 4 DE NUVEMBRO DE 1909.
FUNCCIONA EM TODOS OS ESTADOS DO BRAZIL

CAPITAL INICIAL Rs. 40:000$000-CAPITAL MUTUARIO ATE' 31 DE DEZEMBRO Rs.265:327:000


A A -com 5$oo Cque ecoosisards potr mz, fos associando I Vitalicia, obtut is, depois di o is a o pe.

sits meusaes at l3ooooo, durante a Viii.

- x A 3 -cots a peeta tcottomtla it 2$ 500o t cada aez, akantareis, l epods dc 15 auosde associado h fl.

taticia, peisits (Measaes attl 54$ooo Ie qUilto fiid tierdes.

o .Ax -. -Co 1Ost 0 mlse s, poerels lar sa ptasio att So$ooo por atz uo us pteclto ittu ia

at 1:0. :oo 00$ooo.00 ta alcia Geral 6 aetel5scalJos AnIr


PBEFB 1


A VITALICIA:
A VITALICIA:
A VITALICIA:


S-o itltr alipare da Vetice.
I amathor iduta adtfsdade.
suo mthef atKxilo a itnz orphauat.d


SEDE:-RUA BARAO DA VICTORIA N? 19-?IANDAR RECIFE


I


S. ...I. ."-,


~


.4".j







J
!


_I____ _n_


... *, 7 .






I


0 FPBATE 4









- .. -M,


JASIRO CAPATARIA
O .R. PERSEVEPANQA

INC INA*ro VA IEsta sapatara se encarrega de
INCINATO SI V A qra'qrer trabalTo to'os em couro e
Vindo de Garanhunr, esta'Co de Fr garante aos sens frgieses obras qu.
nainhucn, acha-Ze estabelecido ne-ta pr-.- nio se pvdem desejar melhores e de
ga corn nm complete e variado sortimnento re-cos rasnaveis.
de fasendas e inereadorias que vende por
pregos sem comptt -ncia, i contento me-nmo Iren'o Cabi'l de Oliveira
do mais exigente freguez. RRua do Cruzeiro n. 1085
Utna visit, pois, a LOJA ESTRELLA
de Cinaemato Silva, Rua Padre Cieen,
n*. 329. ,
---- MERCIARIA

PARMACIA CARVALHO OLvEIRA & NATIM
Ha nesta conee'tnada pharmacia uiI' 0proprietarTo dete acreditado estabe-


variado sortimento de drop-2s e products
chimicos, especialidades pharmaceutica-
nacicnaes e e.trangeiras.
Aviam-se receitas f qualquer hora corn
promptidio, cnidado e asseio.
Rua Padre Cicero no. 41.


0 BARATEIRO
?:anoel Vietonno da Silva, corn duas
lojas bem sortidas de todos os arti o" de
Cormknercio, Runa Nva, n. 996 e R
P.idre Cicero. nu. 2-.
Preqos sem competen'a. easto da ca. ital


A rIU'Im1 AR D


le-imento tendo recentemente chegado da
ncpital do e-tado a-jisa sao sens innume-
roe freg@ezes e ao public em geral qae se
achl eon n-n co.-nleto sortimaento de
mer2adorias nacionnes, extrangeira:; -alva-
10o. moias,para homes e senhbras,snspen-
seorios, ca ieias de aluminimn, redomas,
extractos de dirernas qnalidade3, brillhan-
tinas. oleo d- bahaz para o cael'-o; bi-
bidas de d:ver,-as qualidades, eonservas-
Jocees, eop-s d. phaatazia, bico renda-s,
sntaxes gr -gas. Ate etc.
Taulo A di.i'3:ro a vi-ta e por pre'oQ'
modieos. 0 PROPRIETARIO
OLIVEIIA & NATIM


I mUm


% a rwvP S -OSE L.--.A NIM
j .oa de faendaz e ontros artigos de aos sns frg qe cheo
.a e Avisa aos s-us fregneees que eehgou urn
- t cmmerceio vendas pelo ensto no empenuo
merc. vendas p st no empeni grande sortenmento de Vinho do Porto. Mos
-rtdtt apurar o capital emopregado. ...
r o capital empre o. eatelSuperior, Santo Antonio, Cognac,Ver-
fre z procure na Rua ".\Nova Ar ca mcte, Vinho de 3'.ssa. Geroiia. Sqerrr,t de
S n". 55 e na Rna Padre Cicero a loja ni. iplo, Aguardente de Caja. de LIma
30, q ser servido a media de de- Canna: Cigarros TnpyLa Morena, Bostoe,
Como Sao Bonm.de Palha, as Qnatro Ligas,
Populares: d3ce Pesqaeira=-Jos4 Facanha;
S, Manteiga Bretel, Excellente, Papagaio, Pi-
D- IS I R A 0 S anhy; Banha de poreo em lata.

9 ..e r Tndo por prer os modicos
"' Lojs d& famida,. ferragens, e estira.} u .ro. 62.
a Ptag& da Obardade, n*. 972. SP erno-
da-de de negoeio, modieidade de preaos e R ------
affabilidade de freguesia.
Diomedes Siqueira & Irm2o. C C% S A>C
Jeronymo Franc'sco de bIma
tomn, nesta localidad=:, a venda, dnas
casas de taipa cohertas de telha,; ma
S Officina complete de todos o artefaetos sita a Rua de S. Francisco e a ontra
( e iatesilio em aandre, coa grande sorti- na travessa da Rua Novapelaprimei-
S "ento para vendas em grose e a retalho. ra pede 200:000; pela segnda 180:000
Si aeharem oetro barateiro, nao ha de !
ser tanto como o proprietario JoAo A.-toni A'tratar'na RUA DO CRUZEIRO
Furtado. _
Prga da Liberdade n. 978.
FARINA DE
-- MANDIOCA
A ( J Jose Alves da Silva, avisa aos se-
l^ JH na fregueses e ao public em geral
L que tem'em deposito grande quanti-


de fazendas mereadoriss e-tivas, ferra-
gens, ehapeua. Tendo recebido do Ceara
um eompleto sortimento dos artige aeima
mencionados que sao vendidos par pre-e
L sem competenc, convida todo o public
a,-fa f z ,r uram visit a dito estabeleeimen-
que se eertifiear do que e affirmado.
VERDADEIRO QUEIMA!
APROVEITEM! APROVEITE31!

f. Joba Baptista de Oliveira.
ERa Padre Cicero No. 336



"SAPT-ARI A



-i n -a dwe 0


lade de uFarinha de Mandioca- de
primeira qualidade, e -VENDE A
DINHEIRO- em grosso e a retalho
A preqos BARATISSIMOS.
RUA DO PADRE CICERO -N? 301


BUP '0S D


ORATO


I ASAS

no. 65, grande, com bonds commodos pars
nnmerosa familiar, A 10$000 rs pagamentoi
A trimestre adeantado.
-Aluga-se outra casa, na mesma'Rua, n
118, corn boas proportbes e muito commo-
do, a 155000 por mez, pagameutos A tri-
mostre adeantado
A tractar na Rua Grande, sobrado n0. 6i
corn J. J. T. Marrocos.



NOVA PHARMACIA
Cel. Theophilo A. de S. Cavalcante.
Tendo mudado a sua Pharmacia da
Trave.sa da California no 41 para a rua
D'. Nogueira Accioly, prodio n. 33, com-
munica aos suo4 Am*'. e freguezes qne
continue da mesma forms esforsando-se
para bem servil-os, esperando por iseo,
merecer a continuaefio de suas estimada
orde1ns.
Crato 12 de Janeiro de 1910


ATTENCAO
Casas, S t'o, fasendas de gado
u.:-te munic pio no termo de Sant-
Anna do Cariry it vender.
Jose Rodrigues Monteiro tendo de
: -tirar-se'desta cidade no intuit de
procurar na Europa alivio a-sna
,sande sempre alterada, declara, a
quem enteressar, que estao expostas
a venda todas suas casas nesta cidade
e suas fazendas de gado neste muni-
Sciplo e n termo de Sant-Anna do
Carry ve &is um sitio no mesmo rc-
ferido termo denominado eQueimar.o*
corn engenho de ferro e casa propria,
casa de vivenda, tudo de t.lha e
segnra construnao, corn nrna peqnei a
nascensa e aQude de pedra e cal, corn
cannavial para dusentas cargas de
rapaduraa, possuindo extensas mattas
corn madeira de construa&o: outro
sim pede A aquelles dos sens amigos
que tern corn o mesmo negocio,
queirAo por bondade satisfaser sens
compromissos, nma vez que tem de
ausentar-se por tempo indetermina-
do e ter de prover-se de recursos snf-
ficientes.

! Crato, 26 de Outubrd de 1909

Josa Rodrigues Monteiro



0 CRATO
CILEGANTE
DE
A. BELEM SOBRINHO


Grotifico bem a quem me entre- 45--RUA DO COMMERCIO-45
gar am poldro rosilho que desappa- CRATO--CEARA'.
receu na serra do Araripe --sitio
Queimada Grande, corn a ueginitel Eabelecimeto deFasmda. 'nas
marca e freesia Ni dezas, Novidades, artigos de useo do-
Quem o. encor mmeti'o, Alta fantasi, &, &
Quem o encontrar -Ap Escialidade em: artigos pars
pode en- tregar re- hbomene e senhoras; objeetom par presen-
dato d' O" Rebate t" e perfumaria finisimafl
on em minha residencia:- Preoos sm petido
Serra dos Asedosd Diuheito A vio
Pedro Xavier de Araujo


EdONOMISADOBA
PAULISTA
CAIXA INTERNATIONAL DE PEN-
SOES VITALICIAS.
Approvada po%.J)ecreto Federal, corn
deposit do garsa& no Thesouro Federal,
proporcional ao capital de pensoes de mil


BARBALHA

0 rel don depuraativos


Preparado por &iIwo Josa da Silt,


contos de r is. j Approvadopels anspectoria do Hygiene
Registrada na Junta vnmercial do do CearA e antorisado per docreto do 9 de
SAo Paulo. Novembro de 19o9.
Sode em S. PAULO: RUA S. BENTO, 63 0 Rhcumafthmo em qyulquer period ou
(Antigoescriptorioda CompanhiaMogyana) phase energicamente combatido; Syphilis;
Filial no Rio: RUA 7 DE SETEMBRO, era de qualquer naturesa molestia de
113 modernn) pelle; Escrofulas; -Canercs e qualqer mn-
(ENTRE GONQALVES DIAS E AVE- lestia de origem veneria; no ELIXIR DE


8 NIDA CENTRAL)
EigRE"TOPI.
PRESIDENTE-Senador Luiz Piza,
Senador Estadoal ex-chefe de Policia e
ex-Secretario da Agricultura, do E. de S.
Paulo.
SECRETARIA---Commendador Leoncio
Gurgel, da firm Silva Seabra & C'., da
Fabric de Teeidos S. Bernardo.
GERENTE Dr. Claudio de Sousa, me-
dico e industrial.
TIHESOUREIRO-Dr. Gabriel Dias da
Silva, advogado, capitalista, director da
Companhia Industrial de S. Paulo e da
Companhia de Popos de Caldas.
*conselho FIAil
rxmo. Snr. Conde de Prates, Director
do Banco de Sho Paulo-Exmo. Snr. Co-
ronel Fernando Prestes, vice-presidente
do Estado-Barao de Dnprat, director da
Companhia Industrial de Sao Paulo=Dr.
Rodolpho Miranda, proprietario da Fabri-
ca de Tecidos Arethusina, de Piracicaba
e deputado federal-Dr. JoSe Alvez Dima,
medico e proprietario-Pharm. L. Pinto
de Queiroz, da firm, L. Qneiroz & C.
fproprietario da Drogaria Americana e
Fabric do products chimicos) Dr. Pedro
Pontual e Dr. Victor Godinho capitalistas.
A ECONOMISADORA PALISTA g
uma sociedade mutua, com fiscalisa"as do
Governo, eujo fim 6 estabelecor uma REN-
DA VITALICIA mensal, em dinheiro, aos
seus socios. Tern duas caixas, a caixa 'A
e a caixa B.
Os secios da Caixa A pagam 5$000 de
joia e 2$500 de mensalidade e tem direi-
to, no fim de 15 arros, a rr a 'nao que
ano serA maior de 150$000 por mez.
Os aocios da Caixa B, pagam 5$000 de
joia e 5$000 de mensalidade e tem direi-
to, no fim de 10 annos, a urma peso que
nao podera exceder de 100$000 por mez.
No caso de fallecer antes do 'ehegar a
receber a pensao, a associacgo pagara aos
i seus herdeiros necessarios todas as con-
tribuic~ea que elle tiver feito, sem jurors.
Dando-se o fallecimento depois quoe o mu-
tMario estiver em goso da pensao, esta sfi-
carA extineta, sem que sos seas herdeiros
assist qualquer direito.
A pensito serA paga so proprio indivi-
duo, on saoleu procurador legal, on per
intermedio de qualqnor Banco, quando o
mntuario so aehar no extrangeiro.
O socio eontribuinte em dia, que ficar
impossibilitado de proseguir nas suas en-
tradae, depois do cineo annos de associa-
ca, em conseqaencia do molestia chronic
e inenravel, que o inhabilite parsa o tra-
balho, sera eonsiderado suspenso e nao
perderA direito.',a pensao.
Os pasamentos anteeipados de 1 annsmo
zam da redunego do 50 o/o, 0o paamentos
d 10 annoS, 20 o/o e os pagmentos de 15
annos, i15o/o.
0 mutuarie que se insecrever um mez
antes do sorteo io o tiver a sort de ser
premiado, papA aspoae pmoe mai r ie
tera direito a vam~t peio par today a
sma vida.
At4 desembro foram sorteades eineo
oardernetasg o 0ueia no perW odo nove
mmss. A ECONO U8ADORA 4 ai
que fas srteiaede dois .m d &k mams .
am grande sorteio aso 1 -.tal I
Soelo inseripto do abril doe 908 a
Jfaeiro 1909:-3i0M. Neuhuma outra so-
eiedade obtev tel maumeo &is moeos nO
sens p mimeiru Mag .
nefts e. inforiwagOes ainiuou Aso
Reprsentante no Crato,

Jw 8aru


CANINANA enccutram a sna cura certa
e rapid
A vends nas Pharmacisa e no deposit
geral. 'harmacia Silva.


XAROPE

Jalsamo de Tolu e Eucalyptos
Composto. e preparado por


Manoel Candid., das Dores
Muito util nos intommodos do apparelho
pnlmonar: Tosses, defluxos, I-rochites, la-
ryngttes asthma etc. A venda na
Pharmacia Jos4 Candido Rua do Video 21



DEPURATIVO CANDID 0O

preparado pelo boticario Manoel Candido
das Dores, e de provada efis ,cia nas pe-
rigosas affecpes boubaticas, syphiliticas,
escrophulosas e darthrosak
E o grande desalojador dos humores vi-
ciados e o poder6so-eliminador de todas as
doengas perlinazes que [tem sua origem
na impuresa do sangue.
Unico depesito na pharmacia Josd Can-
dido, na Rua do Vid6o.


PHARMACIA SILVA,
de Silvino Jose da Silva, na Rua do Com-
mereio, n. 8; tem nm grande e variado
sortimento de drogas, productos chimicos
e especialidades pharmaceuticals.
Despacha os reeeituario corn medica-
mentos de reconhecida pureza e garante
aceio, presteza e modieidade de prefo.



BURRO SUMIDO
Desappareceram de men sitio nm
burro cardao e nma burra eastanha
qnazi preta ambos corn esta marca -
e com a segninte freguezia



Quem der noticias certas na Redac-
Ao d'10 oRebate ou vier me entre-
gar ditos animaes, serA gratificado
generosamente.
Barbathsa, Sitio BrejAo, 10 de No-
vembrolde 1909
Joso Demosthenes Fernandee Vieira



MILAGRES



CAVALLO SUMIDO
Un cea.U ewrddo rudsde, noow, mai-
Ut Uone, teiro, &ec4, oa m -es.

Marca j2 f e Ribeira

0s*a oe~w ~reeireg 8r. M^
Kv gwfss ~y rmag a.


C .. ~ lirl i -4--. 0~Z;;..-~


Ji


~~fy~i~PCii~L


I
1