Rebate

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Rebate
Physical Description:
Newspaper
Language:
Portuguese
Creator:
unknown
Creation Date:
February 20, 1910

Subjects

Genre:
newspaper   ( sobekcm )

Notes

General Note:
Newspaper issues from the personal collection of Pe. Cicero Coutinho, Juazeiro do Norte, featuring articles on Padre Cicero.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Holding Location:
UF Latin American Collections
Rights Management:
All rights reserved by the source institution.
System ID:
AA00001672:00031


This item is only available as the following downloads:


Full Text




.1:


,.


a
ii.)
I -~**
l~' /


CEARA-BRAZIL


* -, --- .-- -


* vuivitivairUMU 1


, 0 AN
NO 1-NUM.


* *


A .TXIT^ -I UTTTi X V I


EXPEDIENTE


0 *REBATE- publica-se semanalmente
REDACTOR=CHEFE=Padre Joaquim
de Alenear Peixbto.
GERENTE =Felismino P. de Alencar
ASSIGNATURAS
Anno .............. 000
Semestre ..... . 3500
PAGAMENTOS ADIANTADOS
As publicaqoes de interesse partiuenlar,eu
annuncios dependem de contracts, send
o pagamento adiantado.
A reda~e o no responsavel pelos ar-
cigos inedictoriaes.. nem pelas publica-
t6es alheias, assignadas.

Acceitam-se artigos de religiio, sciencia
litteratra te. prhenehendoas condiVes
tIle nowso prbgramma.
Redselo, gerencia e typographia-Rua
Padre Cicero -n.*343.


JOASEIRO DO CARIRY
...----- -- > V- r ------- 1

QUAL 0
RESULTADO?

ha duvidar.
A' semelhangad'uma ndu que
perdeu o leme, a Republica dos,
Estados Unidos do Brazil tern
sido levada ao acaso por mares
tempestuosos, vegados.


vissimos, em verdade, os males
que, corn a Republica, tem affli-
gido o paiz.
0 governor, disem por ahi, e
alim, o governor tern sido uma
especie de transacso commerci-
al, um vil mercado, um contract
de compra e venda; mas, ainda
Ihe fasem honra; o governor tern
sido a traficancia, a infamia, a
corrupcao, a miseria, o despo-
tismo, n'uma palavra, corn todo
o seu cortejo polymorphico e
sombrio.
E ndo podia deixar de ser as-
sim.
Ah digam-nos li em que da-
ria um governor em maos de ho-
mens sem criterio, sem presti-
gio, sem dignidade, sem c ara-
cter, sem amor, sem dedicacao,
sem patriotism, sem f6, semere-
ligiao e sem Deus ?
Mas, continuemos.
Os partidos, une-os a brutali-
vdade da forpa, mantem-n'os a
dynarmica do terror que inspiram,
que tern sabido inspirar os domi-
nadores da epocha.
As opposicqes, para dizer tu-
do,ndo tern direitoalgum; compri-
midasem um circulode ferroaque
condemnaram n'as oq tyrannos
da estu'fa de Tigelino ou Tibe-
rio, apenas raspam a guella, dan-
do signal de vida.


Os que, pela fraude, pela trai- Os comicios nao passam de
cAo, pela violencia ou pelo des- tremedaes immundos a' golpha-,
potismo, se tern elevado as ci- rem lamas.
mas do poder, nao tem sabido; Os tribunaes e a magistratura
guial-a, nao tern .ido capazes de! volveram-se verdadeiras farsas
afastal-a dos perigos que Ihe 2- theatres.
meagam naufragio. O lovo contin6a afastado de
Por isso, e que temos retao- todo o direito.
gradadotanto; per itso e tern a- A imorensa tornou-se o echol
minhado para traz tantos os in- miseravel d'aquella segunda voz
dividuos, como os po\os. que em soaho ouvira Guttenm-
H., corn effeito, ha vinte an- berg, e t-mos dito tudo.
nos completes que nos sentimos A consciencia escravisada, e-
amesquin ads a vntms de descala- scravo o trabalho.escravo o com-
e nos descalabr s de degrada- merco, escr-va a industrial.

bao em degradaces, de miseria As maiores e as mais pujantes
em miserias; ha vinte annos que voca6oes individuals acantoam-
todos v.vemos na mentir-',na cor- se como a Niobe cercada de se-
rup.o, no desespero,noodio, na us filhos mortos e lacerados.
dor, nos horrores de toda a espe- As nullidades premiadas corn
ci:; c poresta senda formidavel, o poder; a constancia e a mora-
aberta pelos primeiros magistra lidade corn a prrseguigio e corn
dos da Republica, corremosdirc- o despreso.
ctamente ao abysmo. Morta a antiga sciencia de que
Sensato, o home que so ndo fallava Socrates no dialogo de
deixa levar por apparencias,nem Glacon, a nova ainda nao veio
por aquillo que Pott chamou- ai luz.
disimuaela; serio e reflexivo, A litterztura, ji o disse, nao
o home que, se nao content sabemos qu<-m, a litteratura li-
de, como os i iaminados, consi- mita-se a um mero divertimen-
-derar o bare cloth das cousas, to,-a copia da realidade gososa
sente-se penetrado de dor, tre- a cantar, a enfeitar corn os bot&-
me... e nio pode deixar de tre- es de rosa do idylio, cuidzndo
mer pelo fu:uro da patria ama- sedusir assim mais 4 seu talante
da. o positivisno do suffragio,-um
Tristes, desesperadores, gra mundo ql Deus e os homes


serious e reflexivos amaldigoam-
n'o.
E, assim, em tSo supreme cri-
se, os caracteres mais e mais se
robaixam, e a sociedade mais e
mais se dissolve e se abysma.
E nao ha, por ventura, uma
esperanca ?
Esta geragio actar-se-k con-
demnada a arrastar eternamente
a cadeia de tantos infortunios,
tantas desgramgs, tantas tortu-
ras. tantas angustias, tantas mi-
serias, tantas lagrimas, tantas
dores, tantas calamidades, tan-
tas?
Nio! por isso, porque esse
movimento que ora se arrasta,
como uma tempestade, por todo
o paiz, estonteando homes e
desnorteando' cousas, 6 o des-
pertar d'uma epocha promisso-
ra, e o raiar da aurora desse dia
almejaJo para o julgamento dos
maiores reprobos que, de memo-
ria de home, tern tido o paiz.
Sim! atravez da progira bri-
lhante que se eleva da arena po-
litica, onde se digladiam a pen-
na e a espada, Ruy Barbosa e
Hermes da Fonseca, cada um
disputando para si a tremenda
responsabilidade de govertnar
homes; atravez da coleuma que
se levanta estentorica do lado
de um e de outro; atravez das
opini6es que se definiram arregi-
mentando partidos; atravez de
tudo isto, nos lobrigamos uma
esperanca de melhores dias para
a nagao brasileira.
Es::a esperan'a. dentro em
pouco. oxal4 que st adense e se
volva realidade no infinito do
tempo e do espago.
Essa esperanca, porem, si, co.
mo outras m'jitas que alimenta-
vamos sobre a grandesa e pros-
peridade da Republica, essa es-
peranga, si, desapparecer co-
mo o fumo d'uma alampada cue
descrevendo espiraes se fund
no vacuo. o resultado se nao
farA por muito esperar...
Mas, qual o resultado?
A revolucao! a revolugao pe-
]a mudanga da Republica, ou pe-
la reform, pela revisao de sua
constituicgo.
--*^wwww *

Telegrasmama

0 nosso Exm? Amigo, o Rvd?
Padre Cicero acaba de receber
do Rio de Janeiro corn a nota de
rg;ente o seguinte telegram-
ma.
Revd'"". Pe. Cicero

Em nome da Juncta Nacional te-
nhu a honia de pedir vosso concurso
nm prol das candidataras civis.


Sabemos bem o valor de vosso
Concurs nessa regiAo brasileira e
temos noticias de que podeis ser um
esforqado combatente de nossa cau-
sa.
Desejamos ter affirmaio de V.
Revdm? para terms certesa do facto
em todo o Brasil.
A agitaio pela candidatara do
Ray e do Lins s6 esti tendo excep-
gio no Cear,; e por isto o concurso
de V, Rm. sera de immense valor.
Segundo as noticias que temos,
em todos os outros Estados ha forte
movimento civilista e consideramos
certa a nossa victoria.
Ruy Barbosa partirA amanhl para
Minas Geraes, onde 6 esperado corn
festas principescas.
0 Secretar;o da Juncta
Cincinato Braga


X-3

in b


Reproduzimos n'esta colum-
na a photogrrphia do aConsuly,
o celebre macaco (chimpaz4)
que actualkoente se exhibe no
Hyppodromq de Londres e tern
um ordenado de mil- dollars por
semana.
aConsul e uma mar.v:lha ou
para melhor diser e um genio de
sua especie.
Este macaco e capaz de tudo,
menos de fallar.
Toca b-mn piano, veste-se
corn certa elegancia,observa me-
Ihores maneiras, tern mais com-
postura, mais sentiment. mais'
brip; mais vergonha e muito rma-
is educagco do que certos typos
do que certos rapazolas d'Equi
do Joaseiro !

S __
V.
*

IAW
xaos


Nao se pode ser hoje ingenuo,
e pastoril, por mais que se'quei-
ra-a nao ser por um for9ado
convencionalismo!-n'um seculo
em que as fldres do Mal flore-
scem tanto -nos terriveis parques
simetricos a ingleza do, indu-
striaes indinheirados, como na
trapeira florida da costureira
gentil, que trina as suas cango-
netas, ao sol!... A Arte, para ser
sincera, tern que modificar-se
gradualmente corn as evolu 6es
das edades!... JA se nao podem
fazer idilios c6r de rosa, como os
Pastores de Florian e de Wa-
teau:ou comoosvaqueiros liricos
de Rodrigues Lobo ou de Gon-
zaga! ...
Nao: nao podemos ser inge-
nuos n'estes tempos de positivis-
mo e do kantismo, como nos
bons tempos limpidos das pasto-
r es!.... Sejamos, pois,ao menos
verdadeiros.
Assim monologardo comigo
proprio, penetrei n um teatro, si-
tio onde aliAs'raras vezes pene-
tro, pois que me causam nause-
as e engulhos t6da a burgueza
dramaturgia moderda. ( que u-
nicamente representarA o nosso
seculo, o que o caracterisarA,
nas humanidades poster:ores,serj
a comedia de costumes. De re-.
sto o que e que importardo aos
seculos vindouros, as hurnmnida-
des esparsas e conscientes, as
nossas pequenin *s paixo6e de
burguezes, correndo sempre a-
tr.z do seu Ouro, vendendo os
seus algod6es crus?... Emquanto
o homem-mas j4 liberto com-
pletamente dasne,:essidades ma-
teriaes-ndo lutar exclusivamen-
te pelo Ideal, a humanidadenao
tera interesse estetico, senfo co-
Imw u1n grande foirmigueiro.
Onde estdo ds dramas que
descrevem as tragedies do cdre-
bro: as lutas e os suores dog in-
ventores: as perseguic6es dos
genios: os sobresaltos dos .rti-
stas perante as suas hereditaHas
taras: as insonias suarentas de
Betowen: as alucinac6es musi-
caes de. Chopin, Paganini ou de
Berlioz?... Nada! 0 drama mo-
derno urma coberta obscena do
retalhos-feita de facadas, vio-.
laqdes, e de adulterios. B' certo,
6 mais que certo que n6s nio
pudomos jA ser idilicos, ingenu-
os e pastors, a boa moda ance-
stral dos nossos Av6s simples-
mas sejamos, ao menoseverda-
deirbs, com ml raios !...
Repisando isto a dentro comi-
go mesmo, eatrei po-s no teatro,
nde se represe itava u:na ft-cau


*


* ~


'I





*1




I




'I.:


AffuI


-----


4
-- -r -.F,
... .. .. .: ,- *^ ,^



^., --'. .?8 i ,(! tiii .-' : ,$ <


r-


SrS
























MARIO EM MINTURNO

Tem no seblante a daz e peasativo
E no prefando lbar relJampejante,
A ageftade do Ieo akjjo
E essa fereza d'aguia almirolaate.

No oan de voz alt:loquo, incisivo
Encerra ease fragor tonitrante
Que enche de medo, medo atroz e vivo
A ariscrascia vii. torpe bacchante.


p


da, cahiu em horrivel contraaic- -
gao. Vae entretanto em fans tra"pasal-o
E p'.ra admirar a confusio De am golpe i' rem d~~Fiie-o .;
que S. S. estabelecen quando es- U'm temeroso e ngaid A_.. i -
creveu semelhantes artigos.
Ora, dizer que et :,inm do ser- Em att t .de olympie :
t7o da Baha, menosprezand mi- Mario.oan Mario: e o campeio de Roma
vha clinic. e abhndonando a mi- IDe=a cahir a launa aniquilado.
nha jamilia e a minha patria, Bso BARBOSA.
,eduzido pelo rellacin, do CoxA, R
quando sabem todos que o meu
unico intuito, nessa occasiao, foi
libertar um amigo de um laI, matico, comprometter-se, ne- do que, muito mais ficil se torna-
dfamante, compromettedor de gando o que affirmava ria, como se tornara.a referida ne.
sua dignidade, e salvar, pelo mes- Acho que deve evitar a repro- gociagao d'ellas depois de ini-
me mctivo, os proprietarios da dacgad de actos de tal ordem, ciada a exploragdo; e mais, corm
referida area, do enorme prejui- porque o public podera chegar a vantagem de serem melhor
zo de perderem as suas terras, d cnvencer-se de que as affir- vendidas ou r.egociadas. pelo fa-1
usurpadas por desalmados explo- mativas e negativas de S. S. sao cto de ter, assim sendo, a com-
radores, 6, de facto, querer, por passiveis de mutaq6es reciprocal, panhia exploradora, seguro co-
extravagante gosto, tr.thir a ver- pur co aveniencias de qualquer nhecimento, pela exploraqio, da
dade, collocando-se, sem neces- ordem. pot-ncia real da mina.
sidade, no piano cos ir:eflecti- Admittamos, Rfern, a hypo-1 Accrescia a circumstancia ain-
dos. rhese, e que, de facto, outro nao da de que as terras que nao con-
Lamento que o illust.e a-ticu- fo ;se o meu objective senao o tivessem o referid m i n e r a
lista nao tenha podido aindf co- de, pr seducao .pelo vellocino4 dariam, como darAo, caso consi-
nhecer o grio de nobrezi do sen- do C,xd. conseguir ambiciosa- gamos algum negocio, sufficien-
timento de amizade e o valor da mente certo lucro no negocio que tes lucros aos seus proprietarios,
lealdade de um coraqio amigo. pode;semos realisar cornm a refe visto como, a lavoura d'ellas re-
Eu, por exemplo, seria inca- rila area; c que para tal fim eu sulante,seria,como sera. consum-
paz de assim me extern-r para mewno. .re:aA.e a minha clinic, mida como indispensavel meio
corn S. S; porque, a:nem de nao abandonasse a familia e a raminha de subsistencia para os respec-
consideralao tao egoista, sou d'a- patri,. tivos operanrios.
quelles que costumam a julg.r Pergunto:-que crimnu comrn- A' Villa de Aurora ?
os mais por si proprio. metteria assim procedendo ? ,ambet tole, porque, pela
Mas, o que me tem causado Porventura ser crimins o distancia de treis legoas do Co-
mais admiraaIo 6 o um Snr. Ma- home que se esfor-a par or- I xa, sendo, em breve, ponto obri-
jaor Aquino, nAo mais lembrar-se ganisar uma empresa, cujo resul- de estrada de ferro, productive
de que, quando nos encontramos tado sera. mais um elemento pa- como 6,continuaria a florescer co-
pela primeira vez, no Crato, em ra a ordem e o progress do paiz; i mo d'antes, renascendo fiorescen-
didsde maio do anno atrazado, tornando terrenos estereis sem tecomoera,cheia de vida,antes da
emacasa de negocio do Ill':? S nr. nenhum valor, em condicq6es es- hecatombe do anno atrazado.
Coronel Antnmio Luiz,uigno che- pecialmente vantajosas, conhe- Ao Cariry ?
fe politico d'essa cidade, e expli- ciJos ro estrangeiro; despe tan- A Muito menos, porque, pela
quei-lhe a minha attitude,---que do o esperito do povo para o tra- rmaior somma de recursos e ener-
era a de libyrtar o meu amigo; balho util e compensavel; trans- gias dos seus habitantes, muito
conde Aadlpho das responsabui- formando, enfim, a lethargia im- niais lucrariam e lucrarao em vi-
dades que o torturavam, para productive do sertanejo desani- sta do maior cunsumo dos seus
depois, si possivel, ,:uidar de u- m .do em agitacao productora ? products.
ma seria organisaa'j, externou- Sera possivel que S. S. ainda Ao Governo ?
se para commigo de um modo en queira desconhecer a efficacia Nem se pode commentary, por-
comiastico, proferindo palavras de minha tentative, mesmo na, que, tao bem representado pelo
animad6ras. hypothese de ser ella a conse- venmrando patrota, o egregio
Entretanto, hoje, descabida- luencia das minhas ambig6es ? President do Estado, o Ex,!'?
rhente, affirma o coatrario. E' muito different a ambigao : Snr. Dr. Accioly, muito Aso con-
Uma das duas:-ou n'essa oc- d quemr quer para si somente. trario, sentir-se-mia, como sentir-
casido, sem me compreheader, d de quern quer para si e para se-ha, muito mais feliz, vendo o
somente para dizer alguma cou- os outros. sertao do Ceari, simulcaneamen-
sa, S. S. inconscientemente ap- A quem poderiz -.u prejudi- te concorrendo coam os dos dema-
piandiu a minha attitude, e as- car ? is Estadu.,pelo trabalho,para a
sim, serm nenhum val6r foram oas Aos proprietarios da area Co- sua ele'vagao civica e financeira,
applausos que me dispensoi; ou xi ? do que contemplar,com desgosto
entio, bem me comprehendeu, e Nao, porque estes ficariam, co- a contnuaiao da ociosidade pre-
sinceros e consciences foram os mo ficaram, coam as suas terras judicial e perversiv4, que s6 per-
referidos ap|plausos. legalmente demarcadas e dividi- mitte luctas e,consequentemente,
No primeiro caso, portou-se das, sem gastarem um real, si- o desiquil brio moral e politico.
mal, porque, .sern teflectir sobre quer, sem serem pertubados no A quem pdeia eu mais pre-
o que se conversav.,externou-se gozo e isso d'ellas enquanto nao judicar?
intempestivamente; e no segun- fisemos qualquer negociaoao; e S. 8. em ultimo recurso, po-
do caso, portou-se muito peior, cornm a maior vantage :inda,de, deria dizer,simulando certa com-
porque, reconhecendo a possibi- findo o prazo estipulado nos con- paixdo, quo eu prejudicaria aos
lidade de,por circumstancias par- tractos existente nenhum nego- RevT'?. Padre Cicero e Pe. Au-
ticulares, near o que affirm.va, cio conseguindo, ficarem elles gusto e ao Oonde Adolpho, pela
devia ter mais pruuencia, nao se corm as referidas terras nas con- mA orientagao que tenho dado
revelando corn tanta franqueza. dicq6es em que se acham,isto e, ao negcio.
Eu poderia admittir que S. S. demarcadas e divididas, sem ne- Ainda assi, no teia curs
nao me tend comprehendido, nhum obrigacaode nos indemni- 'a a asscm. no tenna curso ,
n'essa occasiao, hoje reiectisse zrem. qut accusaafido, tanto quanto eues
mal, porque, bem conhego, o er- Aos proprietarios do Riacho quas mesmas amarguras, as ues-
rar d do, homes; mas, o que s. de Antas ? as injusti as, a d e nunca te-
torna inadmissivel, r S. S. ter Tambem nao, porque, grande rem se queixado a S. S. de que
bern reflectido e melhor me pate das terras da reterida area, estavam arr ependidos de conti-
comprehendido, e hoje por simr- do mesmo modo que as do Coxa, nuarem a grande obra inici~da,
pies capricho, de modo syste- contemn o mineral cuprifero, sen- reconhecern (sem qlue pama isso


0 REBATE


prir os deveres de Promotor do
Crato, cuidar de lavoura e crea-
vao na fazenda que possue em
Sant' Anna e advogar em Mila-
gres, nao comprometteria, poar
ibandono, estou certo, a causa
dos seus constituintes, deixando-
a correr ai revelia.
E' preciso convencer-se de que


quando disse, tambem no mes-i
mo period, que et. viin do er'-
to da Baha sedazido pelo vel'o-
ceno do Coxd, affirmando, conf,.r-
me jd citei, qae ultrapasei oz li-.
iites do deer de adeogado, o- \
phismando caiwlaszeene, d4s-:
tvirtuando facios e &funmiando a
verdade para jstificar o meon
pro *eddmento.
Na primeira hypothese, tor-
nou-se incoherent; e na segun-


accnsao5e5 e censura contra a administra-
V~io Eaadoal do Exnm*. 8r. Dr. Nogaeira
Accioly.
-Publicou sob a rubies Ejtrada de fnr-
ro o seguinte telegramma.
cel. Antonio Luiz
Congratalax.so assinatura enntracto E-
stradas de ferro que sorviro esasa cid.alJe
de accordo meu travado.
Jvdino arrisn o


eu Ihes supplique) a minha in-
Steira lealdade e o elevado gr&
de abnegaa.o que tenho revela-
do. Quando muito seria eu o uin-
co prejudicado; mass neste caso,
soamente eu poderia me queixar.
Si anca me queixeie, mnuto
ao contraio, me sinto satisfeito,
visto como estou cumprindo c
meu dever, trabalhando pelo en-
grandecimento de minha patria,
pela seguranca dos principios da
ordem, pela prosperidade do po-
vo, enfim, pela perfeiao do meu
esp'r-to-o mai r es forgo que
todo homem deve *empregar, in-
subsintente seria, como igual-
mente serd, toda e qualquer ac-
cusagao.
Portanto, se convenea o illus-
tre cavalheiro, Snr. Major Joac
Baptista de Aquino, de que, sob
qualquer prisma que entenda de
encarar a minha attitude, serai o
brigado a reconhecer que tern si-
do nobre.
Quanto A supposivao que S.
S. faz, de que eu menosprezei
|minha clinica, abandonei miaha
Jamilia e a minha patria, e sim-
plesmente falsa, naotem nenhum
:fundamento.
Nao menosprezei minha clini-
ca, nem poderia fazel-o, pois foi
a carreira que abracei por voca-
9 ao, conseguindo-a devido aos
meus esforcos e da qual tenho vi-
vido, gragas a Deus, corn muita
altivez e alguma independancia,
ate hoje.
0 que eu fiz foi o que faz to-
do home que nao se julga por-
tidor do venturoso dom da ubi-
quidade, isto, d, poder estAr em
todos os logares na mesma occa-
siao e cuidar de todos as cousas
ao mesmo tempo.
Bern podura comprehender
que tendo eu me compro-nettido
a derigir os distinos da causa da
referida demarcagao, que se pro-
cessava no foro d'esta cidade
(Milagres), necessariament en'el-
la deveria me achar.
Mas, ne!n por isso deixei de
exercel-a, conforme poderao pro-
var os competentes livros de re-
gistros de formulas das pharma-
ciis de Barbjlh % e Crato; e tanto
mais vordadeiros d a minha affir-
imativa, porque S. S. nao ignora
que nesta localidade term vi-
ventes, os quaes, segundo a lei
natural, estao sujeitos por causes
tiplas ao desequelibrio no funcci-
ogamento dos orgaos e as res-
pectivas alterac6es patholigicas,
e,consequentemente,me procura-
riam,apezar de ser eu o mais hu-
nilde representante da classes da
que tenho a honra de pertencer.
0 que eu nao conseguiria fa-
zer, conforme ji citei, por nao
possuir o dom da ubiquidade, e-
ra-largarmente exercer A cli-
nica no Crato, na Barbalha, em
Missao Velha e em outras loca-
linades, e ao mesmo tempo, aqui,
em Milagres, chlnicear e zelar os
interesses dos meus constituiu-
tes e de muitos outros interassa-
dos, afim de cumprir o meu de-
ver, ra altura da minha dignida-
de.
Si S. S. nao entendesse que
simultane imente poderia curm-


* S. S. foi quem revelou menaspre-
zo--cuja signifigdo e--pouco a-
* preqo,pouea estima. depreciafto,
* d ec ,msidecraco, despre:o, menos
, cobo, etc, pela caupa que Ihe fo-
, ra confiada,-nao eu, que tenho
3 a segura intuigao da superiorida-
de da minha carreira e nao pro-
cedi de modo a setaccusado de
tamanha falta. :-
Felizmente, S. S. faz-me a ju-
stiqa de reconhecer que sou me-
dico, nao querendo,. rtanto, re-
i forgar o pequeno gt dos que,
por malicia, fasiam circular o
---* an...... n era diplo-
mado em medicine.
Tambem nao abaadonei mi-
nha familiar; apenas distanciei-me
d'ella desde Maio de 1905,ap6s
> a minha formatura, treis annos
antes de me emiscuir nos nego-
cios das minas do Coxt, afim de
luctar pela vida, exercendo, cornm
independencia, a minha profissao.
Ainda engan3u-se o illustre ar-
ticulista,neste ponto, e cornm a cir-
i cums.ancia aggravante de quer
abordar um assumpto muito me
- lindroso, e que nao tern nenhu-
i ma ligagio coma discussao sus-
tentada.
Tambem nao abandonei mi-
nha patria salvo. si no pensar de
S. S., eu, por ser filho da Bdhia.
; que e um pedaco do torrao bra-
sileiro, no Ceara sou estrangei-
t ro.
Tal pensamento revela um
patriotism estadoal nunca visto,
que tao somente S. S.. o possue,
corn raro egoismo.
Admittindo-se mesma que vin-
gasse theona tio estrivagante. e
que me fosse possivel concondar
que estava fora da minha patria,
tel-a-hia abandonado, pelo facto
de achar-me d' ella distance, tra-
balhando ?
Proposicoes de tal ordem, sin-
to dizer, nao tem o valor de um
argument.
Terminada a refutaiao do tre-
cho de S. S., que transcrevi, irei
transcrevendo os demais que se
referem aos pontos juridicos da
questao, afim de mostrar ao pu-
blico como o illustre advogado
foi infeliz na pretendida contes-
taMao dos meus arguments, con-
tradisendo-se em uns e confir
mando, em outros, o que plena-
mente afirmei nos meus artigos.

Continta
Milagres, -10-2-10
Dr. Flora Bartolomeu da Costa


S1B PRENSA
EAtCG ONAL
*CORREIO DO CARIRYD
N. 272 de Domingo 6. de Fevereiro cor-
rente, comeoa pele Aviso aos seus assig-
nantes em atraso.
SOs Telegra.mas fallam principalmente
da catastromve doea-P do contflictos,
das candidahras presidenciaes, de que
damos noticia especial.
-Falleceram na Bahia o deputado Dr
Leovigildo Filgneiras e a poeta Luis Del-
fino.
Todos os jornaes cariocas deploram tao
senaiveis perdas.
-A saubscripeo que se abrio no Recife
Para erigir uma estatua ao IDr. Joaquim
N aueo, j orga 58 contos de reis.
-Tracreveu d'A Unido da Parahybado
Norte o logo e brilhaute artigo do Dr.
Rodrigues de Carvllho respondeudo e re-
futando os conceited da Pefueua Palestra
onde o Dr Carneiro da Cunha ventilava


i


0 EBT


__ I__~_____


_I____ __ ~_






















-Rail de Carvalhe continuing rendvndo sou
culto ;" poesi.o e nos diz:
Amar e renitir d,-'goso
Desfazer-se o coramo...
Da ross do amor. cheirooo
D)aabrochar o 1,ottAo!
Mario Linhares, pelo contrario, exela-
ima Fiais e senate que do antigo amor ar-
ranea a extrema iAprecavao de urm nau-
frago perdido.
-A traoes oltos fax a critical acrimonious
do plo quo se vende no Crato, e diz que
o peior to =1m1o.
=0 CoreOiu d o ra noticiou que na seas-
i-o de 17deDesembro ultimo o Dr. Irineu
Mach ido fallon 68 vezes para obsiruir as
ot e paru sonente quando pla
mnadrugada fQi aecommnettido duma febre
gastriea.
-Foi preso o anarchista russo Paulo Za-
ros'hiu i no moment dq atir&r uma bomba
:tj.. .!.iiiin e contra un;i egrej Buenod
Avre-. Deelarow o reprouq- 0 dos oa
ar9histas % c aistaW eutso W
destruir tbr.4006io alta- A
Ferrer.
-0 Rei Affonso XIII, de Hespanha res-
pondeu ao representante do Journal que
o julgamento de Ferrer foi feito de accor-
do coin a lei, que nao poeia perdoar-lbe,
qaando com rei constituciondal nao pos-
Lue a ir.iciativa do direitode gra;a.
--No proximo Consistorio o Papa Pio X
nomeara 12cardeaes. sendo 6 estrangeiro&.
-No Rio Grande do Sul os partidos che-
fiados pelos Drs. Abbot e Assis Brasil vo-
tarrio nas elui.Oes do 1". de Mar;o no sena-
,or Ruyv Bi.rbosa no Dr. Aibuquerque
Lins.
-0 Correio dos Lares commernorou o an-
niversario de Theophilo Arthur de Siqueira
'avatlcante, de D. Maria Bezerra Moutoiro
no dia 4 de Fevereiro tluente, de Aderson
l.a Franca Alenear no ia 5, de Mile. Maria
Luiza no dia t6=Parabens.
-Noticia que palrirain para a Capital o
Sr. Cel Josi F. A. Teixeira, sun Exmia.
S-n suas tilhae, e a dignissinma consort
do sr. major Antonio Nogueira.
-No dia 2 deste reeeteram-se en casa-
mento o Sr. JosE de Hollanda Bastos e a
exm'. Sr'. D. Anna todrigues Monteiro.
-De volta de seu passeio, acham-se no
Crato o dr. Joao Bezerra, o dr. Irineu Bi-
liar. o advogado Pedro Ouofre e e o dr.
Filgueiras bampaio que esta despensando
ieus cuidados muedicos ;i Exu'. Sra. D.
Susana Pequeno, que ja se consider me-
i hor.
-Foram passar o inverno no sertilo oCel.
Antonio Fernandes Lopes, sua Exut. Sr'.,
o) Sr. Antonio Fel'cio. sua Exui. Sra. D.
X4aria nbousales du Menezes Felicio e o
Sr. major Luis Teixeira corn a Exm'. Fa-
-Falleceu, em Fortalesa, na edade de 52
anunos a veneranda matronsa Candida Finsa
Pequeno. I
-T'mbem falleoeu no Crato, no sitio Cia-
zeiro, a digna esposa do Sr. Jose Tavares.
-Eatao em tratamento, cimesperaa de
restabeleimeA .o, Oe Srne. S e.dro Augusto
requenqo,P.dro Roerigues Maia e Casimiro
(,Iosta.
-0 Correct do Pove di cursor ao artigo
tdo sr, major Joaquim Bezerra de Menezes
refutando comn vaiosos documents a ea-
lumniosa denuncia de uao ter pago o red-
pectivo imposto de 150 cargas tt tan des-
pachadas para Mossor6 no period do Ago-
Ato a Setembro de 1909.
Deixou provado .em ana Aefesa que no
referido period s6 despachou 115 cargas
e pagon de imposto por tudo=,,4341,$4O.
Fecham a edigAo os annuncios, que jA
s6o conhecidosdo public.


Telegrammuas

0 nosso bom amigo c Exmo.
Sr. Pe. Cicero Roun.o Baptist.
acaba de reccber do illu.tre e
distinct engenheiro, Dr. Zuzimo
Barroso, o seguinte:
Elio, a
Abrao o meu velholamigo pd-
la azsignatura do contrato das
estradas ,le terro. Dentro de tres
a'mos terei a satisfanqo de desem-
harear do trem abi piara abriaual-
o pessoalmente.
SaudagOes
Dr. Z z'mo Barrczo



0 Dr. Chefe de olicia de Per-
nambuco recebeu recentimentidc
tenente JoseCaetano,delegado de
Salc ueiro,o telegramma seguinte:
(( Voltei diligencia ordenada
v. exc. percorri parte municipios
Granito, Exi, Ouricury-Urba-
no Peix6to abandonougrapo refu-
giando-se Crato, Cearu,-cer-
quei, prendi tres criminosos ce-
lebres, acham-se recolhidos a-


qui disposicao v. exc.
0 procurado nao esti no Cra-
to: consta mesmo, corn todos os
visos de certeza, que ja and a
long em procura do Amazonas,
tegundo conselhos da Familia.


Ui.aIttide


Consta que acaba de ser di-
mittido do cargo de delegado de
policia da Capital o Dr. Ray-
mundo Gomes de ~ os. -
Seus co-religi I o'iticos
d'aqui foram os pinva a pro-
palarem a noticia.
Sera, corn effeito, acto ?


Iegistre Religioso

Baptisados e casqmentos
4. I -4 4 # V
Barfsados, nos 9 du Janeiro
deste anno, 12; aws 23 do
inesmo mez,-30, casamentos,
-3; baptisados, aos 6 deste mez,
-26, casanmentos,--I I.
Os baptisados, aqui, como o
sabem todos, sMo feitos A 2:500,
e os casamentos A 10:500, se-
gundo a tabella diocesana.
Pois bem! de -9 (de janeiro aos
6 do corrente, em n eans d'um
n.ez, portanto, jA hi so foram pa-
ra a decantada pania do paemtu-
nd vigario -317:000, a'ura o
dinheiro das areas da capella,
prestes a levantar o v6o. ea cera
que, ais arrobas, tern condusido
paras a itlatina(.Ao da matriz do
Crato...


Estupidoe e Brutos

O Ca- aal no Crato foi mais
uma brut-tidade do que uma di-
vers.io de pessoas intellige1ates.
0 Correio do Cariry censura-
o em terms tao justos, como
merecidos, chamando os qire se
masc-ra:am um grupo de d :sen-
gragados, cobertos de a.iurajo-,
supinamente insuppo-taveis e re-
pulsivos.
Alem disso, armarrm-se de
chicotes os dese.ixabidos paspa-
lhoes e corriam o relho no pri-
meiro que encontraram, fosse
menino ou home.
Alguns das victims dessa
brutalidade ficaram corn echimo-
ses, que Ihe produziram gritos e
lagrimas.
Ma; os brute s levaram sua es-
tupidez ao ponto de chicotearem
o.- fugitives ate de juncto das Fa-
milias distinctas, p tra cujo abri-
go corriam a implorar socorro.
Brutos, dstupido-., e malcria-
dos!.... excederam mesmo os
almocreves mais petulantes.
Pena foi que nao se Ihes ar-
ranczssem a mascara para se
Ihes publicar o nome por exten-
so.
Nao ficariam envergonhados,
ndo ?!....


Miseria! alis-ria!

Segunda feira ultim i, 7 de F( -
vereiro corrente, as 5 horas da
tarde, os sinos da matriz do Cra-
to, quasi se arrebentam tocando
Schamada dos confrades do San-
Sctissimo Sacramento para accom-
panharem-no em Viatico a um
Spobre enfermo.
SConfrade, irmio do Sanctissi-
- mo-nerm rm 'so, ao menos de
amostra;--e do pessoal que tern
" roupa preta,quenao perde consi-
Stesde bodas,baptisados,saraus e
serenatas apenas ,:ompareceram


dois, ile palitot preto, mas sem
- gravata e sem meias.
E... eis toda a cuarda de hon-
ra ao Rei dos Reis, ao Deus iue
vive corn o seu povo no sigdlo
do Sacramento de seu amor e de
0


11IW ....


sua misejoa.
N'outro po nao era assim,
nau faltava nogn cida-
dps decent nte,vestidos para

'M'outro te i ado havia can-
araceiros, ne bem se viam
miserias e.

,,. F


Nia cidadeido Crat& a Exma
Si. D. Isabel de Iello acaba de
abrir m aip
htfuc 0'meni-
nas, "
Alm de preparada .devida-
mente para o magisterio, a que
se propoz, a jovem educadora e
tamberm auxiliada na tarefa do
ensino pela sua intelligence e de-
dicada irma D. Adelaije de Mel-
lo.
A escola que dirigem, vai func-
cionando regularmente e o nu.
mero de alumnas .que ja conta,
6 a sua melhor recommenda~go.



D'sn'aeiro aehado

Encontrou-se no caminho de
Brejo Secco (Araripe) a impor-
tancia de dez mil reis (10:000);:
junctarrente coin esta quan-
tii uma lista 'e encommendas
do Sr. Jos6 Arraes. A importan-
2ti, e a lista supra poJem ser pro-
:uradas aqui nesta RedaqAo, ou
em mao; do RevdT.? Padre Ci-
cero.




No empenhao cutrivar sua;
brilhante intelligencia e faster
um c urso regular de estudos no
Collegio da Immaculada Concei-
4ao, segniu para Fortaleza no di-
a 5 do corrente em companhia
de sua Ex'T? Familia agentil se-
nhorita D. M iria Augusta Tei-
xeira.
Propicio Ihe seja o destino, co-
roando do mais bello e do mais
e splendido resultado a sua deci-
Jida voca~go para as letras e
lie ;rrtpa ando o f turo de glo-
rias, que de coracao Ihe descja-
mos.


A e.9tastrophe de PariE

Segundu os telegrammms expe-
didos de Pariz em 28 de Janeiro
ultimo, que constam igaaliente
do, Correio do Cariry, corre que
deram-se grande inandagoes em
tod a Franga.
0O Sena, enchendo considera-
velmente, assume proporoes de
ve:dadeira cytashrophe.
-As noticias que continuam a
che-i'r de Paris. sao verdadeira-
mente nlurinaftea. qAs aguas do
Sen, sub:'ravn era-e 8 4~jetrou
inawdandu a H !toi points capital
e Ihyadindo &PaTais Bourbon,.
SPlssy o Longchamnips. debaixo
d'agu u. Forte torrente arrasta
graude quantidado animaes nur-
tos, moves e destrocos que se a-


voluman, ans pon:es sobre as a-4
guns, amqiianuo seguran a de-
stnrs. Turnmas de enguenheiros per-
m inueco em ausa proximidades
promptos fazo salta'-as a dyna-
mite, afirm evitar corn seu d smo-
rouarmento prejuison maiores. A-
cha-se suspense o tratego em qua-
si todas as linhas dc transport.


Nos bairros ao sudoesCe de Paris
a agua attiunge os joethos.A Pra-
qa Concordia e outrasestao trans-
formaiajm verdadeiros lagos.
Vias-ferreas subterraneaas inv.di-
dam ipehas aguas. Exgotoa trans-
bordamr nao dando evasno.
Ha em Paris em vista da ter-
rivel inundarqoi4lo Sena milha-
res de tamilias $n abrigo. 0 pao
e outros generous de prnmeira ne-
cessidade sobem espanto0ariente
de preeo. Cahe never constante-
mente. 0 barometro indiea aug
mento ieondaqfo. Forim salvas
dos esmrntikos e ghace.iro mais
de 30 mil pessoas. Avaliam-se oL
prejuigys causados pela catastro-
phe em cerca de 700 bil contos.
Dizem os jornaes que foi este o
mais terrivel espectaculo que
Paris assistiu depois do celebre
cerco de 1870.
Intraduziveol afBioeao domina
P tihi inteiro. Os canos do servio
de exgotto apresentam rupturas
em various trechos.
Todos os telegrammas que tern
chegado ultimamente, s6 men-
cionam horrors ,obre horrores.
-Entretanto ji consta que as
aguap do Sena comeqam a baixar.
e o transito public so vai resta-
belecendo em diversas 1 uas; mas
o estrago, o prejuiso 6 horrivel.



Ardet Uealegon.
Em S. Paulo houve graves
conflicts sobre questAo candida.-
turas. 0 civilista Leoncio Ulivei-
ra assassinou o hernmista Benedi-
cto
W. 'fortemente v.,iado- emn
Sint eAos partied i;O- d... Con-
jlkirO.R Barbosai. os.un-ra-
isco Glycerio, Fonseca
i'-m es e Emmanuel Sodrd qua--
do deseml'areavam para tomar
parte em banquiete-politico, mas
nao houve conflict.
-Ainda mais: no dia 2 de Feve-
reiro corrente um grupo de civi-
listas na Avenida Central se tra-
vou em luctas comr um grupo de
militaristas que sahia do edlki-
cio onde funeciona a Junta pro
Hermes.
Jogaram As bengaladas e sa-
hiram feridos promscOuamente di-
versos d'um e d'outro partido.


'U


pregadores do re( uiB XVI),
entroa para a. Re@oluqAo e foi
am doe bisops mais revolueiona-

- Audaz, agitador,, perturbador
e revolucionario, o o nchet
era tao dado aos desgramegtos
que cbegou mesmoarrancar a sr.
Carron so leito dewesposo, aos
deveem de-miggj a.astando-a a-
grilhoda aoe son ii a exhl-
bia corn ostentaS toda a
parte.
- Era, finalment ,,ere l'bispo
4'9u e po va.
em purI co anas propnas tor-
pesas com essa deagtaaqada mu-
ther!!!
Que bispos!!!

Cometa Dalley

Noticiam diversos jornaes que
o director do observatorio de Hei-
delberg. acaba de sutwrphbeAde ao
nordeste da constelfth4o- do Ori-
on o famoso cometa Halley que
leva 75 annos a fazer a sua rota-
9ao. Este velho visitante nos ap-
pareceu pela ultima vez em 1835
e pelos caleulos feitos s6 em fe-
vereiro e marco de 1910 serA vi-
sivel a olhos dcsnudados, pela
madrugada.
86 depoii de 14 de abcil, vi-
sco que passa no perithlio iL 13,
n6s o veremos no horisonte depo-
is do por do sol e s6 entao illumi-
nado, electrisado pelos fogos da
raliaiao solar, elle apresentar4
talvez o rande aspecto corn que
deslumbrou o mundo no tempo
dU ceonqy ta d4a^llatqm i em
1016, ou d urante a guerra de Ma-
homet II contra o Papa Calixto
III, cm 1456.

Eas que escala ?

Em seu numero 928 registron
o Lnitario que si;ao bala corn d i mamento
de nmito sangueeno--Orato, Bar-
balhla, Quixark, Araripe, Livras,
Aurora, Sant'anna do Cariry,
Campos Sallos e agora em Itapi-
poca.
Outras deposigoes gtto cm via
de elabora Em quo escala vai isto ?
Ascendente ou deseendente ?
Das gradaqOes on degIadao"s?

CORRESPON..EN.IA
CORRESPONDENl, 1A


D/


Que Bipos !
MISSAO VELHA
D'entra muitos bispos que fi-
scram part da Revoluqao fran- -Foram affixados os Proclamas pa-
Gbe o F h-, n o ra os Casamentos: de Joaqnim Mauo-
cesa. Gobel e Fauchut, nomeia- el da Crz e .J.ana Maria e Jesu.
os a histonra. _-De Jos6 Manoeda t osta e Jo-
Fallemns succinramente, ligei- aquina Maria de Jesus.
ramente d'um e outro. -Tern cahido copiosas chitvas, neste
Gobel, o bispo Gobel, foi um mnuicipio, e consta qne, para o ser-
pusillaninie; omom nt brio, to do iio Salgado,as chuvas teOm si-
pusillanime; homem-sem brio, do torrenciaes.
sem sentiment, sem dig.':dade e Os prophetas estAo agonrando dilu-
semn character, foi mesmo um in- vios; ao pass que outr'ora disiam,
fame esse bispo. este anno ser secco !.
A' tudo o que Ihe imposera a ManoAl Linhares estA callado co-
S* mo Ccco-,nilnguem vio mais Mono-
fraquesa, a iniqu;dade e a impie- m boaC lendo o Lnario pars el-
dade d'aquells, tempos, a tudo le interpreter Jos6 Garrote diz:-
subm,!tteu-se corn. todo o cynis- Mauioel Linhares, 6 am t6lo a-
mo d'um :re)o ocalabren, -he- Um home mepheb6co sabe o qui diz ?
gando mesmo, a stata, A, renuu- Pa;zi ho, responded: *Apoiado,w
0 -9.__. dando emd seguida estridente gatrga-
ciaro exercio public de seu cult. segida etridentda.e gr..ga-
isuns propria funcqtAes sagradas! -Acha-se guardando o leito o nosso
Fauchet, bispn constitutional distincto e prestimoso Amigo Lino
d e Calvados, foi, por seus esori- Barretto poi eacommodos que o acom-
ptos, a causa das. agitaqoes, daa panham a annos,zombando dos recur-
l sos medic* Le6 ~njica, que
perturbacqes, das calamidadei e devid ade rado
dtwgraqas que, desdaque o mun- o cpiSOeiq i t&'e'sta
do 6 mundo, mais pesarain cm bu- Vif iiA mitsicH,ea a am lo-
a diocese. calidade, maxime de um terie como
De sou livro intitulado De a nossa, desp-ovida de distrac~6ts.
Eglise Nati ma f e, km se v0 de Quc soe restabelega o hosso bom A-
Eglie Nat ae, lm se v$ de ?, so os nossos wit)s.
quanto era ca ptz esse bispo. 19- 1-910
Interdicto e rie ado da lista dos 0 Cor' espondente.


9


iii~re









ffJ, ~


* .
* **


, %, 1


S 4


--
- l "' "


Gml


PERSEVERAN A


xmz ai.she r asaieia.S aeaa prz- a. e pedem des jar adlh'4T e e
ae 2 uas ies o *d.-a n jriv lotgme rs f ?
- f aM9 e wwor ^f w k ?r, *
fm Z -esCq co>-Qo a < Iaio Cabal de Oivtex a
- aia ezxifrt'r.gzx. Rza d& Crwe.r'r a- l.s 1
T'K t-Lks, pr-iA. sL I-.JA ** ELLr :I-
ei -.eL T7A. E=-* Pari~ E-t C 1
z-- r MERCIARIA --

AM IACARLLERA & NATI
Ei ftBas uac-n i AIh-ra:1 a5 pp -Taie etfa ser-**TZ6 e:Ftz. -
-ar ad a mcitiieft'5 '*<*^r~e* p-wcaw k ma* seno secure t ces3dw' m i=
(-is-fl (fe-hitses pharmKiant ite espfital da -ctade swyss a se s= aaaneme-
-lms re ;a4 a 'pwZ*r zcoa e6 j n o .~e~~az e sk son e-sv3 -e
AA_3. _e a raeem 2-- sead aw -e



0 BARATEIRO
?lknea P Vie '*I-^fie-I ~ ~ ~ ~ ~ m Veca i.a CB cs9 y^ er ,.- c. pOat-.r 1. 0-.~- -sks^ ;


C-L rs


ECON ISADORA 'A

'. P; J, j
c M-%I v argoxAL DM



____ O~ccd*-W& amd -- dod M~as~esdgams, JeeP'o k-
e Lamaegmm a J-am (a 4 drigum.p BeE-as hm bmai]^. 11. B_ ____sen em. PAUO)-: KLA 5. SE2OW mete.
i ti estad l Beacpdacgao eGeuea Ri n do ,
e <* a^ 3r *ftimu tia Rio EKA 7 DE SE MDRB 0^ am.
113 modeB --AL---
a3!b^. ENnTMi T. GO^AL~i MSEAI ltr
pA ma.. pim ir. PIAs t Al- Im.nea
.I...IIIG.IIaI. .a xiP miA-V
r.jT a a. cra D gB pUKE potiien, WC et
PRESSIDENTEuSuidor Lciz Pia. resnr e propretazr Aarowio w :
Senadr ELtadoal .x-ehe de Poleisha sig6B-se a a per uao, pagaH.
-A e-smesario d. Agricalurs. d.EL d. amladi) e pahtie-ie em qaque-
MMem Smana. em que sj xmprega.
s*c RETAIA-C1 ILaSaRLe"%M -meats-
.ao &s c Giarzt d4.f r Silia Se^ar & CL, di
aeh.j pe FCbries 4. Tecidoe ?. Fganazdo. 4 WA
va r 4 a GEXEeTE- Dr. ao a.
T --rornia n 41 pd a r die e im. perodSeo lttera, Coareial e
-p. ad em- ThEE=OKelO-Dr. Ga K.ADiam is e cd di BaribA. jtc-
wm fsuzadw exehe & erem esiga-%e aa* -%wane. *~g9=, .



-. f a e7 "eFed o -d e -e ---. a q
W MBrnn es A CIs~&ad e---a** -*" ^ deaa em qae &rjIz uixpreuaMd



==AW a Czanhnaia ladustd de S.. F- oo e da; P01S 1;x& m04,"AM
3-w. e ima S'a tvrpapis fSF-eioea Re
P=dn aR1


LS 1m- Sct:51--4!a:ewi e-*as-a. n e unprwazzC ccan jJ6e:.c
c*:m re. a-- N aT- v.;. :- a P T di- _i i pe- :r-' ors" Commelho I?l i e onn-es. rzere-c. A.-' -
Pa'i-.- 'Ce-r' d C PRPIETAiO Craa 1 de Janero d 1 Erme. SarCOnd- de Prate. Director
Pem^es e o e- ..a a=:- 1..-A o Bae de Sa% Pa-l--E Sat. C-.
_____ _____ -rowel Fermaudo Prestes, Tie-predete.

PA POPULAR Jose ATTENNCAO c~*ls&s"-P^ "'-pt-
"i r^' -6aifc fc# i.. -r___.__ cBri'aB, p..p...urIbe.ms, ,a cPif i -

amPre pes cnW3, M4 --2It _--de fe jedmds el-.I-I .,- dJe- Ah Dimna.-~ MC me-n p-- igm aeina
".* 6Fe spurir s e-Plaa~ m .-.r----&.-,r. L UMa&I Sypik=i mm _n..
0f prwes ri f s 1i e ie^ o Ann& aT k.dr-. gand dajade1r hi 1-- -
n' m eaR Pd Ae.asxce de C..m Is.. J R'driges MMeaktire tea. de propretario daDreia .Amern e cad.o ce pedeseeM elimimder de tcid
E:. e. eri v:i z' cman: C T-A La tw tma.B ram-se;4et i f oBria de pdt -s ii-ed .r. Pedro d.mas per qae a ss ci-

o- .. o.. ... .l.D ....t w.- e i w
P_______ ha- a& rr. L PCQ drm A FXX&AOXISADOUA PALISTA i It Uahmdepesit. a ir^ J
P# 4A 7^ --- e o' uhme xempre ae al deda ra, a ^^A ,aid. &a. d o, K do Tideo.
-+ ,im .,e tern .m o meei m av .neqg ..ta. ;rso. ev-rnfmdi eatabeteeeriMEN-
001IS IRMA. aeada tadE "-cams.me.. ;id DAVIT-AsICIA em L-m dineit. z-"-
S de f de. ferr.a.... if 2e d de mdaete ami- e = e -m Te m d s eai- Aa -.-S, UA' L
r_ Prg dS Lfer D. n n% S..- +i -pio e Bo ter oedo S t-Amm doe e B -.
e n --re --a- Cari rye ii aue Ir- jO isxo deiaATt Z i- de Silviao Jos da Sara as Ra d -
Ot f-feride temor detBemiado r 8oc -:^, ir s Irm-c..^C S A k aam enhkbo de ferre e casa propria, B5o serai ma-r de I.(JCO0 per a sortinto de dngas prodaetos eor --
Sr'avBm ene Lima| e ivedt tndo de tlba e b ee da s a R.de e peIida ww ss
rr lu. tem nBt ea idMei. avena. gem ; eqFtnr!-z, comamampequ re p receit o i -
FUNILEIRO I .e1.l a w -q- **r va l!lEeee
t- a"dee taa rnl t de t&Iha. usma naeCra e hiOeCded ped0r e cal, com poe eee e eie, poesmd a medicine de prts
d+ f _e "d t -_e t* -ta ar R a d'- S. Fr,-i o e ea (ouctra caanarWial ara-d0sentaoes agmdee
.^ ^^ sd e -NO ee dz cande fAlk-rl- antA de chegr a
mnt.o par read-a* *. rrro e ra hT na tram r da Ral Nva.eel-apriei-D rjpadnra tp ssado extewsas mattas receber a pe .. a adecis5o pgma sas
acharem osro rar:-'. ris i ra ;4- .'. pelasC ida l :(f com madeira de CO trat;io: otro wherdeiro nes arios toda s i
u-ln. q e p DBdos _D-se fidlke -e meato devois q-e o m u-
D ds EDrO -I" n'm .U~,meqe tim com o m r e m 'ets fi- Eppareceram dem en cSiti -,7
P P F.A aeRro pr bodadre aetaser ~-aei xtinet "m q. a.. a*.s eheri1 burero cardio e na brr casta
_ARI N4A DEC t ompromisos, ama vez que tea de ea'ta qualquer direit-. aazi preta ambos com esta marca -
MANDIOCA aa-sentar-se pr tempo indetrmia A pse sera.p.a so proproio indivi- e corn a segnite fregez:
A J o4 AlA Siira. a-sa aog e- do e ter de prover-edo eeaurses w-dUO. n OA0WU. p ,rcu legal s I on per
Sirezueaes e ao publieea .eral ieites. trmedo de ququor Bance. quando o
m-tuario s e aehr o extrangeiro.
qutm em depite grande^ qnt- 0 Socio contribuine em di, que fear Que 4 deoticias certas na Reda -
dfen ne.d n or:. g IniJ ecapeas. Tedo rA d Can piira qlidade, e --VENDE A Itrads, depois de ie anna de aes- g dit animaes sr gratific d
.m eAp-to Swrtutomda rt aA &- DIeiHEIRO-m M C ooea retail mP- d o hi -
useicionados que so vhenl-oe per proI a reo B ARATISS O. j -3( e- ineuraveI. que o inhabilite pas o tra-
een mcmpeteneia, convi:dL trAdo o publieo b alho. eri eoiderado sVeso e nto Barbalhtt, O g p, 10 d9 'e-
pa a fazer ama vi:a a dio esAtaelea*e.- RUA DO PADRE CICEO VS 3A I erer direite i peasso. a re de
t qB se ietii&ar-.. .do que at' d zffrmsdri&. iii ru O4 ?Ooio.. pad 1
--_ r ;.m a. --- d-e O+'a...m M -m ... r .,
E-1D3ADU EIBO Q "A E de 10 anno, Io o eas A j*a do s
R UP I DE -0 mut--
-AP2OVETe uAPEO EITE! o mno qe me rever um me
AE TEUM1IDO"I A BIZM S antes /Jo0 Baptimta de Olivtlra. A. B K 8EL= BRIHO Spem do. pagara peupose a il uils
Pas P.dre C e -o X ss Grotfico ben a qt nme entre- 45-=RUA DMCOMPEECIO--45 sg ids pene tods
gar am poldro rositbo que desappa- CrARATn-CEARA''. e t sm form,. aesdas e 1
ree sna serra do Araripe sitio h mems A ECO'NMO SA.U e m I iAVALLD siMIDO
SSAPATARI QueimadaGrande,com eg m ainte EaIe' inef e h fas x o dos 1 amees e m dois meal I
reA zoara e fregedia Badem, eridede artig de ne d'- ide shra de 1908 on uriuo me do, or. ,-
BAESPERAN0qA Q euco7nra cm art,, i_, pa pgj .a; I n*&*, s
E"S & tari*&de Joaq Be'So- po e h.- .sM See" obje in pars pro& edil 4
bral ach-se. w disfini.o do puliice. dos dalko d' 0" Relate Ie pseufasws m.m!ae t ed a 1as e Ie b ira
amgo.s'egs-se ctdo e gakalr o emnra reaidentia.- P""rm cptidca! G
trabulo em eciro com graar-e potem e peentate o Cate,
medicidade ee mTrego. Pua n SeRuaD u r Ad B Asao & i rat. &m Sw6risAo Irtrp ..V
M*. o %. Pedro Xavierde Ara- 1jo 1 -0ft U aI14I SyJ"
a -Ksa 40 Camanercio.Ats

-t


.-7


S


1~ -
~- -.-~


' "


-ANN,--


__


PS


6


*