<%BANNER%>

UFLAC




______
t .-
O REBATE
ProfMwr Ferrrr
Penhorados, agradecemos-lhe a lle-
udes da visita.
VISITAS
A' este grande c eminente so-1
oiologovictima da tyrania de (
\ffonso XIII mau' ommunada, Dignaran-ge de visitar esta Re-
rom a tvrania do clericalismoa *<:[<> *: Manoel de Sonsa,
comarjranu _..,.j vSo Mon eho' 1'^ l>ne Pinheiro,
peior de todas as t> ramas, rao ^^ RtAf, ^.^ d.
' ir-lhe um monumento na pra- ^ (uiluena Mnreira Ramos de
blica da velha Roma.; Maa e .loaqu^ Uenrile d-Alencar.
Agradecido
Eu
bro.
vos sado, 15 de Novem-
Enoch XoQvcira.
erigir-
ca mais pul
CONDKOOKAroKS DKVOl.VIPAS
Entrando para o grande
iue se alastra
oro
por
rige,
Conto mis i le
.11. seua.ir romi
da revolta, ijuv. -.....- <>, r>cu... ......
toda a E-jropa cultual, provoca- pelo irnpi ador '.
da pelo assassignnto do Ilustre ; "&
FerW, gandes escritores e no- O-n-M-^
. un.., --------- teve que nri aut
lavis scientistas franceses, agra- ^ (leviay quei
ciados pela Hespanha, devolve-1 di.BSW,t pp, c0
rama D. Affonso XIII todas as brazileiro,%o de
. -__ viu-se nlirklo a
condecoracoes. dude de piante
rnvPT OTS Quando o tima
COMPLOTS cau n0 cb-0^| dtf
,,!'oi paraoWhar;
Consta que j se acham com queimados o*dos, njeu-os a boc-
certesa organisados varios Com- va inst.nothente -
pfot, para tractar da morte do
neresco Affonso XIII.
Bem, que por l se hajam .
bife
que Lucio Plau-
foi encarregado
no de presidir
na de .lupiter.
mas, a torca,
enorme boi,
em honra aos
lo era cima do
;ado senador
l-o na quali-
erimouia. i
a va a assar,
acos. Planeo |
fl*. ao sentir!
O ENSINO RELIGIOSO NO JAPO
nm famoso
qne a carne
ira era infi-
da qne a pre-
cios cos-
Naqnella ;s0j
desrobrimew'ons
assada por ja n;
Hitamente ni sal
parada ' ubeiics i..ia
Tanto apMPla
O ministro da instrucc.ao pu- J*^
bhca acaba de determinar que ; *J ^>W
em todas as escholas publicas -,,.. ^ r,so|v(,0 (ie f|1;
do !3po se d o ensino re ligio- tin-o a coz^sos ils , bjfe;
so o budhista, como o ehristo. para o alm
segundoacrencadecadaum^Mas,-
o sabor da
no sagrado!
penhava, pe-1
do tostado e!
Bella lieco! mBt0 mn]
\ por tim. ao
KKXIVEBSABK) DA NAYKGA.AO > g0 ql,e ff.t
como I'laul
ce_ incontesta
,.' qnal<;ner c
; varo as co)
]testa m
istados Unidos vo
da deseo
e a
Os!
lebrar o tricentenano
berta do rio Hudson
tempo o centenario da creacao; 0 (!ostume f
daprimeira companhia de na- ro, entre^
vegaco a vapor. BnlhanUss,-\**~
as, fericas serao essas testas
,,ue os americanos preparan.
com todo o calor de sua raca.
[ment de tal ira-;
' permanecer por |
Igredo e chegon,'
de Trajano. I^o- i
aade, acbon, I
ra exqnesito e
lelbor do qne i
Hie lhe prepara-!
'palacio.
(irtir desse dia,
[gando, primei-
iatocraticas e, i
hopulares. tor-
ito,
0 TMULO BE ABUUMH
15
averno da Italia acaba dej Pela da(
adquerir toda a ilha Capreraon-..estes 1
de^e cha o tmulo do grande | clamad a c|
m 1889, que)
I brasileira
"'.S
lUKO
.iaribaldi.'
* A ilha toda
torna-se
propriedade nacional.
O tum
uniticat
vio. como um
no meio da ilha
dac'.e nacional. - -M
amulo do Ilustre patriota de ovacoem.enh(
lor da Italia f. rara sola- temar o ent qill
mo um bloco marmreo, acha rxsstadira9a
u- eptgra-,
lual foi pro-
tremecida
bro de
a historia
e brilho,
ho ex
le se
cao de
IXKDICT0R1AKS
NO SERTAO
O solo em Janeiro
Todo recequido,
Faz o creador
Viver opprimido
Seccaram-se as fontes,
Eindou-se o pasto,
Sustentam-se os bichos
Com rama no mato.
Triste a creacao
Caminha pendente,
Soffrendo a tortura
De urna sede ardente.
Mas um bello dia,
Em tarde callada,
, Forma o nevoeiro
Columna serrada.
L no nascente
Um raio percorre;
Vm rouco trovo
Geme ao longa morre.
Urna vez e outra
Vem se approximando
Um raio luzente
Sempre fusilando.
Vem, chega, tormenta.
Denso nevoeiro,
Com s-u manto escuro
Cobre o mundo inteiro.
As aguas as pechas
Vem de encontroao;
Sacode os palmares
Forte furacao.
Zam as caxoeiras,
l?aquciam os angcos;
As aves se apegam
Xis unhse bicos.
Pcno do honieiu
m, KO que taco pet. diutur-
I na do probtdc (]Uf. t;lo
.honeste, qVlt(:Illen.;
sabido,
vao
do coipo dimi-
I" COUM sabida j qne os velbos
diniinnindo de tamanl'.o e que
.ums o talbe de um boinem
nne crea de 7 millimetn.s.
'Mas nm sabio acaba de nos eiis.nar
e com a velhi.e, nao w a esl
aiais tarabea o peso
une sensivelmente. -
Os annos peram sobre nos, para
nos tornaren mais leves. .
<) ligado, cijo peso normal i^ Mito, Hcnj
nao! Barbosa e
te tcm
dar entre oi
men politicQ
Nenhumly
na patria i
toso c di
mos, que
o Brazil, h
I tado por Dj
mais on menos,
1.500 (rrammas
I sa mais de 800 a 900
velho.
rrammas no
vi-iuo. ., na poiuica
O cerebro perde^M grammas a F d
media: elle pesa I.l5 gra. ^\Kpu
que fulgurJ
ria poltica
e amol-
ar regi-
ivo.
m nos-
s faus- i
enco-
que I
esen-
Pei-
Ruy
stros
listo-
solo
rao a
contina
.tdnlto, 999 no vellio-
O coraco. todava, f*t excei
''-'f decrescimento:
sempre a crescer com a idade.
Nos velbos elle pesa cena de 100
u-iammas mais do qne nos moros: se-
ra talvez por sao que elle ciista mais
a se mexer.
MANOK1. l'E S. MOKTKIRO
Di- passeio, acba-se entre non o
lastre sr. Manoel de Sonta Mouteiro.
stincto empregado Ho rommercio
a pra>;a do Keeife.
S s. entivtcve consosco agrada-
vel palestra, revtlando-se um moco
c't ednea^ao fina e aprimorada.
urna era
so.
Contine
to grande!
de nossO es
, cada um|
] as forcas.
cure promoi
jj-1 estremida p^
tasia, Pc'a
sua riquezaj
solo e intellil
Ihos, :us na<
verso em p<
res-
ir
tnte
Isto
Lsu-
Iro-
Ida
De quando em quando
A chuva augmenta,
Xem pobre, nem rico
Respeita a tormenta.
Na casa do pobre
Qual mansos pintinhos,
No eolio da me
Se agrupam os filhinhos.
A forte tormenta
\ ae se ausentando,
E surge no espaco
A la brilhando.
.\inda cansadas
Pingando as biqueiras,
As aguas nos regatos
Percorrem ligeiras.
Leranta-se o homem
l'orte agricultor,
Contempla a grandesa
Do seu creador
O peito se ufana
Eica aprasentado,
O resto da noite
Se passa accordado.
E quando no ceu
O sol vem surgindo.
Os liomcns e cousas
Vm todos sorrindo
Um dia mais outro
Vem, se desenrollando;
A grande verdura
Seu manto desdobrando.
Toda a creatura
Nutre de esperanca:
Foi-se a tempestade.
Chegou a bonanca.
.Jos Augusto Sibra
r*s-A-ja>-
CARTA ABERTA
(Ao homem do fm do mundo)
As miabas duas ultimas Car-
tas tem dado o que faser a mui-
ta gente.
Uns dizem: estas cartas sao
do Redactor-Chefe ou do Jos
Marrocos; outros dizem: sao do
Dr. Floro ou do Manoel Alves;
e assim vo dizendo de fula-
no, de sicrano, de bckrano; em
quanto, que, eu, vou as occul-
tas soltando miabas gargalha-
das, por nao terem ainda acer-
tado com o meu verdadeiro no-
me.
O homem do fim do mundo
anda nao respondeu nenhuma
das minhas Cartas publicadas
no Rebate.
Nao sei, porem, qual o moti-
vo do profundo silencio do nosso
(j fose alguem) Ruy Barbosa
dojoaseiro.
S.&. j-dgar desdouro res-
ponder a um moco? nao pos-
sivel.
O moco que escreve estas li-
j nhas tem tambem direito ao res-
peito e consiclerafo dos velhos.
Por isso, leitor amigo, o silen-
cio do nosso homem do Jim do
mundo incerra profundo myste-
rio.
No entanto nao difficil a ex-
plicac3o.
O homem do ffnt do mundo
j tem soffrido as maiores dece-
P9es; e eis porque nao respon-
de as modestas Cartas deste
moyo impertinente, receiando,
sem duvida, novos infortunios
nos seus rascunhos.
Adeus, homem do Jim do mun-
do.
Faca teus rascunhos com ma-
is cuidado, estude mais. seria-
mente nao d combate a verda-
de, evite as falsidades e" ter
gratis as receitas do
CASAS
Jeronymo Francisco de Lima
tem, nesta localidade, venda, dnas
casas de^taipa cobertas de tlha urna
sita Ra de S. Francisco e a ontra
na travessa da Roa NoTa.pelaprimei-
ra pede200:000;pelasegnnda 180:000
A'tratar na RA DO CRUZEIRO
J0AZEIR0 DO CARIRY
JOS LANDIM
A vina eos grande .emento de Vinho do Porto. Mos-
catel snpenor, Santo Antonio, Cognac.Ver-
mute. \ inho, de Missa, reropiga, Serrot de
jinipapo. Agurdente de Caja, de Lima e
tanna: Cigarros Tupy,L morena. Bostoc
Como .SSo Bona.de palha, as Quatro Ligas,
populares: doce Pesqneira=Jo5 Facanha;
Manteiga Bretel. Excellente, Papagaio, Pi-
auhy; Banha de porco em lata.
Tudo por procos mdicos
Ra P.Cicern."62.
AO PUBLICO
Communicoao pnblico cretense qne
estouaosen despor em execntar qnal-
quer trabalho de pedreiro mediante
contrato on ajuste, garantindo pres-
teza e perfeiQo. So nao ajusto por
da porque tenho eoceupacoes quend
me permitiera.
Crato, 12 de novembro qe 1^)9
Miguel Rodrigues dos Santos
MEBCIABA OLIVEIRA & NATIM
O proprietario deste acreditado estabe-
lecimento tendo recentimente chegado rda
capital do estado via aos seus innme-
ros freguezes e ao publico em geral qne se
acham com nm completo sortimento de
mercaduras nacionaes eitrangeiras.calca-
dos, meias.para homens e senhoras.suspem-
sorios, eadeas de alumininm, redomas
extractos de diveras qualidades, brilhan-
tinas. oleo de baboza para o cabello; Bi-
bidas de diversas pualidades, conservas-
doces, copos de phantazia, bicos. rendas,
BUtaxeri, gregas. etc etc.
Tudo diuheiro a vista e por precos
mdicos. O PROPB1ETARZO
OLIVEIRA i; \ATIM
JOASEIRO CEAR A
AVISO
Nicodemos.
ATTEXCCO
Casas, Sitio, fasendas de gado
neste municipio uo termo c- Sant-
Anna do Cariiy a vender.
los Rodrigues Monteiro tendo de
retirar-Be tiesta cidade no intuito de
procurar na Europa alivio asua
sande sempre alterada, declara a
quera enteressar, que esto ezpmtaa
I a venda todas suas casas nesta cidade
fe suas fazendas de gado neste muni-
v -lo e no termo de Sant-Anna do
Ca.fry e mais um sitio no mesmo re-
ferido termo denominado Queimado
com engenho de ferro e casa propria
casa de vivenda, tudo de telha de
segura construyo, com una pequea
nascenca e acude de pedra e cal, cora
oannavial para dnsentas cargas de
rapaduras, possuindo extensas mattas
com madeira de constrngo: ontro
sim pede k aquelles dos seus amigos
que tem com o mesmo negocio
queirao por bondade satisfaser seus
compromissos, urna vez que tem de
ansentar-se por tempo indetermina-
do e ter de prover-se de recursos suf-
neienU's.
Rosa A. Alves d'OIiveira avi-
sa aos.Sor? paes de familia que
em sua residencia, praca do Ro-
sario, lecciona portuguez, fran-
cez, arithmetica, geographia, hi-
storia universal, &, por preco
mdico.
Crato, setembro de 1909.
CRATO
Aluga-se urna boa easa, n*. 67, xa Rna
da Larangeira, a 8000 mensaes, pagos
wlinntados.
Quem pretender aluguel mais mdico,
pagara adiantadamente apenas vinte mil
reis_por trimestre; sah indo assim a menos
de TS por mex.
A tratar na Ra Grande do Crato*.-g
68 sobrado em frente da egreja de nVi
ceute Ferrar.
BURROS SUMIDOS
Desappareceram de meu sitio nm
burro cardfio e urna burra castanha
qnazi preta ambos com esta marca
Crato, 26 de Ontubro de 1909
Jos Rodrigues Monetjro
Quem der noticias certas na Redac-
qo d' O Rebate on vier me entre-
gar ditos animaes, seri gratificado
generosamente.

Barbalha, Sitio Brejfio, 10 de Nt>
vembro de 1909
J3o tVmo-tbene. Ft-rnacVs Xtiri
10 de-
:ordia.
ntes e
os cul-
morz-
:ence
x faltou.
resur-
_ Felicia
apenas
[Q q^ue se

k*. Kf,.,
^^


Rebate
ALL ISSUES CITATION THUMBNAILS DOWNLOADS PAGE IMAGE ZOOMABLE
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00001672/00022
 Material Information
Title: Rebate
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Creator: unknown
Creation Date: November 28, 1909
 Subjects
Genre: newspaper   ( sobekcm )
 Notes
General Note: Newspaper issues from the personal collection of Pe. Cicero Coutinho, Juazeiro do Norte, featuring articles on Padre Cicero.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: All rights reserved by the source institution.
System ID: AA00001672:00022

Downloads

This item has the following downloads:

( BRIDGECACHE )

( BRIDGECACHET )


Full Text





--.-....




























SEARA-BRAZIL g DOMINGO, 28 DE NOVEMBRODE 1909 1 ANNO I-NUM. XX

EXPEDIENT. Foi, portanto, i luz da maior ma nas species sacramentaes; pratica que o Sangue em que, o Deicidio.
publicidade quc egidenciou-se o mas trans-substancia-se.- tantagvezes no Joazeiro, se tinha E ninguem perguste nais co-
O .REBATE> puiea-se iemarnment.s acontecimento Eucharistico do Ora segundq o dogma da fe transformado a hostia consagra- mo e que S. Exc.prametten por
REDAeTOR!=CHEFE=PaiCre Joaqumii Joaseiro. catholica a trans-subs anciaco da,-nao era e nem podia ser de escripto uma cousa, e elle mes-
de Alncear peix<-to-. E o prelado da diocese, que consiste na converse( miracu- Nosso Senhor. Jesus Christo,= mo confessa que fez outra muito
;ERENTE =F.-lUsminS ; P. N; AlSncar he procedeu o respective inque- losa e singular ,das species porque Elle no se transform diverse.
...,..., .n.s rito, dando die mesmo resuimu- sacramentaes no corpo o no san- na hostio consagrada, mas trans- A sua defesa ahi esta n'A Re-
nho da benemerencia relgiosa gue de Nosso Senhor Jesus substan'ia-se, e. que a transfor- publica do Ceara de 12 de Ja-
Anno ....... do capello do logar e funda- Christo; mas nunca na trans-su- maco della em sangue s6 pode neiro de 1900, confessando que
semesue . . . .* - mentando-se nos attestados de bst :nciagio d'Ele. nas especes ser uma intervene ao diabolica, equando affirmou que remette-
AGAMENTOS ADIANTADo dois mdicos, urn pharmaceutico, sacramentaes;=pois que si Elle ou de outro espirito= ria o process integro, sem ac.
Aradiiiceiveie iuteress.e part;iciir. os dois sacerdotes e muitas pesso-j se trans-substanciasse nellas, fi Si destes principios, pela re- crescimo ou dimninni o, tratou c
nRniTios (piioOin te contractor. fndo as distinctas, tambem o con- caria redusido simplismente a fa- claman o feita, poderam esca- do process em si memo, da
g.o n r n~ava -atCo en genero de pro- rinha de trigo 2 a vinho. par os acontecimentos Eucha- alterao que podia soffcer em
11ice.ars li-dtietorirt.s'. nemi iwets p"- vas, que nem os homens, nem os Entretanto S Exc nunca dei- risticos de Ferrara, de Asti, de qualquer uma das suas peas
hEca,'es amiR..as ignead s. ldemnonios podem destruir; quan-. xou de affirmar com today a in- Orvietto, de Bagno, de Floren- fundamentals, da suppress-o e
Acceitam-c artieAl de religiiio.ciencin;. do para prova plena de sua ver- sistencia que-N. Senhor Jesus ga. de Macerata, de Lsnceano e e trucidaao de outras, da eli-
litterattra etc. preheuchendo critIAs condi- dade bastavamr, segundo a divi- Christo trans-substancia-se. nas de outros logores-o do Joaseiro ntinaio deste ou daquelle do-
1d;co, gRreneia e typograpllin--Ruit na authoridade do Evangel ho, species sacramentaes-e que foi a victim indefesa. cumento que mais clara e ca-
1'rdre 'icero n. s43. 1duas ou trez testemunhus de vi- si uma hostia consagrcida trans. Atropellado desde o inquerito thegoricamente podesse escia-
J6wsEHIRO S CARIRY sta. formar-se em sangue sem inter- corn a nega9ao de ser do proprio recer o incidente.n 4
__nA- ( obra de Deus nada faltou, vencao de qualquer agent natu- donor o sangue de seu corpo- E accresentou mais que no
JOASEIRO DO CARIRY e quern quer que seja, pde re- ralou diabolico=sera um mila- prejulgado antes de ser exami- se podia privar de faculdades
..........- ...... :`%' conhecela pelo sello official da gre estupenda. eatupendissimo; nado pela Commissao compe- inherentes 1a sua authoridade,
jcontradicco-signum, cui co')-' mas nao e o04 gue de Jesus tente-destinado a morrer logo qual a de adduzir a esses docu-
FPI|AT LUX tradicetur -que accompanhou Christo. a t. qeA no tri una re arador, e quando mentos quantas provas cabaes
se ampre ghorc Gok "r'e ie nn resimTontrdine>*m contrario
A .JiPa riefoamar det Exfh Srr. ste gloris in ercelsis Deo at 0 O que se nga a Deus, da-se gura'o corn documents que sa- houvesse accumcIlado. .
or.. F c. infernal decende de cr desde o. .... turaam-no de opprobios e redu- Ora si-em contas commer-
o tempo atct a eternidade no S. Exc. professor a possibili- sirament-no a deploravel miserabi- ciaes, em causes fornses, em
pci-..m1o. la N pinferaledP.ree que e, idencriou-;des e o. aa'ni taa no deJopprobis se ten- OE si-em congueais commr-
















Permitta-me V. Ex.i ,,appro- contricto imen cpa Edo peccador dade da interveno d'um agen- lldade de uma irreverencia gra- actas eleitoraes e em qualquer
ximar-me do benemerito jorna- e ro dusespero da blasphlwmia te diabolico no divino Mysterium vissima e detestavel, d'um abu- processado fosse licito alterar
list catholico que na missao a- anatole-eronce. fidei cda Eucharistia. so impio e sacrilege da Divina qualquer uma das suas peas
postolica da Loa imprensa nun-1 Em contradiccdo, pois, corn o Nasto ha negal-o. Eucharistia. fundamentals, supprimire truci- e
ca deixou de visar os horisonts extriordinirio fatond S. Ex. Ahi estiao suas cartas de 20 Umr Deicidio d.r outras, eliminar este ou a-
immensos, infinitos da gloria de cocluic-lhe o deinquerito, dicidin- de Novembro e de 20 de De- p do infernal crime ps que quelledocumentoe adduzir quan-m








Deus e a felicidade spiritual e do universal e dogmaticamente szmbro de 1891 c propro o ar- souberam term side accusados, tas provas ou testemunhos se

temporal de todos aquelles que que ((segundo os ersinamentos tigo que, em appojo dq suas idd- supplicaram e choraram pela sua houvesse accumulado em con-
Elle creou a su d imagem e simi- d~i theologia catholica, quando as, dt.ez annos depois, em 12 de innocencia. trario-qual o resultado?
lhanoa una hostia consagrada se trans- Janeiro do 1900 publa tranicou A S.ellntissimo Padre, somente mesmo do aconteciss ento
Nao ha ineritos d minha par- forma em sangue, e por muito pulica do Cearm aindi su ste-ita por obediencia ao prelado e ao Eucharistico do Joaseiro, ainda
xto, eu o cofesso. qie reclamem milamgroso que seja-este sangue que Nosso Senor Jesus Christo confessor depozemos o que vi- hoje collocado na mar doorosa I
tsta epproxirmaro; mas s. a op- -nd o s e nemr pode ser de Je- se trans-substancia na hostia con- mos e sabiamos acerci dca das posiies-entre o odio que
portunidade 1 he abre a porta, sus Christo. Ssagrada, e '1ue a sua transfor-1 transformacao das hostias sacra- o persegue e o medo que o
tambem da-lhe rasio de ser u- Ah! que ensinamentos de the- maoao em sangue s6 pode ser mnenataes em sangue. nega.

ror. siquer estabelecen distineo al- qualquer outro espirito. Deus, oh Pae amintissimo, nao collocado tambem ntre os gri-
i o caso: geuma entire o divino sangue in Ds te principio que feria de sos deixeis morrer sem con- tos de angustia da consciencia
F'm amigo seu, de Fortalcsa, prop ria upacie eo miraculosou= nioe o proprio dogma da trans- fissao; que n ds pela grana de catholica pedindo que se salvas- ,
nio so extranhou A V- Ex.ed, ter mas este ou aquelle sempre i- substanciaoao-s que partiu o Deus nunca fisemos profana- se a doutrina da Egreja, a con-
alludido aos factors do Joascro nherente a essepcia e a natures brado de angustia da conscien- ao alguma ao Sanctissimo Sa- sternacio e as lagrirmas de te-
na s.ngella noticia que de-u sobre doSacrificio e do Sacramentoe cia catholica pedindo o Superi- cramento e antes quereriamos stemunhas de fm affirmando que
Virtuoso padre Cicero; m:us a- inseparavel, portanto, do 3yste- or Tribunal dia Inquisiao que si morrer do que commetter tal antes queriam morrer do que
:nda carregou a mao corn a re- ritmi o ei em virtue da Divi-i por desgrama nso fosse approva- abomaina -o. e fazer um iiltrage ao Sanctissim
mesa das pstoraes, corn que o na rans-substanciaao. do o aconteciento Eucharistico Entretanto para sua justifica- Sacramento ea turba infrene
2 F bispo do CearaT ext'rnou sua d E si o sangue Eucharistico do Joazsiro-ao menos se sal- o i bastava sormelta que S.Exc., d'uns documents alliciados bra-


oppiniao ao juiso de serem mi- nao ', e nem pode ser de Nosso vasse a doutrina da Egreja C-*- como promettera por escripto, dando infernalmente crucifige,
raculosos os mesmos factos. | Senhor Jesus Christo-qual a tholica, instruindo-se ao bispo e remettesse para Roma sem al- crucifig eum-poude impor A
Entretanto nao disse quasi consequencia necessaria. fatal,' aos fieis sobre outros aconteci- teragao alguma o process que, Sacerdotes e a leigos que nio
nada-o seu anmigo-onrnittio inevitavel ? mentos identicos. que Ella ji ti- concluso desde 12 de Outubro, tratassem mais dos- factosdo
mesmo as infornimaoes que ab- S. Ex.em tdo somente poude nha approvado em diversos tern- tinha verificado o acontecimento Joaseiro. -
colutamente nao pode dispenser tirar a consequencia dos princi- pos. em diversos logares. Eucharistico do Joaseiro. Muito bem. Assim mesmo de-
quem deseja que se saiba da pios que estabeleceu, e intimnan- S Exc entao precisou mudar aConforme este mesmo pro- via ser-Justiga e misericordia.
verdade. do-a ao padre Cicero em carta de tactica e, contrariado escre- cesso, cuja traduccao italiina Justiga para os inriocentese
Nao alludio siquer i causa de 20 de Novembro de 1891 dis- veu em 4 de Outubro de 1892 ipsis verbis tinha ficado no.San- misericordia que salvasse os cul-
das causas, ao ponto primordial, se-lhe que ficasse sabendo que: perguntando ao Revd. Dor An- t'Officio, em Roma, os factos pados de uma eterna desmora--
*'onde partiram as pastoracs de -Jesus Christo nao se transfor- thero se tinha errad, que queria do Joaseiro tinham sido ouvidos lisaao,
S. Exci:. ma na hostia consagrada; mas' conhecer o seu erro para se re- com gcsto e interesse e admit- A ultinIa palavra pertence .
E como deixou tudo no escu- trans-substancia-se.)- tractar delle; :)oildeia aos seuo tidos como possiveis e ver4a- Justiga de qeus.
-o, tudo no cahos---fiat l,., fa- Esta mesma conclusao de se- diocesanos o pao da verdadeira deiros3; mas depois da attera- Esperemos. Ella qqnca faltou..
a-se a luz que illumina as tre- us principios S. Ex.ia intimou-a doutrina. 0ao qte lhe fez S. Exc-quant Depois da paiao-,a resur-
-as e as trcvas nao comprehen- tambem ao Revd. Dor. Anthero Comegou pois a campanha matatts ab il.b!.... uma cousa rqi;ao *
S.,m. em 20 de Dezembro do mesmo dos arranjos officiaes de papcis destestavel, umra irreverencia E aqui, Exni? Sr. Dr. FediciO
0 que L dLI Deus-nio anda anno, assegurando-lhe que: que abonando as ideas etheorias gravissima, umn abusw impio e dos S,intos, aqui ficou apenas
:.en L pode :ndar cm trev.as. -Jesus Christo nio se transfor- de S. Exe estahelecessem 'na sacrilego. da Divina lucha,*istia um brevissinq resqumo do que se

.,








-!

merecer as peas e censuras.-
de que injustai.ente temn sido
victim?
c 0 public. certo, o ignora,

S respeitando tcdavia o foro-er
j injorymata conscitiencia do qual
muito se tern abusado.
Nos paizes lives, regidos por
g dos poderes publicos s-o obri-
gados a dar ao public a satisfa-
10ao de seus zctos, c o public c
jus de exigil-os.
Fez-se a luz sobre tio myst-3-
rioso facto, dado na capella do
Joaseiro do Cariry?
NMo.
Seria por ignorancia do 'lirei-
to canonico ou das leis do poces-
4 sado em material de tamanha re-
vancia ? Mo-cremos.
Seria pelo temor da discuss~ao
em material religiosa ? Tambem
l no podemos crer.
n l idr;-n I#


.5 -0 ie


A emAm


* V raunrz


SPOE A


-.-Vae, peregrino do camiinho santo!
Torna a tua alma em lam.pada de cego,
Illuminando pego sobre pego.
As invisiveis amplid6es do pranto.

Eil-o do Amor o calix sacrosanto...
Bebe-o, feliz... Nas tuas msnos o entregro...
E's o filho le'!l que nao renego,
Quc protege nas dobras de meu manto.

Assim nao Poeta a Natureza fala,
Emquanto elk estremece ao escutal-a,
Transfigurad de emogdo, sorrindo...

Sorrindo a ceos que vao se desvendando,
A mundqs que se vao multiplicando
E a ports de ouro que se vao abrindo.

Cruz e Sousa


*1





* I





I.


* N. 26 t Dominp .14 do Nloembre
do 19099 .omega p o Ari e ao uams as-
signairt o.W ..
Oe Terlegmmi notkiua quo pla* re-
forma desV erreioa fIrs ,elvuad A claa-
M de pri.ira cat ank m Administra-I
dos do Amazonas e Pa.
ran i con s*gnuento do vencimentos pa..
ra todos os funccionariu.
A taxa da eartas uranqwesdas para o
interior ficon redimsida a eam reis e a do
exterior a dusentos reis.
Os ijgentes de mais do dee annos de I
service podem see aproveitados para .os
cargos que vagarem nas ageneias superio-
res, eono podem ser dimattidos sern pro-
cesso.
-0 dr. Jose Pompe. de Sounsa Brasil foi
nomeaoQ di.retqr dcf alWiieWi Oa sil0
do Cears-e o dr. Augu to de o veira
juiz do direito da eomarea de S. Bene-
dieto-e o dr. Gomes de Mattos delegado
de polimia da Frtal&ma. -
-Os editoriaes 15 e 16 de Novembro ato
consagrados A funda<-o da Republics na
Capital Federal e adhesao que lhe pre-
stou o Estado do CenrA.
Mi8as do Coxd-Com esta epigraphe a
Redac4to do Correio do Cartry appresen-
ta e recommend o artigo em quo o sen
illustre amigo Cel. Belisario Cicero Ale-
xaonrn r de s asseresdo d istin-
cto ar. dr. Floro Bartholomeu da Coata
publicados n'O Rebate e previne tambem
ao public que suspendsa sen Juio em-
quanto vem A imprensa o, orro advoga-
do-major Aquino, tambem encarregado
da mesma causa.
Stellario-Soneto de Rubens A Laura,
bells e moga que vive de eiganos.
Refere que um military lDnlez A passeio
corn outros compaaheiros de barco no Ta-
miss obrigon o poeta Eduardo Yang a to-
car ft.itas para divertir a .companhia e
r'is algumnmas senhoras.
Ameagado de ser atirado ao Rio, o poets
ceden a iintimaico; inas 'dias depois a-
chando-se s6 corn o in;oleite military, a-
pontou-lhe urna pistol A gargasnta e man-
dou-o dansar um minnwte.
Ficaram quite e tornaram-se amigos.
Palavra de h mra foi certamente a que
deu so-general Francisco Peres o heroic
coronel Hkeni4ne Angen, que achahdo-se
sentenciado a morrer fusilado is 5 horas
da manhiA, e querendo ver a esposa antee
de morrer, prometeu que estaria de vol-
ta its 3 horns.
Penibilissima a entrevista em uma hor-
ribilissima noite de tempestade; mas as 3
horas em ponto o coroner Angeu sapresen-
tou-se de volta. Tocado de similhante he-
roismo, o general obteve do dictador Sen-
tobona o perdae do bravo coronel na re-
volu,o o do Mexico em 18$5
0 Correio dos Lares notieia o anniversa-
rio natalicio de Cocy, miini-oa filhinha do
Cap-. Joao Clemente de Freitas no dia
13 do corrente, de Paulo Sisnando no dia
15, e da Ex-'. Senhora do pharmaceutico
Joad Alves de Figueiredo no dia 17.
As Noticiat meneionam a festa natalicia
do major Zacharias Vieira no dis 5 e na
qual pelo Correio do Cariry um de :enus
rodactores tambem ,chupou uma cerveji-
nha e uns copos do inimitavel alunA.
Taminbom fetejon scu anniversario no
dia 9 a Exms. St'. D. Diva de Menezes. fi-
lha do major Ranulpho Lyra, delegado
de polieia.
A festa esteve bem concorrida e muito
animada.
Reelama-se e pede-se providencia con-
tra a onda do mendigos que vindos de va-
rios pontos se tern derramado na cidade.
[ Alguns. embora aptos pars o trabalho.
so tornaram verdadeiros rnalandros e pre-
g2uiVosos, e outros ficando em easa mandam
as mienina siijat, exfarrapadas e nojentas
faser a colheita.
Recommend os pequenos ao juiz da
orphlios.
-Seguio pars a Capital a Exma. Sr". pro-
fessora D. Antoninha Teixeira Mendes.
-Proclamas civis de Manoel Ferreira da
Silva e D. Maria Conceiqao de Carvalho-
Francisco Pereira do Nascimento e D.
Isabel Maria da Conceigio.
-E' enorme a mortandade de gados
animaes no Rio grande do Sul e nas fron-
teiras do I'rugay corn o Brasil, e os pre-
juisos continuam a augumentar.
n-Em Portugal tern feito tanto calor, co-
mo nuna, houve em tempo nigunm.eheg an-
do o thermomretro :* niarcar 42" a som-
bra.
--Antes dedespejal-as na crculasao fo-
ram presos em Napoles diversos fabrican-
tes de sedulas falses do Brasil.
-Atd o tim de Novembro cortente ficarA
eoncluida a ligaso da estradk de ferro do
Rio de Janeiro corn a do Rio grande do
Sul.
Os progrea as vis ferreas no Sul
demonstram o deypre noiw atd agora os
governor do paiz 'mn sao Norte.
Segundo o Jorp/ de nias existe em
Trezidela uma mnina ha de Raymu-
do Lopes e ns UB r i i1rRd d Sant'An-
ua, a quai, embojs ja ia alguns mezeg
de edade, ainda ceno-. | craneo perfei-
tamente molle e tl, tranparencia que
deante da mais fr. IhB spresenta a
prefipectiva d'nm b.,ldyeonziano.
Editu--A' reqn lie ts.o major Joa-
quim Pinheiro Beze de enezes, Joes
Pinheiro Lobo de enemes Jurumenha.
Ab.t Pereira Lutas D. Veronica Car-
umiad de Oliveira.'^ Cel. Antonio Luiz
Aires Pequeno, inteo ete Municipal fez
publicar a parilha ds aguas regadias do
Batateira, e ma reonlo praso de 60 dts
pars oe com-senhore dodominio ntil do.
eitioa d'irmaso fa Drem Sntar bombns


arorque a recti uou e Je.-sus--
Christo, (diz Chateaubriand)- cute o despreso da mottd, e que E se nao ha religiao verda-
nao teme a discusaSo, nao teme the da prodigiosa imfi Ao, e, deira no Joaseiro, e sim phana-
a luz. A sua celeste origem, com- lirido-o melhor,. e tirar-. tismo religioso, perguntamos, ha
porta o mais severe e minlncio-
the delle as mais sublihmDs virtu- direito para se impor a forga u-
so exame da razao. Sublime pe- es. verdadeira
a antiidade de suas meoi- mareligiao verdadeira ?
l antiguidade de suas eo- sterio., supersti4 ou- E qual d essa religiao verda-
as,- que se ligam ao-btro do phanatismo reli oso,'certo 6 que deira sinlo a que professa e pre-
mundo, inefavel nos-mysterios, esse facto attrah u e continua- ga o virtuoso sacerdote, Padre
adoravel nos sacramentos. inte- a atrahir ao Joa iro um nucleo Cicero, alvo da venerag o publi-
ressante na historia, celst na de populagao, r.a e pobre, que ca nestes invios centros ?
moral, pomgapolsa e desmbrante ten sido carinhsamentel acolhi- Os que lhe acusam n~o per-
ais suas galas seguem tods as da pelo veneraxl Padre Cicero, tencem, por certo, ao mundo da
ariedadesl naptura, na poesiaa, par ell apl ado a trabalhos theologia e da f6, mas da inveja
nas bells lettras, na historic, na uteis, de lavo s, de industries do seu egregio nome.
philosophia e na raz o !... ds de edificac6o de cacimbas de Embalde, porem, se pretend
E de facto, seria descrer das casas, de Igrrs e cemiterios, de suprimir o Joaseiro; embalde se
radices e dosva ensnahos dents modo-a ter -elevado o arraial pretend empanar o brilho do in-
dc s Santos Evangelhos de Jesus d fo c
Christo, que correm em nossas ido Joaseiro, uma grande e fib- clito e venerando sacerdote, Pa-
mnaos. recent cidale,, a maior do Ca- dre Cicero; elle se rl e sogue a
rirv. qd r6ta gloriosa, patriotical e santa,
lde, di-nos Eanelo.re- E daqui o e do Crato, a corn a paz.no coracro e a alegria
err a oo e a mo d oppo- embargo ao seu progre- ide urna san e boa conciencia,
Oser e oucir. edir, pelo receio de perder a in- compadecendo-se dos yentzos
dam, Os leosos rem, os op an-ds fluencia do secu comercio e al que vdo pela vi ia tactiando,
dam,s rdos lepros sop, rl hegermonia que mantem em to-; sempre sujeito a uma rampa pa-
os surdos oue,, rCria do Cariry, jii oppondo-se d sua ra precipitar-se no abismo.
os mortos. pc
.< Vo tros oire: e r emancipa political, eii erse- C pri, pois venerando sa-
Io guindo aos romeiros, queimando- cerdote, vosso fadario,que o
do, v.o ea ld.er."/es corn C fr lhes casas e cercados de lavoura: : teu egregio nome ha de passar a
2ima e-.ao perceb res ( iniqui- adesque reclamam dos po- historic glorificado corn a justiga
,]I ta.o deres publicos urma prov idencia que merece, relevando-se-lhes
red ulo .'Mte aq o e energica, urma rep:essao e puni- os preconceitos. do seu tempo.
ta mdo e mette ems e .eI. a oes sev.-ras a takes bandidos. L-/ tyrans passeront
no sejas ancredeh e semdo iel. E o qe 6 imais parn admirar., Les peoples sout eterneis.
S ,,, e o e. que at6 do pulpito da Matniz-
Sos tratos do Evangelbo; e do Crato se tenha tami em ergui-
como quereis que um npovo-ca- do- adre, u faso apostoo inon.
do-um padre, um falso apostolo
thoico nao cra em miacs ? do christianismo, verdadeira me- --- -
Hypocritas, tirai pri l iro v diocridade apaixonada corn os f6-
treae tus olpho c aol con-. ros de Orador sacro, a langar
demneis a' um poro catho co C improperios c sandices contra o
aina m usm ministry i-Joaseiro e contra o humilde, in-
Jesus Churisto por crer e ter 16 trn r P icr
rd I genuo, carinhoso Padre Cicero,
as sagradas lettras. virtuo o, sem jactancia, e que
8e o fact do Joaseiro pareccu brn merece a glorifica-ao de
yvsterioso o veneravel sacerdo- benemerito da patria cearense. D. MARTA 1V. D1 V-..S:ONCELI.OS.
te, Padre Cicero. se houve erro r con ipopios, io-
da parte do mesmo, o ,rro s6 gando caunias e i nurias, nio Temos hoje 0 maximo prazer de
prevalece em quanto a verdade registrar em nosso ALBUM SO-
no aparece. 6 ue vangelisar, 6 abuzar do pulpi- CIAL o anniversario natalicio da
Fez-se a luz ? Npare o pr cer to sagrado virtuosa e sympathica senhorita d.
Provou-se a mz frr C.- :Evan-elisar, diz eminente the- Maria Ramos de Vasconcellos, di-
S r oloo accender nas almas o lectis-ima filha do coronel Valdevino
cero? Tambem nao. fa daFdd most erreira Ramos de Vasconcellos e
E neste caso, como condem- nas alturas o poo do dstin da exma.'sra. d. Mariada Gloria Ra-
nar-seA um innocent e tcl-o co- mos de Vsconcellos.
mo um supersticioso ? usar da brandura que conquista E' isto um acontecimento que nos
"" E depois; as cousas mvsterio- da perseveranga que edifica*. desvanece, e, de-vaue.-idos, nos sen-
Sepos; asd cousas mster- Em vao se espera, disse 0 timoset relatal-o, pois qlue d. Ma-
sas, como a vidaa more, o a- santo padre Pio X, em sua En- riquinha, como familiarmente co-
nore a gbloria, sgao o que ha c c rg a nhecida, um modello de virtudes,
mais bell, grandiose, docc e clcyca progm...I attrahir as al- d'essas virtades que enfloram e per-
sublime sobre a nossa existen- mas -i Deus cen z'Io amargo; tumam aua alma christ. e uam d'es-
cia, disse eminent escriptor. pelo- contrario, laando em ros. ses ornaments que formal o esc
a ~ e to duraimente os crros, reprehen- joaseirense.
Murmura-se, que ha phana- dendo con asperesa os vicious, A" exma. senhorita, apresenta-
tismo religioso no Joaseiro. cases mai damnoso ms-he ossos singeros profalas,
se ta o contestaes.es maispamnosoer esse mais que just amtivo de
o contestaosque uti. alegria e satisfaeio para a sna illn-
Mas, go phanatismo, diz Rous- Mas, esse apavonadol prega- stre e extremecida familiar, e seus
-'eWd,. ainda mesmo quando i dor do Crato nao quiz observer innumeros admiradores, e os torna-
cruel e sanguinario, e u:na pai- os ensinament)s do actual Ponti- mos extensives nos seus desvellados
do grande e forte que Eubnimna fice Ronno e:n sa referida En- sin mo-
Scorao doorn em-e i ,,,- ca. ,
j. corr cycIca. i_ I uelwa. -ra. d. M~ar~a da Gloria.


u- .& d'agus o tanto quo lhe pertenee.
'a-0 ;=iw l Cd jo i e Maia ] mareou
15 dam so a correigao uMs
ZTs- ph s Gownys trabalhar
dI da manhi A 8
Diverse AssuaierM-D JoA Bezerra
teocialistas em parto op mi oles-
ins internal affeceoes o S receita,
grastis aos pbres.
-D'. Irineu Bilhar, espeeiaqis em mo-
lentias do estomago, figado, viM urinarias
o yhilis.
=-R acia de Jose QGqA.Saom Roflm
A Rua oanoua cornm 4 rn m pleto sor-
"tlino -d pioffoet1s .li be nacionaee
e e tneiras, eoItoatmo do freguez.-
Pharmacia Central do Cariry, do Joeb Al-
ves d Figu Ado, A JTAW.d-.CMo.eie .
n'. 18. comr vanado sortimento e pregos ha-
ratimimos.
-Cooperativa Caixeiral de Joaqnim de Li-
ma, Twumesm dw- *. u sria, a 46
com sortimento do molhados, o estivas e
outras mereadorias.
E mais outros annuneios' como da Pro-
videncia, Sul-America, e artigos de com-
mercio.
A CRUZ
NAo poude sahir na semana pa sada


Jo e Tdlo


Os amigos e aprechlJores do nosso
estimavel conterraneo foram encor-
porados levar-lhe suas saudacOes e
felicitaqOes pelo sen feliz anniivrsa-
rio natalicio no dia 18 de Novembro
corrente.
Embora surprehendido, receben
dignamente a illustre comitiva, dei-
xando a todos penhorados pela gen-
tileua, comn que foram tratados.
Ao distinct amigo tambem diri-
gimos nossos parabens.

Deumdedit Marroces

No goso dca licenqa que Ihe fol con-
cedida para tratar de sua side, a-
cha-se no Crato o sr. Densdedit Mar-
rocos, honrado inspector da 10'. se-
cSo telegraphica
Cumprimentando ao benemerito
cidadlo corn o cordialissimo aprego
que nos merece, fasemos sinceros vo-
tos pelo restabelicimento de sua pre-
ciosa sairde.

Casnxmento

Censorciou-seono dia 17 do cor-
rente religiosamente o cidadio Jos6
Ferreija de Souza, corn a exm! snra.
d. Joanna Victorino da Silva, ambos
residents nesla localidade, srndo
seas paranymphos os snrs majores
JoAo Victorino da Silva e Joao Be-
zerra de, Menezes.
Xossos parabens.

Praea da Liberdade

Proseguam corn muita anima;&o a
reconstruaio de bonitos predios na
*Prana da Liberdade* desta locali-
dade.
Que a referida praca dentro em
ponce seja uma das melhores do es-
tado e o que desejamos


MIt.a de ueqauiem

No dia 15 do corrente as 7 horas
do dia, foi celebrada na -capella de
N. S. das Dores, a missa queem su
fragile d'alma da exmT snra. d. Her-
mmina Marques de Gouveia, manda.
ram celebrar diversas pessOas ami
gas memorando 0 primeiro annive .
sario de seu passanmento. n er

jete bmb lea

A peste bubon et
a Bahia dner . gtdora.

a tipographia e a red-
o do 'Dia!rio de Notieia. rd


.a~~2I 5h sli19rLit .


M IO RBGIONL--,

COI R E 10 CA-RIRY


deo pau "ou oe pedra cl de mo'o qe cad

^ .' ;


14'
hi





I+,


t:






!("*


ji .j-'
sl1:





*'. .; .1



!.*-




!, '*91


- .I- ----- --~' 7-~ rr--- ----- I rssr


____?


!


L-


0M


_ n~-





fr


Prefesser Fewer Penhorados, agradecemos-lhe a de-
t cadesa da visit. b
A' este grande c eminente so- ITA
ciologo-victima da tyrania de ,VLSITA
Affonso XIII mau0ommunada! Dignaran.e de visitor esta Re-
corn a tyrania do clericalismo-a daruaio os +s: Manoel de Sousa, I
peior de todas as tyramias, vio Moneiro, .1 Drarte Piaheire,
erir-he u monuentoManoena1al Rd es Peixoto d'Alen-
rigir-lhe um onumentona pr-cal Gilbe oreira Ramos de
ca -mais public da velha Roma. Maria e Joaqe Henrile d'Alencar.
Agradecidos.
CONIDECORACOES DEVOIVIDAS
elie de hblre
Entrando para o grande c6ro'
I.: Conta- da revolta, que se alastra por co, senator roma foi encarregado
toda a E'-ropa cultural. provoca- pelo impeiador '7 jano de presidir
da pelo assassignato do illustre ao sacrifidos em onra de Jupiter.
Ferrer, grandes estriptores e no- 0 senador recuson ; mas, a forga,
taveis scientists fraiceses, agra- teve que ir alta 0 enorme !boi,
ciadospelaHespanhadevoleqnedevia se queidoem hora as
iopa eaa deowes, estaya coil do em cima do
rain a D. Affonso XIII todas as hbrazileiro, e o des ado senador
condecoranoes. viu-se obrigado a x tol-o na quali-
dade de president dI cerimonia.
COMPLOTS Quando o animal stava a assar,
cain no ehio uam dos da<;os. Planco
foi para o apanhar;, as, ao sentir
Consta que jai se acham corn queimados os dedos, tteu-os A boc-
certesa organisados various 71m- ca instinctivamente.
plots para tractar da morte do; Naquella occasion uam famoso
neresco Affonso XIII. desrobrimento. Const qne a came
r assada por aquella m: ira era infi-
Bern, que por la se hajam ",itamente mais sab sa que a pre-
I prada .egundo o co ne dos cozi-
O ENSINO RELIGIOSO NO JAPAO uheiros romanos.
Tanto apreciou Plai o o sabor da
O ministry da instruccao pu- care que, sem pensa no sagrado
blica acaba de determinar que das funcq6es que deseatnenhava, pe-
em todas as escholas publicas gon numa certa poro0 do tostado e
Semeu-o As occultas, resolvido de fu-
do Japdo se de o ensino religio- tiwo a cozinhar todos os dias am bife
so, o budhista, como o christdio, para o almoo.
segundo a crenga de cada urn. Mas, um descolrimento de tal im-
Bella licao portancia nao podia permanecer por
muito tempo nm segredo e chegon,.
ANNIVERSAmIIO DA NAV ;A(O por nim, aos ouvidos de Trajano. Lo-
go que este provon o assado, aellon,
conio Planco, que era exquesito e
Os Estadas Unidos vao ce- incontestavelmente melbor do que
]ebrar o tricentenario da desco- qualquer dos pratos que Ihe prepara-
bert do rio Hudson e iam nas cozinhas do palacio.
berta do rio Hudson e a urn Desta maneira, a partir desse dia,
tempo o centenario da creaaio, o costume foi-se propaganda, primei-
da primeira companhia de na- ro entire as classes ariatocraticas e,
veagao a vapor. Brilhntissi- iPr ultimo, entire os populares, tor-
mas, feericas serao essas festas nando-se o prato favorite.
que os americanos preparam ------- ---
corn todo o calor de sua raga. MILAGRES

0 TUMULO DE GARIALDI 15 DE NOVEBRO

O governor da Italia acaba de! Pela data festival qu- epigra-
adquerir toda a ilha Caprera on- pha estas linhas, na qual foi pro-
-le se acha o tumulo do grande clamada em nossa estremecida
Garibaldi. patria. 15 de Novembro de-
A ilha toda torna-se assim 1889, que entrou para a historic
propriedade national. brasileira aureolada de brilho,
O tumulo do ilfustre patriot de ova6es populares, venho ex
unificador da Italia fi :arA isola- ternar o enthusi?smo de que se
do, como um bloco marmfioreo, acha possuido o meu coragao de
no meio da ilha. mc go de envolta corn os votos
que faco pela felicidade diutur-


Peso de homems

E' cousa sabida ji que os velhos
vwo dinunindo de tamanho e que
aos 75 annos o tale de umn home
diminue cerca de 7.5 millimetros.
Mas am sabio acaba de nos ensinar
que corn a velhice, nao s5t a estatura
mais tambem o peso do corpo dimi-
une sensivelmente.
Os annos pesam sobre nb6s, para
nos tornarem mais leves.
O tigado, cujo peso normal e de
1.500 grammas, mais on menos, naio
pesa mais de 800 a 900 grammas no
velho.
0 cerebro perde 150 grammas na
mutdia: elle pesa 1.165 grammas no
adulto, 999 no velho.
O coraciAo, todavia, far. exceplioo a
..sse decrescimento: elle continue
sempre a crescer conm a idade.
Nos velhos elle pesa cerea de 100
Orammas mais do que nos mocos: se-
i.A talvez por isso que elle custa mais
a se mexer.

MANOEL DE S. MONTEIRO

De passeio, acha-se entire nos o il-
titstre sr. 3Manoel de Sonza Monteiro,
"istincto empregado do commereio
'a praca do Recife.
S S. entr-teve comnosco agrada-
vl palestra, revelando-se im in: o;o
tie eduea~Ao final e aprimora'la.


na do probidoso governor que tao
honest, quanto proficientemen-
te term sabido consolidar e amol-
dar entire n6s este salutar regi-i
men politico administrative.
Nenhum dia regista em nos-
na patria feito maior, mais faus-
toso e digno dos nossos enco-
mios, que o de hoje, em que
o Brazil, heroicamente represen-
tado por Deodoro, Floriano Pei-
xoto, Benjamin Constant, Ruy
Barbosa e tantos outros Pstros
que fulguraram na nossa histo-
ria political, inaugurou, no solo
bemdicto de nossa patria, o sys-
t 'ma repubhicano, que Ihe abrio
uma era de liberdade e progres-
so.
Continuemos, pois, a levar A,
tao grande obra o contigente
de nosso esforgo patriotic, isto
e, cada um, na media de su-
as forgas, de suas aptidaes,. pro-
cure pro6nover a felicidade da
estremida patria, que tanto et-
tasia, pela promiscuidade de
sua riqueza, -amenidade de seu
solo e intelligencia de seus fi-
lhos, as nag6es cults do uni
verso cm pe-o.


Ea vos saddo, 15 de Novem-
)ro.
Enoch Nogaueira.


SEDMICTOR1AES


NO SERTAO

0 solo em Janeiro
Todo recequido,
Faz o creador
Viver opprimido

Seccaram-se as fontes,
Findou-se o pasto,
Sustentam-se os bichos
Com rama no mato.

Triste a creagdo
Caminha pendente,
Soffrendo a tortura
De uma s de ardente,

Mas um bello dia,
Em tarde callada,
* Forma o nevoeiro
Columna serrada.

La no nascente
Um raio percorre;
Um rouco trovao
Geme ao longs more.

Uma vez e outra
Vem se approximando
Urn raio luzente
Sempre fusilando.

Vem, chega, C torment.
Denso nevoeiro,
Corn su manto escuro
Cobre o mundo inteiro.

As aguas nas pedras
Vem de encontrodo;
Sacode os palmares
Forte furacao.

Z6am as caxoeiras,
Baqueiam os angicos:
As aves se apegamn
Nas unbas e bicos.

De quando em quando
A chuva augmenta,
Nern pobre, nem rico
Respeita a tormenta.

Na casa do pobre
Qual mansos pintinhos,
No collo da mae
Se agrupam os filhinhos.

A forte tormenta
Vae se ausentando,
E surge no espaco
A lua brilhando.

Ainda cansadas
Pingando as biqueiras,
As aguas nos regatos
Percorrem ligeiras.

Levanta-se o homemr
Forte agricultor,
Contempla a grandesa
Do seu creador

O peito se ufana
Fica aprasentado,
O resto da noite
Se passa accordado,.

Equando no ceu
O sol vem surgindo,
Os homens e cousas
Vem todos sorrindo

Um dia mais outro
Vem, se desenrollando;
A grande verdure
Seu manto desdobrando.


Toda a creatura
Nutre de esperanva:
Foi-se a tempestade,
Chegou a bonanza.

'Jos6 Augusto Si6bra


CARTA ABERTA

(Ao home do fim do mundo)

As minhas duas ultimas Car-
tas tem dado o que faser a mui-
ta gente.
Uns dizem: estas cartas sao
do Redactor-Chefe ou do Josd
Marrocos; outros dizem: sao do
Dr. Ftoro ou do Manoel Alves;
e e assim vao dizendo e de fula-
no, de sicrano, e de beltrano; em
quanto, que, eu, you as occul-
tas soltando minhas gargalha-
das, por nao terem ainda acer-
tado com o meu verdadeiro no-
me.
O home do fim do mundo
ainda nao responded nenhuma
das minhas (artas publicadas
no Nao sei, porem, qual o moti-
vo do profundo silencio do nosso
(ja disse alguem) RBuy Barbosa
do Joaseiro.
S. S. j"lgardi desdouro res-
ponder a um moco? nao pos-
sivel.
O mogo que escreve estas li-
hhas tern tambem direito ao res-
peito e consideraa0o dos velhos.
Por isso, leitor amigo, o silen-
cio do nosso homiem do Jim do
mundo incerra profundo myste-
rio.
No entanto n0o e difficil a ex-
plicacqo.
0 home do /fm do mundo
ja tern soffrido as maiores dece-
p93es; e eis porque nao respon-
de as modestas Cartas deste
moio impertinente, receiando,
sem duvida, novos infortunios
nos seus rascunhos.
Adeus, home do fim do mun-
do.
Faga teus rascunhos corn ma-
is cuidado, estude mais seria-
mente nao de combat a verda-
de, evite as falsidades e terai
gratis as receitas do-

Nicodemos.



ATTENCCAO

Casas, Sitio, fasendas de gado
neste amnnicipio no term '-, Sant-
Anna do Cariry A vender.
Jos6 Rodrigues Monteiro tendo de
retirar-se desta cidade no intuito de
procurar na Europa alivio a-sua
sande sempre alterada, declara, a
quem enteressar, que estio expostas
a venda todas suas casas nesta cidade
Se suas fazendas de gado neste muni-
c'ipio e no termo de Sant-Anna do
1,;*riry e mais um sitio no mesmo re-
f rido termo denominado Queimadox
corn engenho de ferro e casa propria,
casa de vivenda, tudo de telha de
segura construato, corn uma peqnena
nascenea e acnde de pedra e cal, corn
cannavial para dusentas cargaside
rapaduras, possunado extensas mattas
comrn madeira de construcao: outro
sim pede aquelles dos seas amigos
que te comrn o mesmno negoeio,
queirmo por bondade satisfaser sens
compromissos, unea vez qae tern de
ausentar-se por tempo indetermina-
do e ter de prover-se de recurses suf*
ficientes.

Crdto, 26 de Ontubro de 1909

Jose Rodrigues Monet!ro


S '.


la;,Sa~l;ss;i~


AVISO


Rosa A. Alves d'Oliveira avi-
sa aos Snr? paes de familiar que
em sua residencia, praqa do Ro-
sario, lecciona portuguez, fran-
cez, arithmetica, geographia, hi-
storia universal, &, por prego
modico.
Crato, setembro de 1909.


S CRATO

Aluga-se uma boa eaes, n*. 67, wa Rue
da Laraisgeira, A 88000 mensaes, pagos
adiantados.
Quem pretender aluguel mais modico,
pagara adiantadamente apenas vinte mril
reisnpor trimestre; sahindo awim a menos
de 7$ por men.
A tratar na Rua Grande do Crato'.-S
68 sobrado em frente da egreja de nVi,
center Ferrer.


BURROS SUMIDOS
Desapparectram de men sitio am
burro cardao e ueia burra castanba
quazi preta ambos corn esta marca-



Qeuem tder noticiaser tas na edae-
o r e0oateoa vier meetre-
gar ditos animals, sera.
generosamente-
Babaa Stio Bre o d N-
vembro de 1909
J01A0


- Ii


;''~~~B~e ;~ j'' ~ r .


- ,.




CASAS
Jeronymo Fracico deo L,
tea, ne-ta alo clidade A, v d a,
casas deitaipa cobertas do tf 1..
sia a Rua d9 S. Francaco e a
na travessa da RBa a eapru b
ra pede200:000;pelaegda 18.:00: A
A'tratar na RUA DO CRI TFEIO

JOAZEIRO DO CARRY

-----f 1

JQSi LANDIM
Avisa aos srus fregwes que chege o un.
grande sortemento de Vinho doPorto, MOe-.
catel superior, Santo Anton K eD '. -
mute, Vinho, de Misa, O, s rnot do
jinipapo, Aguarnte de Caj de Liu e
Canna: C.garros TpyLA morona, sBotO,
Come Slo Bonade palbhs, as Quatro LIAm.
populares; does Pesqueirs=Josd Fa=an
Manteiga Bretel. Excellent, Papgaio, i-
auhy; Banha de porco em lata.
Tudo per pre os modicos
Rua P.eCicero n. 62.



AO PUBLIC
Communicoao public cratense que
estou ao seu despor em efecutar qual-
quer trabalho de pedreiro mediate
contrato on ajaste, garantindo pres-
tesa e perfeigao. So nao ajusto por
diaporque tenho eoccupaq6es ques"6
me permitted. .
Crato, 12 de novembro qe I%9
Miguel Rodrigues dos Santos


MERCIARIA OLIVEIRA & NATIM

0 proprietario deste acreditado eetae- -
lecimento tendo recentWmente chep do dA
capital do edtado avisa ao seas nnuqm-
ros freguezes e ao public em geral qiwea
acham comn nm complete sortimento .d
mereadurias nacionses extrangeiras.calb-
dos, meias,para homes asenhoras, susplm-
sorios, eadeia de alminium, redoqass,
extractoa de diversaas qualidadeo, brilalum-
tinas. oleo de baboza pan o eabelloq Bi-
bidas de diversas pualida c s emmrva
doees, copoe dew phantazis, hico.. rendus,
sutaxes, gregas. etc etc.
Tudo a diuheiro a vista e per preVos
modicos. 0 PROPRIETARIO
OLIVEIRA &] NATIM

JOASEIRO CEAR A -




6 .141.4.- U -. T.


iD'0r'R'DAT.Elk
D|O E .

ESTA TYPOGRAPHIITA ENGARREGA-SE DE QUALQUER .
TRABALHO DE IMPRESALO COM MAXIMAX PRESTESA E NITIDEZ;

IMPRIME
CARTAS,
CARTAZES,
CARTOES DE VISTA
RECIBOS,
RUTULOS,
FACTURAS,
ANNUNCIOS, ETC.

0 trabalho P feito corn toda perjeiafi e asseio na
Machina fc licia3, seado os precos sem compe-
ten a.



6" _A-A.AMA ",&A A i &&Amd


t
1


p~WY Bi~s~~_ICilAM~


v VV V V V VV V V V V V V V V v T

AECONOMISADORA PAULISTA
CAIXA INTERNATIONAL DE PENSOES VITALICIAS
...... . T-- ..... T7 -l...l d^ .I-. -. 1_ . .


/



monsufdade e tmr direito, no fim de 10 annos, a umA pel
n4o podari exceder de 100$000 per mez.
o caso de fallecer antes de chegar a receber a pe
asmociaqao paga a nos seu herdeiroa necessria todaSw as
bti~oes quo elle tiver feito, sem jurors. Dapdo-se o fallec
depois quo o mutuario estiver cm goso da pnsaLo, etat
tinicta, stem que.aos seus herdeiros assist qualquer divii
A pchoao sera pagi ao proprio individuo, o anao
curador legal, ou per intermedie de qualquer Banco,
mutuario se achar no extrangeroQ.
0 socio contribuinte em dia, que ficar imposli i
proseguir nas suns entradaa', depois de cinco annas de
Oio, em consequencia de molestia chronic e incuram,
inhabilite para o trabalho, soid considerado suspensoe
der1 direito 4 .pensao.
Os pagamentos antecipados de 1 anne gozamr .
0lo de 5o/o, os pagamentos do 10 annos, 20o/o e os
tos de 15 annos, 15o/o.
0- mutuario que so inscrever urn mez antes
tiver a sort do ser premiado, pagarA apenas ponuce I
tera direito a unia penstio para toda a sun vida. f
Atd dezenibro oram sorteados cinco cadernii. o
no period de novel mezes. A ECONOMISADOIR a
que taz sorteios de d.ois em dois mezes e um grain aI r
Natal!
Socion iiiscriptos do abril de 190S a Jineiro I :-

Nenhuma outra sociedado obteve tal numero de si "0no
primeiros niezes.
PEDIDOS DE PROSPECTS, PROPOSTAS, CADEI2kriA E
iNFORMAOES MINUCIOSAS AO
Represe.itante no Crato
A. Belem Sobrnhoo
45-Rua do Commercio-45

CRATO ELEGANT



CRATO-CEARA'.
Ioja de fasendas gnaes, modas, miudezas, N iLks.
deu-n,) Domestico, Alta phantasia, & &.
]Especialidade em: j
Attigos:para homes, senhoras e creanga.- -"

4.1RUAS SEMICOMT131ERCTI)
45-RUA DO C0MMERC)I--


Approvaua por uLecretouw e ur, com ucepoUito e lgaran-
tia no Thesouro Federal, proportional ao capital de p.suscos de L
r -il contos de rdis.
Registrada na Junta Commercial de Sao Paulo. de faenda. ,rcafdor/a., estivas, ferraql ,*Ahp~os
Sle em P LO: RUA S. BENTO. 3 recebido do Ceard min complete sorttmento dos- artiq
,H. le e I. *'-PA V :L0:RUA S. BENTO. 47;3
men cionuados vqu so ",'endidos por preco sern competent
(:tutigo escriptorio da Com:panhia Mogyana) vida todo pmiblico para fazer uma visit a dito estabei
iqe se certificard do que e affirmado.
Filial no Rio: RUA 7 DE SETEMB31O, 113 modernn)
E GON(CALVES D!S E AVTNIDI T.A DCENTRAL)D QEI !


SAPROVEITEM !


bfI lECITOnU .7oao Baptista
PRESIDENTE-Sci ivlor Ini;z Piz, Senador E.-tadoal Rua Padre C
ex-chefe de P.heia e ex-Secrotario da Agricultura. do E. de S.' AOO BA.
^*r Paulo.
SECRETARIO-Commendador Leoncio Gurugl, da 'irma -
Silva Seabra & 0C., da Fabrica de Tecidos S. Bernardo. FARINHA I)EIMANDIOCA
G;ERENTE-Dr. Claudio de Sousa, medico e industrial. F -iA IOCA-
TIIESOUREIRO-Dr. Gabriel Dias da Silva, advogado, Jose Alves da' Silva. avisa aos se-
: ceapitdlista, director da Companhia In lustrial de S. Paulo e da us.fregueses e ao public em geral
Companhia do Po;os do Caldas. que tem em deposit1o )rande quanti-
dade dei Conselho iq.FVila primeira qnalidade, e -VENDE A
j DINHEIRO- em grosso e a retalho
SExmo. Sur.Cond- de Prates, Director do Banco de S5o preqos BARATISSIMO.
1 Paulo-Exmo. Snr. Coronel Fernando Prestes, % iec-presidcute RUA DO PADRE CICERO No 301
do Estado-Barfto de Duprat, director da Compaiihia luhustrial
de Sao Paulo-D.-. Rodolpho Miranda, proprie.ario da Fabrica J OASEIRO DO1 CARIRY
de Tecilos Arcthnusin, de Piracieaba e delmtado federal- -.-
Dr. Joilo Alves Dima, unedico e proprieta.'io-Parm. L. Pinto
de Queiroz, da firm L. Quoiroz & (:'. (proprietaria da Drogaria PHARMACIA GARVALH0
* Americana e Fabrica de products chiinicos) Dr. Pedro Pontual Rua do Padre Cicero n'-
e D)r. Victor Godinho eapitalistas. Ra do Padre Cicero n- 44.
A ECONOM1ISAI)DRA PIAULISTA .: umia sociedade Ha n'sta pharmacia urnm vari-
niutus, corn fiscalisaao do Governo, cujo fim n estubelecer umna ado sortimento de drogas e pro-
RENDA VITALICIA MENSAL, IM D.MIEIRO, aos seus socios. ductos chimicos, especialidade
STom duas caixas, a caixm A e a caixa B.
Us S0cios da Onixa A pagaam 5Sooo de oa e oo de pharmacuticas naionacs e es.
mensalidade4 t ni direit no fimn de 1I5 nuos, a una pensao, trangeiras -Espera-se um bom
que to-aseri maior de 1501O00) por mez. soitimento vindo da Fortaleza.
or soeios da Caixa B, pagam 5000 de joiae 5j000 de Avia-se receitas a qualquer



-e. .
/,--'.i_ JB } ____ _^ ~^ l~^* Wf^ f w M ^M S -^


APRuVI


de Oliveira.
icero N. 3~sc
RATEIRO


hora promette-se comr
niptidao, cuidado c assei
Tudo por precos mo
de-se nesta pharmacia.

JOASEIRO-CE.


BURRO SUMI
0 abalxo assignando grati
qnem entregar mie burro noi
escuro count esta marea:-
Cd
e coin ;a ?guinte freguezia:-


Qnem o aprehender pode
no Joaiseiro. Tmac dio dO
no Crato ao nar. Donaciano
Monte Alegirt, 4 de Outn
LLOPOLLDINO BIZERRA


- -. ^^^ --4 :-


I i$N


. SAPATARIA PERSEVERANQA
Esta sapataria se encarrega de toio a
ntrer on qualquer trabalho em couro e garante aos
-e .seus f u oeses obras que nuo se pode de-
Norsa... sejar melho, e de pros rasnaveis.
bro de 1 R909. Irenio Cabral de Oliveira
Rua do truzeiro no 1085
S Joazeir, do Cariry


i,


.... .Joaqui de ', -


'4
4
4
.4

4
4
4
4
4
4
4
4
4
.. ^4
f i "'
4
"V. *


LOJA DO BABATREIR

MANOEL VICTOR INO

Corn um variado sortimento de fasendas, a loja

Aeha-se sempre a desposiq o de seus freguezes

PRE(OS SEM1 COMPETENCLA

Vende-se tudo pe'o pre
RUA NOVA N. 966

JOAZEIRO DO CARIRY
IggStffi^


iJ


lo que

io, a COLLEGIO CR
cmtro- SOB A DIREGqAO DE
i 1nto A
ex- I Joaq$ I. Teles Marrowo 0
( AliriI-e no di1a 4' margo
pro-arqo
do o Preoms segundo ":. ie e
pagamento adiantad-.. :-'.'
ado Interns, trimestre 120$000
t. Eternos,cadapreparatoio 5000
w o Escolaprimaria,men.afaad 2o00
'q o Todoa os pagamead aGMo fei%
Sr- to th.COmeoar o trimostre.
edc- A 'n preeisar de qu -a res-
luen-- clarecimento, pode en,1riile -se.
en- com o Director,rua granle,emrn
,irteo e frente daEgreja de S. Vicente
rteis e Ferrer.

)u seja E -- A A
unica tt # I U .4 1
teio Sno

13000 GRANDE JQUIA! |
s seus S
Cincinato Silva tendo rccen-0
4temente c h e g a do de Gara-1
nhuns, Pernambuco, e aqui se
#estabelecido com fazendas, minu-"-
adezas e ferragem; avisa as Exs.J
3familias e ao respeitavel publico5
j que trouxe complete e variaiAo
%sortimonto em artigos de moda, R
Sfantazia.brocados,fustoes,linhons,S
Setamines, artigos para presentes,S
riscados diversos, brins branco e ';
jde c6res, zophiros' & &, e vendewS
1 por preqos reduzidiisimos.
V.Omais exigente fregcuez acommo-S
$Sdar-se-A comr os seus pre I contrando .sempre agrado e sin-p
Artigos ceridade. i
Uma visit, pois 4LOJA S

I Cincinnato SILVA
: RUA NOVA N. 887

JOAZEIRO-CEARA



Aos irmAos Irmandade da Terra Santa
Tendo que,por bondade,tratem ide pagar o mil re-
is annual dessa associgio,de cujo' d-' r
)os acima ja so vao excedendo.
cia. con-
lecim-.nto Azeladora
MARIA da ,SOLIDADE


ITEM SAPATARIA BOA
cESPERANgAv
Joaquim Dezerra Sobral

Esta Sapataria acha-se l disposi -
ao dopublico e dosamigna, e emn<-
rega-se de todo e qualquer trabalho
moda pro- em coiro corn presteza e modicidade
io. em prepos*
dicos ven- RUA DO CRUZEIRO N? 990

JOAZEIRO DO CARIRY
ARA _______
-- Sementes de Manigobas do Pianhy

DO Amelhor semente da actualidade
Dez litos per 2$000-oito cnias per 15$000
fcoea bsah Vende Jos Alves da Silva
S. Rua do Padre Cicero N' 3ol

JOAZEIRO DO CARIRY


' *


- -- .-- -....--. ..1.-- .-.- N ... jj