<%BANNER%>

UFLAC



Rebate
ALL ISSUES CITATION THUMBNAILS DOWNLOADS PAGE IMAGE ZOOMABLE
Full Citation
STANDARD VIEW MARC VIEW
Permanent Link: http://ufdc.ufl.edu/AA00001672/00018
 Material Information
Title: Rebate
Physical Description: Newspaper
Language: Portuguese
Creator: unknown
Creation Date: October 31, 1909
 Subjects
Genre: newspaper   ( sobekcm )
 Notes
General Note: Newspaper issues from the personal collection of Pe. Cicero Coutinho, Juazeiro do Norte, featuring articles on Padre Cicero.
 Record Information
Source Institution: University of Florida
Holding Location: UF Latin American Collections
Rights Management: All rights reserved by the source institution.
System ID: AA00001672:00018

Downloads

This item has the following downloads:

( BRIDGECACHE )

( BRIDGECACHET )


Full Text


























CEARA-BRAZIL A DOMINGO, 31 DE OUUBRODE 109


1i ANNO I-NUM. XVI


AVISO margem do Jaguaribe. aos 31 de!
outubro de 1824, e, nessa mes-
Rosa A. Alves d'Oliveira avi- ma occasido, morto. ma.s nao a-
s.a aos Snr? pages de familiar que leivosamente como rest a isago-
cm sua residencia, praca do Ro- ge d'unia history; porquanto,
sarno, lecciona portugu i', fran- quando o seu antigo companhei-
cez, arithmetic,:. geographia, hi- ro d'armas,-o perfido Jos Le-
.storia universal. &. por prego: do da Cunha o atravessou a es-
modico. pada, ji click agonisava devido
Crato, setembro de 1909. aos accidents da batida.
Seus restos mortaes, barba-
"ramente mutilados, ridicularisa-
JOASEIRO DO CARIRY dos e escarnecidos estiv,:ram in-1
sepultos ate que o0 recolhe,.,-
reliquia preciosa, e os fez sepul-
TR I STAO i tar na capella da dita povoa'o
Ide Sancta Rosa, a caridade
GONSALVES d'um itinerante . .
i Nasceu em 1790, e morreu,
Pa.ta hoje o octogcsino se- como o dissemos, aos 31 de ou-
ptimo anniversario ua morte do tubro de 1824. portanto na ida-
immortal bravo-her6e e mar- de fatal de 3 annos.
tyr da liberdade da patria-Tri- "Tudo isto que vimos de:expor
stio Qonsalves Pereira de Alen- sAo vozes da verdade historic
car, conhecido, depois da revo- em harmonisaal2o corn os eczhos
lut do Equador, por Tnistao da deuterose.
Gonsalves de Alencar Araripe. Como se ve d'este fin 4*histo-
Coino d sabido, ral de Salamanca, ontr'ora Ad'e- ptimo anniversario da morte do
ste termo, portanto, nosso patri- immortal bravo-her6e e martyr
cio, oriundo d'uma familiar nobre da liberdade da patria-Tristio
da extrema de Pernambuco. Gorisalves de Alencar Araripe.
Tomou parte active no movi-. Sao mais que ponderosos, po-
mento politico que se effectuou is, os motivos que nos tiraram
na visinha cidade do. Crato-vil- hoje pela vontade de prestar u-
la e cabega da 2. ouvidoria da ma singela homenagem ao im-
provincia, o qual tinha por fim mortal patricio, patriota e repu-
ligar o Cearai a causa de Per- blico que soube,em quinta cessen-
nambuco insurgido contra o des- zia, consubstanciar as duas cou-
potismo-a monarchia portu- sas miis bellas d'este mundo
guesa. -o Amor e a Liberdade!
Preso e remettido aos carce-
res da Bahia, voltou ai sua terra
natal ap6s a revoluao que inau- Trista. Gonsalvec
gurou o systhema constitutional
.,*n Portugal. ...... amwrtalhoa-te a lama
Promoveu o movimento da.am o- ama
Ten uome a patria guarda-o na
independencia que comelou no memorial!
Ic6, e que fez installar unm gover- (A. Beserra.)
no provisorio em Fortalesa, do
qual foi um dos membros mais Na face adusta da rozha, o
prcstigiosos. ve.to de Deus deposit o humus
A' frente das forqas expedici- d'um mundo que vein!
onarias doCeara,foi, em commis- Na catastrophe existe sempre
sao, ao Maranhao, cooperar na uma lacuna em que tern logar
;endigao de Caxias, cabendo-lhe um germen !
toda a gloria d'esse feito d'ar- Nas ruinas d'uma epocha ha
mas, pois que fora elle quem sempre um poder ignoto, uma
move e dirigiu essa crusada 11- forga misteriosa, impulsora de


bertadora. novos ideaes, de novas aspira96-
Voltando A sua provincia, le- es.,
vantou o estandarte da revoita, Nos grandes desastres que se
-.roclamando a independencia idesencadeiam, como tempesta-
,': Ceard, o equal entrava na con- des, no seio dos poros; nessas
federac.o do Equa4dr, como umrn redemo'nhagens humanas que
dos cinco estados que o deviam se desdobram terriveis, impetu-
compor, teKdo sido, com- foi. osas-de vagas sombrias a preci-
presidente d'essa malfadada re- pitarem-se em catadupas; nes-
publica de 24. sas hecatombes pavorosas que
Trahido pelos chefes de seu ensanguentarn o s horisontes
exercito, e antigos camaradas d'um povo, talham-se as morta-
4'armas, foi batido pelas for4as tailhas da farna, agigantam-se os
imperiaes no arrdiial, hoje povo- pyg-.cus, fundemn-se os gigain-
4ao de Sancta Rosa, ,o Riacho tes, redivivem os mortoS, sur-
uo S-.gue, d'cste estado, A'I g pyraridalrente, avult-rn--


se colossalmente os h es! sempre a personifical-a urn pu- sna liberdade; ambas so0 pro-
Nas convulsoes immensas, nhado de homes, ou um s6 ho- vincias do Brasil, cheias do gaz
n'essas convulses de fogo da mem de sua altura. e d'aquelles illustres caracteres,
revolugao de 1824 pe4llierda-i N'esse period historic de que a natures gravou nos cora-
de da patria, pela autonomia da1 1824, esse home foi entire n6s g6es lives dos brasileiros.
patria, pela independcncia da i -TristIo Gonsalves, nascido em Do papel junto actaa da reuni-
patria, mnemonisa-noa-O dia de Salamanca, deste termo, outr'o- Ao de 29) veri V. Exc. os moti-
hoje, cahiu morto um home ra, no anno de 1790, e morto em vos que nos obrigaram a depor
que sonhira, como Tiradentes, Sancta Rosa do Riacho do San- o president do governor desta
este sonho todo de arestas e fo- gue deste estado, aos 31 de ou- provincia, dentro de 14 dias.
gos cm realidade hoje, ihas nun- tubro de 1824, na edade de 33 0 Sr. Pedro Jos6 da Costa
ca como sonhado-a Republics; annos. Barros, em tAo pequeno period
um home, cuja vida .de feitos Como se v6 deste computo de tempo, tornou-se o alvo do
gloriosa deve ser posta em elo- historic, faz hoje oitenta e septe resentimento deste povo brioso,
gio deante A posterid*de como annos que a magnanimo here, que ja nAo soffre os enganos, e
incentive e como espe ho ais ma- e filho mals heroico desta terra, para melhordizer, o descaramen-
nifestac6es pulcherrimns do a- um dos filhos mais bravos do to do gabinete, do Rio de Janei-
mor A patria; um, homncm, here CearA. sumiu-se no oceano da ro. Quiz levar-nos como escra-
pela vivacidade de sdi talento! more para apparecer solemne vos aos ferros do despotismo, e
pela en rgia de sua v tade, pe- como um propheta de Thorwal- pretendeu que o Ceara negasse
los qui ates de seu 0io, pelos dshn, ou sublime como um varao a Pernambuco aquelles indis-
timbres de sua honraOjelos ar- plutarcheano no pantheon da pensaveis soccorros, que um ir-
rancos de sua bravura, pelos e- Historia. mao deve prestar a sen irmlo
stoiros de sua corag pelas E n6s, cobrindo-nos com a consternado; propoz mesmo que
tempestades de seu p mo, magestosa purpura de nossas n6s fossemos de todcd oppostos
e mOis queher.e- mar- tradio6es gloriosasL ainda vimos aos sentiments dos denodados
tyi etffe das ty af mirrtrdarada^dgo a eqasawlmags.
de da patria. dia de h-je, apotheoses ao im- En quanto durar a
Tristao Gonsalves Pereira de mortal patricio. presidencia temporaria, conte V.
Al,-.ncar, eis, A principio,-o seu Combatente que tambem Exc. que o Ceara nio ha de
nome. somos, nas lides da liberdade e afrouxar um s6 fusil da grande
Oriundo d'uma familiar antiga, do patria, nao podiamos n6s, cadeia, que nos entrelaga, pois
poderosa, e illustrada, dos con- nemjpodemos esquecer nunca o que de mais a mis temos na
fins de Pernambuco, parte im- dia solemnissimo em que deixou frente o intrepido Filgueiras o i-
migrada para esta terra dos ver- de bater aquelle pulso d'ago, dolo do povo e tio firme, como
des canaviaes, teve, como pro- emfque deixou de pulsar em unia rocha.i
genitores, o portug"ez Josd Gon- peito elephantino aquelle cora.
salves da Silva, e D. Barbara ]ao de gigante!...
Peireira de Alencar, asenhora Her6e, e martyr da liberdade emerla
varonil, intelligence, e de voca- da patrialna: olvidaremos nun-
gao decide para a political, a qual ca os teus feitos d'armas, as tuas o Ca teoene rSilval homa Lon-
rengo de Ca. t:o e Silva,sobre a mor-
se tinha tornado poderosa no sul glorias, os teus arrancos de re- to de Trietao Gonsalve&
desta parte... public e patriota, come nao
aO sabio Manoel de Arruda cessaremos nunca de, por ma- aQuem escreve estas tristes
Camara, em sua carta de 2 de neira orgulhosa, honrar-te a san- linhas vio o seu cadaver em p6
outubro de 1810, ao Padre Joao cta memorial. recostado sobre umajuarema.
Ribeiro de Mello, verdadeiro Si nio temos pantheon como Secco e mirrado estava elle, o
testamento politico, recommen- a velha Grecia, onde se levante peito varado por uma bala que
dava esta senhora, como uma a tua estatua, temos as saudades lhe sahiu pelas costas, vendo-se
heroina, que muito devia apro- da patria, onde reviveras para d'um a outro lado como por um
veitar A emancipagAo do Brazil, sempre; temos os fastos da his- oculo; os bragos abertos, a mao
objective de seus votos derra- toria, onde refulgirds intermina- direita glolpeada, ficando susti-
deirosD. mente; temos as -tradig6os do e- da, mas cahida para a terra, ou-
D'uma heroina so podem vir stado,'onde reinards sem tempo; tro golpe sobre a nuca.
her6es. temos firalmente os cora26es N'esta occasiao presenciaram
Por isto, por sobre isto, ao dos bons, onde renasceras todos nAo menos de 300 pessoas, o
pronunciarmos, por tlo soberba dias ajudante da fortalesa, e depois
maneira, o immortal nome d'es- capitao Joao Pereira de Sousa,
se homem-homena, a quem e- Padre J. be Alencar Peixoto. por alcunha .Cara-preta, pegar-
sta nesga de ccu cearense, em (Acan d'Inag). lhe na m o acutilada e pronun-
troca do primeiro vagido, lhe de- ciar, coni todo o cynismo, estas
ra o primeiro haulo de luz; ao palavras: V. Exc. comn sta mao
declinarmos o nome lendario Deramemte hlTierole ffoi, quem assignou a sentenqa
d'esse bt'aem-seculo que, de- I para ser eu fusilado?
pois da revoluago do Equador, Carta de Tristao Gonsalves Empunhando uma grande fa-
chamou-sc-Tristao Gonsalves a0 mintro do impero J&i ca, corn a ponta d'ella lancoa

co'mo que tornados de respeito rio do Ceara. gando-o, colloca-o no logar, em
das cousas sanctas... que estava. NAo content aiada,
Os grades homes, que as- *EstA feita a nossa intima uni- custa crer, corta-lhe o resto do
sim nos enchem de respeito, .o, quer de reciprocidade de membro!
veneraco e assonmbro, i urn sentiments, quer de riscose pe- NAo I assim, Senhor ajudan-
tempo,-sto verdadeiras perso- rigos. te, lhe disse eu. sendo mui cre-,
nificac6es! Toda a grande fel- O Ceard nAo cede a Pernam- anga (18 annos) qee se procede .
*,o soc al, ja o disse algaenm, ternm buro em patriotism e zelo da para corn os miortos; e cntiiu-


nrino naquella tribune, onde ja mas assim nmesmo para pass NaO s* v:am;, e veracte, ar':cena, ojeroriiino Frantisco' da


9ri


S (


II -I` ~` ' '


.... L . . ... .. ,


__


'**" * w .' 'j it f s c .'

AT.


Maria.








do e s f cin.. ... l..... ... : --" ." .- "dair q






4--







I i -i a a o iado voito.s i nd A noi-
de profi e sridioulo lrefomado- dd d lderB3 ina to ias 'one e pr -ego- erat eia s, enr o 6 mi3
res do povo, que reduzem a sciencia ciante sta prao a vto o ie na
social aemittirpIpel medadepreci- CORREIO DO CARIRY Apmene amos-lha as nos tvs cno s e loe e toja. 6
(a, podre, entendem que aa ver- N 5d e t reo ern o-leer so u intesar per esp" de mais effusivassauda6es, tivera de rm tr es enores
gonha invocar o teu nome. mega per am Aiso am assigunt" ema roum r un t ppolone m nA. ae. --- p- a fogo.
Inspiraram-oe na tus f o escopro traso pars que re eriem us AignAtu-i -Joms do Par ea ccrticam eom m Acha-se nesta locaidade vin- Dos ilao end ou guns al-
rdeoAaos iEoms c d f lto d l se de oss c eprnime empregou- boeqrgeada i eaups, f go s ad6 i-m
de ignel Angelo e o pincel de Wir- ras ttendendo s difficuldades da sten- mrestael tsdo rilde ita PuAdo da lges, onde empregou bergavam cream t do 6 ril
tati D a nte, S b a k0sp e a re, t % o d i a folh a. E ur opd.
tz; cream em ti Dante, Sbakspeare, Teir noticia grander in- Euro a. se. como apontador nos traba- destas ao relento, emqutopes8soas
Goethe e Hugo; inspiraram-se na tu a dignao sociaist a Respanha, Ingiater- =Ut aewo. euiito de ur arat Iho s da via-ferrea 0 maor Fra- Pdo no s a aga ab aaa.
f os grades musicos, e Gounod, o ra, Alemanha e Italia, porque o MAfti- quetendo do transporter pela estradtd Aphodarvia-ferreaod J major Fn i Piedt0ao e no a s ,Aselposm
radde tdo, rasa-s d fonso lt resisting a tedp as iintervenOest ferro ui defunto, parsa no pagar-lib de- cisco Beemiro, dignissimo pae A situiaa oerahorrosoodoseoure-olar
grnde Gonod rep -se de uma de indulto e mandou fusilar o prof rosnr.Adonessor ra a r cezea impses- tiveis as seenas qeo se esenrolrm, f
suavidade mystica, de psalterio de Ferrer, eondemnado come promo terdo me-ei A onahletio s do et fgaova 6raidoss ondstincto amigo el- qJnddo eol oAPitiogenerealfez publi-
r deea o Ferrler, co rimna ddoim mtrdo me-cial, vestiu-o pobremente, mnettoUeiopm
cherubim,quando escreve a sanda ao vimento de relelliko CLatalunha. cigarro no qneixoa e collo.eo-o em ua sor desta folha. car urn llando preveniudo a multidao
a Maria, ta mae. As notas cantam e Em Rotma, ples excess dna manifesta- canto de 28 clause. h Nossos cumprime,.tos de boa de que mandaria faer fogo sem avi-
gemem, usi pombos c o canari es, esoialistas, o Vaticane couserva-se eentro sdo queiro da mesma cond:.o do sso upriei*.tsd a qo a ari aatfr fo n ernto n-
el ma a m eros o a guardado per forte contingente militar.. pobresa saCeuo o o to fort do carro vinda. s prvio-contryo todos que interrom-
quando relembam 0o mysterious pr Em Fortalesa. come de costume, fram e interro p lo efe do trem espon- SEJ FE pesem fa irclao na ruos.
do sol, em que tn entraste come um imponentes -ao festas anniveritarias do deiu--Estava dormindo. e quando deeper- SEJ Com essas e outras medidas vio-
raio de luz numa corolla, no venture Ex- DO. Nogie Accioly. tou, atirou fra o cigarro, abt Corn o destiny de concluir se- lentas, tend side empregada at ar-
da virgem a a Ha espanka intitula-ee 6 editorial epi- nhola e sahse. Com destiny de conduir se- lentas, empreg paatk an
da vrgem naudo que o fusilamnt do professor Que samombro! tilaria e preosos 16 dos chefes do
Ainda agora mesmo, neste seculo Ferrer apenas servirk pars acirrar odios, Dlversos AaneioC.-Dr. Joao Bezerra, US estudos em medicine seguio movimento, comeou ase restabele-
de industrialismo interesseiro, de levantar paixoes e fortalecer oe anarchi- eepecialistas ei parts, operates, mole-d para o Rio de Janeiro no dia 20 cr a ordem no dia 31, send depois
mercado de tudo,e a tna f que m leva stars, e conclu perguntando si estaremos ts interias e aflocVw occulas receita do corrnte o intelligence acade- abafada por completoa revolt.
os mongesd Lavigcra Africa, d olta Inquiig? gratis ae pobres.
os moges de Lavgce a Africa, e a d qis deArodca H. B. ventila mais -s D. Irinen Bilhar, especialista em me- mico Manoel Mooteiro, filho de Dizem que o movimento foipromo-
envla asirms de caridade, a satad um assunpto, fall de Miss Abonach, lestias do etogo, figado, vias rinaria so distinct amio el. Jos vid p Solidariedade operaria,
revoada do bem, que afaga comr a suns um mulher americana de dois metro e e syphilis. renindo-se-lhe depois os republi-
palavra a d6r da prostitute moribun- i vinte centimetros, i procura d'um marido =Pharmaeia de Joesh G. de Sousa BRolim Rodrigues Monteiro. canes larrouxistas e os acratas.
da, come alma candida da crianci- nnu a; ludm e t do PEunaid e s da Cu- A Rp t Formosa crdu o mais complete doe- Ao born pae, estremecido e Conta-se que no dia 28 grapes de
ronha estygmatisa o punlal do sicario poli- timento do prodnactes chimieos nadionses
nha; que pensa, corn o mesmo des- Icial victiniando os academicos fluminen- e estrangeiras, A jeontento do freguez.- desvelado que tern sido incansa- operarios assaltaram o eonvento dos
vello, a chaga cancerosa do negrosos, edos arrojados aegadorea quedis- Pharaeia CentraldoCariry, d J A- edu o de su amiia, eronymos e de de maltrarem as
bocal, e a care gatda do libertine putam a primazia da ascen qlo so polo' ve e de Figuneredo A Rua do Commereio as o do se d os arreco
branc, de o note; p sa o Hermed e ao Ruy can- n'. 18. corn variado sortimento e preaos ba- e ao filho de beniao que recebe freiras, forau ao cemiterio do con-
drao. idatos au d e maio e outro de agosto. i ratissimos. I tods s meios hon- vento, desenterraram os cadaveres
Ainda agora mesm o ten reproe- Nota tambem que o biapo de Cnuyaba -Cooperativa Caixeiral de Joaqnim doe Li-todos os meiopaa p guaa das religiosas e arrastaram-nos pe-
sentante, LoAe XIII, e considerado prohibit a entrada da bandeirA national ma, na Travessa do California, an. 46 rosamente no mundo social--s6I a s.
o maior estadista do sea tempo. 0 ns egreja, quando a a igurado nos jcor ortt ento do molhados, estivas e temos que desejar 6 melhor re- Nas egrejas incendiadas e destrui-
mundo inteiro venera esse soberano I funeraes do Affonso Penna enotici- outras umeradori as& i r-es
m eando quo avhi vem o planets Marte, conclu ina mss outro annuncios' come da Pro- sultado em graa de Deus. das havia verdadeiras preciosidades,
m reino e que entretato zomba perguntando si o queesecrevcu, scra mesmo videncia, Sul-America, e artigos de eom- quadros de rare valor artistic. Tn-
do poderda triplice alliapa; que.uma chronic? mercio. DEPURATIVO CA DIDO do isso desappareseu.
domina mais em Franca, do que Sadi I A mode de Yvon Ja.uar nas costas da A C R U DEPUR T O CAN DDO do io desapparece
Camrnot, que influe mats sobre o Bretanha 6 a narrative pungente d'um A CRUZ EntrM os mortos na refrega do 27
Sne a m syr de amor. Agradecemos ao illustre Sr. e 28 figram o reitor do collegio de
cialismo do qe a oz de el, L- Marheiro e pescador apaixonou-se per N. 22 de 21 de utubro 1909 conagra Coronel Manoel Candido das S. Pedro, varies grades cpchinhos
ebknecht e Ba n it Malon. Claudia, e quando esperava seramado, foi seu primeiro artigo sao Exo". S D. e do convento de Gervasio e al-
A sciencia mod raa ate6 agora ain- lsurprehanadido pelo convite que ella ihe fi- joaqui t Vara, eaitecendo-o ores, pharm.ceutico, em Bar- 6a reiio os e as e-
da nio fez naim do que demonstraur sera parserpadrinho do sou caeaamento Ipels homenagenas qe recebeu em S. Pa- balha, a offerta que se digrnou Rng ams religiosas.
aa o veerd doe is -corn Kervech. o, maxime ua eidiado de Campinas, e en- a ., egitramos a seginte commove-
a tua moral, couverndo em leis na- a uasi mrre do contrariade. e apenas viando A S. Exc. rBed. o preito ardentegde fazer-nos dum vidro de seu dora scena:

E q vna d otod r- uo sarso a eida de Kerrch, que el Didoort 0 guno editorial, chama ao Tem este preparado do distin- intense fogo centre Jos insurrectos e
te deste Brasil, que a t ia rlii a eom elle yt i attenao do catholicos pars o eonvite que cto pharmaceutico obtid gran- atropalguns dos soldados diigi-
See xrasi, que ii c grandiaimo risnco de su propria hes fa o evdigano para lavrrem seu ram-S a vaas crean que h e-
creou. vids, salvou a de sea rival ee diae: protest contra a a ispreteno decon- des resultados maxima nas af- ram-se a varias creanis qu el -
Eras tuque o soldado invocava !-Kerveah,nudi rCadia qnc eu ropa- is stavam, transquillamente sentadas
Eras inoava- r di Claudia que o ac- verter-se em lei do paiz a dissolabilidado feces boubaticas, gomosas e no cho e, portanto, m perigo im-
no campo da batalha,t es tn quem ceito a su proposta. 1 do sacramento do ritatrimonio.tias E, por isso, o e- minente. p m
sti p o do marheiroem' E saltou pars o mar e morreu afogado. I Demonstra corn evidencia que smelhan- s h as. E, pr re- m ente.
ests no tespirito o arinheiro em o teuario neto em quoe eu actor diz teo tentative 6 obra do Jacooinismo e da commendamos a todos os que -Onde os votsos paes? pergunta-
mar de tempestade; rtua mae qiue aA pobre victims: maaonaria, qu e o *n santro vive mahi- rer ram-lhes
nie afflicta invoca ainda a t cbeeira .Peecaste. PoramliDeus dando-te um fiio nando as dedgrasg s da patria e armando soirem e gemem sob o tagante im i onentos.
do filho moribund, porque ella sabe Dea te o ca stdig e deu-ea redem-a sat botes contra a Religiao Catholica. d'estes too grades males. 0 po- idesima fazeis aqi? Porq
que si elldeixar cahir uma lagrimta Pt tAt ah tae 'l deroso remedio encontra-se 4o aes osa d llt coroe
de piedade na boquinha da crlanca inauguraoao do biltar 11 de Oatubro, pro- anna, veio muite A proposito e demonstrou venda na -Temos fome.
vao-s seccuras mortaes de tfebre, priedade do major Joaio Evangelista, sym- I cabalmente que as recompernas de Deuns aaa a
desfa-se a neve da mot. pathieo raging de seusamigos: sopreexcedoemtoda a opeztativa humaa. Pharmacia os Candidoocomer parcasa.
desfpiz-e a nmve dmoi e te lc a-A prisfo de Maneel Pitao. q ue assassi-I Brilhantissimo estimnlu para pricaros- r rose' an a -Entuo? interrogoa nm dos sol-
Scaupiam-te as laces, tlacera- non Mariano Bida-a morte e ferinen- s sempr o bem! Rua do Commercio dados, vendo quo ellas ne se me-
ram-te as cares. too, que tiveram lugam no sitio S. Gonsal- Eugenio eontnipa suns Cartas so8,e o Barbalha xiam.
Tu hem sabes porqne. E tamos lo, conformnne regstramoe em nosso eurme- Cariry, e eantando tam linhymno A mage- S n common em casa s-
come a Jude no tempo, em que elao ,pssado-a chegada dos Sr. Francisco stade da terr, elogia tambem o seu mo- em
chamon o fogo do ceo sobre us ~S SI Botelho e do Antonio Meirelles quoevem vimeuto commercial. ELIXIR DEPURATIVO DE pondoeor ia dellas.
ceamnou0 Iougi o e- ob Ore seu.bi s- proceder a demnareavo da Ser,, Ver-e I Na estrada de Miss3iao-vellia, n'um dia FRUT V -Ente o Onde stmam rnr?
destins. Domina-nos o publiauis- artda do horado commerciante do conton em transit 60 cargas de legumes CANINANA no onA e costnmeam camera
11ao, seinOs governados por doutor-s .lu, .liro Joiso Bezerra de Menesea para sahidos do Cariry corn destiny aos sertoca s conveato das freiras da dud
Uatrcenarios da lei, a tyranniaa mai: iFortaleza-o promaturo e repentino fal- do Ceara, Pernambuco e Parahyba, e non- 0 illustre pharmaceutico Sil- Aldana._
emquanto se derrama sangae. Barra- j hera da tarde, quando passava pela cal- energico contra o regimen do cangaco na visinha cidade de Barbalha, D. ALCIDET LEAL
has vale ainda mals do que o honrado sada da cant do S Joaquim Gonsalrea, A' notes do registro mortuario do Cor-
forasteiro do Monte das Oliveiras. -a morte de outro Joaquim Gonsalves ,rue do Curirq addieionou o nome de: acaba de, tirade pela sua genti-
Em van tu mesmo repetirias o ser- dooe Brn i d Regina ldnoe! Psaii Cavaeanto, o anuhher do vedactoes a olbtivms n
m.ao da Montanha; a corrup din tado. 0 despudor avassalla as; Ao triste obitunario precedent o Correio \Asare no dia 2 de Ontubro cadente. main e mais se acccntda peTas faastanotcia de hayer fallecido em
consciencias mais tortes. S,, Lares felicitando o natalicio dan Exm"'. _Manoel de Soma Ferraes. fallecido no cS .aA hes L im a Verde Lorrente D.
.eana hras D. Augusta de Alencar, Maria (crate no di deste. curas completes das molesias a Alcides Lima Verde Leal, distin-
E~u bern sei que tu tvieste aindat e .\mbrooina de Monoeso e da pequena -_Em S. Matheua tambem baixou a sepul- que se destina combatel-as co- ctissima esposa do illustre coronet
unma vez sacrificar por uria parte da OIenka, iha do major Francisco Touri- turs a esposa do major Manoel Leal.
humanidade. Tu seras vingado plerj ndo-a noticia do tGymnasio &S. Vicente As No((t. e 2'oticsaa denunciam que na mo rg sumatismo, darthros, bu- MltuOe ealnt.
n6s outroS, que cremoes em ti, uao ,ti 1'ulo, em Minas Geraes, e de queo Bahia e S. Paulo so votara cerradamente pigens. ulceras sraphilitcas, bu- Era unms mae de familiar, today so-
upersticiisamnte, peo terrorda o sso ditieo conteane noD. Ray Barbosa ps president. da in co
dor pOsthuma, mas porque tu es a do lecife, sob a redace.o do talemtoso Luiz chat Hermes; man' contra sits candidatura Tao precioso e recommenda re ded u ao ema nem
foranA do nosso espirito, o console do; Lorciro. existed no Rio grade do Snl e Mina, seria vel Elixir depurativo de un dois q nde ao sbemavaliar.nem

da transusfo do teus ntgae, nse e o aproximaqio ead auerr't coni os .Monro e htetando so .... pe.


amor. ; quatorze annos antes de cahir sobre o sol, nesmo tempo con a revotmlo dos socia- deposito geral Contava ella vinte e poucos annos
N6s ti vingaremos, come tu te vin- ei entao tudo soffrera modificaq6es profun- listas ema ('ctalunha, onde os malvados ma- Pharmacia Silva de edade; nmas, do vigor desta edade,
gaste do centuriao que te lanceou o d riintu sobre a term an taram muiteero rdotese detrram gran- e nas principles pharmacies d'e- assim, em plena floraco, zombon o
toragio, tirando a catarata de terror do Chile ja se tem dado em diveroe ter- A Crus lamentando estee succssao diz te estado mal, o grande mal, a inexoravel tur-
que cega este povo, mostrando-lhe pos ate hoje 601 tremors de terra.-Em que para U tambem vamos n6s. eo come- . b eculose, eo tmulo abri-se-lbe
quern que o govern, isto e, quem s. uiz do Rio Graade do Sul o Dr. Alber- o o divoreio. Ao illustre sr. Silvio Jose da para recebel-a. E hoje no seio d
que o infama, e como quedentro Peoro e o hanaeutio Manoel Es- Turqui agouis A' muito tempo r- Silva, agradecemos tao d'ala a sa illustre familiar a lembrana d
da moral do Christo se.criaunW !.... pli trivaraim licta e fasendo ambosa- dazido A patencia de -'.ordem,W ..ae-. d aea e ade.. do .....e que v ein s nome queridoi a lUmpungir do
da moral do Christo se cria uni o udo rewolver que trasiama, resulto a st ameaadade perder mais um dao delicadesa do present que vem se nome qerido 6 nm pangir de
grande e forte. iortfe do idois. --Em Kuncas City, Esta- de sen territorio-a Macedonia. de faser-nos magoas, um magoar de sadades ede
Este governor que come o de Cesar do.s Tuidoes, estA funecionando urna fabri- Os Assmueios proclamam no public a recordacOes.
oes quer forgar a adorar idols, co- i dfaser is f de que e Vede ncessidadeutida b Coopra- FUSILAMENTO DO FERRER A'todos de sa exm. familiar, espe-
sco a adultera Clotilde, ha de res- Thigo do Chile o mysterioo loj de Aut Belem Sobrinho-oDepu-. o innocent do artigo Na Heepanha clalmee ao seu dign e incnola
ponder pela cumplicidade no atten- desappareeimento das filhas dos operarios rativo Candido na piarmacia da Rta do .l e pos, Os nose0s eais sl-tidoa
tado de que foste victim. ostA dando o que fallar e oque faaer pa- cO.mmercio da I:arblhla, o Collegio de N. s A Atas autondades asseguram pesames.
Elie desapparecera, porque nUs ra seo desceobr o quo hs. do mt s(I .raue"as. o .litai. que ,so avenide que 0 movimento revolocionario, nai
sabemos que quando os ultrages ao rial dttiuado cot d'a a i.,ont s,.A fut almd ali. ea-H na Catalna como nas outras re-
Filho do Homem ieam impones, 0 ,.so tel-lgraphiea semn fie na ilha de Fer- agent o Padre Pedro Esmeraldo da Sil i e 1 panha. fol cheiado e. a-
pavo que os pratica e coudeumnade a niantdo do Noruiha e us cidade de Olinda. ra,o eo estabeleeimentos commerciaes de- ti preparado pelos anarcrhistas, OS
dispersao, coaO Os judeus. E Osi, I'm Gau lat ra noeate o At cantonio Fernando, Antonio Belem de qlut's destruiram cento e does-coni- CRATO
queremos unma patria unida e livre. t. i ans el aldem'se A lda. Figeredo d Joves e egrejRS e eramimetteraut on-
Um pore altive e create. que fa;a ..; aitauwriado o prolongamento' da .tros actors de verdadeira selvageria. Atag-ee nw bem eaA, '. 7, a R
desta terra nm altar digno da tunsa es.t ai f rro de Penueirae a Triuin- mair estrago cauS6Alo plos re- da Larangeira, A 8000 mensa. a
crau, tal como ella hilha em nosso '" mernatueo. *l volucionarios fei nas bibliothecas ,iatd.
e6o, convertido em e-trellas o san- :de n de ad o iaic t ar a a ebe a escelas christAs, quo ficaram in- Qu pretender augel miai medic,
gae que derramaste. larna unma distancia do quatro atil metro. CHEGADAS teiramente inatilindas.r t ntmi
e a sum experiencia, falanaido- de Ber- )o Recife, aonde fora tratr 86 r O MUeMs d Scieancias es in-. o 7?per meaz. 4r sim 'at
Joet o Patro;nc. ]ir ar a a fanuoedeu optinto gsltao-o..Ie.. .. rectos destrairam oitetria ril To. A tb r na R a a 4randu d C0ratolw"
al te erreastantepara e egocios com mercise bad. remte a i .
Mi ?it rne gr.


- .-'- ~ -- -










_~_* *'1~i..-. .


&-ol e ....


0 REBATE 3
. ___ -__ I____ I__I_____. ..____._____. .._________I__"1.___II___I____I__I__I


MINAS DO COX6

LIGEIRAS CONSIDERA(fCES
PARA REFUTAR OS ARGUMEN-
TOS ADDUZIDOS PELO ILLMO.
SR. CORONEL JOSE F. ALVES
TEIXEIRA NO CORREIO DO
-IRY DE 5 DO CORRENTE

(Conrcuzo)

6" MINHA ALTITUDE NA QUE-
ST.AODASMINAS DO COX-A; OS
MEUS ESFORQOSE AS INJUSTI-
4'AS DE QUE TENHO SIDO VI,
CTIMA; DESVANTAGEM DA AT-
TITUDE DO ILLO. SNR. CORO-
NFLT TEIXEIRA E OUTROS CA-
VAI.:EIROS; MElOS QUE TO-


nossa, para dar explico;6cs sobre
as explorao6es havidas.
Voltando i Joazeiro dias de-
pois, dei comego i busca de do..
cumentos precisos para iniciar o
process de demarcagto e divi-
sao da .area Coxa.
Para provar quaes foram os
meus esforios neste sentido, te-
nho como testemunhas-os Es-
crivies e todo b pessoal do Cra-
to, principalmente o distinct
am? major Julio Pequeno, de
quem fui hospede por algum
tempo, recebendo fidalgo acolhi-
mento no recinto do seu lar, por
cuja gentileza ser-lhe-hei since-
ramente agradecido.
Em Julho, quando ainda pro-
curava documents para poder


ticias, que era por miaha cau-
sa, que, injustamente, se distan-
ciava.
Fiel ao comprigmntQ dp de-
ver, resignado coin as injustigas,
que me victimavamn, continue a"
trabalhar, me esforgando o quan-
to podiam as minhas forvas; mas,
sempre esperava que S. S. che-
gasse a conhecer que o engana-
vam, e nos procurasse, a fim de
que podessemos ellucidar me-
Ihor o assumpto e evitar as per-
turba56es que tern havido.
Eu, (permitta a franqueza) sou
quem melhor coftece a march
d'esta questdo e todas as suas
minuciosidades, podendo mes-
mo affirmar que estou mais'a
par das terras que o Illm? S nr.


equivale. a dize que propritari-
os nao gastaram um real sequer
em nenhuma despeza, atd hoje.
Si eu quizesse explorer ao Pa-
dre Augusto e ao Conde Adol.-
pho que muito dinheiro ja tern
despendido no.teria gasto do
meu bolso para auxilial-os nas
despezas que tem feito
I Si eu quizesse explorer o
Revn? Padre Cicero, nao teria
comprado pars elle seiscentas
e tantas bra;as de terra e por
prego muito menor do que as
deminutas parties que elle com-
krou,
Si eu quizesse exploral-o
compral-as-hia para mim, a
quem foram offerecdas.
Portanto, Atque sabendo o pu-


DOs DEVEM EMPREGAR PARA firmar seguro juizo sobre a exa- Coronel Teixeira possue do que blico, em poucas palavras, como
O BOM EXCITO DA EMPRZA. tidao das terras do Coxai o Pa- elle proprio. procedi, afim de que nio tenha
dre Augusto e o conde Adolpho, E d'ahi 6 que vemi a causa da curso o boAto que fazem circular
Informado, em 190G, pelo surprezamente, recebem tele- desintelligencia existente. .contra mim.
meu amigo e compare o Con- grammas, annunciando a chega- Si S. S. soubesse o que t erm Quanto, porem, ao que dizem,
de Adolpho van den Brule, ho- da de uma commissio de Enge- reflectindo, nio assumiria posi- sobre os lucros que tenho aufe-
mem intelligence, trabalhador e nheiros, incumbida de reconhe- cao que assumiu, estou certo, rido nesta questao, direi simples-
honrado, dos desgostos que sof- cer e negociar os referidos ter- E assim pensando, nao erro, mente o seguinte:-Desde.que
frera, pelos abusos praticados renos. por quanto,nao posso crer que um me envolvi nestes negocios nao
por alguns individuos que pro- Aprecie o public a quanto home de reconhecido mereci- s6 como amigo como tambem
cararam enganal-o, bern como chegou a exploracqo. mento como e o Ill'? Sr.Coronel depois como procurador e advo-
ao Revm.? Pe. Augusto e aos Como enviar-se uma commis- Teixeira, cujo espirito progres- gado da causa ate o moment
proprietarios de terras da area sao para negociar um terreno, sista estdi acima de duvidas, pre- em que escrevo a ultima pala-
Coxai, tentando neociarem as quando os unicos encarregados ferisse por capricho perturbar vra d'este artigo, nunca recebi
referidias t',. s sem o seu co-.pelos proprietarios nao tinham um negocio que fere o progress renumeraqao pecuniaria de es-
nhecimento, Zconcelhei-o n5o se sciencia de cousa alguma ? do Estado que honra-se em tel-o pecie alguma, um real sequdr
descuidar, afim de evitar explo- Immediatamente o Padre Au- como filho. por nenhum tr;'balho, bem como
rag6es corn o seu nome. gusto e o Conde Adolpho res- Eu puderia adduzir alguns on- nunca vivi as custas do veneran-
Allegando o Conde Adolpho ponderam, recusando acceitar tros arguments sobre a desvan- do am? Reva'? Padre Cicero Ro-
que receiava ainda poder s e r' tal commissao, e ponderando ao tagem da posigao de S.S. accen- mao Baptista, a quem nunca di-
enganado, em virtude de n i o 1 mesmo tempo, que a nao accei- tuindo a maior vantagem da re- nheiro pedi, nem dinheiro devo.
conh-cer bem a lingua portu- tavam, em virtude de nao pos-1 a posigio que devia accupar; O que devo a este bom amigo
gueza, nem o traquejo de justi- suirem terras, nem terem auto- mas, deixarei para quando S.S. e a gratiddo pela confianga que
;., U pedindo-me para ajudal-o risado cousa alguma. convencer-se de que esti em b6a me dispensa, o que basta, unica-
na uitqiao do negocio, resolvi,i O0 que se passou desJe essa .f, illudido por informag6es sus- mente, para muito me honrar e
tal e a considera4ao que elle me occasiao at6 o nosso encontro peitas. mais d'elle me approximar pelos
merece,acceder,o accompanhan- ,com o Engenheiro Chefe que Ao termnar e roue laos de uma sincere amizade.
do, depois de ter v.:rificado. nos informara, corn clareza de Ao tm u Portanto quem fall corn tanta
d s te rcado informra, c |ie o ultimo da serie que iniciei pa-, p i
a mri fe dos seus antigos auxi- tudo que queriam fazer, sabe- o ultimo da series qu iniciei pa- independencia, pode, impondo-
liares, e convencer-me da po'ssi- mos n63. ra re u o r do se ao respeito, corn today dignida-
Snr. Colonel Teixeira exarados,1
bilidade de uma seria organisa- .m conferencia corn este En- Snr. Corona Teixeira exa de dizer-que andou nesta que-
no Correio do Carry de dr an sta que-
i9o. genheiro tudo explicamos e as- no Corr eio d o Cariry de 5 de stao das Minas do Coxi tde ma-
Chegando a Cidate de de Tri- entamos, desmoronando todo Setembro p. r roveito oense- 0limas e unitas oraeados.
So3nam para destruir os boats que P *s
umpho, -Estado de Pernambu- castello construido pelos taes ex- p destruir os boats qu
maliciosamente circulam ao meu Milagres, em 10 de Setembro de 1909
co, em Janeiro do anno p. p. ploradores.
(1908), providenciei no sentido 0 que se passou desde a respeito, como procDrador e ad- Dr. Floro Bartholomea da Costa
S' i: vogado do autor-o Pdre Cice-
de termirar as explorai6es que volta deste Engenheiro, n.o s6 1o Roga o Baptista.
cm Recife se faziam em nome em Recife como em Paris, sa-
do Conde Adolpho e do Rev? bemos, e de tudo temos docu- Drn gratuitous inimigos que PASSIONAES
Padre Augusto com cpitalistas mentos, pois desde essa occai-eu prejudiquei os condominos e
o s confrontantes da area Coxa;
estraneiros ozeiro Maio, dencia iintemos correspon- que a minha presenga nesta que- Porqne tii fogcsde mini quando de
Chentendi-me co o Reiron Maio, dencia ireinterrupta. dre sto tern sido a causa dos em- ti me aproximo, e anciosa me proca-
entendi-me corn o Rev. Padre que fizeram corn o intuit bsaraos pela m orientarao que ras quando v&s ?... di.e, admirado
Cicero Romao Baptista. que prejudicar, tendo como bnros pela fient qe de to singular contraio, Man-
ja era proprietario na area Coxa, irtenho eno; que, onaemente, to- ra, a minba amada, que te nos o-
o equal na o hesitou. a dplido intermedianios, e nre ourros. o do meu esforo para viver ex- hos a lanquidez dos luares e na boc-
meu emassuiras resonsabi- snr Canuto, Caxiroviajante da plorando o Rev"-? Padre Cicero. ca o perfume.darmognolias.
liddes em assuir asde rsponsfida ac- praa do Recfe, bm sabcmos. Felizmente corn poucas pala- -E ella,revelando n'um olhar cheio
lidades de autor de referida ac- Recusada a cornmmissao. con- ,ras posso destruir ca.umnias de de expressaio, o, dilacerameutos de
gao da demarcaado e divisao.I former expliquei e descoberta to- tal ordem. sn'alina torturada pela supreme dbr
Creio que assim procedendo, .da a bndalheira, procuraram, que opprime o amor mal contido, as-
nfto andei mal, nerm re.'clei n-. i bndos ravpm del1u- Si eu quizesse prejudicar quem sim fallon-m ::
fe, porquanto era do -yor. ,> e noas exploravam, desi lu- quer que fosse, nfo trabalharia I Mn d.)o am.r, alma da miuh'al-
fe, porquanto era d e xplorar tambem o il'? noite e dia, como trabalhei, ve- m, a. le iu,-la tarde qun nos en-
aescoiaendo ur..... snr .oronel Teixeira. rific ndo documents em todos contramn- Ai sombra fre!,na dos co-
tura moral do Rev .-. ro o ds em t s qeirdae.-tu, vaido.amente, con dn-
para me auxiliar, -iingucm duvi- E uando soube, informal os cartorios, viajando dia e noi- zid; a mulher que amava., e en comn
daria da seriedade do negocio. P:l proprio snr Caruto, da at- te, corm enorme prejuizo dos in- as minhas companheiras, embalada
E corn franqueza digo, nunca titude ho3til que S. S. queria teresses de m;nh!a profisslo, nemr pelos sonhos c6r de rosa dos menus
rensei, em taes condioes, en- assumir. lamentci seriamente: c accarrezaria corn a odiosidade qunze annos,-qne senti no meo co.-
co r tants hostiidaes no podia deixr de lam,ntar tide condominos irreflectidos pa- a primeira matellada, do a-
contrar tantasahostqdades, cuja mr I
natureza, ainda me impression por quanto, conhecendo a mar-a n prjudicr confrontantes ... esse moment, cr-me,
seriamente, hostilidades etas cha da questno. -anbia perfeita- le sitios e da area que se de- comecei a sentir iensa(;ues nunca
que se nto justificam. ne.te q:e qucriam cxploral-o. marcou. Si eu nao tivesse dado sentida-, Pm que de! sensibilidade
Derigindo-;re a. i "'.' f.- i S.. emn lugar de melhor se !seria orientac-o amarcha destes extranhampnte agrialavel quando me
dre Augusto. que tambem 'r.- informar do que havia, muito ao trabalhos certamente a area lentbrava de pheni... modoque
Z>C amtaramrpaen.. i'kenomnnos, qne
uma victimra das I,. ,xplo.;,- t contrario attendendo a :nforma- Coxa. nao es taria legalmente de- ,e fa nonIe om unice pen'-a-
es, explqul p.Ihe o q.:* '...vic .,s por elle era i.gnor;i d :r.carji., !u'.- nu da onheciam, nto conhe-I Si Cu quizesse explorer os pelos rm-us ais... p:lo.s mens suspi-
de mutno accord uma norma; cetn. ne- ioderdio cnmiheccr, so- proprictarios dessa area de ou- r0. .
seria a seguirmos. I bre o assumpto. procurnu se dis- tras, teria, em logar de-contra- ...Mas ... sei o qu" di
Que diga estedistincto amigo ;taiciar de.os. na L.p-osiao Ic cros por tempo, determinado ga... nao te pos. amar. te amando
bem como outros a impressao'o qu assim distanciado era qu'- c.mir- da as suas terras, enga- tnto !...E por isso e que fujo de ti
causada sela attitude duvioss' podia me-horr vanta:gem encon- nando-Is. qanto de oim t aproxin e ani-
de certo cavalheiro qe .t ar. Si eu qzese aiaprejudi- oo qanlo te a ..
na Serra de S.. Pnedr,-, ; -.;.. 'Ie. E:: multo sentia qu.- 8. S. a.s- cal-os nao r.--a estabelecido que prince, Dmente porqut ndo e correa-h
Justoo anne p. p. v,-.;-., --,rra ,i-. tivesse procedido. e tainto. todoos s gastos d.viri-un ser fei- te ws tmpos de. hoie p'nriu tir amor
go.sto,lc Rc:Mf, '.r -.^:,i-: ".j. : .-,.'.. Ct:a;-to F en:a.s .d- .l) to p'.os enfl'rr igA ftls,-e i que c t.n'*o .;'i.<* dtw.r!-h -p tnc br m on
.. gl..... ~0I; . f ~m o


"j



J
S

1


Joio Vietorino Solrinh, lia
o),o Duarte !0(4
.Ioa Fermira l.ouge :,
Francisco Alexandre !do MaLria~ 1:txJq
Antonio Jo, de. Melo de '1.f
SivirlnoPlresdeBritto IOw
Joaqnim Rodrigue a do ,Sa Ii l:(Jib
Joaquini Bi2zrra Sobral '


Direr:sQs


Con -1 1&


3:000


.4


-~C~ --- I


a qu:eo ariaho -6. a eha da il-
luzQ, sem a qws os cora6oes mor-
rein maidoe, m espritualisando em
smadades, em tristes. sadades quae
sAo o apanagio das trihtesas d'alma!
Ah 1.. per iaso... por isso mesmo,
6 quo de ti fujo...
E continuaado, nuama attitude da
oberana, come quereado reprehen-
der-me, subjugar-me, dime:
0 amor materialisado. perde a pn-
resa do sentimento... Umr beijo des-
faz em ruainas o, Castello do Sonhwo
que 6 o pombal das illus6es--as pom-
bas braneas que eternamente cantam
turturlnando, os psalmos do amor
imiumaclo I... Dei-te o meo primeiro
amor; e para qua elle nio morra mir-
rado pelo talor dos tens. beijos, dos
tens carinhos, como morreram tan-
tos... tantom quo tens tido, Eleito de
minh'alma, 6 que fujo de ti, quando
de wim to aproximas, apesar de set
o too nome, que 6 o men unico pen-
samento, soletrado prlos meus sus-
piros... pelos meas ais !
Nao te zangues ouVe:-Fugirei
sempre de ti, de ti fugirei sempre,
para que, sob a acqAo seductora dzi
tens olhares em minha alma nAo so
gerem os peccados da sedWC&o I
Eis como se conserve o amor pri-
meiro, eis como e conserva o pr-,
meiro amor, eternamente puro sem
macula, tresloucado amante...
Page.




,SUBSCRIP AO

Plenamente confiado nos altos
e elevados sentiments de cari-
dad e ebcneficencia do povo joa-
seirense; sentiments que o ele-
vam a!. Ituras d'um destaque
indefrontavel, abrimo s, n6&,
espao a uma subscripato
em favor da pobre Anna Maria
da Conceicgo,-victima, como
todos sabem, da mais perverse, e
mais hedionda e mais asquerosa
bestialidade de 15 a 20 moqos
de familiar, da cidade do Crato.
Estamos, pois, que tpdos, pres-
surosos, virao em auxilio dessa
pobre~moca desgraqada que, is
lagrimas frias de sua agonia mor-
tal, une as lagrimas quentes de
sua virginal grinada espatifada...

RedaceAo d'OaRebate. 10:000
Padre Cie.-ro Romio DBp'.itt 10000
Felismino Peisoto 5-000
Joanna Tertulina 5.000
X... 5000
IzAbel da Lnz 3-000
Dr. Floro B. da Costa 3.0000
Coronel Jose Andre 2100
Major Manoel Victorino 2:000
Pedro Nogneira 2:000
Joao Victorino 32000
Lucas Evangelista Salls 2:000
S(Caiqimiro Pereira de Soa 2..000
Plaeido de Nornes 2-000
Jesus Peixo:o 2:000
Adones Bezerra Malia 2:000
Antonio Vieoente de Limi 200
Othoni-I de Sailes 2:00(
Urm Compadecido 2:000
Coronel Fausto Guimaraea 1-000
Manoel Alves 1:000
Baptista Padeiro 1:000
Luiz C. de Franca 1000
Joaqnins Paulo da Silva 1000
Antonio Patricio de 0. 1.000
Jose Sebastilo 1:000
Ernesto Rabello 1:000
Domingos Gomes da Silva 1000
rJoao B. de Oliveira 1000
JoiodeS. Filtro Jo
JoB Menino 1:0(0U
.Jos. Julia 1:000
Manoel Santino 1:V00
Domingo J dos Sdiutou 1:0,)
Guilherme M. Bamos o Murjhi 1:00u
Jogo Vieira 100y
Dionmedus Siqueira 1000
Antonio Flor 1000
Manoel Ferreira do Nascinento 1:0O
Jobo M. Alexandre e Silva 1.000
Manoel Joaquim dii Silva t.t00
Ireao Cabral de Oliveira 1.000
Joao ManoIl da Silva 10
MaioeiMarquae 1000
)leg1rio Ferreira. Limna 1 f1O
.1nv Aires Feitosa 1-000-
Joanuirn Menino I:0.0J


tl


:







*4


L.L5. _1: LI----- -------------------- --


mensalidade e t4 direito, no fim de 10 anuos, a umr pensfio que -
Si aMo px xedr de 10,400 por me. z.
SN No caso do fallecer antos do chegar a receber a pensro, a COLLEGIO CRATENS
S' associao pagar ao seus hordeiros necessarios todas as contri- SOB A DIREG DE
S buiees que clie tiver feito, semjuros. Dando-se o faltecimonto So A
incta, em que ao. sous h.rdefros assist qualquer dircito.
DA nsrio Pse iag 0ao pro o iIndividuo, on no seu pro- Abriu-se no d:i 1 do mario,
EsTA .TYPO;RAPIiA ENGARRE(A-SE DE Qi'AIA-ER curndor legal, ot por iiitermncdio de qualquer Banco, quando o n Pre:os segundo o costume e
TRABALIO DEIMPE4.10 COM MAXIMA PRESrE.A E NITI:DE; mutuario se achar no extnran4ero. pagaunento adiantado.
S 0 socio cont ibuinto eni dia, quo ficar impossibilitado de In iternos, tristre 120S000 ^
DIMIPRI3E proseguir nass uas entradas, depois de cinco ann,'s de associa- Externos,cdanpreparatorio 5000 v
CARTAS. i '[o, em ,oisequencia dc niolcstia chronic c incuravel, que o Escolaprimaria,mensalidade2oOO
c CARTaZrXES, D Sjinhabilite pnaia o.tr-ibalho, sar~ considerido suspeuso conso per. Tds o pa ento i-
CARTOJ-S DE VISITA. Idal direito :i ppar ..- s ao,.io-;1XgjiriacUse.
08 RECI3OS. Os pagan)entos antecipados do e'ann" gozam da reduc- Qucn precimar de uanlqter es-
RT fULO.. ,o de 50 'o, onipamniitos de 10 annos, 20o /o os pag0imen-s clarecimcento, pode enrteudo.-s
FACTURAS, tos de 15 annos, 150,;'o. com o Director,rua granido,emi
ANNtNCIOS, ETC. 0 mutunrio qu e 8s insc:-evcr unm mez antes do sorteio e frente da Egrej.i de s. Vicente
tiver a sort du ser prcmiiado, pagant ap' n s poucos mil rdis, Ferrer.
S0 Itrbaiho /"'; 'o tloda prfeio a.s. ,o ia ternl direito a uniia pensa para toda a suit vida. I _
Mauachidn ( <,lici,., sf:/o o.s pOrcos se'n comip<'- Ato dCzombro Ioriani sorteidlos cinco cadernetas, on seja r"
t,',a. ~0no p1eriodo de nove mczes. A ECONOMISADORA d a unica
que nz sorteios de dois cui d'is mezes e um grand& sorteio no
Natal !
Socios inscriptos do abril de 1 !)90S a Jaineiro 1909:-i130Q0 (11 LJ.
'n.'..sA. .NenAumAA .6 AAAua outra sociedado obteve tal nlUicro do socios no- ses

SPEDJDOS DE PR'OSPECTOS, P"OPOSTAS, (.CDELERNETAs E t. Cincinato Silva tendo recen-
in0 )A ffIT temente chliegado de Gaia-
LOJ. UIDOD II 1ilrlU iK iNFroiMAOES MxINCIOSAS A. : nhuns, Pernambuco, e aqui se .
SRprese ante Crato estabelecido corn fazendas, miu- '
p MAN 0 EL VIC TORIN no dezas o ferragem; avisa as Exs.
A. Belemn SobrdtA fam;lias e ao respeitavel public$
S Corn un vaintdo sortniento de lasendas, a Ij quo troux complete t valriado
S45 -Rbna do Conmierci o-45 iQ sortimonto em artigos de modq,.
S Acha-so sempre a dosposiy ao dc seos treguezes ." fantazia. brocados,fusites,lin i1is,~.
STIo EL?'Vrci' '^etaminies, artigos para prescntcs,,
SPRE(OS SEM COMPETENCIA j ,riscados diversos, Urins branch e"
SB. do c6res, zcphiros' & &, e vende '
V endo-se tudo pe'o pre(o da catpical ra proo.s reduzidisimos. '.
i ; COmais exigente freguez acommo-.
IRUA NOVA N. >. 966 CRATO-CEpARA'. dar-se-i. comn os sous prccos. en !.

JOAZEIRO D0 CARIRY Loja de fasond1s .a. s, moda,: nidh.:.. Nov daIes. Arti .es trndo sampre g'rado sin
Sd us 'Doniiestivo. Alta phantasia, & &. Uma visit, pois t L
o3E s.p arawldwdmm : m o iviseta,npois LOJA
Artigos.para homes, senhoras e creanua. Cincinnato SILVA .
A IC M mS RU -NOVA N 1S47 s
A E'CO OMSADOBA PAULISTA sEMI EToo
4.--RUA l() C(O3MMEhCO -4-3 .IOAZEIRO. E..\R .
CAIXA INTERN.XCIONAL IPE PENSOES VITALICIAS 1 -


Approvada por Decreto fei-al, corn deposi!o de eiral-
tia no Thesouro Federal, proporcional ao capital de p nil con:tos de rdis.
Registrada na Junta Commenrcal de S;io Paulo.
S'- le em S. PAUl LO: RUA S. IBENTO, ;3
(.utigo escriptorio da Companhia Mo-,vana)
Filial no Rio: RILA 7 DE SETEM31I(10, i13 (nod-r.xo)
I:y. .E(,ON(,'ALVEIS DIAS I-: .AVENIDA i l NT!At.

Ii EI ::TOlZl.- I

PRESIDENTE-Son tlor I uiz Piza, Senador Estadoal
ex-chlo de PTocia e ex-$Scretario da Agricultura. do E. de S.
Paulo.
IE C'I rE T R I ......1 .1^.. T .. i L


LOJA
de fa:r,'~ 1 o' ,os. es i.lvas, f.ri'i," 'tapo.. Tendo
reci-bid l, do C'eatrd na complete sortmento dos artio.s acima
mien cionados qu? ,so 'reizdidos p r prepo sem. coimpetencia. coln-
vida todo p),blico parc jazer uima visit a dito estabele'in.nto
que se certificard do qie (f' qtfirado.


VERDADAIRO
APROVEITEM',!


A.I A '
APRoVEITEM .!



- - --i. . . .


.Joao Bap!ista de Oliveira.
Rna Paldre Cicero X. s33
AO BATIATEIIAO


AVI O


Aos irmAfos Irmandade da T, rria Santa
*lle,por bonlidade,trat.iinl de pagar o ail ,.-
:s annual dessa associaiio,de cujio devcr
:a se vao excedendo.


Azeladora
MABIA da ;SOLIDADE


SAPATARIA BOA
<"ESPERANgA,
Joaquim Bezerra Sobral

Esta JSlnpataria-acha-se i disposi-
efl( do o innblino ia n -,- .


-i ,leioii iu t v I IcIt _'i t ; i i > i J L n o l.' i 6 ta f i r m a . I .- . .". , m tJ f 0 .q n i t ;l n -
ra.ede todoeq
Silva Seabra & C'., da Faibrica de Tecidos S. Bernarlo. FARIHA D NDIOC- de todo e qualqr trabah
GERENTE-Dr. Claudio de Sousa, medico e industrial.., ...._ .. d commoda pro- om coIno com presteza e modicxdue
THESOUREIRO-Dr. Gabriel Dias da Silva, advogado, Jose.Alves da-silva. nvisa aos se- n 0)i.do,cuidadoe assoio. em precos
capitalist, director da Companhia In lustrial do S. Paulo e da s fre.uesese ao public em geral Tudo por preeosio.i l sRven-UI
une tern em deposit grande quant.. RUA DO CRU IRO
Companhia de Po;os do Caldas. de-se nesaha' RUA DO CRUZERO N?9
dade dei.Farinhaide Madioora.* de e-e nesta pharnaciT
Souceo Iie.iU primeira qnalidade, e -VEN1)i A JOAZEIRO DO CARIRY
Con)o INHEIRO- e1ii gTPasso e ra Ntall.o JOASEIRO-CEARA
Exmo. Sur. Conde de Prates, Director do Banco de sio a pr os BARATISLMo. -- semente de 3ani.sdo
Paulo-Exmo. Snr. Coronel Fernando Prestes, ice-presidonte RUA DO PADRE CICERO 31 emete de a
do Estado-Barao do Duprat, director da Companhia Inbustrial BURRO SU.AIDO -Amelhor semente da actualidade
de Sao Paulo-Dr. Rodol)iho Miranda, proprie.ario da Fabrica JOASEIRO DOI CARIRY
de TIpilos 'Arcthusina, de Pircicaba e leputtado federal- -- __o_______ ,ix.,ido .raticar m n lit por 2- .>oit,1)- cnias por 1.5000
.Dr. Joo Alves Dima, medico e proprieta:io-Pharm. L. Pinto qeaem entrr sn a:-Sri lv-. astan Ru do Paore icero N' 3ol
de Queiroz, da firma L. Queiroz & ( proprietaryi da Drogaiia P1HARMACIA GARVALHO ro 0 e o
Americana c Fabrica de products chinmicos) Dr. Pedro Pontual Rua do Padre Cicero n'-". OAZiO )O CARIRY
- )r. \ictur Godinlio capitalistas. ._c JOAZEO D_10CAIk_ Y
A ECt NMISADORA PAULISTA umna sociedadoe Ha n'esta pharmacia (uml vari- .o, ', ui.nt.- frguezi:- SAPATARJA P}HRSEVERAN.A
mutua. com fiscalisacfio do Governo, cujo fim e estabelecesr umna ado sortimenito de drogas e pro- s i s eceg
RENDA VITALICIA MENSAL, EM DINHEIO, aos sOS OCIOS. ctos chimico, pcilidatle sapar fr iaso ea crrega e :
,cB Qqua'quer ti"4balho em couro e -arawte t, 0m
T'em duas caixas, a caixa A e a eaixa B. pha9'heuPod4t-cas nacionaes e ers-- s.e ,: r qu Olt.., .,., '
us socios da Caixa A )pnignm 5. ooo e 2.oo do trangeiras -Espra-sc um bor "" n .. s nr. de,,ilo sejar melhor c de pros rasuavei:.
mensaidade e tm direito, no fim de 15 Irnnos, a unia opeso, a o Ep ud 0 i ,
que neo sor' maior de 150-000 por mez. sortimento vindo da I-ortaleozi. Mon .Al,-o..i ii.. o,,,',,.r., ,,m. Ireanio Cabral de Oliv,-ira
Os socios da Caixa B, pagamr 5,000 do juiae 54000 deI Av:--2 r-ceitas a qualquer L 'P)LIXo EI7ZER d, Joaze iry rd 1a 8 ,
. -. ^ .^i^ i/;ii{ ^ Joazeir,) do Cariry


I


r- AL


, .* ,*


Ir


I


'Qf rE


~;Q