Deus fala aos homens na terra;

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Deus fala aos homens na terra; o chamado de Deus na terra pela sagrada eucaristia. Os 40 dias da quaresma. Tudo isto se deu no Juazeiro do padre Cicero
Uncontrolled:
Chamado de Deus na terra pela sagrada eucaristia
Physical Description:
iv, 124 p. : ;
Language:
Portuguese
Creator:
Andrade, Francisco de
Publisher:
Tip. S. Francisco
Place of Publication:
Juazeiro, Brasil
Publication Date:
Edition:
2. ed.

Subjects

Subjects / Keywords:
Meditations   ( lcsh )
Genre:
non-fiction   ( marcgt )

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
Resource Identifier:
oclc - 13914672
Classification:
lcc - BX2186 .A553d
System ID:
AA00000238:00001

Full Text

Francisco de Andrade
DEUS FALA AOS HOMES NA TERRA

N O CHAMADO DE DEUS NA
TERRA PELA SAGRADA
SEUCARISTIA








S Os 40 dia da quaresma

Tudo isto se deu no Juat.ieo do Padre Ci'etof
1!, 21 Ow WW W








EUS FALA AOS HOMENS NA TERRA

EM 1897
No mez de outubro quando o Pe. Cilero se ao.ba,
va em Salgueiro Estedo de Pernembuoo, por door, to do
Santo oticio que lhe impoz srbre pena de exeomunhio
a rettrada de Juanztro dentro do praso de 10 dias. H oa.
so nfo salese neetes praso flcava excomungado reserve.
do ao Papa. En, face do 4ocn onentos apresentadoe ao santo
otfflo pelo Snr. D. Joaquim Bispo do CeerA, informando
de modo tMo grave os fatos da e;iiaristia ocorridos no Jua-
zeiro, que leolvu o Pe. Cicero d s a ireitos de sac erdote,ao
que e seubrnetpu or'm obedlencia complete. Neste tempo
vim eni so Ju 7e'rn pagar uma prompspa que havia felto
a Virg%'rm das Dores; cheguei as sets hrqs da tarde e
nfo conhecendo a ningem ali p-di agasalbo em uma casa
da frente aberta a Rua S. Pedro, ande passfl 3 dias.
Pouco antes da media note despertel pela visao de um
sonho aflitO no qual via o Pe. Cicero cru ificado.
Despertel coma .que aquela visa'i fosse uma reall-
dadA, e sequi para a igreja; ao chegar a igreja refleti
e disse a mim mesme: que loucura esta minha, vir a igreja
epta hora por casa de um sonho? mao como jAvim vou
rezar o oficio d; N. S. e volto e you dormir. Chegindo at6
a prvt, principal da igreja ajoelhei-me e com'ecel arezar
o eticlo
Na segunia coluna uma voz clara e visivel comegon
a me falar do modo seguinte: Ea sou a voz da, luz e da
verdade, e contra mimr se levaatou o poder das trevas e
a maldade da oclunia.
Manifested a luz e a verdade no misterlo da seagrada
euceristia, mostrando o testemuaho d4 verdade e da f4
na terra.
Satanaz o pai da mentira e do odio, manlfestou o odio
e a m Idade da calunla contra mfim para deatruir a 6 e
confundir a verdale, e formina atb o fim do cumbate
today sorte de maldade ecalunia, e ultimamente le'antard
fogo e ferro contra 4 luz e a verdade. Pore h entire f)go








Deus fala aos. homens ina terra
terro Pe anngue you dar test r unh, da lnfz e da verdade
o you castigar o inferno e confundir a satanaz e a sober.
ba humana corn uma segunda rederpgo, que o inferno
ao esperava e nem os proprios anjos eabiam, E' urn
miEiterio e um segredo que estava reservado e guardado
para or fm do inundo no ultimo combat.
A soberba e.a msldade humana nunca so confor.
maam corn OB d-oretos divinos, porrm debalde oombite o
Inferno e envflo pelejam os poderes humane oontra o
poder divino. A transformabpo da eucarlstia em sangue 6
um fato real e divine, 6 um brado de Deus na terra e o
testemunho da palavra do redentor dos homes.
Eu ent&o pereuntei: se assim 6, come a Santa 86
condenou estes fatos? A resposta foi esta: a Santa S6 nAo
condeaou o testemunho da verdade, condenoa sim a mal-
dade da calunia nassida do odio e satanaz e da sober-
ba humana of ntra J. C. na sagrada euceristiA.
Esta crndenaglo c ntra os fieis 6 nula diante de
Deus porque foi dada esta sentenQa em urn tribunal hu-
mano sugeito a enganos, e por essa razdo nao tern con-
firmagAo divina.
J. C. nio podia condrnar a spgrada euearistia
porque seria condenar a si proprio e desemntir as verda-
des que atirmou neste misterio, na vespera da sua paixao
e morte de cruz.
Os encarrpgados de Cristo na terra, corn a nega-
Vo da verdade de J. C. na eucapidtia, fizeraw a confut
aSo da verdade e a perturbgdao da f6, e iPto dura at6
que Deus made urn vento que leavee as folhas e deixe
as pedrag.
As trevas tomarao o lugar di luz, a mentira o lu-
gar da verdade e o crime o lugar da, justica, atN que
Deus expulse tais poderes. Os lobos vestidos de cordeiros
trazem para enganar, zelo sem caridade, penitencia sem
fruto e obediencia sem humildade.
J. C/- Dtz: ae os encarregados de Cristo tivesRem
conservado a f6 e a obediencia come Ihes fol ordenado naio
mne tinham descenheoldo e negado. A autcridade de Cristo
na terra enganada per satanaz, ndo quiz se conformar








-111-


Deus fala aos homen na terra

nem aceltar o testemunho de J. C. na sagrada eucaristia
e o brado de Deus na terra.
j,. C. na eucaristia foi levado pelos cami-
nhos da calunia 6 recusado e condenado na mlssao do
redentor do mundo.
tespoito a pessos a vida e more do P-. Cicero, ouvi o
seguinte: A vitla e a more do Pa. Cicero 6 um retrato
fiel tde J. C. ele nao 6 J. C. irais imita J. C. na vida e na mor-
te. E' um enviadi da luz que da testeamunho da verdade
e da f6. E' procuraor que prepara os caiia-hos para o
grande e tremenio dia do jaizo final. 0 Pe. Cicero sera
vitima do odio e da caluaia, urn novo- Herodes se le-
vanta contra ele, e urn seguado Pilatos lia da asenten-
ga de morte.
0 odio contra o Pe Cicero, vein do inferno e na
terra nao tern remedio; e depois da sua morte Juazeiro
serA chamado nova Jerusalem. 0 qua to mostrei pela Vi-"'r
sao do soah,) e uma realidade da verdida, o odio e a so-
berba dos ininigis d) Pj. Cicaro, nao suportam ouvir
falar nisto.
J. C. diz: este 6 o ultimo combat que satanaz tern de
opdar contra mimrn e contra a t6 por ser o ultimo e o malor
de todos que term havido, e previno aos soldados para
este combat, que se armem corn a devogao do rosarlo e
se fortifiquren corn a sagrada eucaristia que terAo oerta
a vitoria.
O inferno vat vomitar na terra o turor do seu odio
contra J.C. contra a f6, e a Virgem S. S. J. C. diz: estas
poucas gotas de sangue qije mostrai na euoaristla. tara
correr rios de sangae no se3ulo vinte ea testimunho da
verdade e di f, corn o saorniolo di proprii vida. Por-
que o odio de satanaz, a midade e a soberba humana
So fazem r6u de todos rs crimes diante dos tribunais humans
e implos, porem o c6u dirA testemuaho da su. iaocenoac
na terra.
A aegagao da verdade e da Nt que llzeram os en









Deus fala aos homes na terra

carregados do J. C. na terra, Tazo martirio do Pe. Cicero
e de um grande numero de mortires; J. C. diz: ha duas
families na terra, uma da mulher e outra da serpente e val
ser separada uma da outra. 0 Pe. Cicero 6 o fundador
da nova Jerusalem no poente anunciada e edificada nos
ultimos tempos; e vi levantar-se no poente uma nuvem
em forma de urna igreja, e outra no nascent, e navegan-
do uma e outra se eneontrCram no nieio do c6u e f)r-
maram uma s86. E me foi dito que aquele simbola indica-
va o triunto a uniho da nova Jerusblem corn a Santa
S&. 0 inferno e a maidade hiimana pode perseguir e
perturbar as obras de Deus porem nUo oode confurdi- -
las e aem impedi-las. Dit, s estas cousas me falou outra
voz contradizendo e descrendo o misterio da sagrada eu-
caristia: dizendo que nao havia f6 e nem o mundo tinha
tim: e levantou-se uma forga estranha c ntra miam para
me obrigar a gritar em public que nao havia fb e nem
J. C. estava realmente na eucarittia. E 06 nao uli veacido
porque a voz que n.e falou priDeiro, me animava dizen-
do, :4& MY e antes morrer do que negar a Mf; foram 3
dias 'de combate que balliU o da minha alma Dao me ptr-
metit dormir! foi entao que -ouvi estas palavraf: te arma
co6m a devc9Ao do rosarlo da Santissima Vireem que es-
ta devog&o coafunde e vence o inferno, e l go tui tirando-
o resario para rezar quando urna mao oculta me deu um
grande se6(o no brago que quebrou o rosario! purem. isto
n&o me fez deixar de rezar, e antes de findaO o rosarlf) jA
tinba se atastado de mim esta forga estranha que parecia
me veneer..
.Porem tive aiDda um combat de borrivels inter-
nals tentag6es 6 mezes dia e nolte, e depoii deste tempo
com a frequeacia da confissao e comunhao a bondade de
Deus me deu a paz.
Um vidente que viu estas cousasem 1897, e quem
aobhr diflouldarte nests verdadcs que se aguarde e ee-
pere os acontecimentos que vera.







Em 1903, tries dias antes dia


Quaresma vi Por urn Sonho


a visto Sesuinte:

Andando por um bosque desert que me parecia
com a cha do Araripe porem era para mim de sconheci-
do o lugar. Vi a Jesus Cristo no traje e forma do Cora-
05o de Jesup. Desses que t parpeem depois para eerem
entronlsadoe; andando em passes multo modarados so 're-
dor de uma grande cruz, que estava all estendida no
chao; corn a cabepa in-liaada'para 'a terra como quem
orava por um e outro lado da cruz.
Eu surpreendido com aquela vislo; dizia a mina mesmo
L& tantos -an, a que Jesus Cristo passou os 40 dias do
desert. e faz a redeacAo do mundo, bgora o vejo neste
destrto? E nisto Jesus Cri-to levantando a chbe a, olh-para
mim diz eitas palavras < &' verdade que JA tazeo. mais de
mil anos que cowoo Dius e bomam fiz a peAiteacia d. jejum
nn deserto padeci os torment s da paixio para rt-den-
aIo e salvae&o dos homes, e os homes me desprezam
e abtrrecem (s tiutos da redenVAo
De un modo Invisivel porem real, renovo todos os
anos no tempo santo da quaresma a penitencia do de-
serto e os frutos da redengao; vivo e real na Sagrada
Eucaristia desconhecido e negado dentro do circulo da
luz, e da verdade na terra.
Vou padeoer neste seculo umaniva redentao pa-
ra a liberdade e salva9'o dos novos cativos que voltaram
as trevas e ao domiaii de satiaaz. EMn miltii -magesta-
de dlvina pao me 6 mais permitido sofrer aeom morrer
por,-m vivd e real co no fiquel na Sagrada Euoaristia neo -
to mlsterto a negago df verdade e da f6 na terra









Deus fala aos homeuns na terra
A maldace e a sberba dos poderosos do mundo me
fazem sufrer aeste seculo, us tormeatos da paixao unltos a
pessoa do meu enviado na terra, que serA vitimna em tes-
temunho da verdade e da f6. E se queres passar ests qua-
resma comigo no desert comunga os 40 dies da" qua-
resma e ta mostrarei as verdades eternas do principio
at6 o fim. Nao 6 permetido coaxungar na sexta-feira da
paixho, depois te explicarei a razao.))
i; to isto, inclinou d(o mesmo modo a cabega para a
terra e continuou andindo ao redor da cruz, e eu vol-
tei a vista para o bosque procurando ver se havia alguem
por all e nao vi ninguem. E quando volto a vista pmra
o lugar onde estava Jesus e a cruz, nao vi mais ali a
Jesus e aim, a cruz e o Padre Cicero, em traje do Cora-
gao de Jesus, corn a cebega inelinada para a terra an-
dandra do mtsmo modo ao rede(r da cruz! Eu ouvi esta
voz: ( almente em pessoa>>.
Despertei e nada ouvi dito pelo Padre Cicero nesta
visdo. Nao puz duvida em crer que Deus me chamava
por aquela visao que acabava de ver, e por grapa do
Corsa9o de Jesus comunguei 39 dias como me havia di-
to J. C. e me fez ver e ouvi as seguiates verdades que
me ordenou esorever dez anos depols.

Os quarenta dias de quaresma
em 1903

lo, jia

J. C. vivo e rebl na Sagrada Eucaristia mostra na ter-
ra o poder da verdade contra a mildide e c poder da
cblunia, e o triuuto da luz contra o puder des trevas que
se levanta de novo neste s6oulo.
EU sou a vdZ de Cristo que brada no desert chg.


-1) -









Deus fala aos homes na terra

mando a humantiade a f6 e a penitenota porque obhegog
o seculo da destruigao do mund.i, e as separacfLo de Deiu
ou a unifio com Deus 6 feita aqui na terra. dste seculo
nDo se finla que o filho do humeme, ulo dO testQmunho
de sua palavra,

J. C. dif: como fol no principle sera no fim, e
quero te mostrar no principio e depols to mostrbrei o
fim. Como o powder das trevas e a soberba se levanteram
a primeira vez contra a luz e o ppder da magestade
divina no pareiso. 0 pai da mentira e da maldade
o rei da rev lta e da soberba o chefe de tolos os
ladr6es, satanaz. Chelj de odio de maldade e a soberba
revoltou-se contra DOus tseu Creal)r e Sanhor. Cego
pelo odio nao reconheceu e nem viu o poder iatinit, e
soberano de Deus. Com a mrildidr e a caluaia engaaou
e sednzin os anj.s que o acompathassem ni sua revol-
ta para tomarem o paraiso e os diraitos da magestade
divina. ,

E fizeram a primeira revolta das trevas contraa
luz, da maldade e contra o b3m e a verdade. Deus que
tud, via e tabia, mandou antes de castigar pelo arcenjo
S. .Mlgue},-mostrar a luz contra as trevas e o poder ia-
fin tu e sob-rano contra a maltade e a soberba,
Cegos pelo odio e surdos pela P-oberba nAo viram
e nem ouviram a luz e o pod-r soberano, que lhbes ala-
va per S. Miguel perguntando quem como Deus tiqui? Ce-
gos e obstinados ni maldade e na soberb-a abuzaram da
bondage infiniti e do powder d3 Dauq e perderam a glo-
ria do paraiso, a felicidade eterna, e foram precipitadis
no abismo e nos castigos Pternos, d' inferno.
Foi assim que o rei da sober' a e da maldade ten-
tou na primeira revolto roubar de Deus no paraiso a glo-
ria e oa direitos da magestade diviaa.
Os decretcs divinos ndo serao confaadidos e nem
destruidoe.


-&=--s







-4--


Deus fala aos homes na terra

2o- DIA

Eu sou a voz dR Cristo, que brada no deserto ohatnai.
do a- human iale a 16 e a peaitenolc porque ch-gou o
soculo da destrulgto do mundo; e a separ-.9n de Deus
ou a ungo corn Deus 6 felta aqui oa terra. Este seou;,
In nao se fiada que o filho do home nAo dd testemu-
nho de sua palavra.
Deus que cm o seu powder soberano e lotinito, ti-
nha criado o c6u, a terra e "s anj,)s, regslvea depois
da revolt dbos linjos ma.is, area outraq especie d, an-
Jns no'paraiso tVrrestrp, qiiu gl rificasqe a magpstad. dl-
vina, no paraiso da terra, 6 deDois fossem preencher os
]1ng. res vagos d, par..is, do oeu.
Cret u Deus s eeundd s anjos e Adan e Eva, e os co-
loc u no parais' teirestre onde gosavam complete (eli-
cidad- em c mpanhii do memo DpuP, e assim glorifl-
cavam a magestade divina na terra. Ordenou Deus que
comesoern.de tolo; o" frutos q'ie titia naqufle paraiso
e s6 nAo compssem do fruto da arvore da oipncia do
btem e do mal; porqup. se comes;em daquele fruto mor-
reriam. Inocentes e felizes viviam Adao e Eva no pa-
raiso terrestre e satariaz ardia de odio e de invpja no
inferno contra esses nows anjos que glor ficavam a
Deus na terra e d-pois tinham que- irnm woper nn cin.
E que fez o pai do odio e da sc.berba o rel dam a-
dade, tentou segunda vez roubar de Deusna terra a
gloria e os direitos da magestade, divina.
tatanaz chelo de odio e de sobprba disse: como nia
me fol possivel roubar no ceo a gloria e es direitno da
magestade divine, you faze-lo na torre, e serei o. rei e
eo dono destes novos anjos da tirra, Cheio de odio
e de maldade. armada corn a wentira, o rel da revolta
tomou a forma de serpente e entrou no paraiso terres-
tre e falou deste mqdo a Eva; Porque razao comes it,







'V-"*- .m.


Deius fala aos homes na terra

todos os frutos deste paraiso e deixas-o desta arvore sendo o
maiq saboroso de todos? Eva eanto ihe responded: porque
o Senhor Deus nos proibiu e disse, qut se comessemos
deste fruto teriamos a morte.
A serpente comunicando a sua maldita soberba a
Eva, ]he disse: esta prnibigao fol para ti enganar por-
que se comeres deste fruto n&o morreras nunca e floaras
em tudo Igual a Deus, e Ele nAo quer que tenhas esse po-
der e essa felicidade.
Eva enganada pela maldade e mentira da serpen-
te e chela de soberba e vaidade para ser Igual a Deus,
trocoa a luz pelas trevas e a verdade pela entire; per-
deu a obediencia absolute e eterna que Deus Ihe Impoz
e calu no domino e cativelro de satanaz e do inferno
Unida a serpente A Eva. que J estava debaixo
do seu dominion, enganaram e caiu no mesmo abismo e ca-
tiveiro Ad&o; e assim ficaram pertencendo a satanaz e
ao inferno os segundos anjos criados por Deus na terra.
O rei da maldade e da revolta cheio de odio e soberba
disse: nao tui rei no c6u porem o sou no inferno
e na terra.
A magestade divina afrontada assim por satanaz
na terra, e chela de amor e caridide pelos segundos an-
jos que tinham caldos no sbismo com os anjos rebeldes
resolved no seu amor inlioito e soberano poder, dar'no-
vamente a Adao e Eva'na terra a liberdade, a paz e a
telicidade de voltarem ao selo de Deus e ao reino dos
ceus para onde os tinha criado, e jurou castigar eterna-
mente a satanaz e a sua soberba, e disse:
Os decretos de Deus nao serao confuididos e nem
destruidos,

30o Dia

Eu son a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a fM e a penitencia porque chegou









Deus fala aos homes na terfa

o seeulo da destruleto do mundo, e a separa ou a unlko corn Deug 6 felta aqui na terra. Eite seculo
nao se finda que o fllho do home nao dO testemunho
de sua palavra.
Tomou Deug a resolboo de se fazer hotoem na
terra para ensinar ans homes a ft inabalavel na palavra
de Deus e a obediencia absolota e eterna ao mesmo
Deus; acima de todos os poderes da trra.
A segunda peseca da SS. Trindade ofereceu ao
eterno Padre o sacrificio e a3 humilbac6es de sua vida
lfeto home, para liberdade e redengio do home que
chorava e gemia na terra debaixo do imperio e dominion
de satanaz. Deus impoz a Ad'o e Eva, que saissem do
paraiso porque estavam condcnados a sotrerrem e a
morrerem por causa da sua desobediencia e revolta con-
tra Deus. 'Disse Deus a serpente, e tu serpente maldita
que enganastes a mulher na terra: da mulher nascerA
a mulher que nao serdA enganada e nem vencida por ti
um s6 instante... e te pisara cabeoa eternamente.
0 pai do odio, o rei da maldade e da soberba,
vendo esta caridade e amor que Deus manifestava peln ho-
mem na terra, e ouvindo a sentence de castigo que contra a
serpente proelamava, creseeu o odio, a maldade e a so-
berba da sErpente contra J. C. e contra esta nova Eva
que Ihe bavia de pisar a cabega eternamente e ser a ral-
nha do ceu e da terra
Deus proclarnou na terra pela voz dos seus pro-
fetas os decretos da magestade divine, contra o poder
das trevas, contra o imperio da soberba e contra o po-
der e a maldade da calunia. R disse, sera revantado na
terra o imperio da luz e da verdade contra o powder das
trevas, e o reino da soberba seFA confundido pela obedi-
encia, humildade e penitencia do novo Adao e da nova
Eva na terra.
Proclama Deus na terra que o filho de Deus
feito home para redengao dos homes, vinha trazer aos









Deus fala aos homes na terra

homenb na terra a luz contra as trevas e a verdade con-
tra a maldade da calunia, a paz contra a guerra e a
carldade contra o 6dio que reinava na terra contra cs
homes.
O Messia prometido avisou por seus profetas que ou-
tro Adao e outra Eva haviam de construirem e criarem
a famlla de Deus na terra, os filhos da luz e da verda-
de separados para'sempre da familiar da serpente,
Os decretos de Deus nao serAo confundidos e nem
destruidos
40. DIA

Eu sou a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a hbumanidade a (6 e a peaitencia porque chegou
o seculo da destruicao do mundo, e a separagao de Deus
ou a unito corn Deus 6 feith aqui na terra. Este seculo
nao se'finda que o filho do home nao d0 testemunho
de sua palavra.
Como o poder diviao zomba do poder das trevas
quando se levanta na terra contra os decretos da mages-
tade divina, quando o pai do 6dio., o rei da soberba e da
maldade rebelou-se contra Deus no paraiso. Deus nao
mandou gerarquias de aujos; e sim, um 86 dos seus an-
jos para confundir o soberbo que se fazia rei e aos seus
sequases. E quaado sattnaz por 6dio e por inveja, revol-
tou-se contra os decretos diviaos e contra o home na
terra, Deus para veneer e contundir o interno e o satanaz
anunciou pela voz dos seus profetas que vinha se fazer
homem e que seria o rei do c6u e da terra, Adestruindo
o imperio da soberba, corn a hurmildade, destruindo o
o trono das trevas, corn a luz; e conafadida a maldade
da mentira corn o testemunho de sua verdade.
/ E como a queda do prirmeiro Adao tinha sido por
desobediencia e abberba; o novo Adao cheio de luz e ver-
dade, imaoulado e humilde de oora&ao vinha levanz









Deus fala aos homes na terra

tar e libertar o primetro AdAo decaido e oativo.
O redentor do mundo, Deus feito home, manifestou
na terra os decretos da magestade divina e deu tempo
e llberbade, a soberba e a maldade de satanaz. E qua
fez satanaz para Impedir e destruir a redengao dos ho-
mens e os decretoe da magestade divina na terra? Sa-
beado que o filho de Deus feito home viaba trazer &
terra a luz e a verdade, satanaz sem cessar dia e noite
pregava e eneinava as trevas e a mentira aos homes;
ensinava satanaz a idolatria o culto e o amor aos falsos
Deuses, para que o Deus verdadeiro, nao fosse conheci-
Ado e adorado pelos homes na terra.
Satanaz sabenlo que o amor e a caridade 6 urn la-
go0 entire Oeus e o home que liga o homem corn Deus,
ensinava dia e noite o 6dio e a maldade a todos os ho-
mens para que fiasse n separados do filho de Deus fei-
to home e nao fosse creada a familla de Deus na terra.
Os decretos de Deus nao ser&o confundidos e ner
destruidos.

5o. pta

Eu sou a voz de Cristo 'que brada no desert cha-
mando a humanidade a f6 e a penicencla porque chegou
o boculo da destruigio do mundo, e a separago de Deus
ou a uniAo com Deus feita aqul na terra, este seoulo nao
se finda que o filbo do home nao d6 testemunho de
sua palavra.
Decretada e esperada a redenCao do mundn na ter-
ra ,crescia o odio, e a maldade e a soberba de satanaz
contra J. C. 0 sol divino que vinha destruir o trono das
trevas na terra, crescia o 6dio, a maldade e a soberba
da serpente contra aquela nova Eva que viaha pisar e-
ternamente a cabeca da serpente, e ctntra ela a ser-
pente nao teria poder um s6 instant. Avisa Deus na ter-
ra pela voz dos seus protetas que diante da pure-









Deus fala aos homes na terra

za imaculada da nova Eva, tremig o inferno e pasmavam
os anjos no paralso. A sua humildade na terra, faz ge-
mer a soberba no inferno e cair o trono das trevas.
A primeira Eva enganada e vencida pela serpente
abrin as portas do abismo das trevas para a terra, e [e-
chou as portas do paralso para ela e os seus filhos. A
segunda Eva destinada por Deus para veneer e confun-
dir o inferno sem perder e sem manchar a virginal e
Imaculada pureza, se fez esp6sa do Espirito Santo e m&e
do filbo de Deus aeito home.
A segunda Eva b a chave quo abriu as portas do
paralso e den entrada aos filhos da luz que choravam e
gemiam nas trevas do cativeiro.
A Virgem imaculada,,6 mfie de Deus e dos filhos da
luz que choravam no cativeiro e domino das trevas, po-
rem nAo 6 mae daqueles que recusaram a luz e a verda-
de na terra e nao aceitaram por mae a segunda Eva mAe
do filho de Deus feito home.
Crescia o 6dio e a maldade da serpent contra a Vir-
gem Imaculada; e satanaz na sua missao mallita do 6dio
e da soberba contra J. C. na terra fez tudo para pertur-
bar eimpedir a redengao do mundo e os' decretos, de Deus.
Contra o rei do e6u e da terra, satanaz introduzia
em todcs os homes da terra, o 6dio, a guerra, a malda-
de e o crime como lel e justiva; e Deus para conwervar
a fb na terra e llivrar cs homes do crime e da idolatria,
deu espiritos aos homes, a lei dos seus mandamentos.
Satanaz na sua reva Ita maldita contra o filho de
Deus feito hoaem, fazia reunir, em trdcs os trtnos da
terra, o 6dio, a soberba, e o crime para impedir que o rel
do ceo e da terra que vinha trazer a pNz aus homes,
n&o tivesse a paz e entras~e na guerra. Como satanaz
se engana e stia sempre coniundido na sua soberba e
maldade.
Os decretos de Deus 1ao serAo confundidos nem
deetruidos.







- 1i-


Deus fala aos homes na terra


60. pia

Eu sou a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade A f6 e a penitencia, porque chegou
o seculo da destruif&o do Eiundo; e a separaq&o de Deus
on a unito corn Deus 6 feita aqui na terra. Eate seculo
nao se finda que o filbo do home nao de tertemuaho de
sua palavra.
Debalde peleja o g1oder das trevas contra o poder
da luz; 6 chegado o tempo e o moment que Deus tinha
em vista dar principio a obra da redencgo de mando. JA
creada a virgem imaculada destinada para ser mAe e
sempre virgem, baixou a segunda pessoa da SS Trindade
do alto do c6u imperio e por obra do Espirito Santo o
filho do altissimo ie fez home, no seio virginal daquela
mulher que foi chamada pelo anjo chela de graga e ben-
dita eotre todas as mulheres..VToraou-se a Virgem Ima-
culada.o santuario da SS. Triadale na terra cereada e
acompanhada de cOros da anjos que faziam guard ao
rei do ceu e da terra, e a rainha dos anjos e dos ho-
mens, que domina todo o universe e contancle o Inferno.
Os anjos viam na Virgem SS. outro trono da SS.,
Trindade levantado na terra; e quem poderd avaliar o
bdio e a soberba corn que satanaz via levaatado na ter-
ra o trono da SS. Triadade? Este trono de luz que vi-
nha destruir as trevas; este trono de pureza e humilda-
de que destroe o vicio, aonfunde a soberba e vence o in-
ferno; este trcno que dele nascia o sol diviao, testemu-
nho da verdade contra a maldade da caluaia.
E assim JA via satanaz na terra o comego da reden-
co do mundo, e o cumprimento das prom.essas de Deus
a Adao no paraiso, e a certeza da liberdade e felicidade
eterna dos homens, contra a qual se opunha satanaz corn
forga de 6dio e soberba. -
No dia 20 de dezembro, as 12 horae da note nas-









.......Deus fala aos homes a t .rra

ce na paquena cidade de Belem, como era profetisado
o Deus Mentno o Silvad-r do mrado; e logo foi visto
e conheoido os sinaes indicados pelas profecias do nas-
cimento do Deus Menino. E como satanaz tinha teito a
ruina e a condenacRo pelo espirito de soberba, avaresa
e vaagloria, o filho de Deus feito home, vinha des-
truir o powder e o imperio de satanaz levantado contra os
homes na terra.
Devia nascer o rei do c6u e da terra na pobreza
humilhacao e despreso da terra.
Satanaz que esperava o nascimento do rei do c6u
e da terra, em troDo de poder e graadezas do mundo toi
logo confundido corn o primeiro ato da vida de J. C. na
terra.
Os dberetos de Deus nao serao confundidos e nem
destruidos, e J. C. reina eternamente contra seus ini-
migos. -
7.0 Dia

Eu son a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humaiidade a !6 e a penitancia porque chegou
o seculo di destruiodo do munds, e a separaglo de Deus
ou a unito corn Daus 6 faiti aqui na terra, este seculo
nfto se finia que o filho do home nfo de testemunho
de sua palavra.
Estava decretado po-r Deus no c6u, e protetisado na
terra que o redentor do mundo,'J. C. viaha fazer a reden-
co do home como sacprdote do Altissimo, ensinaado
aos homes da terra a fb inabalavel na palavra e mais
promessas d3 Deus; a obedienaia santa absolute e eter-
na 6 Deus acima de todos os po.deres da terra; easitaan-
do a penitencia e a humildade contra a soberba e a re
volta de satanaz na terra; ensinando o"amor e a caridade
contra o odio e a maldade da serpent Internal.
J. C. sol divino que velo trazer aos homnene na ter-









Deus fala Ios home na terra-

ra a luz que reina eternamente" contra as trevas, e a no-
va lei que faz a alilnga santa e eterna entire Deus eoa
homes dentro do circulo da redenqao, fora deste nao
havera salvaglao.
Era decretada por Deus e profetisada na terra
que o sacerdote do altissimo consumava a sua missao do
-redentor do mundo corn o sacrificlo da propria vida cra-
vedo em uma cruz, conmo penitenclo, reparaeao pelQs
crimes dos bomens diante da magestade divina, ultrajada
e ofendida pelos homes na terra.
E que fez sstanaz para perturbar e Impedir a re-
deng1o dos homes e os decretos de Deus, de modo
que nfo f(ssem preenchidcs os lugares vagos do paral-
so por estes segundos anjos que Deus tinha oreado na terra
Satanaz chelo de odio contra J. C. e o Deus feito ho-
meam, o rei do chu e da terra que viaha libertar o bomem
do poder e dn cativeiro do inferno, satanaz comunica
a pessoa de Hgrodes, que reinava entdo no poder e no
governor ,o e odic, a maldade e a soberba c(!ntra este mo-
narca que vinha ser o rei do ceu e da terra. e que cer-
tamente tinha de eer o rei mais forte e pfderoso que
vencia todos op rplQ; e ti dtgo que tu nAn terAs mais tro-
no nem poder diante deste novo rel qlie nasceu em Relem,
e para nDo perdeies n trono e a gloria de rei na terra, toma
esta prividencia eoquantn, tens o pcder: Manda o por de-
creto da lei matar todas as criangas que se aobam no bergo
at6 a idade de dois anos, e assim ficarAs em paz no
trono e fica a paz para os teus sucessores.
O conselho do odio, da maldade e da calunia
que dava o pel da mentira e do odio aquele home so-
berboe avarento pelas glorias da terra, foi acelto e
executado contra J. C. na terra.
Os decretos de Deus nao serAo contundidos e
nem destruidos, e J. C. reina eternamente contra seus
iulmigos.









Deus fala aos homes na terri

So. Dia

Eu sou a vwz de Cristo qup brada no desert cha-
mando a bumanidade a f6 e a penitencia porque chpgon
o seculo da destruldo do mundo, e a separacfo de Deus
ou a uuifto com Deus 6 felta aqui na terra. Este sacnlo
Do soe finda que o filho do home nao dO testemunho
de sua palavra.
0 soberbo e avarento que v0 a sua felicidade nas
glorias e grandezas da terra, nao trepida em cometer oa
malores crimes para conseguir a gloria e o prazer de
suas paix6es.
Herodes, home soberbo e avarento, decretou e
mandou que fossem mortas todas as criangas decade o
bergo Ot6 a idade de dols anos.
Vendo o eterno pal a maldade e o poder da calunia
que unido ao poder da justiga no tribunal da terra, ti-
nba o poder de dar a morte ao ieesmo Deus feito ho-
mem, ordenou per um anjo, aquele qua o representava
na terra como pai do Deus menino, que fugisse com a
Virgem sua esposa e o menlao e fossem para o Egito,
porque procurava Herodes, matar o menino; porque ti-
nha de ser o rei do chu e da terra.
E quem saberA na terra avallar a dor e a alliolo
quo a Virgem mae e seu esposo Jose, sentiram ao rece-
ber aquele aviso e ordem do eterno pal; para fugirem pa-
ra o Egito pals pagao e reino da Idolatria? 0 Egito, aonde
a Virgem mae e o sou esposo Joe6, eram completamen-
to deseonheoldos e estranhos all.
Quantas afliQ5es sentiam a Virgem maie e o seu das-
to esposo, e cornm eles o Deus menino, que jA no seu
coraofio e na sua alma sabia sentir e sofrer. Porem na-
da embaraCou e nem perturbou, porque a Virgem mie e
o seu esposo JoF6, tioham a f6 inabalavel na palavra e
nas promessas de Deus; conservava a obediencia santa
absoluta e eterna a Dete, acima do todos oa poderes da









DeuI fala os. homes na terra

torra. ohelos de fM e de paz, na santa onntfanei no
proder divin", parciram a meiti note para o ES1to. Nesta
ocitamlo o poler di4s trwvas tomou o lugar da luz e o po-
der do crime, o lugar da uestiga, os decretos e as ordens
de Herudes foram executadas.
Morreram, deram a vida e o sangue por causa da
16 de J. C. na terra, grande numerous de inocentes; os
primetros mirtires da terra.
0 sangue e a morte de tantoo lnnoentes, a dor e a-
fligRo de tantas mAes que choravam a morte e a perda
de seus fllhbn, nada perturbava a cnesciencia do soberbo
e avarento Herodes. Nada podia mover a compaixIo a-
quile coracao dominado pelo bdio e pela soberba; s6 u-
ma cousa perturbarva o sono e a criminosa consciencia
de Herodes; que era nAo ter a real certeza se tinha ou
nAo da~o a morte ao rel do ceu e da terra; e assim fl-
cou Herodes perturbado e assustado sem saber se-a paz e
a glbria do seu trono estava segura corn a morte daque-
le que havia de ser o ret do c6u e da terra.
VY home soberbo e avarento, como satanaz te ne-
gana corn a mentira na terra. A tua soberba e avareza,
e os crimes contra Deus e seus mandamentos. 0 que sa-
tanaz te ordenou que fizesses para tua paz e seguranga
do teu trono na terra, f(,i engano do rel da maldade da
revolta, que o crime nAe te den a paz e te fez perder o
trono e a gloria da terra, e depois da morte nAo terAs
a gl6ria eterna do paraiso.
Os decretos de Deus nAo serflo confundides e nem
destruidos, e J. C. reina eternamente contra seus iiolmigos.

9o. Dia

Eu sou a voz de Cristo que brada no deierto cha-
mando a bumanidade a fb e a penitencia porque chegou
o seculo da destrutgao do mundo. E a separacfto d e









Deus fala aos'homens na terra

Deus ou a uniao corn Deus 6 feita aqui na terra. Este se-
cuto n&o se finda que o filho do home nao de teste-
munho de sua palavra.
Enganado Herodes na sua maldade e soberba con-
tra o rel do c6u e da terra, e confundindo sataaaz na
sua maldita missao de soberba e revolta contra J. C. e
os decretos divinos, nao poderam interromper a obra da
reden9fo porque era decreto de Deus.
0 sacordote do altissimo qne velo gloritlear na ter-
ra a magestade divina. e confjndir o powder das trevas,
a asaldade e a soberba da serpente e logo no seu aas-
cimento fez a redengio d, grande numero de santoo mar-
tires e inoeentee que glorificam a Deus eternamente e
pedem justiga contra o crime.
Sete anos guardou o eterno pai no Egito o Deus
Menino em companhia da Virgem Mie e de S. Jos6 pal
adotivo, que a maldade e a soberba de sataniz na pes-
soa de Herodes, os tiaha desterralo de Belaa. E aomo
era decreto divino, a vida de J. C. na Jud6a, e a morte
na cruz, depois da morte do soberbo Herodes, ordenou
o altissimo aos trees desterrados quo voltassem para a
Jud6a,. porque jA era morto aquele que procurava dar a
morte a quem vinha lhe dar a vida.
A soberba e a maldade de satanaz contra a luz
e a verdade, crescia na terra. Satanaz sabia e tinha cer-
teza que a vinda de J. C. teito home na terra, era
destruir o imperio das trevas levantado na terra contra
o home e os decretos divinos, deatrutr o reino da so-
berba com ahumiliade e a p3niteacia de sua vida e con-
fundir a maldade da calunia corn o tebtemunho da verda-
de. E sabia sataaaz que J. C. 6 o sol divino que viaha
encer os homes de luz e verdades eternas, eabia o
inimigo do home que f. C. era o redentor do mundo,
o tilho altissimo e mensagairo divino que viaha trazer
a terra a luz cootra as trevas: a verdade, contra a
calunia: a humildade e penitencia, contra a soberba: a







-16-


Deus fala ios home na terra

pureza, contra o vicio e as paix6es; a caridade e o amor
a pobreza, contra a avareza; e finalmente o inimigo do
home sabia que J. 0. faito homezm vinha ser o autor
e mestre de todo bem contra o mal que reinava sobre os
homes na terra, e que a luz e a verdade, da doutrina de
J. C., a santidade e o saorlficio de suna vida, fazia a Uber-
dade e a reden9go doe homes e formava na terra um
circulo de luz e verdade, dentro do qual constltuia e guar-
dava os filhos da luz e da verdade. A nova tamilia de
Deus que adoram a luz e a verdade na terra, ato obe-
decem e nem adoram o poder das trevas e a maldade da
caluaia. Os decretos de DaLu nao serao contundidus e
nem destruidos, e J. C. relaa eternamente contra seus
inimigos.

10.o Dia

Eu sou a voz de Cristo, qua brada no desert
chamando a huaanidade, a tf e a penitencla porque
chegou o seculo da destruiaLo do muado, e a separalao
de Deus ou a unlao cornm Dens 6 feita alui na terra. Esa-
ts seculo nAo se finda que o filho do home nao d0
testemuDho de sua palavra.
0 rei da maldade, o pai da soberba, o anti-oristo,
na primeira revolta contra os decretos e os direitos da
magestade divina, conseguiu na sua maldita revolta e
maldade levar cousigo para o ablsmo do inferno, graa-
de numero de aujos rebeldes que se tornaram, soberbos
e malditos corn satanaz para sempra.
E na segunda revolta que satanaz levantou na
terra contra o home e os decretos diviaos na criaiao
do homnem,o inimigo de Deus e do homam, o anii-oristo em
forma de serpent enganou e sujeitou a familia de Deus
na terra, ficar debaixo da maldade, da soberba e domiaio
da serpeate, que floou corn o poder e o diretio de coast,







Deus fala abs' homes na terra

tituir na terra uma grande familiar para o inferno, deno-
miaada a tamilia da serpeate; os filhos dals travas a da
meatira.
Quando o rei da maldale e o pal do odio e da
soberba viu o piano e decreto damagestade divinia, Deus,
se fazer home na terra para tirar o home do poder
das trevas, do dominlo e Oetiveiro do inferno e conduzir
novamente o home a gloria e a felicidade eterna do
paratso. S para este tim ficava decretado Q gran le mis-
terio da encarnagRo da sigunda persoa da SS. Trindade
J. C. feito home para redengAo e liberdade do home
perdidr e cativo, que o pnder soberano e infinito da
magestade divinar creava uma nova Eva, na terra que
serla mais puara e matl saata que os anjos do paraiso, e
teria a boara e o poder de ser mae sem deixar de ser
sempre virgem e imaculada; e esta nova bIva, criada
e predestinada por Deus, para castigar e veneer a sar-
pente iofernal na terra. S nunca haverA de ser vencida
e castigada a nova Eva; da' qual nascla o filho do altis-
simo J. C. feito home, o nw)vo Adao que viaha easiaar
aos homens na terra, a obediencia santa e perfeita sobre
a ventade do altissimo, a ft inabalavel na palavra e
nas promessas de Dens.
E que a humildade a penitenoia e o sacrlflcio de
sua vida. unidos as dores e a mesma santidade da nova
Eva, os coastitulia paz da nova familiar de Deus na ter-
ra, os filhos da luz e da verdade, que deatro do circulo
da reden Ao adoravam e glorificavam na terra o Ddue
do luz a verdade, e depots da morte lam ver e adorar
a soberana Trindade face a face no paraiso.
F I este o piano da magestade divida para levan-
tar o home decaido no poder das trevas e pela mal-
dade da wentira.
Baixou do ceu a terra a luz e a verdade que
guia e leva o home ao paralso e da luz e da vida eter-
nao, onde a paz no 6 perturbada.







Deus fala aos homes i& terra

Diante deste plano e decreto da magestade divina,
criar na terra uma nova familiar para o o6u, satanaz, o
rei da maldade o pal da mentira e da soberba, na suna
revolt maldita do 6dio contra J. C. e contra o home na
terra, conseguiu ooaservar a familiar da serpent na terra;
os filhos das trevas e da mentira que n&o a3eitaram a
luz e nem a verdade, e foiaram nas trevas e na oonfusao,
tendo por pal a satanaz, e por mae a serpente.
Os decretos de Deus nao serao confundidos e nam
destruidos, e J. C. reina eternamente contra os seus
inlmigos.

110. DIA
EU sou a voz de Cristo que brad no desert cha-
mando a humanidade a 16 e a penitenola porque chegou
o seculo di destrulgto do mundo; e a sepAragAo de DsuS
on a unlao corn Deus 6 felt aqui na terra. Este seoulo
nfo se finda que o filho do hoqlem nao dO testemunho
de sua palavra.
Definido o decreto divino de criar uma nova fami-
lia, os filhos da luz e da verdade, os herdeiros dos lu-
gares vagos do paralso que perderam os anjos rebeldes
que cairam no ablsmo das trevas; continue na terra sa-
tanaz na sua mallita revolt contra J. C. e contra o ho-
mem, para perturoar os deoretos de Deus na terra e
roubar do home a fteloidade do paraiso.
0 anti-oristo Inimigo de Deus e- do home, ensina-
va na terra as trevas em lugar da luz, a mentira em lu-
gar da verdade, a soberba em lugar da peaitenala, o cri-
me como Justiga, o 6dio em lugar da paz, o violo come
virtudi e os prazeres da care como preceito da vida
do home.
Tudo satanaz .empregou por 6dio a J. C. e a nova
Eva que vinha destruir o reino da serpente na terra.
Sabla satanaz que J. C. redentor do mundo, e rea










Deus fala aos homes ina terra


do e6u e da terra, vinha trazer aos homes quo chara.
vam press e catlvps no reine dae trevas, a luz, a liber-
dade, a paz e a justice. E send J. C. o divine mestre
dos homes, a fonte de todo bemrn e a reprovaQflo do mal
tinha que ensinar aes homes a clencia divina e as ver-
dades espirituaes e eternal contra a clencia do mal e a
mentira di serpent na terra.
0 Inlmigo de J. C. e do home, satanaz, tinha na
sua. mlsseo de mentor e envanar o home na terra en-
sinando a clencia do mal, a mallale do crime, o mate-
rialismo e a mentira como doutrina aos homes. Q vielo
e os prazeres da came dominavam e governavam on ho-
mens na terra.
Fez satanaz dominar e governor em todos os tronos
da terra, a olencla, do noal contra o bem, o materialismo
e a mentira, contra a luz e a verdade o 6dio ea sober-
ba, contra Deus e os seus mandamentos. E assim pre-
,parou satanaz na terra o rdino das trevas, da maldade,
do 6dio e da soberba; e o campo do materialism, da
mentira e do crime, onde pretendia crier a grande tan i-
lia da serpente; os filhos das trevas e da mentira que re-
provava a luz e a verdede, e moravam eternamente nas
trevas e na confasto cornm satanaz.
0 inlmigo de J. C. e do home; satanaz, o grande
esblo na clenaca do mal, 6 o mestre do crime, o rel da
soberba e fonte de todas as maldades, que emprega todo
eeu poder, maldade e soberba contra J. C. o rel do c6u
e da terra, o libertador do h(,mem; para que nao conse-
guisse libertar o homem, nem podesse levantar o sou
reino na terra.
Os decretos de Dens n fo serlo confundidos nem
destruldos, e J. C. reina eternamente contra seus inimigos,









Deus fala aos homenis na terra


120. Dia

Eu sou a voz de Cristo que brad no desert cha-
mando a bumanilade a f6 e a penitenDela porque obegou
o seculo da destruigao do mundo. B a separsago de Deus
ou a unialo com Deus 6 feita aqui na terra. Este seculo
nro si fnlaa que o filho do home nao de testemunho
de sua palavra.
Deus nao erra nom se engana; e satanaz por oasti-
go de sua soberba e maldade, vive eternamente oonfun-
dido no erro e no engano.
Deus prepare os seus enviados na terra, no silenclo
e na obscuridacledas clencias humane e f6ra das grahde-
zas da terra; satanaz procura as grandezas da terra as
clencias e os poderes humans contra o poder divino.
Para perturbar e impedfr a misseo do sacerdote do
Altissimo, e a grande o b r a da redenago do mundc;
tiaha satariz preparado na terra todos os tronos con-
tra o rei do ceu e da terra
Com, satanaz se engana e fica sempre contundido
na sua soberba e maldede; esperava que J. C. subisse ao
trono do rei na terra para assinar a sua doutrina e dar
comepo a grande obra da redenco do mundo J. C. so
ocultou na pobreza e na obsouridade 4es ciencias huma-
nas, e comegou a sba Nida public como sacerdote do
Altissimo e redentor do mundo ensinando as verdades e-
ternas e doutrinas de luz e verdade que destrula oomo
logo as trevas do erro, a maldade e o vicio.
A sabedoria de suas palavras e a santldade de esu
doutrina assombrava e contondia os grandes sAbios e po-
deros' s da terra, qua se viam obrigadrs a dizerem: co-
mo este nunca nenhum home falou entire n6s.
Deus na& faz surprszqs aos seus inimigos; porque a
surpresa 6 do traidor que teme e procurr-m enganar. Deus
avisa aos seus inimigos e depois confunde e castiga; a8s









P -l fa ....... .. ir I ......na te. .i a"

eim fez na primeira revolt quando o rei da maldade e
da soberba, revoltou-se contra Oeus no paralso.
Mandou Deus avisar ao soberbo traidor pelo arcanjo
8. Miguel, perguntando ao principle das trevas e da so-
berba quem como Deus? E o principle chelo 'de maldade
e de soberba nao quiz se humilhar e nem confessar a ver-
dede. Entfto Deus confundiu e castigou a sataaaz com to-
dos qua seguiram a sua maldade e soberba.
Na segunda revolta quando satanaz se levantou na
terra contra J. C. e contra o home, Deus avisou que vi-
nha se fazer home para libertar o home do cativeiro
confundir e castigar a satanaz.
Os decretos de Deus nao serlo contundidos e nem
destruidos, e J. C. relna eteraamente contra os seus ini-
mjgos.

13. Dia

Eu son a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a f6 e a penitencia porque chegou
o seculo da destruiglo do muado, e aseparagao de Deus
ou a uniAo corn Deus 6 feita aqui na terra. Este seculo
nuo se find que o filho do home nao de testemunho
de sua palavra,
Corn a magestade divina ofendida na suan aantidade
Infinita, tinha adotado no exereicio de seo poder, antes
avisar e dupols oastigar, creou Deus, uma estrela que
devia sair antes do sol divino e apareper primeiro no
campo que domioava as trevas, a mal4ade e a mentira,
anuaciando entire as trevas, que a luz e a verdade, jA es-
tavam na terra; e qua abrissem os olhos para verem a
luz diante da qual fogem as trevas e abrissem os ouvidos
para ouvirem a verdade divina e eterna, quae onfunde a
mentira, e como fogo destroy o viclo.
Essa estrela quo aparece na terra antes do sol; 6 o
santo precursor, o grande Jodo Batists; este home pre-









Deus fala ios homes ha n j M ..

destinado do Altissimo, para preparar os caminhos da
luz e da verdade.
A estrela que aparece antes do sol, nao teme o po.
der, das trevas, e nem da maldade e a mentira poderao
enganar na sua misseo porque o prodestinado tot creado
separado dos hrmens nasceu f6ra do poder e da malda-
de da serpente internal.
A voz de Deus fol guardada no desert muda e des-
conhecila na terra, atW quando Deus lhe ordenou que
aparecesse e falasse. Chegando o tempo que o redentor
do mundo, o sacerdote do altissimo devia dar comego a
sua missao e a grande obra da redenaQo do mundo, or-
denou Deus a voz do desert que falasse entire os ho-
mens dando testemunho da verdade e da luW que vinha;
e abrisse e preparasse os seus caminhos pregando.'e en-
sinando a penitencia; obedece e aparece entire os ho-
mens, o home desconhecido dos homes ,pregando e
ensinando a penitencia corn tanta sabedoria e caridade,
que muitos supunham que Joao Batista era o Messias
prometido e esperado na terra.
Comn esta duvida os grandes e poderosos da terra,
mandaram uma comissao saber se Joao Batista era o
Messias esperado, o filho do Altissimo. Responded o en-
viado de Deus, corn tanta sabeaoria e humildade que f(-
cou confundida a comissdo corn as verdades que ouviram
e n&o souberam compreender.
Eu sou a voz de Deus guardada no desert para dar
testemunho da verdade na terra, e preparar os caminbos
do ~essias. diante do qual sou tao pequeno que nao sei
nem tirar os seus sapatos. 0 Messias ja vive entire v6s e
v6s nao e conhecels; dizei isto a quem vos mandou sa-
ber da verdade aqui.
Batisava e purificava em nome da SS. Trindade comn
as aguas do batismo, e dizia: eu pelo poder da soberana
Trindade, puritico no batismo d'agua e depois de mim
vem aquele que por seu proprio porter purifica e san-








Deus fala aos homes na terra

tifica no batismo de fogo -e sangue.
Os decretos de Deus nAo serAo contundidos e nem
destruidos, e J. C. reina eternamente contra os seus
Inimigos.
140o- DIA
"..o
Eu sou a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a M6 e a penitencia porque chegou.
o seculo da destruipao do mundo, e a separacao de Deus
on a unito corn Deus 6 feita aqui na terra. Este seoulo
nao se finda que o filho do home nao d0 testemunho
de sua palavra.
Pregava a penitencila e batisava nas margens do Rio
Jordao, o santo precursor Joao Batista. J. C. que velo
ensinar aos homes na terra a obediencia a Deus e os
preceitos divinos, procura o santo precursor e recebe o
batismo; batisa Joao Batista o seu creador feito creature
e nessa ocasiao se manitestou a terceira pessoa da SS.
Trindade em figure de um pombo dando testemunho da
graga santificante do batismo e da santidade deste que
tao humildemente o recebia; e fala uma voz dizendo: te b o meu filho muito amado, no qual -deposito todas
as minhas complaciencias.)
J. C. jA batisado, batisou a Joao Batista, e segue a
sua missao para o desert,
Seguia o santo preeursor o seu caminho e em pu-
blico reprova severamente o crime e o odio o escandalo
do rei Herodes; e este poderoso soberbo que tinha her-
dado do primeiro Herodes, o troao do crime e da sober-
ba, julgou-se ofendido cornm esta reprovagao que contra o
seu pecado e escandalo, lhe fazia o santo precursor, or-
denou que fosse preso Joao Batista. Satanaz que ti-
nha flcado corn os grandes sabios da terra na duvida a
respetto do home do desert, se era ou nao o Messias
prometido e esporado na terra; confundido satanaz com









Deus fala aos homens na terra


as palavras do Batista, dizer que a luz e a verdade j& es-
tavam na terra, e'vendo neste home desoonhecldo o po-
der de justiga e foroa de autoridade, corn que tinha
reprovado o rei Herodes, o powder soberano no trQno da
terra, ficou satanaz eupondo que equele home podia
ser o filho de Deus feito home, que vlaha destruir o
crime e lazer a reden9go do mundo.
Temendo satanaz ser felta a redengco doe homes.
e sabendo que era decreto divino; o filho de Deus feito
home morrer cruciticado em uma cruz, o inimigo de J.
C. e do home, na maldade e no engano de interromper
a redengco do mundo e fazer corn que J. C. caisse em
contradiQgo, satanaz ensiuon o 6dio contra a virtude, e
a maldade do crime, a concubina de Herodes contra
Joto Batista, dizendo: o Batista fez ao rei eoontra a ti, aproveita no *banquete que
o rei val dar; prepare uma bandeja e ensina a tua fi-
lha que, quando o rel disser: bebes o que quizeres e
nada ti serA aegado, que ela Ihe apresente a bandeja e
pega a cabega do Batista que se acha na pris&o.
Um abismo chama outro abiemo; a vida criminosa
daquela mulher, fez ela chair just e aceltar a maldade
e o crime que satanaz Ihe ensinava contra o santo precur-
sor. Fci feito o pedido de morte contra Joao Batista,
Herodes satislez a ventade de sua filha, tirando e dando
a cabega do Batista.
Ficou satanaz atnda no erro e na confuslo me ti-
nha ou nao, na sua maldita revolta, interrompldo a re-
dengto.
Os decretos de Deus nao serlo confnndidos e nem
destruldos, e J. C. reina eternamente contra os seus ini-
migos.









Deus fala aos homes na teria

150- DIA
Eu son a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a 16 e a penitencia porque cbegou
o seoulo da destruigfo do mundo; e a separaclo de Deus
on a uniao ,bom Deus 6 telta aqul na terra. B.ste seoulo
nao se finda que o filho do home, nao de testemunho
do sua palavra.
Terminou J. Batista a sua missao corn a estola
do- martirlo, dando testemunho da luz e da verdade co-
mo disse. E o sacerdote do Altissimo abragado nas cha-
mas do fogo divino, e chelo de zelo pela gloria do eterno
pal, e pela redengto do mundo; apressou os seus passos
no caminho do calvario.
Aparece J. C. no temple e nas sinagogas entire os
grande e poderosos da terra, entre pequenos e ignoran-
tes e fala com tanta sabedoria corn tanto amor e ca-
ridade que comovia a uns e a outros. Fblava com tanta
claresa as verdades espirituals e eternas, que penetrava
na consciencia e aa alma de todoes, e nedbum tinha co-
ragem nem sabedoria para o reprovar. Falava e repro-
vava o crime com tanto poder de autoridade e forga de
justiga, que todos os criminosoe arrependidos ou fln-
gidos temiam o eeu poder. Falava e ensinava com tanta
humildade paciencia e mansldfto, que todos querlam ou-
vi-le; at6 mesmo aqueles que reousavam seguir a sua dou-
trina. Falava e dava tWstemunbo do seu powder e santidade
e das verdadef de eua doutrina, corn os milagres nunca vis-
tos na terra, dando vista a cegoi e curandu paraliticos de
nasoimento e ressuesitando mortos; milagres estes que
nenhum profeta tinha feito; em tudo mostrava e justill-
cava J. C. que era o filho de Deus feito home, o sal-
vador do mundo. Falava e ensinava as verdades eternal
e a pratica das virtudes contra o vicio e contra o crime,
corn tanta sabedoria e esolarelcmentos que os poderosos
e sables da terra diziam: aonde oom quem aprendeu









Deus fala aos bomens nA terrn

este home, verdades tRo profundas, e tao altas, olencias
que confunde todos os sabios, e nunca nenhum profeta
nos falou assim.
Jesus Cristo, sol divino, que baixou do oeu a ter-
ra para contundir o poder das trevas, e iluminar os ce-
gos que perdidos no oampo das trovas, nao viam e nem
sabiam o caminho da sua morada.
No campo das trevas tinham dois cegos perdidos
urn que chorava e suspirava o nascimento do sol que lhe-
trouxesse a luz, que ele podesse ver e seguir o ca-
minho da sua morada' Dizia este pobre cego: eu tenho
oerteza que quando apare'eer o sol, as trevas da noite
xno me perturbar&o mais, e fica claro o caminho da mi-
nha morada. E uutro cego que dizia: aqui mesmo neste
campo pode ser a miaha morada; nao vale nascer o sol
para o cego que nao v6.
E eases dois cegos representam na terra as duas
families; a familiar da mulher e a familla da serpeate; os
filhos da luz e da verdade, e os filhos das trevas e da
maldade e da calunia.
Os decretos de Deus nao serAo contundidos e nem
destruidos, e J. C. reina eternamente contra os seus ini-
migos..

16o. DIA
Eu son a voz de Cristo, que brada no desert cha-
mando a humaaidade a M6 e a penitencia porque chegou
o seculo da destruiQao do muado. E a separagpo de Deus
ou a uniao corn Deus 6 teita aqui na terra. Este seoulo
uao so finda que o filho do home nao de testemunho
de sua palavra.
Aparece o sol divino no campo das trevas; elogo
o cego que suspirava o nascimento. do sol viu luz e
-segum no claro sem embarago das trevas o caminho
oerto da-sua morada. E o cego que disse: pode ser minha es-











-Deus fala aos homes na ter .

ta morada no campo das trevas, este nIo vui a luz e fi-
cou perdido no campo das trevas, e seguindo sem gula
oaiu num grade abismo que tinha visinho ao campo
das trevas.
Este sol 6 J. C. e o campo das trevas 6 a terra, e
o grande ablsmo 6 o inferno aonde nao vai a luz deste
sol, e os moradores deste abismo vivem eternamente nas
trkvas tendo somente sobre eles o peso da justiqa e o
.maibr castigo 6 nao poderem morrer.
Esses dots cgos sao as duas tamilias na terra, os
filhos de Adao e Eva, que separados da luz e da verda-
de e guiados pela maldade da mentira e pela soberba da
serpente, sairam de sua morada e se perderam nas tre-
vas da noite e no campo da terra. E os filhos das tre-
vas da maldade da serpente, que recusaram a luz pelas
trevas, a verdade pela mentira, ficaram na soberba e nas
trevas da noite eternamente, adorando e obedecendo a
serpente como mae, e satanaz como pal.
Este e6go que esperava e suspirava pela luz que
Ihe fazia ver claro o caminho da sua morada, sio os fi-
Ihos de Adao e Eve, que aoreditaram na 'sua palavra e
nas promessas de Deus, e esperavam certos que o reden-
tor do mundo, vinha os tirar do cativeiro e do poder das
trevas. Estes 'viram a luz e tiveram a liberdade, porque
quando o sacerdote do Altiasimo, apareceu em public
dando comeeo a grande obra da redeunco, e ensinando as
verdades eternas, os degredados tillios de: Eva diziam:
Este 6 ofilho de Deus na, terra o salvador do mundo que nos
tira do cativeiro e nos traz a luz e a liberdade contra
o poder das trevas. t este a Pastor divino que reune e
guarda o rebanho de Deus na terra.
A confissao destas verdades do poder e da santidade
do filho de Deus teito home, *tazia crescer o odio, a
soaberba e a maldade, dos grande e poderosos da terra
contra J. C. ea sua doutrina.
Esta doutrina de luz e verdade que fazia cair o









Deut fala ioa homena iii tria

trono das trevas e da mentira na terra, a confundida a
soberba e a maldade dos poderosos do mundo.
A palavra e a doutrina de J. C. destrula como logo
ardente as trevas de satanaz, o imperlo da soberba e a
maldade do crime.
E via satanaz eam poder impedir, cair o trono das
trevas e o imperio da sua soberba, que ele tinha levan-
tado na terra, pira perturbar o0 deeretos de Deus, e rou-
bar a telicidade eterna do home
Satanaz foi confundido nos sees pianos de soberba e
maldade contra J. C. e contra o home na terra.
Os deoretos de Deus nao serao coafundidos e nem
destruldos, e J. C. reiaa eternameate contra os seus ini-
mngos.
17.o DIA

Eu son a voz d Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a' e a penitencia porque chegou
o secnlo da destruicRo do mundo, e a separaqAo de Deus
on a unido corn Deus 6 feita maqui na terra. Este seculo
nao se finda que o filho do home nao de testemunho
de sua palavra.
Como a luz e a verdade; vence e tontunde o po-
der das trevas e a maldade da calunia que satanaz tinha
preparado na terra, para perturbar e impatar a reden-
cao do mundo, e a felloidade eterna do home no pa-
raiso. '
Como J. C. veneeu e destruiu o imperio, da soberba, o
trono de satanaz levantadomna terra. A luz, a verdade e pe
der infinito comr que J. C. falava, vendo e lendo a cons-
ciencia e o coraQ&o de todos, fez em poucos dias, acen-
der e cresoer no coracao e na alma dos filhos de Adio
e Eva, as verdades eternaas, e divinas, o logo do em6r
divino, e a f( inabalavel no filho de Deus leito home,
o salvador do mundo.








Delis fala aos homeni nai terra

E oresceu tambem no coragto e na alma dos llhos
das trevas e da serpente, o odio, a maldade e a sober-
ba contra J. C. e sua doutrina que descobria e reprova-
va os crimes, a soberba e a maldade que a serpente infer-
nal tinha plantado na terra e no coraRao do home,
para condenar e destruir o mesmo home. J. C. diz:
vim trazer a paz, a luz e a verdade, a todos os homens
que cegos choravam no campo das trevas; libertar e sal-
var do 'cativeiro e do poder das trevas, todoe os cati-
vos que quizerem a luz e a verdaide e castigar somente
a maldade, -o odio e a soberba da serpente, corn a sua
familiar perdida. Porem, os filhos das trevas, da maldade
e da soberba, os herdeiros da serpente, estes recusa-
ram a luz pelas trevas, a verdade pela mentira, e a 11-
berdade pelo cativeiro das trevas, 9 nao querem entrar
no circulo da redenggo na terra, E nao entrando nes-
se circulo na terra, tambem nao p oderdo entrar na he.
ranga do paraiso e na felicidade da vida eterna.
J. C. diz: Cegos porque nao querem ver, e surdos
porque nao querem ouvir; obstinados filhos das trevas
e herdeiros de satanaz. Dizei inimigo do bem, da ver-
Idade e de ti mesmo; que razao tens para recusares a
uz, a verdade e o bem que velo te tirar das trevas
da maldade e da calunia, corn que a serpente to enga-
nou e te fez perder a gloria, a felicidade e a vida e-
terna do paraiso? Dizei herdelros da serpente, filhos das
trevas e da mentira; dizel diante da-luz, da verdade aqul-
na terra. Que razao tens para nao aoreditares no filho de-
Deus feito home J. C. redentor do mundo e dos ho-
mens? Diz aqui filhos das trevae, diante desta luz que a
tua cegueira nao pode suporta-la e nerm fuglr dela, diz
que razao tens para nao creres e nem obedeceres os mis-
terios e os preoeitoe diviaos? Porventura Deus te enga-
nou nas suas verdades e nas suas promessas na terra? Te
enganou Deus na promessa da redengao do se fazer
home nascer, viver e morrer na cruz? Te enganou Deg








Deus fala aos home. ni teri

no misterto da enoarnagto, anunclando de um modo e
fazendo de outro? Te enganou J. C. ensinando e expli-
canlo os misterios da magestale divina e da red-nRao
dos homes? Ah! nao, em nada Deus te enganou na ter-
ra e nem nunca seras eng-nado por J. C que e Deus e
Deus nao engana nem seri enganhdo.
Fostes enganados 6 verdade, porem por satanez'que
te enganou corn as trevas e a mentira, e continua, para
te fazer Inteliz, condenado com ele e perturbar a ter-
ra os decretos divinos, na criagAo do home.
J. C. 6 fiel e infalivel nas suas promessas e nas
suas verdades na terra.
Os decretos de Deus nao serao confundidos e nem
destruidos, e J. C, reina eternamente contra seus iut-
migos.
180. DIA

Eu sou a voz de Cristo que brada no desert eha-
mando a humnidade a f1 e a penitenoia porque chegou
o s6culo da destrulgRo do mando, esta separaQto de
Deus ou a uniao corn Deus 6 feita aqui na terra. Este
aeoul0 ndo se finda que o filho do home nao de teste-
munho de sua palavra.
J. C. fala e mostra a maldade, o 6dio e a soberba dos
filhos das trevas e da mentira, que nao quizeram a luz,
vendo a luz, nao quizeram a verdade; ouvindo a verda-
de e nem quizeram a liberdade, tendo a liberdade.
J. C. diz: quero a salvaego e a felicidade eterna de
todos .o homes e para redengpo e liberdade dos ho-
mens, me fiz home; quiz viver e morrer para dar a vida
feliz e eterna aos homes que estavam mortos diante do
eterno pal, porem os homens s6 podem ter esta vida e
felicidade eterna, entrando no circulo da redeng&o,
Este circulo 6 grande. que cabye todos.oe heo~eie se









Deus fala aos homes na terra

quizerem; 6 tao claro que at6 oas cegos dentro deste Oir-
culo verem.
Longuinho no moment que entrou ne9te eiroulo
bobron a vista spiritual e corporal Saulo e depols Pau-
lo, oego espirliual e depois cego corporal, quando rece-
bem o batismo, recebeu tambem a luz spiritual e corporal.
Tudo mostra que este circulo foi felto para o
bem e felicidade de todoes os que quizerem entra- nele;
e todos podem entrar porque este b grande e fica aber-
to na terra, at6 completar o numaro daquales qua tern
de morar dentro deste circulo.
As portes do circulo, sao grandes e largas que
dao passage franca para todis os que quizerem entrar
sto sete ptrtas que dao entrada aos viajantes da terra.
A primeira porta 6 o amor de Deus, e do proxi-
mo; a segunda b a verdade centra a maldade da calu-
nia; a terceira ports, 6 a luz contra as trevas; a quarta
port. 6 a humildade contra a soberbt; quinta porta 6 a
obediencia santa a complete ao poder de Deus, contra
todus os poderes; a sexta porta: 6 a cariclide contra a
avareza; a setima porta, 6 a penitencia e pureza de co-
ragao contra os vicios e as paixoes da came.
S6 um viajante na terra acha estas portas peque-
nas e estreitas que nao. pode entrar por elas, e diz que
o circulo da raden9lo 6 tao apertada e escuro para ele
que neo sabe como 6 que se vive dentro deste circulo.
Este viajante 6 o filho das trevas e da maldade
da calunia, os herdeiros da serpente internal
J. C. diz: obstinados filtos das trevas, herdefros
do odio e da soberba, mostra a contradiVao que enoon-,
trastes em J. C. ou na suna missao de redentor ou salva-
dor do mundo, para nao o reconheceres como o teu ueus
e redentor, o qual o motive porque nAo podes entrar no
circulo da redengao?
As treuas e a maldade, a segunda vez, a luz e









Deus fala aos homes na terra

a verdade na terra, mostrando claro os dole caminhos
dae trevas 6 da luz.
SIo obrigados a seguir ou a direita ou a esquerda
sem que aenhum possa reousar o seu caminho, porque
Deus vatl echar o ciroulo da redeng9o neste seculo: e a
unlao corn Deus ou- a separaglo de Deus 6 leita aqui na
terra.
Jesus Cristo diz: obetinados filhos das trevas e
da soberba, diz o- redentor e salvador do mundo, mudou
,de figure on de caminho' qual fol ou como fol o reden-
tor que Deus anunciou aos bomens na terra pela voz
dos seus profetas, que vinha trazer a paz, a luz e a liber-
dade da felicidade eterna, acs cativos que preeos e in-
felizes gemiam nas trevas e na guerra de eatanaz?
Dizei egos, porque nAo querem ver o redentor
e salvsdor prometido e profetisado na terra? E' J. C.
teito home que sem deixar de ser Deus, ee encarnava
em earned humana no selo virginal de uma Virgem santa
e imaculada e nascia sem que a virgem mae deixasse
de ser Virgem antes e depois do parto. E Deus feito ho-
mem nao perdeu e new se apartou de sua divindade, e
assim viveu e morreu entire os homes.
J. C. 6 infalivel nas suas 'promeseas e nas suas
verdades na terra.
Os decretos de Deues nao serAo confundidcs e nern
destruidos, e J. C. reina eternamente contra seus ini-
migos.
190. dia
Eu sou a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a fM e a penitencia porque chegou
o seculo da destruig9o do mundo, ea separa9go de Deus
ou a unito corn Deus 6 feita aqui na terra, este seculo
nao se finda quo o fJlho do home nAo d& testemunho
de ana palavra,









Deus fala aos homes na terra

Disse J. C.: os profetas anunoiaram que o Wilho
de Deus fleto home, nascia de uma virgem santa e 1-
maculada, e assim se cumprlu. Que havia de nascer na
pequena cidade de Balem, fora das grandezas da terra
e doe poderes humans; nascia na pobreza e nas humi-
lhaVSes da terra, e assim se cumpriu. E seguindo logo os
seus primeiros passes pelo caminho do sacrificlo e da pe-
nitencla, ndo so atastaria deste camiaho, atW chegar ao
sacrificio da morte na cruz no calvario, e assim se oum-
priu. Anunciaram os profetas que J. C. por seu pro-
prio poder tinha de ser o reti o c6u e da terra, vencen-
do e castiganlo o prinoipe das trevas, sataaaz; e que o
seu poder soberano, e sabedoria infinita, contundia e ven-
cia todos os poderes e ciencias humans na terra; e assim
see cumpriu. Anunciaram os profetas quo J. C, na terra
seria 'manso e humilde de coraqao que a sua carida-
de e humildade venola a soberba e confundia o odlo: e
assim aconteceu. Anunciaram os profetas que J. C. vinha
destruir as trevas de satanaz e a maldade da mentira
corn a luz e a verdade de sua doutrina; a santidade e o
sacrificio de sua vida, desafrontava a magestade divina e
libertava os filhos da luz e da verdade, do poder das
trevas e e do cativeiro dos demonios; e assim aconteceu.
Anunciaram os profetas que J. C. por seu proprio poder
infinito, e propria virtude ressucitava o glorioso no ter-
oeiro dia da sua more; e assim aconteoeu.
Aqueles memos que nao -acreditavam; toram as
primelras testemunhas quo viram J. C. ressussitado,
J. C. nao fez confusao e nem caiu em contradil
cAo nas suas, promessas e nas suas verdades que por voz
dos seus profetas havia anunclado na terra, E porque
fol desconhecido e eqganado entire esses que avisados
JA o esperavam na terra? Dizel obstinados filhos das tre-
vas, da maldade e da soberba, qual a razAo que tendes
para desconheceres e negares o filho de Deus, feito ho-
mem entire os homes? Esperavae entao soberbas, foigi-









Deus fala aes homes na terra -

dos avarentos e hipooritas, o filho de Deus felto home
o rei do c6u e da terra no trono das glorias, dos poderes
e das grandezas da terra; se assim viespe Dno seria o
filho de Deus, porque caia em contradigo, e fazia con-
fuzao nas suas promessas e verdades anunelada na terra.
E a Deus nao e permetido enganar e nem pode mentir,
porque Deus 6 a verdade eterna.
A missao de meutir e enganar 66 cabe a satanaz e
aos seus sequazes, que fo corn promessas meatirosas e
corn enganos maliclooos, que o principle das trevas en-
trou no paraiso da terra, enganou e perdeu o home, o
separando da luz e da verdade, o tez calr na maldade e
nas trevas da mentira.
Flogidos hipocritas, soberbos o avarentos, dizei qual
6 o salvador que esperas- na terra para a tua salvag&o.
Se esperas o filbo de Deus feito home unleo salvador
do mundo que tem o poder de regenerar santitioar e sal-
ver o home, se 6 este porque esperas? Deixas a hipo-
crisia renuncia a avareza a soberba, e humilde reconhe-
ce o filbo de Deus feito home, J. C. redentor e salva-
dor dos homes. Infeliz de ti se permaneceres na espe-
ranga de outro Deus que te veaha remir e salvar.
Nao podendo os inimigos de J. 0. suportar a luz e
a verdade com que o divino mestre cs ensinava e re-
preendia, mostrando a maldade e a soberba de seus co-
ragOec, tomaram a resolucgo de darem a morte a J. C.,
para ficarem em paz na terra. 9 reuniram o concelho
das trevas, do odio, da maldade da caluaia contra J. C.
no qual conselho satanaz foi o president, para desterrar
e destruir a luz e a verdade da terra. Satanaz cbgo pelo
6dio e surdo pela F >berba, nao via nem ouvia, que sem
querer concorria c m o 6dio e a soberba para a morte
de J. C., o qual desafrontava, e glorificava a magestade
divina, e abria as portas do paraiso e o home remido
tinha a liberdade e a felicidade de entrar e gozar a pa
da vida eteraa o que satanaz nao queria que acontecesse









Deus fala Aos homes na terra

o odio 86 v6 a maldade, e soberba s6 ouve a voz do
crime.
Vendo o cordeiro divino que devia cumprir sua mis-
sao, apressando o sacrificio da cruz, a luz cedeu o lugar
as trevas, a verdade cedeu o lugar a maldade da calu-
nia, a justia cedeu o lugar ao crime, e a morte teve o
poder contra a vida, porque assim estava profetisado.
Os decretos de Deus nao serAo confundidos e nem
destruidos, e J. C. reina eternamente contra os seus ini-
migos.

20.o Dia

Eu sou a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a Mf e a penitencia porque chegou
o seculo da destrulqto do mundo, e a separagao de Deus
on a unifio corn Deus 6 feita aqui na. terra. Este seeulo
nao se finda que o fllho do home nao d6 testemunho
de sua palavra.
J. C. nAo ignnrava o lim de sua milssao na terra;
Fabendo e vendo a maldade que os seus iaimigos maqui-
navam or ntra sua vida e sua peasoa, veio como cordel-
ro humilde e nao como prisioneiro se apresentar aos seus
inimigos, e antes disse aos seus disclpulos; a hora do sa-
crificio estA proxima de mim; e brevemente irel aonde
v6s nao. podels ir comigo, porem antes desta separagio
formarel un ciroulo grande em valor e mist6rio, e pe-
queno na sua figura na terra, dentro do qual serao guar-
dados unidos a mitn, v6s e todos que quizerem ser fi-
lhos da luz e da verdade e meus discipulos. A luz que
resplandeoe dentro deste circulo nao se apaga at6 que
amanhega o olaro do dia eterno.
E' a verdade que vos diz a verdade, darA testemunbo
da verdade, contra a maldade da calunia, e darA teste-
munbo da loz contra o poder das trevas.









Deus fala aos homes mA terra

Este ciroulo 6 o eaorlficio da redenglo do home
consumado na cruz no monte calvArlo, continue na terra
ua sagrada eucarlstia at6- qne o filho do home revesti-
do da gloria e magestade divina, corn poder soberano e
infinito, volte a terra como tremendo e reto juiz, a jul-
gar os vivos e os mortos.
Este sacriticto que em sua figure e forma parece
pequeno na terra, diante dos olhos do Eterno pal, term o
mesmo valor e a mesma santidade quo teve o sacrificio
da cruz no calvarlo.
0 poder das trevas e o trono da soberba, serAo e-
ternamente confundidos diante deste sacrificio em teste-
munho da verdade. Institute J. C. o misterio da sagrada
eucaristia, e disse aos seus discipulos: tomal e come a
care da minha care, e bebel o sangue do meu sangue,
0 que comer desta care e beber deste sangue, nao
vive em si e nem na terra; vive em mime na eternidade.
Disse J. C. aos seus discipulos fazei isto em memorial de
mim, e conservai a tb inabalavel na palavra e nas pro-
messas de Deus na terra; e guarlal a obediencia santa e
absolute a Deus acima de todos os poderes da terra; e tu-
do males fiea debaixo de vossos p6s, sem que o poder
das trevas possa interromper a vossa misseo na terra, e
nem impedir o vosso caminho. A v6s 6 dado o poder so-
mente para guardar, renovar e ensiaar; e o mais ficarA
sobre miam. & v6s nao teado o poder de reforwnar ou mu-
dar oa misterios divines e as verdades eternas do Deus,
e nao 6 Deus quem se submete e obe'dece ao home.
Os decretos divinos sAo juramentos eternos de Deus
que s6 Deus pode os mudar e reformar. Tendo J. C. di-
to e esclarecido aos seus disclpulos a verdade e o que
era preciso at6 a sua ressurreiQgo, quando de novo es-
taria entire eles na terra, quarenta dias.
Ten'o J. C. como divino mestre, dado a grande 11-
ctAo de humildade, lavando os p~adeeus dticipulos sen-










-- Deus fala aos homens na terra

ta-se a mesa corn eles o cordeiro pascoal e para mos-
trar a Judas que a maldade de satanaz e a sua avareza
nao lhe eram ocultas, J. C. revela entire ns discipulos, a
maldade e traigto dizendo; um dos que come comigo,
me ha de trair e vender.
E retirou-se J. C. pdra o Jardim das Oliveiras onde
se entregou de modo particular e totalmente, a justtga e
a vontade do seu eterao pai, para a redencgo e liberda-
de do home. Sentiu e chorou o sacrilegio de Judas e os
pecados e os crimes de todos os homes que jA tinham
vindo e havia de vir a terra.
Entrou em silencio, na oracao e nas agonias da mor-
to que chegou a suar sangue. Por que tanta aflicao? NAo
era Deus e home J. C.? Sim, por ser Deus e home
foi que sentiu essas afligces. Purque como Deus via, de-
balde, para tantos homens o sacrificio de sua vida e os
tormeatos de sua paixao. E vja contra estes o peso e o
rigor de sua justica. E como home que se apresentava
diante de seu eterno pal para sofrer pelos homes, sen-
tia o castigo e o rigor da justiga de um Deus irado con-
tra o home criminoso. E sentia o 6dio, a impiedade, a
soberba e a maldade que contra o filho de Deus feito ho-
mem, lanuavam os homes chelos de 6dio e maldade os
seus inimigos atW o fim do mundo. .
Foi tal 'a afli9io e a agonia que J. C. sofreu no Jar-
dim das Oliveiras; que para nao Itie [altar forgas, o anjo
Ihe trouxe o conforto para suportar o peso da justiga
e dos crimes alheios que tomava sobre si, a grande di-
vida, e val ao encontro da more de seus inimigos; e soe
entrega como o manso cordeiro, mostrando primeiro o
seu poder. Se entrega depois aos seus inimigos, aos tor-
mentos e a morte na cruz.
Os decretos de Deus n&o seraio confundidos e nem
destruidos, e J. 0. reina eternamente contra seus inimigos.









Deus fala aos homes na terra

2 1.0 Dia
Eu sou a voz de Cristo, quo brada no desert,
chamando a humantlade, a Mf e a penitencla porqu
obegou o seculo da destrulgo do muado, e a separagta
de Deus ou a unito cornm Deus 6 felta aiui na.terra. Es
to seoulo nao se finda que o filho do home nao d
testemunho de sua palavra.
Morrendo o filho de Deus felto home, deu novo
e malores testemunhos de que J. C. era realmente Deue
pole na morte do Nazareno, o oeu, a terra, os mortos, o
vivos e ate as proprias pedras do campo, tudo deu te(
temunho afirmando que J. C. era realmente Deus vei
dadeiro.
0 sol ocultou a sua luz, a terra tremeu'e se abriral
sepulturas ressussitando e aparecendo em public c
mortos, contepsando a verdade.
As prdprias padras comovidas se partlam no can
po, o v6u do temp.) rasgou-se mostrando que as cerim(
nias, os preceitos e os sacriticios dE antiga alianca, er
tre Deus e o home, tiaha desaparecido todos naquel
moment. Porque todas estas cerimonias na religiao Ji
daica, eram como pequenas estrelas que apareciam na
trevas da nolte, dando testemunho e esperanca da lu
que vioha. R quando aparece o sol no campo das trev
a luz deste sol divino que apagava estas pequenas tochb
e s6 da luz do sol, iluminava toda a terra. E'porque rasgol
see o vbu e nao caiu o temple e o altar? Porque o ter
plo represent os flilhos de Deus na terra, e o altar r
present o trono de Deus na terra.
8 por esta razao que continuaram os mandament
da lei de Deus que foram feitos antes da vinda de J.
porem os mandamentos da lei de Deus ngfo eso figured
na' terra. E aim a realidade porque sendo dez se t.r
em dole, 6 que Deus e o home na terra.
Diante de luz tao clara, qual eerd o c6go que nao








Deus fala aes homens na terra

so som de uma voz tao sublime e t/o forte que fala
e esclarece verdades tao claras e profundas, qual o sur-
do que nao pode ouvir; e qual e Ignorante que nao pods
eompreender as verdades e a doutrina de J. C.
Filhos da luz e da verdade, ainda tern na terra,
um c6go que nao ve, um surdo que nao ouve, e um
ignorante que nao compreende. Estes sao os obstinados
no crime e no erro, os filhos das trevas e da soberba,
os herdeiros da serpent, que herdaram de satanaz, a so-
berba, o odio e a maldede central J.C. e contra todo bem; e
sAo como seu pal, ilimigos de sl mesmos, que por amor
a soberba, ao odio e aso crime, renunciam a felicidade e o
bem de si proprio, eseguem o caminho da soberba e da.
maldade do crime, sabendo e conhecendo o bem e o mal.
E' mais um testemunho, e malores milagres justif i-
cam que J. C. e verdadeiro D eus.
No terceiro dia de sua morte, a mela nolte, sendo
testemunho os mesmos inimigos que nao acreditavam quo
J. C. era Deus, e nemr que podesse ressucitar, faziam
guard a sua sepultura. A esta hura, a vista clara e ati-
va dos guardas, J. C. por sua propria virtude e poder
infinite, reseucitou glorioso e imortal como havia dito,
e os seus inimigos viram.
Era male um milagre, que nunca nenhum profeta
tinba feito e nem poderA tazer; ressuoitar por sua pro-
pria virtude e poder. E que fizeram os guards, vendo
e testemunahando J. C. ressuscitad ; assombrados com o
milagre e a verdide de que J. G. era Deus, cvrreram a
foram levar a noticia e a verdade, aos seuas superiores,
que J. C. era Deus e tinha ressuscitailo como aisse.
Acordados e alertos como estamos aqui, vi'nos des-
cer das alturas um mancebo vestilo de brtanco, qua des-
cobriu o sepulcro do nazareno, e ele levantou-se ressus-
citado, cheio de tanta luz e magestade, que aterrados a
encandiadoe caimos por terra.
Ouvindo as autas altoridades da terra, esta verda-












Deus fala'aos homes nA terra

de que nao Ihe deixou mals duvida; que J. C. era Deus
verdadeiro, entire os guards e as altas autoridades, ti-
caram certos destas verdades,
E se converteram estee? Nao. E porque? nao vi-
ram e conheceram que J. C. era Deus verdadeiro? Sim,
viram a luz e a verdade, porem nao aceitaram porque
ests; dementia a maldade das trevas e da calunia que
eles tinham aceitado e seguido.
Por maldade do odio e da soberba seguiram o ca-
minho das trevas e da calunia, obedecendo a soberba
e o odio que JA tinham declarado contra J. C. Nao qui-
zeram se humilhar as altas autoridades diante de J. C.
o reconhecendo como Deus, e nem quizeram que osguar-
das levassem as verdades que tinham visto so public,
Os proibiram corn o poder- de autoridade, dizendo que
ocultassem essa verdade, e os pagaria corn dinheiro,
para que dissessem em public, que tinham adormecido,
e a alta hora. da noite, vieram os discipulos e roubaram
do sepuleor o corpo do divino mestre; e nao 6 verdade
que ele tenha ressuscitado como havia dito antes da
sua morte.
Os guards, aceitaram a maldade da calunia e
do crime, por amor e pela paixao da avareza, a gloria
e a felicidade do paraiso, obedecendo e executando a
ordens que Ihe impunham sairam ocultando a verdade,
e afirmanda ao povo a maldade da calunia
J. C. ressuscitado como disse, voltou e reuniu os
seus disoipulos e corn eles sua .mae santissima e passou
quarenta dias ainda na terra.
J. C. 6 fiel e infalivel nas suas promessas e nas
suas verdades,
Os decretos de Deus nao serAo confundidos e nem
destruidos, e J. C. reina eternamente contra os seus
InlmIgos.









Deus fala aos homes ni terri

22o. DIA
Eu sou a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a f6 e a penitencia porque ohegou
o seculo da destruigao do mundo, e a separagao de Deus
ou a uuiao corn Deus 6 felta, aqui na terra. Este seoulo
nao se finda que o filho do home nAo de testemunho
de sua palavra.
Porque foi que J. C. quiz que seus inimigos o vis-
sem primeiro ressuEcitado, do que a sua SS. Mae, e ds seus
discipulos? Porque para sua SS. Mae, e os seus disclpu-
los, nao era estranha e nemr escura, a sua ressurreigao,
depois da morte. E para mostrar que vinha em busca dos
pecadores e n&o dos justos, porque jA estavam corn ele,
J. C. permitiu que os guards fossem os primeiros a ve-
rem a sua ressurreigao, para que fossem logo levar a
verdade as tltas autoridades da terra; porque estas
sao encarregadas dez, fazerem o bemrn na terra, e tern
o poder de fazer o bem, quando nao recusam o direito
da justiga.
E quantos nao se tinha convertldo e acreditado que
J. C. 6 redentor do mundo, se as altas autoridades tives-
sem aceitado o bem, e cumprissem o dever da justipa,
destruir o mal e fazer o bem. E quem pode avaliar o
grande bem, e o grande numero de almas que tiiham se
encaminhado para Deus e para o cou, se as altas autori-
dades tivessem segaido a linha da justiga, pelo caminho
da luz e da verdade, como J. C. lhes havia mostrado. E
quem pode tombem avaliar, o grande mal que pode ta-
zer as altas autoridades da terra, quando abuzam do po-
der e se tornam poderosos no caminho do erro, da so-
berba e do crime; como fizeran as altas autcridades,
a quem J. C. mandou primelro o testemunho e a verda-
de de sua ressurreigio.
J. C. mostra que as altas autoridades na terra, sao
uas portas grande e largas; uma que da entrada e lI-






-'1-


Deus fala ios homes na tear

berdade para o bem, e outra que dA entrada e liberda-
de para o mal. S quando a autoridade abusa do bem
e do poder, e abre a pcrta do erro e do mal, e manda
corn o seu poder de autoridade que entrem por esta
porta, ninguem deve e nem 6 obrigado a obedecer esta
autoridade; porque n&o e mats o poder da justiga e do
bem quem manda, e aim o poder da soberba e do crime
que revoltado contra o poder da justiQa e do bem, man-
da seguir o caminho do erro e do crime.
Nao.6 crime nem erro desobedecer a qualquer au-
toridade, quando esta abusa do powder da justiga, e do
bem e manda corn o poder de autoridade contra a jus-
tiga e contra o bem.
Esta autoridade diante de Deus e da justiga, ado
e mats uma autoridade, e aim um criminoso que revol-
tou-se contra Deus e contra o bem, e quem obedeae a
um criminoso, 6 criminoso tambem; a obediencia que
Deus imp6e e manda praticar como virtude, 6 a obedi-
cia santa e absolute ao mesmo Deus at.ima de todos
os poderes da terra, porque Deus 6 o powder soberano a
justiga e o bem que nao aceita o mal; e se esta obedi-
encia a todo e quilluar poder, fosse um ato de virtude;
satanaz estaria sb no abismo do inferno, sern neahum
dos anjos que os obedeceram e acompanharam a sua
revolta da soberba e do crime contra Deus no partiso.
Poles satanaz era uma autoridade entire os anjos no paraiso.
E po' que os anjos que obudeceram esta autoridade
nao praticaramn ato de virtude, e aim, um ato crimino-
so que os tornou malditos e condenados corn satinaz
para sempre? S' porque obedeceram a uma autoridade
que tinha abus'do do poder da justiga e do bem, que 6
Deue, o poder soberano, a reta justiga, e verdadeiro bem.
E oB aojos tinhAim conheoimento e certeza desta verda-
de.
E porque o ato de resistenola do aroanjo S. Ml-
guel contra as ordens do principle da revolt, nao se toe-









Dens fala aos homes na terii

nou uma desobedienoefa e urn crime, e sim, um ato santo
e agradavel a Deus? A pnrqie a resistencia santa contra
o erro'e contra o crime, e esta a verdadeira e santa obe-
diencia que Deus manda por amor da justiga o do bem;
e desde a revolta do mal contra o bem, do crime contra
a justifa e das travas contra a luz; qua existem duas
obedienclas: uma santa que obedece o poder da luz, da
verdade e da justiga, e uma obediencla condeaada qcie
obedece ao'poder das trees, da calunla e da sobarba; 6
precise que os filhos da luz e da verdade vivam multo
ativo e prevenidos na terra para verem e compreende-
rem; quando manda o poder das trevas, e da calunia,
porque, as trevas entram na terra corn a sombra de luz,
a calunia em lugar da verdade, e o mal corn aparencia
do bem, procuram de novo enganar na terra, os filhos
da luz e da verdade, confundindo a luz cornm as trevas
a verdade corn a calunia e o bemrn corn o mal.
J. C. ressucitado entire seus discipulos, os confir-
mando na M!, e explicando ainda as vercades eternal pa-
ra nlo serem enganados pelo poder das trevas, e pela
maldade da mentira.
Os decretos de Deuns no serao confundidos nem
destruldos, e J. C. reina eternamente contra seus inimigos.

23o. Dia
Eu sou a voz de Cristo que brada no ceserto cha-.
mando a humanidade a M6 e a penitencia porque chegou
o seculo da destrui9go do mundo. & a separaeRo de Deus
ou a uniao corn Deus 6 teita aqui na terra. Este seculo
nao se finla que o filho do home nao de testemunho
de sua palavra.
J. C. resesucltado entire seus discipulos mostra a
granleza do seu poder soberano e infinite, e o oceano









Deus fala aos homens na terra

eterno de sua caridade e misericordia, e fez tambem ver
o poder das trevas, a maldade da calunia, e a soberba
de satanaz; quanto pode fazer contra J. C. contra a luz
e a verdade; e contra o home na terra
Na primeira revolt do principle das trevas'no parai-
so, perverteu e precipiton no crime e no abismo corn Mle
o grande numero de anjos que seguiram o caminho do
odio, da maldade e da suberda. E na segunda revolta na
terra contra Deus, contra o home e os decretos di-
vinos, satinaz levantou o imperio das trevas e contra a
luz a maldade da calunia contra a verdade, o odio e a
soberba contra o bem.
E quando veio a luz e a verdade llbertar os cativos
do poder das trevas, e leva-los pelo caminho real da luz,
da verdade ao paraiso da luz e da vida eternal, o princi-
pe das trevas corn o maldade da calunia e do crime; corn
o 6dio e a soberba separou da luz e da verdade desvi-
ou do camioho real e fez seguir o caminho do 6dio, da
maldade e da soberba.
A grande familiar da serpente que nao aceitou a luz
nem a verdade; e nao quiz a nova Eva por mae e flea-
ram no cativeiro de satanaz, no campo das trevas, e re-
cusaram entrar no circulo da luz e da verdade. Disse J.
C. aos seus discipulos vendo o grande perigo que fica
ainda na terra contra os filhos da luz e da verdade, e sa-
bendo que o home s6 por si, pode ser enganado e veh-
cido pelo poder das trevas, pela maldEde e soberba de
satanaz, resolve ficar na terra na sagrada eucaristia, con-
tinuando a missAo do redentor. e guardando os filhos da
luz e da verdade contra as trevas a maldade de eatanaz
e da grande familiar da serpente. Para que nao sejam
enganados e nem vencidos pelos inimigos, ordeno aos fi-
Ihos da luz e da verdade que n&o salam fora do cir-
culo da luz e da verdade, e vivam sempre unidos a
mim na sagrada eucaristia, que sou a fortaleza in-
vencivel e o caminho real do paraiso 9 ordeno avs








Deus fala aos homes na terra


sentlnelas, que guardam no trono de Deus na terra, a luz
e a verdade, que conserve a fb lnabalavel na palavra e
nas promessas do divino mestre, e guardam a obediencia
complete e absolute a Deus aoima de todos os poderes
da terra e nfo falam corn os homes, antes de talarem
corn Deus; nao derem decisro, nem julguem o bem pelo
bem, nem o mal polo mal; antes de ouvirem a Dens no
tribunal, que fala a luz, a verdade, o poder das trevas e
da maldade da calunia. nao perturba e nem engana.
Velem, e tenham ouidado corn a erpente internal,
que enganou a humanidade; ela nRo vem male em figure
de serpente na terra, porque depois que o filho de Deus
se tez home, a serpent deixou de aparecer na figura
dos animals, e s6 aparece na tigura e forma humana, pa-
ra melhor poder enganar na sua missao, da maldade e
do crime.
Ndo deem um pass sosinho, nem deem audiencia
aos homes, antes de acenderem a luz, porque os inimi-
gos da luz e da verdade, andam pelo caminho da malda-
ae no escuro, e procuram roubar as chaves do trono de
Deuns na terra. Conhecendo a fraqueza do home, e sa-
bendo a maldade e a traigo do inimigo de Deus e dos
homes, tiquei na sagrada eucaristia, mostrando a luz e
a verdade, contra as ciladas das trevas e a maldade da
calunia.
Se conservarem a Mf inabalavel na palavra e nas
promessas do redentor do mundo, conservando a obedi-
encia complete e absolute a Deus, acima de todos os po-
deres da terra, seguindo o caminho real, nunoa serAo en-
ganados e nem vencidos; porque dentro deste ciroulo
nfo entram os filhos da serpent, nem o@ que habitasm
nas trevas do ablsmo suportama lus, nos olhoe da mal-
dade.
A igreja de J. C. represent o c6u na terra, e on
sentinelas da luz e da verdade, representam os anjos que








Deus fala los homes na terra

fazem guard a magestade divina. E como sAo muitos e
multo tortes, os inimlgos que se levantaramr contra o trono
de Deus na terra, contra a luz e a verdade, os sentine-
las nao devem andarem nem dormirem no campo do ini-
migo; porque 6 escuro e podem perder o sou caminho,
e ficarem perdidos no abismo das trevas.
J. C. 6 fiel e infalivel nas suas verdades e nas suas
promessas na terra.
Os decretos de Deus nao serso confundidos e nem
destruidos, e J. C. reiua eteroanimnte contra os seus inl-
migos,

24.0 Dia

Eu sou a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a f6 e a penitencia porque chegou
o seculo da destruiglo do mundo, e a separaLeo de Deus
ou a unito corn Deus 6 feita aqui na terra. Este seculo
nao ee find que o filho do home n&o d0 testemunho
de sua palavra,
J. C. explica aes saus discipulos, que o trono da luz
e da verdade, 6 os misterios e as verdades da sua dou-
trina, e os mbndamentos e os preceitos de Deus que for-
mam na terra um circulo claro contra as trevas e a mal-
dade de satanaz. E que a soberba e a maldade na fami-
lia da serpente, nao dd liberdade a esta familta entrar
neste circulo. E o tribunal da luz e da verdade 6 a casa
aonde faVo a comunicagao do chu corn a terra, e o tribu-
nal divino onde falo a Pedro e Pedro fala por mim sem
perigo de errar e nem de sar eagaaado pelo powder
das trevas, e nem a maldade da calunla pode perturbar a
verdade neste tribunal. E v6s reunidos devem ouvirem e o-
bedecerem a Pedro que me represent na cadeira da.luz
e da verdade na terra. Unico tribunal infalivel que dno er-
ra, porque n&o 6 human e nem 6 bomem quer fala, e
sim o espirito de luz e verdade, a quem o poder das






-47 -


Deus fala aos homes na terra

trevas e maldades da calunia nao poderd nunca enganar.
A chave deste trono, e a Mf iaabalavel na palavra e
nas promessas de Deus na terra, obediencia santa e abso-
luta a Deus, acima de todos cs poderes da terra.
Dentro deste trono, v6s me tendes convosco vivo e
real em corpo, sangue alma e diviadade, tao real e per-
feltamente como sou e estarel no c6u. E em todos os corn-
bates da vida e do inimigo, lembra-te que sou a verda-
de, o caminho e a paz dos perturbados, e luz dos que
navegam no mar escuro da terra, o conforto e a vito-
ria dos que pelejam por amor da justiga e do bem: se
nao mudares de caminho, nunca serAs vencido e nem a
vossa paz se perturbA. Fica no trono de Deus na terra o
core e no santuario da soberana trindade, a Vlrgem
Mae Imaculada e o representante do eterno Pal na ter-
ra, S. Jos6.
Aquele que guardou e dirigiu a vida e os primeiros
passes do filho de Deus na terra, este dirige e guard
tambem a voz e a minha igreja na terra. E como teste-
munho desta verdade, e para conforto da vossa fraque-
za, mandarei sobre voz a fortaleza invencivel, o fogo
que faz passar pelo fogo e pelo ferro, sem sentir o ca-
lor e nem dor. Corn este logo receberA as olencias e a
sabedoria que confunde todas as ciencias da terra,
mostrard a cada um de v6s, o caminho que deve seguir.
Lembra-te sempre que o poder nao 6 teu e nem
estA em ti, eu te darei semente, porem a plant e minha.
Tens o poder de guardar, conservar, renovar e destrl-
buir os frutos da redenVao: porem nao tens poder de
mudar e reformar o caminho e a verdade.
JA vos del a luz contra as trevas, a verdade con-
tra a maldade da calunia, a liberdade contra o catfveiro
e a paz contra a guerra. En, verdade j& vos dei o ebu
e a terra, e deixo os tilhos da luz e da verdade guarda-
dos dentro do circulo da redenago, corn o poder de
abrlrem as portae deste olroulo para entrarem os que








Deus fala aos homes ni terra

andam nas trevas e na mentira e quizerem a luz e 'a
verdade como v6s, e depols serao donos do chu e da ter-
ra,
Disse J. C. aos seus discipulos; se alguem de v6s
pensar que o poder estA em voP o poder fugirA de vbs
e eu nao regarei a terra e a tua semente nao nasee.
Afugenta o 16bo do meu rebanho, dar paz aos per-
turbados a saude aos doentes, conforto aos enfermos, con-
sola os que choram, leva pao aos que term tome e nao po-
dem comer, leva a agua aos que teem sede e nao podem
beber e leva a luz aos que choram nas trevas a falta da
luz.
Os disolpulos perguntaram so divino mestre: Senhor,
o que faremos para mostrar a luz ao cego que nao quer
ver? J. C. diz: oculta dele a luz e tira o grande fardo
quo ele traz as costas e p6e-lbe sobre a cabega, e ele
sentirA o grande peso que carrega sem ver; pois o cego
nao ve porem senate e tem consciencia-
E o que faremos corn o surdo que nao quer ou-
vir? Disse J, C. a este nao convem falar porque nao ouve;
diz-lhe em voz baixa, no ouvido da consciencia, quando
tW fechares os olhos na terra, comegaras a ouvir na eter-
nidade, onde tu desejarias ser surdo tambem.
Tendo J. C. depois de ressussitado passado qua-
renta dias na terra em companhia da SS. Virgem e de seus
discipulos, e ja os tendo confortado na t6 e novamente
Instruidos-nas verdades eternas e divinas; J. C. reco-
menda novamente sua Mae SS. aos discoipulos que so pa-
recia corn a Virgem imaculada; e em presenga de todos
disse: eu subo para o ebu e farel descer sobre v6s togo
que vence, o fogo que ilumina e abrasa a terra.
J. C. 6 field e infalivei nas suas verdades na terra.
Os decretos de Deus nao serao confundidos e nem
destruidos, e J. C. reina eternamente contra os seus
inlmigos.







-49-


Deus fala aos homes na terra

25.0 Dia

Eu sou a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a f6 e a penitencla porque chegou
o seculo da destruicAo do mundo; e a separagao de Deus
ou a unifto corn Deus 6 feita aqul na terra. Este seculo
nfo se linda que o filho do home, nto d0 testemunho
de sua palavra.
Subiu J. C. ressuscitado ao c6u em corpo e alma
por sua propria virtude e poder, e sem ser levado por nin-
guem, em clara presenga de todos os seus discipulos, pa-
ra quo fossem testemunhas mais uma vez, do seu powder
da soberano e Infinite, para mais fortifica-los na f6. E pa-
ra nuuca terem desco,)nianaa do poder soberano e abso-
luto de Deus, quiz J. C. em pleno e claro dia, subir ao
eou, testemunhado por todos os seu discipulos que o a-
companhavam na terra. Quiz ttmbem que vissem corn os
olhis da came, e o seguissem corn os oliios da fM, os
seus ultinios passes da terra para o paraiso, e assim fi-
cassem todos os discipulos f6ra de toda duvida, e certos de
que J. C. era Deus verdadeiro, que em nada os tinham
enganado, e nunca os poderia enganar, porque erareal-
mente Deus.
'Ficaram os discipulos na terra tendo a Virgem S3.
como m&e e como meetra, e recolhidos no senaculo, no
sileacio, na oragao e no jejum, cheios de f6 e santa
contianga; animados pela Virgem SS. esperavam anciosos
a realidade da promessa de J. C. para seguirem o seu
caminbo.
Dez dias depols da subida triunfante de J. C. ao cou
mandou como prometeu, o Espirito Santo sobre os seus
discipulos e a Virgem Ma'e que firmes esperavam a pru-
messa de Deus.
Em pleno e claro dia, a hora que todos podessem
testemunhar, baixou do ced sobre o Senaculo e sobre as
cabegas doe diecipulos, o Espirito Santo em forma de






-50---


Deus fala aos homes na terra

chamas de fogo; e pare que fosse maior o numero de
testemunhas desta verdade e deste milagre; avisou Deus'
na terra corn um estroado e um vento forte fora do co-
mum. E para o lugar Indicado pelo estro ado, corre gran-
de multidao qute viram penetrar sobre as cabegas dos
discipulos as chlanas daquele fogo divino; e sobre a ca-
bega da Virgem Santissima, mator quantidade de cha-
mas penetraram.
Abismados e atonitos viram e testemunharamn o mi-
lagre sem saberem o que vinha ser aquele logo que do
oeu descia e para o c6u subia.
Cumnprida a promessa de J. C. a Virgem Santissima
e seus disclpulos, receberam como disse J. C. o logo
que faz passar pelo fogo sem sentir calor, e passar pelo
ferro sem sentir dor. Receberam a fortaleza que vence
todas as forgas, e a essencia que confuade todas as
ciencias.
Iluminados e abrasados todos os discipulos por este fo-
go que abraza ate os mares e renova a face da terra, chelo
ae luz, de fortalezas e verdades divinas, todos viram e
seguiram o seu caminho,
Pedro como o chefe dos discipulos e da igreja, de
J. C. na terra fol o primeiro qub chegou as portas do Se-
naculo, falou e pregou a-multidao a penitencia e a dou-
trina de J. C. o santo evangelho; falou cheio de luz e de
caridade corn tanto poder e sabedoria, que oada nagao
ouvia e compreendia a- sua lingua; e quando terminou
male de cinco mil acreditaram que J. d. era Deus, abra-
garam a fe e a doutriaa de J. C e pediram o batismo. E
que fez satanaz para impedir e destruir a doutrina de J.
U. na terra, e a continuagao da redencao dos homes?
Cbgo pelo bdio-e surdo pela soberba, mentiu e se
enganou como jA tinha se enganado no nasclmento e na
morte de J. C. pensando que podia interromper e destru-
ir o0 deoretoS de Deus na terra, aoonselhou as altas









Deus fala ass homenss na terra

autoridades, que para isto jA havia preparado na terra
lembrou que, para acabarem e darem tim aquele novo fa-
natismo que o nazareno tinha plantado na terra, contra
as leis e qs deuzes do Estado, que tanto perturbava as
nag9es, a unica providencia era a mesma que j6 tinham to-
mado contra o nazareno: era darem sentenga de more con-
tra este pequeno numero que seguiam tal fanatismo; e
feito isto, floarlam todoh, os governor e todas as nag6es
em paz na terra. E visto na3 quarerem seguir a religlao
dos governor que seguissem a religiAo do Molses e nao
o novo fanatismo ensinado pelo nazareno que falsamente
se tinha feito rel do ceu e da terra; Isto era uma blasfe-
mia para Oeus e uma Injuria para os governor da terra,
que devia proibir at6 corn a pena de morte tal doutrina
na terra.
Vejam bem os sacerdotes e os filbos da luz e da
verdade na terra, como satanaz sabe enganar e fazer mal
corn aparencia do bem. Sabia satanaz que era decreto de
Deus, desaparecee da terra a religiSo de figure quando
viesse J. C. redentor do mundo tazer a nova alianca en-
tre Deus e ,o home, porem o maldito chete da revolta
contra Deus e os decretos divinos, que corn forga de 6-
dio e soberba pretendia em tudo perturbar na terra os
decretos divinos e roubar a felicidade eterna do home
no paraiso, enganou e perturbou, o bemr com o mal e a
verdade corn a mentira.
Vejam bern os sacerdotes, os filhos da luz e da ver-
dade, quanto bem ou quanto mal podem fazer as altas
autoridades na terra, quando abusam do poder e se tor-
nam poderosos contra a vontade e os decretos de Deus
na terra.
J. C. 6 fiel e infalivel nas suas verdades e nas su-
as promessas.
Os decretos de Deus nao serdo confundidos e nem
destruldos, e J. C. reina eternamente contra os seus ini-
migo s.






L -z

Deus fala ais Oiets na terra

260 DIA

Eu sou a voz de Cristo que brada no desert oha-
mando a humanidade a tf e a peniteneia porque chegou
o seenlo da destruigfo do mundo, e a separagto de Deuns
on a uniFo corn Deus 6 feita aqul na terra. Este seculo
nao se finda que o filho do home nao do testemunho
de aua palavra.
J. C. diz: vejam e reflitam bem as altas autoridades
na terra, o que fez Herodes nao conformado com a von-
tede de Deus, nem querendp, obedecer os decretos divi-
nos. Retlitam bem quantos crimes cometeu Herodes e as
autorida ies que seguiram a sua soberba e o seu caminho;
e digam diante da luz e da verdade que contundem o
powder das trevas e da soberba, digam diante dos crimes
e das maldades que tern cometido as autoridades sober-
bas, que tem abaustdo do poder e se revoltado coatra
o poder e os decretos de Deus.
Qual foi esta autoridade que corn o poder da sober-
ba e corn a maldade do crime, JA impediu que se cum-
prisse na terra os decretos da magestade divina? E 'ver-
dade que as altas autoridades tern o poder de fazerem
muito mal quando abusam do poder e se tornam node-
rosse e sobertas; prrque o pcder do ntale da soberba, o
abuso do bem e a obediencia ao male ao crime, em lu-
gar da justiga e do bem, nasceram no paraiso na pes-
soa e na maidade do pai da soberba e do 6dio, satanaz.
E com esta autoridade maldita, o rei da maldade e da
soberba, o chete e mestre de todas as revoltas do mal
contra o bem; por esta obediencia falsa e condenada,
de obedecer a mentira em lugar da verdade, obedecer o
crime em lugar da justiga e obedecer as trevas em lu-
gar da luz e do bem; por esta. obediencia falsa e con-
denada, de obedecer a mentira em lugar da verdade, o-
bedec-er o crime em lugar da justiga e obedecer as tre-
vas em lugar da luz e do bem. Come poder de alta auto-
ridade que tinha entire os anjos no paraiso, satanaz teve
o poder de levar consigo, a grande multidao de autorida-
des pequenas ao crime; da revolt e da soberba, e de












Deus fala aos homes na terra

pois arrasta-los para o abismo do inferno, fechando comr
o seu crime corn sua soberba e a maldade as portas do pa-
raiso para ele e para todos que Ihe obedeceram e segui-
ram as suas ordens.
Vejam e reflitam bem os sacerdotes e as altas auto-
ridade na terra, que ha duas autoridades, ura da luz e
da verdade que manda o bemrn e a justiga, e outra das tre-
vas e da maldade que manda o mal e o crime. E como sao
duas autoridades tambem sao duas obediencias, uma san-
ta e just que manda fazer justiga contra o crime, e fa-
zer o bem contra o mal; e outra que manda que se prati-
que o crime em lugar da justiga e se faga o final em lu-
gar do bem; essa obediencia que manda praticar o cri-
me em lugar da justica e o mal em lugar do bem, essa,
6 a obediencia condenada que vem da soberba e do po---
der de satanaz; e a obediencia que manda fazer a justi-
ca contra o crime e o tern contra o mal esta 6 a que
vem de Deus, e praticada a primeira vez no paraiso pelo
arcanjo S&o Miguel
Quando o pai da soberba e da mentira, o rei da re-
volta se revoltou contra Deus e os seus decretos divinos
e corn o poder do mal e a maldade da calunia sain dos
abismos do inferno, e veio enganar e perder o home
na terra, Deus para castigar o principle das trevas o rei
da soberba e pai da mentira, desceu do paraiso, se fez
home 9 veio avisar o home na terra que haviani dois
poderes, um do bem e da justica,'outro do mal e do cri-
me. E para nAo series enganado quando receberes orders
das altas antoridades da terra, reflitis bemrn qual das duas
autoridades e que to manda, para depots seguires entao
o caminho da obediencia, e nuaca teres a desgraQa que
tiveram os anjos que seguiram e obedeceram prontamen-
to as ordens de satanaz contra Deus e os decretos di-
vinos, e precipitadamente cairam no crime e no abismo
corn satanaz; como sconteceu corn o infeliz Herodes e a-.
queles que prontamente obedeceeram e executaram as








Denus fala aos homrneiis -A ti.

,sues ordens oriminosas contra a vida dos inocentAe no
nascimento do filho de Deus telto home; como aconta-
cen com as altas autoridades que condenaram J.. C. a
morte, e a estas autoridades que corn tento prazer e o-
dio executaram ordens tao barbaras e criminosas; e co-
mo ainda aconteceu com as autoridades e outras multas
depots da morte de J. C. que deram sentenQa de more
contra todoe que seguindo a J. C. ensinavam a sua dou-
trina. Estas autoridades do poder do mal e do crime. te-
charam as portas do paradise para eles, e para estee que
obedeceram o poder do male do crime e seguiram o ca-
minho da obediencla condenada por Deus no paraiso
na terra.
Vejam e reflitam bem quanto mal ou quanto bem
podem fazer as altas autoridades na terra.
0 odio 6 cego e a soberba nao ouve, reunidos
oa dole -um que s6"v6 a maldade e outro que obedece o
crime, seguem sempre o caminho do desespero e do crime.
Aquelas autoridades cegas porque nao queriam vA,
seguiram novamente o odio a soberba e a maldade de
eatanaz contra J. C. depois de sua more. Decretaram
pris5es e tormentos de toda sorte, e at6 sentenaa de mor-
te contra os apostolos de J. C., e contra todos aqueles
quo seguissem a sua doutrina ou falassem no seu nome.
Foi levantado fogo e terro por toda parte contra
a luz e a verdade na terra; o fogo, o ferro a prisao e
todos os tormentos, tudo se aplicou corn forga do odio e
poder da soberba, para varrer da terra a Iuz e a dou-
trina de J. C. Tudo foi impotent, o poder divino ven-
oeu todos os poderes, e entire fogo, ferro e sangue a luz
9 a verdade triunfou do powder das trevas e da maldade
e da calunia.
Jesus Cristo 6 fiel e Intalivel nas suas verdades e
nas suas promessas na terra.
Os decretos de Deus nao serlo contundidos e
nem destraidos, e, J. C. reina eternamente contra seas
inimiges.








)eus fala aos homes na t6rr&

27.o DIA

Eu sou a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a f1 e a penitencia porque chegou
o seoulo di destrulpao do mundo; e a separagao de Deus
ou a unl&o com Deus 6 feita aqui na terra. Este seculo
nfo se finda quo o filho do home nMo de tebttmuuiho
de sua palavra.
0 sangue dos martires produzia maoor numero de
martires. a Mf em J. C. e as verdades eternas plantadas
no coraqgo e na alma daqueles que a abragavam, a f6 a
J. C. fazia eles zombarem do ifgo, do terro, de todos
os tormentos e at6 da propria more. Abrasados na cha-
ma do amor divino, ilumiaados pela !6; vendo e conhe-
cendt a felicidade da vida eterna, morriam sem sentir a
morte. E assim deram a vida e o sangue milhares de
martires, em testemunho da verdade e da luz, e reco-
nheciam J. C. como Deus verdadeiro vivo e realmente
em corpo e alma na sagrada eucaristia. A luz e a ver-
dade entrou no trono quo dominava as trevas e a sober-
ba, e cairam as trevas e o imperio de satanaz que go-
vernava na terra,
Depois de tantos anos de guerra, de fogo e mangue
contra J. C. e sua doutrina, se converted aceitando a
luz e a verdade no trono. a alta autoridade que reoo-
nheceu J. C. Deus e home verdadeiro o adorando e re-
cebendo na sagrada eucaristia.
Cessou a guerra de fogo e terro contra J. C.
sua doutrina, e ficaram os dois tronos em paz na terra.
O trono da luz e da verdade na igreja de J. C., e o trono
da justia no palacio do rei.
Glorificado e guardado J. C. no trono da luz e da
verdade na sua igreja, adurado e honrado no trono da;
justiga, no palacio do rel. Repelido satanaz do treno
da justiga, ficou isolado e preso no campo das trevas da
maldade, s6 corn a famillia que lhe pertencia, os fillios da









Deus fala ass homes na terra


sobdrba e do odio sem poderem entrar no circulo da re-
den9Ao, e sem poderem subir e enganar no trono da
justiga, porque a justiga adorava a luz e a verdade e n&o
podia ser enganada pelas trevas, e nem dominada pelo
crime.
E que fez satanaz ardendo de odio contra J. C. e
atogado na soberba e no despreso por se ver vencido na
sua revolta do crime e da soberba no paraiso, e na ter-
ra; chelo de odio e da maldade, satanaz procura nos a-
bismos do inferno reunir' os ministros das trevas para
tratar da maldade e da mentira de que modo podiam
unganar as altas autoridades da terra, para continua-
rem- e revolta do odio e da soberba contra J. C. na terra,
enganar e condenar es homens, perturbar e interrom-
per a doutrina de J. C. e os decretos da magestade di-
vina na terra. De modo que podessem roubar dos homes
a M e a obediencia complete e absolute que conservavam
na palavra de. J. C. e' no misterio da sagrada eucaris-
tia na terra, e negarem a maternidade da Virgem ima-
culada no misterio da encarnagco. E feito isto na terra
se abre de novo as portas das trevas e a maldade do cri-
me, e a soberba pode ainda dbminar e governor no trono
da justiga na terra, e o powder das trevas e a maldade da
calunia pode perturbar a luz e a verdade e declarar nova
guerra ao trono da luz e da verdade na terra, e roubar do
trono da magestade divina, o culto e obediencia e adoracao
que os filhos da luz e da verdade prestam a Deus na terra.
6iz o ministry das trevas ao rei da revolt: E co-
mo se far& isto que jA foi empregado toda a forca do o-
dio, todo poder da sooerba corn fogo, o ferro e toda sorte
de tormentos que a maldade e o odio podia empregar?
E tudo tfi debalde e sem valor para o inferno e de
grande resultado para J. C. para o cu e para a conser-
va&o da fM e da ver4ade na terra? Pois do c6u estao
os milhares de martires glorificando a magestade divi-









Deus fala Aos homes na terra

na corn o testemunho da luz e da verdade, dados na ter-
ra corn o sacrificlo da vide, e ficou o testem'unho escri-
to corn o sangue e o sacrificio dos martires a f6 e a ver-
dade e a realidade de J. C. na terra vence e confunde o
poder das trevas, a maldade e a soberba do inferno, e
continue a missao do redeator e salvador do mundo, no
misterio da sagrada eucaristia ate a sua volta no dia
final.
Diz aiada o ministry das trevas so principle da mal-
dade e da soberba: vejas bem como fazes esta terceira
revolt contra a luz e a verdade, e contra os decretos da
magestade divina na terra. Vejas, nao venhas trazpr pa-
ra ti e todo o inferno, mais confuzao e maior peso da
justiVa divina, como jA aconteceu na primeira e segunda
revolta que levantaste contra Deus e seus decretos.
Melhor seria te conformasses corn o poder da sober-
ba no trono da maldaile, sendo principle e rei dos conde-
nados no abismo do inferno, e nao queiras mais pertur-
bar e nem interromper os decretos da magestade divi a
terceira vez; e nem queiras ser rei e governor na ter-
ra. Pois sabes e conheces bem -claro, nos abismos des-
sas trevas *que os deoretos divinos nao serao destruidos
e nem confundidos, e J. C. tern mostrado que 6 fiel e
infalivel nas suas promessas e verdades. Ele disse que
era- o rei do c6u e da terra, que relnava eternamente
contra os seus inimigos.
Ora, essas verdades sfto proprias do inferno, e po-
dem ser proclamadas na casa da mentira ao proprio pai
da calunia por um dos seus ministros? N&o, essas ver-
dades nao sao proprias do inferno, e ilm do J, C.
O miaistro das trevas disse estas verdades ao pal
da mentira, obrigado pelo peso da justiga divina para ser-
virem do mais confusAo e maior castigo ao rei da revol-
ta e da/soberba. Ouviu o pal da mentira, verdades tao
claras e tao pesadas que faz tremer -. inferno. E qual
foi a sua resposta, o odio6 e6go e a soberba nao ouve








'Ietus fala aos homenis na tetA

o bdio s6 v6 a maldade e a soberba s6 ouve a voz de
crime e segue sempre o caminho do desespero.
Saiam para a terra e vAo empregar contra a luz o
a verdade e contra os decretos -divinos as armae males
antigas e poderosas do inferno, que 6 a maldade ds ea-
lunia e a revolt da soberba contra o bem, e corn estas
ainda serei o rel na terra e desterrarel da terra a luz *
a verdade, floando interrompidos os decretos divinos, a
terra nbs dominlos das trevas, e o crime no lugar da
justiga.
J. C. mostra na terra a maldade e o odto do Interno
contra a sua Igreja, e como satanaz perturbou a paz no
trono da luz e da verdade, como o crime tomou o lugar
da justiga e a paz fugiu do trono da justiga, os homes
ficaram na guerra e na confusao.
J. C. 6 field e infalivel nas suas verdades e nas su-
as promessas.
Os decretos de Deus nmo serao confundidcs e ner
destruidos, e J. C. reina eternamente contra seus iit-
migos.
280. dia
Eu sou a voz de Cristo que brada no -deserto cha-
mando a humanidade a fb e a 1penitencia porque chegou
o seculo da destruipao do mundo, ea separa go de Deus
ou a unlao corn Deus 6 feita aqui na terra, este seculo
nio se finda que o filho do home nao dA testemunho
de sua palavra.
J. C. em tcstemunho da. promessa que fez ao sen re-
presentante na sua santa igreja na terra, que estaria
corn eles atW o flm- dos combates, para cumprir a sua
promessa, vein mostrar corn elareza a& luz e a verdade
na sua igreja. E como se perturbou a luz e a verdade na
terra, no trono da luz 6 da verdade, por um s5 passe quo
o seu representante deu sozinbo, t6ra do seu caminho re-












).eus fala I olhomeni iia teri

aL Sem ouvir a nem consultar ao seu divino mestre na
eadela da luz e da verda 'e, onde J. C. prometeu que o po-
der das trevas e a maldade da calunia nAo perturbava
nem euganava a luz e a verdade, este s6 passo que o re-
presentante de Deus na terra deu fora do seu caminho re-
al, trouxe a guerra de togo e ferro novamente contra
J. C. e o seu representante na terra, e fez a contuse.o da
luz e a perturbagao da verdade na igreja da luz e da
verdade.
J. C. diz: o home se afastando um 86 passo do
ueu eaminho real, pode ser enganado e vencido pelo Inimigo
sagaz do home. Vejam e reflitam bem as altas antoridades
na terra, a maldade corn que satanaz faz o mal corn apa-
rencia do bem; vejam de que modo disse esatanaz nos abis-
mos do inferno e como ordenou aos seus enviados o que
fizessem na terra.
Disse o rei da maldade aoa seus enviados: salam
para a face da terra, e continue a missao da revolta
contra J. C., contra os homes e os decretos divinos na
terra; a maldade do crime, mentir e enganar e a vossa
miesao dia e noite na terra, para perturbar e destruir
a luz e a verdade, fazendo guerra a J. C. para roubar
da magestade divina, o culto, a obediencia e a adoragdo
que os homes prestam a J C. na eucaristia e na igreja
da luz, para enganar o rei no trono da justfga na terra,
e para perturbar a luz e a verdade no trono de Deus na
terra, 6 preciso fundar uma falsa igreja das trevas e da
maldade do crime, atW fazer os homes esqueoidos e se-
parados de Deus dos saus mandamentos.
A igr'ja das trevas, para mais facil enganar, deve
ter tambem os. seus ministros e as suaes cerimonlas, a
trindade desta igreja 6 o odio a maldade do crime e a
soberba.
Para enganar elperder o home, deve ser o seu
nome magonaria qua quer dizer, maldade e mentira de
satanaz contra J. C. na terra.












Deus fala aos homens- na terra

Disse o principle das trevas: para enganar os pe-
quenos 6 precise enganar primelro os grandes e as altas
autoridades. Saiam para a terraA reunidos corn a grande
familia da serp nte, as filhos das irevas que nao entraram
no circulo da laz e da verdale, e ficaram no campo das
trevas e da mentira, de posse da grande riqueza, e uni-
dos a estes, se apresentem no palaclo da justica e pecam
ao rei permissAo e garantia de seu poder para fundarem
uma sociedade crista e bemnaseja, que o seu unico fim
e empregar o bem em beneficio a pobreza e para o zelo
do gloria de Deus na terra, a grande riqueza que possul-
mos. E vossa magestade ndo tenha nenbuma desconfianga da
nossa empreza, que de modo nenhum Ihe pode vir pertur-
bag6es nem embaragos desta sociedade, para o governor
de sua mageFtade. Pelo contrario vossa magestade tera
dela grande resultado porque o nosso maior interesse
6 cuidar. e zelar a paz do trono, e a gloria de Deus na
terra. Desenvolvendo a ciencia, fundando colegio do
educapAo civil, preparando homes de letras e ciencips
que muito terho de servir ao trono da justiga, e a bene-
ficio; das nao6es. A base fundamental o proteger e so-
correr a pobreza abandonada e para isto vossa mages-
tade nrs tera como um brago forte a benefioio dos nos-
sos irmlos que cairam na pobreza.
0 rei vendo tanta caridade e amor aos pobres, e
sem ver e nem saber que tudo era fingido, convencido
da verdade sem consultar a Deus, deu consentimento e
protegeu a fundaqgo da tal sociedade..
Disse a maldita comissao ao rei: ja temos o con-
sentimento e protegRo de vossa magestade, porem como
deseja]os fundar vor toda parte a nossa sociedade em-
pregando a nossa riqueza e o tempo na pratica do bem e da
caridade, pedimos e exigimos que vossa magestade nos d0
um documents de aceitacao e garantia da nossa empreza
porque caso possamos encontrar algum embarago na nos-
sa missac, tendo o powder de vossa magestade a nossa











Deiii fala aes homeni iii terra

defeza; pois as altas autoridades na terra tern o poder
dado por Deus de fazerem o bem e impedirem o mal.
0 rel cada vez masl enganado nto poz duvidae, as-
sinou e entregou o document exigido. Corn a maldade
da serpente agradeceram muito cordial ao ret e se reti-
raram satisfeitos
Voltaram os ministros das trevas a dar aviso ao rei
da revolt, do bom resultado que tiveram na maldade da
sua empreza. R este disse cheio da maldade do crime
vai tudo muito bem, ji o crime tern entrada e direito no
trono da justiga na terra, para enganar uma autoridade ,6
preciso outra autoridade. Agora ordeno que v& outra co-
miseeo em nome do rei falar corn o papa no Vaticano, e
deixar 14 na casa da luz e da verdade um erro contra a
verdade, embora seja por pouco tempo, porem este da-
-rA grande resultado para o inferno, e faz na igreja de J.
C. na terra, a perturbagao na fM e a confusdo da ver-
dade; e faz muitos filhos da luz e da verdade se paesa-
rem para a igreja das trevas e da mentira.
Obrigado pela forga da justiga divina, disse um mi-
"nistro das trevas ao rei da maldade; como te arranjas
em mandares no Vaticano e logo falar corn o papa, para
introduzir um erro no trono da luz e da verdade na ter-
ra? Como poderAs tf obter isso se 6 1A onde J. C. disse
que o powder das trevas e a maldade da calunia nao per-
turbavam a luz e a verdade e nem interrompiam os de-
cretos divinos? Vejas, nao sOjas tu e todo o inferno en-
ganado e confundido nesta empreza do Vaticano, onde J.
'C. tern clara e real comunicagao corn o papa.
Disse o principle das trevas ao ministry que lhe !a-
lava: Esta comunicacqo de J. C. 6 a infabilidade do papa,
6 somente na cadeira de Pedro quando o papa fala co,
mo juiz da 16. A missao de que trato 6 f6ra da cadeira
-da Pedro e 6 negocio diferente da f6, porquse bea sei
-que no tribunal divine, as trevas nao pode mentir e nem
perturbar a luz e a verdade e 1A nos obriga o po-







-82-


Deoug fala aoa homenE na teira

der divino a dizer a verdade, se sublsse a eete tribunal
para mentir. 0 que quero fazer 6 por intermedio do trb-
no da justiga, criar no trono da luz !m tribunal human
separado do divino, onde possa chegar amaldade da ca-
lunia e o poder das trevas, para tazer guerra a J. C.
perturbar a luz e a verdade, fazendo confusAo nia f6 e
pertubarpgo aos filhos da luz e da verdade at6 que a fd e
a obedienoia a Deus desaparegam do trono da luz e dA
verdade e seja derribado na terra o trono do rei do c6u
e da terra.
Quero empregar a forQa de bdio e da soberba at6
que volte como antes da redengao, a comunicaQao do
inferno corn a terra e aue os crimes e a soberba dos
homes me deem a llberdade e o poder de sair de
inferno, e ser rei dos hom ens na terra corn o poder de
roubar para o poder das trevas a fb e o culto a obedlen-
cia que os homes devem a Deus, e ficar interrompido
os decretos da magestade divina sobre os homen3 na ter-
ra e J. C. ser o rei s6 do ocu semr dominar e nemr go-
vernar os homes na terra.
2 esta a terceira revolt; na qual o poder das tre.
vas emprega a forga do odio, a maldade da calunia, o
desespdro da soberba e tern por carta a vitoria do mal
contra o bem na terra.
Disse satanaz: na essencia do mal contra o bemrn na
maldade do crime contra a virtude e a justiga, na forga
do 6dio e da soberba, sou grande e poderoso entire os
homes, qua imito a J. C.. E se coneeguir roubar as cha-
ves que abrem o circulo da redengco na terra, a obedi-
encia e a t~ dos howens me adorarao e me obedecer&o
em lugar de J. C', e mostro como sel na maldade do cri-
me e na miseao do mal, aproveltar o bemrn para fazer o
mal, aproveltar a justia para a pratica e liberdade do cri-
me, aproveito o poder de fazer bemrn para fazer o mal, apro-
veito a luz para perturbar a mesma luz e aprovelto a ver-
dade para confusAo da mesma verdade. Entro no pa-









Deus fala'aos hdmens nA terra

laclo da justiga e da paz, desterro a justiga e a paz do
trono, deixo a guerra e o crime no lugar da paz e da jus-
tioa. Entro na casa da verdade e da luz, e deixo a con-
fusao na verdade, e a perturbagao na luz, cumpra-se as
minhas ordens e a vitoria serA certa.,Aproveitem todo o
bern para fazar o mal e nunca fagam o bern pelo bem, e
06 digam alguma verdade quacdo for para fazer unm "r1-
me on outro mal qua faca desaparecer o bern desta ver-
dade. Aproveitem todo o bern s6 para fazer o mal e P "1i-
me que poderem; porem antes abandonare3n a misFao da
revulta, do que adorarem corn reverencia e respeito o
mist6rlo da sagrada eucaristia na terra como tambem nao
honrem nem invoquem o nome e o poder da nova Eva,
nem o mesmo fingidamente, porque se isto fizerem es-
tA a maldade do crime descoberta e o powder das trevas
confundido.
Na terra entire os honmens muito vale o amor e a pai-
xRo da avareza, e portanto unidos corn os donos da pra-
ta e do ouro na terra que ficaram corn o grande core da
avareza, e sdo possuidores das grandezas do mundo. A
grande familiar que nao entrou no circulo da luz e da ver-
dade, e empreguem a forga do 6dio a maldade da calu-
nia e o valor da prata para destruirem a virtude e a o-
bediencia a Deus, e a fM em J. C. na terra.
Disse o principle das trevas aos seus ministros: nada
se diz na terra do modo que se tern dito e falado aqui.
A missao 6 mentir e enganar na terra atW que os crimes
da humanidade me d6em poder e liberdade de sair-e go-
vernar na terra como rei dos homes.
Nao ha tempo a perder, saiam e continue a revolta
disse satanaz aos seus enviados nos abismos do inferno.
J. C. mostra na terra a maldade e a sabedoria de
satanaz na pratica do crime e na mise&o de enganar e
separar os homes de ueus, pergunta: quem poderA dian-
te de tanta maldade veneer a satanaz sem Deus?
Jesus Cristo 6 fiel e inatalivel nas suas verdades












Deus fala aos'homens na terra

nas suas promessas na terra.
Os decretos de Deus nao serao confundidos nem.
destruldos, e J. C. reina eternamente contra seus inimigos

29o. Dia
Eu sou a voz de Cristo que brada no deserto cha-
mando a humanidade a Mf e a penitencia porque chegou
o seculo da destruigo do mundo. S a separagao de Deus
ou a unito corn Deus 6 feita aqui na terra. Este seculo
nao so finda que o filho do home nao d6 testemunho
de sua palavra.
J. C. diz: fundada na terra a maldits igreja das tre-
vas corn a sombra de luz ocultando a sua maldade corn
o nome de sociedade benfaseja, maldita sociedade da
mentira e da maldade do crime, fingindo verdade e jus-
tiga, fingindo also zelo e respeito a gloria e a religiAo de
Deus, fingido caridade e amor aos pobres. 0 maldito la-
drao chefe de todos os ladroes, enganou os homes e
roubou da terra a 16 e a obediencia, a chave que trazia
fechada a igreja de Deus e guardados em paz os fi-
lhtis da luz e da verdade. Th ladrao e tragoeiro que fi-
zesse a traqao aos homes na terra eu te juro em tes-
temunho da verdade, que para maior castigo de tua mal-
dade e soberba th que negas e fazes negar a luz e a ver-
dade na terra, estaes condenado a&frres testemuahos da
verdade e da luz, diante da mesma luz e verdade na 1-
greja ae Deus na terra, forgado pelo peso da justiga di-
vina que ti confunde e castiga eternamente.
Tens a liberdade de subir ao trono da justi9a na
terra; porem nao para series o rei da terra e dos homes,
por que esti escrito por Deue, que os filhos da luz e da
verdade no adoram mais o poder das trevas e nem aoei-
tam a mentira no lugar da verdade, e nao obedecem o
crime no lugar da justiga.







m-i


Deus fala aos homes na tetra

Maldito chele da revolt, a liberdade que os crimes
te dao sobre a terra 6 para teu castigo se tornar males
severe e orescer eternamente a tua confusAo nos abis-
mos do inferno, onde o peso da justiga e da palavra de
Deus te sepulta corn a tua maldita familiara pela manha do
eterno; para nunca mais veres a luz e nem ter o po-
der de tentar e enganar os filhos da luz e da verdade
no paraiso da terra, onde J. C. 6 o rel que domina e
relna eternamente contra os seus inimigos.
Maldito principle das trevas, cego pelo odio e sur-
do pela soberba apressa-te no caminho do desesp6ro e
da maldale do crime, e sobe o trono de rei na terra on-
de te diz o odio e a soberba que tens o poder de inter-
romper os decretos divinos, e ser o rei da terra e dos
homes.
E' contigo no trono do poder da terra, maldito rei
da soberba, que o filho de Deus [elto home vai mostrar
o seu poder sobre a terra e dar testemuaho de suas ver-
dades; fechar o circulo da redengao e te derribar do
trono de rei corn um raio do meu poder e justiga.
0 embaixador divino, o areanjo S. Miguel, por or-
dem da magestade divina, logo que o principle das trevas
formou a traigio e maldade da terceira revolta, contra
os direitos e os decretos da magestade divina na terra,
contra o trono do filho de Deus feito home e rel do
c6u e da terra, o aroanjo S. Miguel baixou aos abismos
do inferno, e den esta embaixada ao rel da revolta e
da maldade; Maldito, por tua maldade e soberba, infeliz
por teu crime per teu odio; contra o bem manda te di-
zer a magestade divina que o poder das trevas e a mal-
dade do crime e a tua soberba e maldade, nAo tem po-
der para fazer surpresa e traicAo a magestade divina;
as tuas maldades sao sempre claras e conhecidas dian-
to de Deus. Principe maldito, JA to avisei na primeira
revolta, quando 'por tua maldade e soberba quizeste to-
mfir bs direitos e lugar de Deus no paraiso; ti perguntei












Deus fala ass homes na te1a

por ordem de Deus, quem como Deus? E tu maldito
nkAo quizeste te aproveitar da v6z da caridade e, da mi-
serlcordia de Deus que te oferecia o perddo do teu cri-
me; e tu cego e obstinado ficasses no crime e na soberba;
e te falou depois a voz da justiga e do castigo
Quando na segunda revolta na terra contra os de-
cretos da magestade divina, sobre o principal e o fim
do home, que tWi corn a tua maldade e soberba quizesses
te fazer o Deus e o rei do home na terra, Deus para
te mostrar mais claro o seun poder, resolve se fazer ho-
mem sem deixar de ser Deus, e para te confundir e ven-
cer como Deus e como home, e deixar escrito que o
filho de Deus feito home e o rei do c6u e da terra, que
confunde todos os poderes, e reina eternamente contra
seus inimigos, e os seus decretos ndo ser&o confundidos
e nemr destruidos. E manda te dizer que te avisou na
terra tantos anos antes da redeng&o, pela voz de
multos profetas, porque zomba do teu powder. E agora
manda te avisar aqui dentro deste abismo das trevas,
que no vigessimo seculo da redenc&o, vai fechar na
terra o circulo da redeng&o corn o numero complete. E
neste seculo faz public na terra a maldade da tua re-
volta e como tu mandaste aproveitar na terra'todo o
bem para fazeres o mal; para castigo da tua maldade do
todos os males que fizeres contra o home na terra, J. C.
arrancarA um ben para tua confusAo. Deus manda te avi-
sar, chefe da maldita revolta do mal contra o bem, que
apresses os teus passes no teu caminho do odio e da so-
berba, que a ultima noite escura que tens bara melhor
praticares a tua mtldade na terra e no vigessimo seculo
da redengao, que se manifesta na terra os segredos
divinos, guardados e reservados para o ultimo combat
das trevas contra a luz, e da calulia contra a verdade
por4,m para castigo da tua maldade e soberba na tercei-
ra revolta contra o poder divino, e contra a luz e a ver-
dade na terra, e para testemunho do powder divino contra











Deu-a fala aos homens na terra

o poder das trevas sera levantado na terra o testemunho
da'luz e da verdade
Esta verdade que nao engana e nem ser~.enganada
para que tu e tua maldita familla nunca possam alegar
que Ihes faltou a luz, o tempo e verdade, para conhece-
res os vossos erros, crimes e maldades.
Manda Deus avisar neste abismo tantos anos antes
da realldade de suas verdades na terra, tua calunia e
maldade do crime que mandastes mentir e enganar os
homes na terra, e Deus n~o quer nem que os proprios
condenados sigam enganados o seu camiaho do erro e
da soberba.
Por ordem de Deus e por forga da justica, jA te fa-
lou a verdade um dos teus ministry das trevas, e tu ndo
quizeste ouvir, nem ver o erro da tua maldade.
J. C. ordena a mim ministry da luz e da verdade,
proclamar dentro destes abismos das trevas e da menti-
ra, a luz e a verdade, anunciando os decretos e os se-
gredos da magestade divina, que tu ainda os ignora, e te
dizer que ainda podes dar remedio a maldade do teu cri-
me e a tua soberba, e fazer desaparecer o veneno do
teu odio, arrancando pela raiz sem ficar dele nem si-
quer a lembranca. E' muito facil 6 a tua cura e voltares
novamente ao paraiso onde terAs o mesmo lugar que
perdeste, se quiseres aceitar o remedio que te apresento.
Perguntou o principle das trevas ao ministry da luz:
E que remedio tMo poderoso e este, que cura tantos ma-
les em uma hora? Respondeu o ministry da luz: Tit u~o
conheces este remedio, porque foi descoberte na carida-
de de Deus e na medicine divina, depois da maldade do
teu crime e da tua revolt no paraiso.
Creou Deus dois oceanos, que todos os doentes que
so banham na aguas destes dois oceanos saem curados ra-
dicalmente como se nunca tivesse tido doenca, por mais
profundas que sejam as suas chagas. Sao precise dois










Deiu fala lis homes na terra

banhos, um no oceano da pureza, e a nova lonte da humil-
dade que Deus criou na terra, e o outro no oceano da
caridade e do amor a medioina divina; a caridade e a
sabedorla de Deus creou na terra esses oceanos de, que
te falo; que sao o cofre da soberana trindade na terra, a
virgem Santa e Imaculada e o Coragso de Jesus na Sa-
grada Eucaristia, disse o ministro da luz S. Miguel. Res-
ponde o maldito principle das trevas, ardendo de bdio e
soberba contra avirgem santa e Imaculada e contra J. C.
disse corn forca de odio: se o remedio que tens para me
fazeres voltar ao paraiso e este, a soberba e o odio me
diz que 6 mals facil tu veres suportar outro inferno se
for creado, do que voltar ao paraiso por estes caminhos
que me mostras.
0 ministry da luz como autoridade da magestade di-
vina, ordenou so principle das trevas: segues maldito por
tua maldade infeliz, e por teu 6dio e soberba. Segue sur-
do e cege, o oaminho da maldade, do 6dio e do deses-
pero da tua soberbi, quo o piralso e a magestade divi-
na, nada perde a tua falta; e nunca mais ouvirAs a voz
da caridade e da misericordia de Deus; e pesarA eternamen-
te contra a ti e a familiar perdida, a justiga e a maldicto
de Deus. Rei da soberba, pai da mentira, chefe de todos
os ladroes, rouba na terra a chave do circulo da luz e
da verdade, a f6 e a obediencia que os homes devem
a Deus, enche a terra das trevas e das mentiras que ;u
quizeres, e vat na certeza, que tu e tua numerosa fami-
lia, serao sempre confundidos e vencidos deante do po-
der de Deus e da pequena familiar que adora na terra a
luz e a verdade na sagrada eucarietia.
J. C. disse que neste seculo se abre na terra as por-
tas do cbu e as portas do Inferno, e teu castigo multiple.
ca porque Deus val fazer no ultimo seculo a porta da ca-
.ridade mais larga e a da justiga mais estreita.
J. C. 6 flel infalivel nas suas verdades e nas suns
promessas.











Deius fala aos homes na terra

Os decretos de Deus nafo eerao confundidos e nem
destruldos, e J. C. relna eternamente contra os seus ini-
migos.

30.0 ia

Eu iou a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a f6 e a penitencia porque chegou
o seculo da destruig9o do mundo, e a separaggo de Deus
ou a unito corn Deus 6 feita aqui na terra. Este seculo
nfo se finda que o filho do home n~o d- testemunho
de sua palavra,
J. C. mostra na terra a maldade de satanaz e o po-
der da calunia contra a verdade; fundada a maldita i-
greja dae-trevas, da calunia e do crime contra a justiga,
o primeiro pass que deu no caminho da maldade toi
introduzir o crime no trono da justia. Enganou o ret
corn o falso zelo pela gloria de Deus na terra, e o flugi-
do amor da justiga.
Ordenou satanaz aos seus envlados na terra, que pa-
ra destruir a justigi era precise o poder da mesma jus-
tiga. E para isso fossem ao palAcio do rei e Ihe fizessem
ver que ele como alta autoridade de Deus na ter-ra, que
tern o poder de impedir o mal corn o direito da justigs, e
e fazer o bem. EstA no dever de vossa magestade para a
paz.e a liberdade da igreja de J. C., e para que a fM e
a religiAo crista se propague seem embarago por toda
parte; o just que vosea mageetade empregue o poder e
a ag&o da justiga contra estes inimigos de Deus na ter-
ra, que-tanto tern perturbado a igreja de J. C. e emba-
ragado o desenvolvimento da religiao e da f6. Tais i-
nimigos devem ser punidos corn a pena de morte; estas
pessoas term relaes corn os demonios e sio conhecidas
como feiticeiras.
Conhecido e testemunhado perante as autoridades, o
crime destas pessoas, devem ser destruidos para maior











Deus fala Los homens na terra

gloria de Deus e de sua igreja na terra; deve ser quel-
madas nas pragas publicas das cidades para servir de
exemplo contra o mal. 0 que vossa magestade pode fazer
rom cometer crime porque tern o poder da justiga, dado
polo memo Deus para destruir e impedir a march do
crime na terra. E como vossa magestade govern crista-
mente unido a soberana autoridade de Deus na terra, o
papa quetlidas as suas ordens sao Justas e agradavels a
eus, e aoeitas perante o povo como deoretos de Deus.
Felto o process pela jusliga, a sentenoa de morte
deve ser dada pela autoridade de Deus na terra, e assim
sera de gloria para Deus e bem aceito pelo povo que
reconhece a soberana autoridede como Deus no Vatlcano
E como o tim da nossa missAo e propagar o bem e a
caridade na terra, Isto nao pode deixar de ser urn bem.
E para isso nos oferecemos como embaixadores de vos-
sa magestade para irmos talar corn o papa no Vaticano.
pedindo em- nome de vossa magestade a aceitagio da so-
berana autoridade de Deas neste decreto tao just.
Ouvindo o rel a voz das trevas e da maldade do
crime, p jrem revestida as trevas corn a sombra de luz,
revestida a maldade corn o also zelo da caridade, e o
crime envolto na sombra di justlq, Perm consultar e nem
pedir a Deus que lhe mostrasse se Isso vinha de Deus
e era realmente o bem; enganado. o rel corn a bonita
linguagem corn que lhe falava aquela comlssto encarrega-
da do crime e do mal na terra, s6 fez dizer: farei como
pedes em deteza da igreja de Deus e para liberdade da
religiao e da fb assinarel o decreto qune pedem, o qual
deve ser apresentado ao santo padre no Vaticano, e pe-
direm que aceite e assine para destruir o poder das tre-
vas na terra.
Satisfeitos os enviados de satanaz, porque viram que
a alta autoridade da justiga tinha aceitado o crime
no lugar da justiga, e eniganado corn o falso zMlo, I& ti-











Deus fala aos homes ni terra

nha pecado contra Deus e seus Lmandamentos, decretan-
do a morte contra o proximo.
Confiados no que o rei da maldade tinha dito nos
abismos do inferno; se apressaram para irem fazer a con-
fusao da luz e a perturbag9o da verdade no trono da lux
* da verdade na terra. I seguiram como embaixadores
do rei para o vaticano corn o maldito fim de aproveita-
rem a luz contra a luz e a verdade contra a ver. de,
comrno J tinham aproveitado a justiga contra a Jus:tla.
Chegados ao vaticano disseram que vinham como
enviados do rei apresentar a soberana autoridade de Deus
na terra, o decreto que vossa magestade havia creado
para bem do seu imperio e defeza da santa igreja, e para
a paz e liberdade da relJgilo e da f6 em toda a parte
e como cristamente governa a obediente autoridade
de Deus sobre a terra, nao quer dar urn passo contra
esta obediencia, por isto manda pedir a sua santidade
que se digne aceltar e assinar o decreto que o alto
poder da justice fez para destruir o poder das trevas
e doe demonios na terra, embaragando o triunto da
gloria de Deus e perturbando a paz e a liberdade da re-
ligiAlo de J. C.. Em dito decreto sua santidade nao toma
nenhuma responsabilidade, o que vossa magestade deseja
da soberana autoridade de Deus, que tudo pode fazer
na terra para o bem da religiao de J. C. e para gloria
do mesmo Deus. E que sua santidade crease um outro
tribunal f6ra do que ocupa como juiz da f6, presidido
eate segundo tribunal por outro juiz para nao interrom-
per us trabalhos de sua santidade; e possam neste tribu-
nal receber e decedir es negoclos da justiga em urnm tri-
bunal separados dos negocios dos misterios da f6
Estas pessoas o quem o rei pretend castigar con-
forme os seus crimes, sao pesssoas completamente perdi-
das para Deus e para a sociedade; e disse ao memo Deus
que arvore que nao da frutos se corta a ee launa ao logo.
' 'o que o alto poder da justlga quer lazer unido a pso








Deus fala'aos homes nA terra
berana autoridade de Deus, conforme a palavra de Deus
lancar ao fogo estas pessoas que teem relag9es corn os de-
monios e sao conhecidos como feiticeiros diabolicos. Re-
conheci(o e testemunhado perante us poderep da justiga,
-que esta ou aquela pessoa tern relag6es corn os demo-
nios, deve ser denunciada ao tribunal creado por sua
santidade, para dar a sentenga que serA executada pe-
lo poder da justiga, e sua santidade nao toma respon-
sabilidade nesta execuMo, da somente a sentenga que
seja destruido o poder das trevas e dos demonios na
terra, para dar a paz a santa igraja e liberdade a reli-
giao e a f6. E' o que deseja vossa magestade, e pede a
sua santidade (disse a comissao).
A soberana autoridade, o papa, cheio de bons de-
sejos pela paz da santa igreja, pela liberdade da religiio
e da fM, sem retletir o que J. C. Ihe tinha ordenado,
que n&o desse um e6 pass f6ra do sea caminho real pa-
ra nao ser enganado pelo inimigo sagaz e traigoeiro, con-
fiando no seu bom desejo e na sua alta autoridade, s6
fez dizer: Aceito e assino como pede o rei; e assim
deu o papa este pass sosinho em questao tao grave e
tao melindrosa entire o trono da justiga e o trono da luz
e da verdade na terra,
Jesus Cristo 6 tiel e in'alivel nas suas verdades
e nas suas promessas na terra.
Os decretos de Deus nao serlo confundidos e nem
destruidos, e J. C. reina eternamente contra os seus int-
migos;

310. DIA

Eu son a voz de Cristo, que brada no desert cha-
mando a humanidade a 16 e a penitencia porque chegou
o seculo da destruiQao do mundo. E a separaeao de Deus
ou a uniao corn Deus 6 feita aqui na terra. Este seculo
nao se finda que o filho do home nao dO testemunho
de sua palavra.










Deus fala ass homes na terra

J. C diz: vejam bem claro na terra, as altas autori-
dades e todos os homes, como satanaz na maldade do
crime e na clencia do mal sabe aproveitar o bem para
fazer o mal, e a justipa para praticar o crime.
Voltaram us enviados de satanaz na terra e foram
dar conta de sua mlssao ao rel da revolta e da maldade
no abismo do inferno.
Satisfeitos pelos mal que tinham felto na terra disse-
ram: fizemos como nos foi ordenado, o rei fez e assinou
o -Decreto do crime contra a justice, e a pedido do rei o
papa no vaticano creou urn segundo tribunal presidido sb
por homes, no qual o poder das trevas e a maldade da
calunia podem entrar e enganar.
Disse o principle das trevas: Ainda serei rei dos ho-
mens na terra porque o crime JA tern direito e poder no
trono da justica, o poder das trevas e a maldade da calu-
nia jA podem perturbar a luz e a verdade no trono da
luz e da verdade. 0 que temia no trono da justiga era o
rel conservar a f6 e a obedienoia a Deus e aos seus man-
damentos, e nao querer-assinar decreto de morte contra
o proximo. E no trono da luz e da verdade temia a t6
inabalavel no papa na palavra de J. C. que Ihe tinha di-
to que nfLo desse um s6 pass fora do caminho que Ihe
havia tragado para nAo ser enganado pelos seus inimigos.
E se tivesse conservado a obediencia complete e abso-
ta a Deus acima de todos os poderas da terra, jA estava
perdida a vitoria da terceira revolta do poder das trevas
contra o poder da luz, e da maldade da calunia contra
a verdade na terra.
Porem como conseguiram roubar das autoridades na
terra as chaves que trazia fechada a igreja da luz e da
verdade, e o circulo da redencgo em paz na terra, ago-
ra tudo se tornou facil de fazer na miss~Eo de mentir e en-
ganar os homeDns e declarar guerra a J. C. no trono da luz e
da verdade na terra at6 que o powder das trevas e a maldade
do crime possam me dar liberdade de sair do abismo do in-










Deus fala aos homene na terra

ferno e ir dominar e governor entire os homens na terra. Dis-
so o principle das trevas: esta levantada a terceira revolt
contra Deus e os seus decretos sobre o home na terra.,
Voltem para a terra, emoreguem dia e nolte a forga do
6dio e da soberba a maldade do crime e o poder da ca-
lunia, faQam a perturbea o da f6 a confus/fo da verda-
de, na eana da luz da verdade, calanlando e levando
i more o malor numero de inocentes quo poderem con-
denar perante o tribunal da justiga e o tribunal da luz
que estes crimes fazem cair o trono da justlea na terra
e levantar-se o trono do crime contra Deus e contra os
homes, e faz a guerra contra a luz e a verdade na Igreja
de J. C. e faz muitoe filhos da Jgreja da luz e da verda-
de se passarem para a igreja das trevas e da mentira. E
os proprios filhos da luz e da verdade negam a luz e a
verdade, adoram as trevas e os demonios na terra. Seja
sempre a trindade da igreja das trevas. a maldade do cri-
me, o odio e a soberba contra J. C. na sagrada eucaris-
tia, contra a virgem Imaculada e contra os decretos di-
vinoe, para que sejam destruidos e condenados os ho-
mens na terra.
Disse o reif da revolt: para a missuo de mentir e
enganar na terra, muito poder tern a prata e o ouro, a-
proveltem o imor e a paIxao da avareza no tribunal da
justiga bastam dols, um que engine a calunia o outro
que love o dinheiro. Na missao do mal contra o bemr to-
do o crime da resultado, e para negar e destruir a verda.
do toda a salunia tern valor.. A, misato do poder das trevas
na terra 6 tfzer guerra a J. C,, negar e fazer nocar a
honra e virginal pureza da Virgem Imaculada desterrar
dos hnmens, a luz e a verdade na terra, para que os ho-
mens separados de Deus e dos seus mandamentos pres-
temrn culto e obedlencia ao powder das trevas, que e6 ve-
Jam o caminbo da maldade e do crime at6 que os crimes
praticadoes contra J. C. e contra as virtudes me deem a
lberdade de sair para a terra.









DeusI fala Ias homens na tIei.a

J. C. disse quando o poder das trevas, a'maldade da
ealunia e do crime foram expulsos do trono da justiqa
na terra e Deus fez resplandecer no trono, a luz, a ver-
dad* e a justiga, oain o logo e o ferro levantado contra
J. C., contra a luz e a verdade, satanaz levantou a ter-
eeira revolta contra J. C. e contra o home, seguindo o
mesmo caminho do 6dio da maldade e da soberba. Satanaz
tentou novamente enganar e separar o home da lus e
da verdade, fazeado esquecido o de Deus e dos deoretos
divinos na terra. Corn a maldade da calunia pelo amor
da avareza e das glorlas da terra desviou o home do
seu caminho real, e Ihe fez voltar ao campo dae trevas,
a maldade do crime e o regime do 6dio e fioaram de-
baixo do poder e domino do inferno, gulados pelas tre-
vas do erro, governados pelos crimes, mergulhados no
6dio, na soberba o no vicio atW qua os escandalos dos
crimes dos homans na terra abrissem as portas do
abismo e fizessem satanas rei na terra contra J. C. e
sua doutrina. Porem o rei do c6u e da terra 6 J. C. fi-
Iho de Deus feito home.
J. C. 6 fliel e infalivel nas suas verdades e nas suas
promessas.
Os decretos de Deus nAo serAo confundidos e nem
destruidos, e J. C. reina eternamente contra seus ini-
migos.
32. dia
Eu sou a voz de Crieto que brada no desert cha-
mando a humanidade a fb e a penitencia porque chegou
o seoulo da deetruiato do mundo, ea separagao de Deus
on a uniao corn Deus 6 felta aqui na terra. Este seculo
nao se finda que o filho do home nao dO testemuaho
de sua palavra.
J. C. na sagrada euoaristia mostra aos hompens na
terra, e particularmetnto a&os encarregados da luz e da













Deiu fala aoi homena na terra

verdade, como e quando se levantou a terceira revolts
do poder das trevas contra o poder da luz, e maldade da
calvnia contra o testemunho da verdade na terra-
J. C. diese: este 6 o seculo do ultimo combat das
trevas contra a luz, da calunia contra a verdade e do
crime contra a justiga.
Neste seculo serB descoberto tudo que esta oculto,
ser& dado tudo quanto toi prometido e cobradas todas as
dividas. E neste seoulo que amanhece o dia da luz e da
paz, e J. C. mostra aos homes na terra a perteigao e o
valor da obra de Deus complete.
J. C. na sagrada eucaristia mostra neste seculo a
maldade do inferno descoberta na terra, e abre as por-
tas do paraiso mostrando na terra a luz e a verdade aos
howmens para que vejam bemrn claro e nao queiram por mal-
dade ou por soberba ficarem nas trevas da noite eterna
na guerra do 6dio e na confus&o da calunia. Ri neste se-
culo que Deus castiga several e eternamente a satanaz
e a grande familia da serpente. E como Deus auer cas-
tigar ao rei da maldade e da soberba e a grande familiar
da serpente, os herdeiros' do 6dio e da soberba, por es-
ta razdo e que o redentor dos homes J. C. o rei do ceu
e da terra, mostra bemrn claro aos homes na terra, o in-
ferno e o paraiso, e vem chamar ainda comr caridade e
misericordia a humanidade cega e criminosa a luz e a
penitencia, e avisar a humanidade que se fecbarem os o-
lhos A luz e ficarem nas trevas surdos a voz da verdade
e seguirem o caminho da mentira, em breve serto cha-
mados pelo brado da justiga que acorda a todos que es-
tiverem dormindo. E neste dia nao fala a caridade nemr a
misericordia, fala s6 a justiga. Nao haverd c6go que nao
veja nem surdo que nao ouga.
J. C preso na sagrada eucaristia por amor dos ho-
mens na terra, chama pela voz da caridade e do amor, on
pecadores ao perdto e a penitancia, porque ja estA pro-
xlmo da terra o dia da justica e Ringuem confie nemr













Deus fala Aos homes na terra

espere a misericordia de Deus neste dia.
J. C. como prova de seu amor, proolama estas ver-
dades sobre a terra, antes do testemunho e da realidade
deste dia e diz: vejam bern claro as altas autoridades
na terra que o powder das trevas, esta autoridade que
manda o poder do crime contra o poder da juatiga, e en-
gana na terra aos homens, serA confundida eteraamente
neste seculo. Esta autoridade da maldade que nao teme
nem respelta a nenhama autoridade humana que n&o
tiver em punho as armas do rei do c6u e da terra, corn as
quais venceu todo o inferno reunido, e zomba de satanaz.
J. C. diz: se aquele rei que satanaz enganou e fez
dar direlto ao crime no trono da justica tivesse nessa
ocaslAo feito como J. C. ordena e ensina a todos os
homens. que falassem primteiro corn Deus e depois falas-
sem corn os homes, certamente nao teria sido engana-
do e deportado do trono da justiga pelo poder do crime.
J. C. diz: se aquela soberana autoridade na terra
que abriu as portas do trono da verdade e deixou os la-
droes roubarem as chaves e o deixarem corn as portas
abertas no perigo da grande tempestade que tentou apagar
a luz, e os ladr6es, procuraram roubar a verdade corn
a cilada da calunia e quizeram fazer reinar no trono
da luz e da verdade a parturbagRo da luz e a confusao da
verdade; se esta soberata autoridade de Deus, tivesse
seguido o caminho real como J. C. Ihe ordenou recomen-
dando que nao falasse aos homes sem quo primeiro
falasse com J. C. na sagrada eucaristia, e nlo desse
decieoes sem que primelro vissa a luz e ouvisse a
verdade, como Deus Ihe prometeu no tribunal divino,
onde o poder das trevas e a maldade da calunia nao
podia perturbar e nem enganar, e que em todas as du-
vidas do seu governor all encontraria a luz e a verdade
para nunca errar o sea caminho real.
Se esta autoridade assim tivesse feito, os ladroes
uno Ihe tinham roubado as chaves C o trono da luz e da












Deus fala aos homes na terra

verdade estarla fechado sem haver a confusao das treva
contra a luz e da caluana contra a verd3ad. E o intlmig
lsolado no campo das treves nao podia perturbqi
a luz e a pAz na igreja de J. C. na terra J. C. dil
como falou corn os homes antes de falar com Deus i
deu um pass / osinho conliado no poder que tinha sul
autoridade na terra; levedo pelo bom desejo, o poder da
trevas perturbou a luz e o poder da calunia fe!
a contusio na verdade. E nao destruiu a luz e a .verda.
de na igreja de J. C. porque os decretos de Deus nal
serafo confundidos nem destruidos por nenhum dos po
deres que se tMn levantado contra J. C. o rei do c6u ,
da terra que ficou no trono da luz e da verdade ocul
to porem real, conservanlo o testemunho de suapalavri
at6 o fim dos combates, J. C. disse: sabendo que todi
home pode errar e ser vencido, deixei o sentinel di
luz e da verdade avisado e prevenido, que nAo desai
um 06 pass sosinho.
J. C. veiddo e sabendo o present e o future dissi
ao sentinel da luz e da verdade: o poder das trevas na<
prevalecem contra a minh,. igreja, porque eu estarei con
ela atW a consumagao da minha verdade sobre a terra.
J. C. diz: vejam bem claro na terra os encarrega
dos da luz e da verdade; se este pass dado pela autori
dade de Deus; foi ou oao sosinho sem Dens, e vejam ben
que Deus nao pode obedecer e nem seguir os errors do
enearregados da luz. e da verdade na terra, Porqui
Deus 6 a soberana autoridade de todas as autoridade
e a sabedoria infinite que.nao erra e nem se engana.
Todo home 6 fraco pode ser vencido ou enga
nado, B6 Deus 6 a fortaleza que nunca serA veicida. t'6
este principio e razao t(das as autoridades da terra, e to
dos os homens estao obrigados a reconhecerem e obedq
cerem a Deus como soberana autoridade que nao erra.
J. C. diz: vejam bem claro na terra, os encarreg,
dos da luz e verdade para nao interpretarem ao contri










-79-


Dets fala aos homes na terra

lo da verdade. Esta promessa que J. C. fez aos sens
iscipulos dizendo, tudo que v6s ligares na terra sera li-
'ado no c6u, nao foi dando o powder absolute para tudo
que. quizessem- fazer, e sim dando o poder c a liber-
ade de destribuirem todos os frutos da redenQa ) a todos
por toda part?. Porem; sendo dentro do circulc da re-
.engo sem sair um s6 pass f6ra deste circulo.
J. C.diz: os encerregados da luz e da-veidade i do
igam por outro caminho, contiando e esperando quii o
)ivino Mestre os acompanhe por qualquer camilho, Por-
ue o que assim fizer nesta confianca sem t6, ird e6
em Deus.
J. C. diz: vejam bemrn claro os encarregados da luz
i da verdade na terra abram os olhos e a consciencia e
ligam a verdade. Este segundo tribunal criado na igre-
a de J. C. no qual se tern dado sentenga contra Deus
Ssuas verdades. Digam sem procurarem desvio, a sobe-
ana autoridade de Deus, quando fez este aumento na
greja de Deue. fez s6 ou fez unido corn J. C,? Nao po-
leis ficar calados e nem dizer ao contrario sois obriga-
los a dizeres a verdade diante da verdade. Fez s6 e s6
iem J. C, porque o Deus que proiblu nos seus manda-
nentos tirar a vida do proximo, ndo mandaria depois
lar sentenga de morte contra o proximo. Porque se as-
iim fizesee, era cair em contradl9co e Deus nao cae em
iontradigao e nemr reform a sua doutrina. porque a
ez corn sabedoria infinlta e justice rete. 0 Deus que
>rdenou nos seus mandamentos que os homens amassem
L Deus e ao proximo como a si mesmo, nao podia orde-
lar depois aos homes que se destruissem u~s aos outros.
3 Deus que disse nao quero a morte do pcador, e sim
lue ele se convert e viva; nao podia mandar dar a
norte a este ou aquele porque pecou. E se assim fizesse
a de encontro a sua propria doutrins, porque mandava
'emediar o crime corn o mesmo crime.
Sedestruir o home porque peca fosse providenoia









Deus fala aos homes ni tetra

tomada por Deus, entao Deus teria destruldo Adao e
creado outro Adao.
J. C. diz: vejam bem olaro as altas autoridades da
terra que Deus nao reforms os misterios divinos e as ver-
dades de sua doutrina. Porque os fez corn sabedoria e
justl9a reta sem errors, como autoridade soberana. Deus
s6 d& a liberdade de tirar a vida quando o 16bo feroz
tenta devorar a vida do cordeiro, Neste caso se ha de
morrer o cordeiro morra o 16bo.
J. C .dlz aos encarregados da luz e da verdade na
terra, abram bemrn os olhos e vejam no fundo da
cnrsciencla que J. C. nao cae em contradiglo e nem faz
confusao. Se algum de v6s teve a infelicidade de seguir
por caminhos ditferente do. camiabho que J. C. abriu e
lhe ensinou, que volte sem demora e siga o camtinho
que o divino mestre ensina e nao se apartando dele
tambei nDo perderA a paz at6 chegar ao paraise
Al de multos sacerdotes que vivem corn Cristo
e apartados de Cristo.

J. C. diz: aos encarregados da luz e da verdade
na terra: despertem e recebam as chaves que ihes rouba-
ram fechem as portas de novo contra os inimigo e la-
droes que voltam ainda
J. C. avisa aos guards da luz e da verdade que
mfo muda da figura e nem de caminho e abram bem
os dlhos e a consciencia, para n&o se enganarem na se-
gunda vinda do Messias, como se enganaram os primeiros
sacerdotes que guardavam a luz e a verdade e quando
chegou a luz e a verdade, eles nao conheceram e recu-
saram. E ficaram esperando que viesse a luz e a verdade
em figure diferente e em caminho que nao era conhe-
cido.. E assim ficaram nas trevas sem luz e na confu-
sao a maldade e da calunia semr achar a verdade. Se
J. C. tivesse vindo em figure diterente o por outro cami-
nho fora daquele anunciado nas profecias, entao nao
pra filho de Deus e que tiaha feito a confusao.









Deus fala aos homes na tertM

J. C. 6 flel e infalivel nas suas verdades e nas suas
promessas.
Os decretos de Deus nfo serao confundidos e nem
destruidos, e J. e. reina eternamente uontra os seus ini-
migos.
330o. DIA
Eu sou a voz de Cristo que brada no desert oha-
mando a humanidade a f6 e a penitencia porque chegou
o seculo.da destrui9ao do mundo, e a separagdo de Deus
ou a uuifio corn Deus e felta aqui na terra. Este seculo
nao se finda que o filho do homnem nfo .dA testemunho
de sua palavra.
J. C. na sagrada eucarlstia diz: jA te mostrel como
comegou o rei da maldade e da soberba na terceira re-
volta na terra contra o filho de Deus faeito home e con-
tra. os homes. Agora revelo o segredo e os misterios
guardados e reservados para os ultimos tempos e para
o ultimo combat das trevas contra a luz da calunla con-
tra a verdade,
J4 tinha decorrido muitos anos que os demonics e
enviados de satanaz reunidos na terra a grande familiar
da serpente, trabalhavam dia e noite corn forga de 6dio
e soberba, na missao da maldade e do crime para dee-
truir e desterra da terra a luz e a verdade, tazerem os ho-
mens separados de Deus e dos seus mandamentos na terra
esquecidos da verdade e da felicidade da vida eterna no
paraiso, deixaram o caminho da luz e da verdade e segui-
rem o caminho das treves e da mentira. Satanaz e seus
enviados tinham JA roubado asichaves que trazia fechado o
trono da luz contra as seus ianimigos e as trevas pertur-
baram a luz. E roubaram o culto e a obediencia que os
filhos da luz e da verdade rendiam a Deus no trono
da luz e da verdade na terra, e jA dominava no trono
da justuga o poder das trevas e a maldade do crime. JA










- 82-


Deus fala aos homes na terra

o rei da maldade o pai da calunia tinha deaviados os ho-
mens de Deus e do caminho real do paraiso, escrevendo
e ensinando dia e noite e por toda parte a maldade do
crime, as trevas, a mentira, o odio e a soberba; 6 a dou-
trina e o camioho que os homes c6gfs e enganados se-,
guem na terra. Esta comunicagdo doe dominies corn os
homes na terra, a renuncia e o despreso a J. C. na sa-
grada eucaristia e a sua doutrina tornou a Me desconhe-
cida na terra e as verdades eternas esquecidas entire cs
filhos da luz e da verdade, e atO mesmo entire os guar-
das da luz e da verdade, nao 6 bem conhecida a Me e nem
lembradas as verdades eteraas. Levantou-se da terra u-
ma nuvem negra para ocultar a luz do sol e deixar os
babitantes da terra no escuro e nas trevas da noite.
Esta renuncia de Deus entire os homes, este despre-
so ars preceitos divinos e as suas doutrinas, este domi-
nio das trevas e da cplunia na terra, este direito do cri-
me contra a justiga, o prazer do crime da impureza. na
terra. da tome do vicio e da maldade do odio centra o
bem, o rei da maldade e da soberba armado corn estes cri-
mes na terra contra Deus e seus mandamentos, contra a
luz e a verdade e cheio de bdio e soberba, mostrou que
o poder das trevas e a maldaae da calunia tinha pertur-
bado a luz e a verdade naigreja de J. C.. Satanaz mos-
tra que muitos sacerdotes da laz e da verdade estavam
debaixo do seu dominio porque pelo amor e a paixao da
avareza tinham tornado part na igreja das trevas da
maldade do crime, outfos muitos sacerdotes estavam de-
baixo do domino das trevas pelos crimes 'e infideli-
des de sua vida e que os encarregados da luz e da ver-
dade nao conservava mais a fe inabalAvel na palavra de
J. C e nem a (bediencia complete e absuluta a Deus a-
cima de todrs os poderes da terra.
Disse satanaz: o pequeno riumaro de sacerdotes qua
ainda estao f6ra do men dominio, corn a paixao da ava-
reza ou comr a forOa do fogo a do ferro, os fa9o destrul-












Deuis fala a-s homeni na terra


doe ou vencildos na terra.
As trevas e a meldadp da calunia jA t6m tanto po-
der entire os encarregados di luz e da verdade na t rra,
que se a luz e a veidaee aparecessem do novo na terro
serlam d3sooniecidas e negadas entire aqueles que
guardam a luz e a verdade na terra
Satanaz mostra a J. C. o escuro da terre, a malda-
de do crime, o vicio, o odio e a scberba que reina na
humanidade, e diz; esta como antes na redencao. E' pe-
quenoe muito resumnio o nurnero que ainda crer corn ver-
dade que ha Deus. Reina de forma diferente a mesma
idolatria e a comunicafo do inferno corn os homes na
terra, como antes da redengaf, s6 uma nova redengao
podia arrancar do poder e das cedeias do inferno a
grande humanidade que caiu de novo no dominip e ca-
tiveiro do inferno. Porem esta nao havera mais por-
que jA foi feita de um modo complete, e segundo porque
o redentor ressuscitado nao'lhe 6 rnis parcnitido sofrer
e nem morrer. E assima, diante da justiqa e da verdale,
o poder das trevas e da mildade que ndo poude triun-
far na primeira revolta no paraiso da gloria e nem na
segunda revolta na terra; contra a cria(ao e redengao
dns hnmens, cego pela soberba, supondo que havia de
triunfar na terceira revolt na terra contra a reden-
co dos homes, contra os, deoretos da magestade
divina, porque o olio Ihe diz que nao podera ser com-
pleto o nurnero do paraiso e nean J. C. p der& ser o rei
do c6u e da terra, porque o rei do odio e da soberba,
val governor e dominar os homens; e mudar o inferno
para a face da terra.
Ficando o rei da maldade e da soberba com po-
der de mandar e governor em dois reinos, no inferno e
na terra. E diante da verdade e da justiga da mages-
tade divina, o rest da humanidade esta perdida e
pertence ao poder das travas.
Disse o rel da soberba e da maldade, pelo mesmo












Deua fala aos home. nia terra

direito da justiga. o redentor dos homens deve se confor-
mar corn esta parte da humanidade quo jA se salvou
e ficar serdo o rei desses no paralso. Diese satanaz, e dian-
te da verdade e da justiga da magestade divina que este
con bate est& decedido e vencldo. Pois Deus creou o
home para conhecer, amar e servir a Deus na terra
e depois ir receber a recompensa no parais).
Logo na seguda revolta.na terra, o home enga-
nado pelo poder das ,trevas foi desviado do seu caminho
real e nao poude chegar ao paralso, at6 a vinda e a re-
dentao de J. C. na terra. Depois disso o home voltou
ao seu camiaho real e recebeu o que tinha perdido.
Porem o poder das trevas na terceira revolta na
terra enganou e deaviou os homes do seu caminho real;
os homes na terra nRo conhecem mais, nao amam, nao
servem, nao obedecem a Deus, nao guardam seus man-
damentos e nem obedecem os preceitos divinos. Adoram
e obedecem ao poder das trevas, amain ao crime, guar-
dam o odio e a soberba e sio dominados pelo vicio e

as paix6es da care.
0 pequeno numero que nao se desviou completa-
mente de Deus e dos seus. mandamentos na. terra, 6 fa-
cil se separar de Daus ou da terra; e o poder das trevas
tern o direito diante da verdade e da justica de rece-
ber e governor a humanidade que deixou o seu camiaho
real, renunciando a J, C. e asua doutrina na terra e se
guindo o camiaho das trevas da maldade e do crime. 0
Deus otendido 6 o mesmo, a justiga e a verdade nfo muda
a sua linha. E' proprio da missho dos demonios mentir 0
enganar 6s homes na terra, acusa-los no tribunal divi-
no dizendo a verdade e pedindo justica contra os homes.
J. C. disse ao principle das trevas, tu maldito, 6s
realmente inimigo traigeeiro de Deus e dos homes, e
aos homes podeste fazer traido, porem a Deus feito ho-
mem nunca terAs o poder de fazer traiqlao, surpreza e
mom enganoes.











Deue falas os homeni na terra

Jesus Cristo 6 field e infalivel nas suas verdades e
nas susS promessas na terra.
Os dbcretos de Deus nao serao confundidos e nem
destruidos, e J. C. reina eternamente contra seus inimigos.

340. DIA

Eu sou a voz de Cristo que brada no desert cha-
mando a humanidade a M6 e a penitencia porque chegou
o secnlo da destruicpo do mundo, e a separapao do Deus
ou a unifto corn Deus 6 feita aqui na terra. Este seculo
n&o se finda que o filho do home ado d6 testemunho
de sua palavra.
J. C. diz. a soberba e audacia de satanaz pedia jus-
tica contra a bumanidade na terra, exigindo justica da
justipa e verdade da verdade causou tanta indign9ago a
mag-stade divina que quiz destruir o mundo nesse mo-
mento; porem o redentor doe homene, o filho de Deus
feito home, disse: ainia nao terminal a minha missAo
na tprra. Quero que s' prolongae o tempo para techar o
circulo da redenvtao corn o numero complete, e fechar as
portas do abismo do iaterao e deixar o trono da mages-
tade divina em paz por toda a eternidade no c6u e na
terra.
J. C. disse a satanaz: principle maldito a tua malda-
de e soberba sera eternameate coanualida e eastigada di-
ante do poder diviao. JA to esperava neste tribunal com
esta acusago contra a pobre e ingrata humamidade; flea
certo principle da maldade e da revolta, que tudo quanto
ja fizestes e ainda tens de fazer contra Deus no paraiso e
contra o howem e o filho de Deus felt hoirem, tudo serA
para major confuseo e castigo do tua maldita soberba. A
p. bre e4ga e enganada humanidade, n.o to serA entre-
gue como exige o teu tdio e imaldade e aem como pede
a tua soberba diante da verdade e da justiga. 0 poder in-
finito de Deus, o amor e a caridade do filbo de Dens feito












Deua fala aos home'n ni tefra


bomem, na eua sabodorla dtvina TPz cnmnleta a obra da
redengao dos homes na terra. Porpm sabenPni e conhe-
cendo a tua maldade, o teu 6dio e a tua suberba contra
o filho de Deus feito home, e contra os homueris, nao
fechei o circuilo dis redena"o na terra. Oeixei aberto e
te avieel onrque D-'us nqo tame o' seus inimig-a e nemn
faz surpreza. Na vespers da minha mort- autes d sa-
crificlo da oruz, fiz o misterio da sagrada eucaristia no
qual afirmei que ficava corn aparencia de morto, porem
tao vivo e t&o real como subia e permanecia no chu. E
como Deus nao faz as suas obras comr medo nem maldade,
fiz em publlco e mandet que ensinassem em public atW
a consumagao das minhas verdades na terra. Jurei em
testemuho de minha palavra que continuava no misterio
da sagrada eucaristia a redenc9o dos bomens na terra
at6 complete o numero perdilo; estas p ucas grtas de
sangue que separei e guardei na vespera da minha morte
fol. para to esperar na terceira revolta contra os homes
na terra; e para castigar e confundir eternamente o In-
ferno no ultimo combat contra a luz e a verdade. E em
testemunho da luz e da verdede negada e desconbecida
na terra, estes pequenas gotas de league fazem correr
rto' de sangue na terra-

J. C. diese: prinetpe maldito, para que comece logo
a Jua confusgo e cestigo na terra, v( u fazer um grande
chamado da pobre humanidade c6ga e engaaada no campo
das trevas, you romper na terra o v6u que me ooulta aos
:olhios do mundo e moetrar a realidade e o testemuDho
de minha.palavra. Despertando e chamando a huimanida-
-de a 16 e a .obediencia e lem-brando. as verdades eter-
:,as esquedidas entire. os enoarregados da luz e da verda-
de, e..entre os.filhos da luz. e da verdade que deixaram
*o seu caminbo real. Ene'ste chamado os filhos de Deus doi-
vem a voz do seu creadr, e conhecem a luz e a.verdade e
vetn a mim; e comunico a estes as chamas do meu amor
e as verdades. eternas; e eles receblim de novo a .. f












Deus fala aos homes na terra

Inabalavel na palavra e nas promesses do redentor do
mundo, e recebe a obediencia santa, contra a obediencia
da revolta e comr esta obediencia complete e absolute a
Deus acima de todos os pideres da terra e unidos Aque-
le que vai ee oferecer em sacrifiolo a magestade divi-
na darao testemunho da verdade e da luz.
Tti principle maldito verAs concorrendo com u ten -6-
dio, a tua maldade e scberba. sem poderes interrona, cr
uma segunda redengao; e sera maior o numero d1 :viti-
mas sacrificadas a Deus na sagrada eucaristia, em teste-
munho da verdade e da luz, do que o numero que J&.foi
sacrificado.
Dito isto por J. C. a satanaz, apareoeu deante do
trono da mbgtstade divlna o home que nasceu separa-
do dus homes, humilhado e prustrado de joelhos diante
da magestade divina, disse: vejo a magestade de Deus
ofendica e afrontada pelo poder das trevas e pelo 6dio
do prmeinpe da soberia que levantou na terra' a tercei-
ra revolta contra J. C., contra os decretos divinos, contra
a luz e a verdade; e fez os homes desconherem a luz
e negarem a verdade saindo do circulo da luz e da ver-
dade e voltando so cbmpo das trevas, segulndo a malda-
de da calunia e do crime, unidos a satanaz. Como a pa-
lavra de Deus e infalivel, e os decretos divinos se cum-
prem, vejo que esta proxima a destruigao do mundo e a
vYlta do redeator a terra para o julgamento final da hu-
manidade, eu oefrega a magestade divina o' meu sacrifl-
ci'o na terra para glorificar a magestade de Deus e cas-
tigar a n.ldade, o odio. ea sobeiba do principle das tre-
vs. Hle oterego e peca a magestade diviaa que me con-
ceda o p, der e a liberdade de ser embaixador de Deus
na terra fazeado o grande chamado 4ue Deus pretend
fazer da humanidade separada de Deus e de seus man-
damentos, cga pelas tre ias e enganada pela maldade
da calunia; coura pardiia na camp das trevas.
Quero descer no campo escur, da guerra, combater











Deus fala los homes na terra

e castigar opoder das trevas e a maldade da calunia,
me fazendo sacerdote entire os sacerdotes para dar o tes-
temunho da luz e da verdade na igreja de J. C. contra
o powder das trevaa e contra a maldade da calunia na igre-
ja de satanaz na terra; renovar a f6 inabalavel na pala-
vra e nas promessas de J. C. na terra e mostrar a obe-
diencia complete e absolute a Deus aclma de todos os
poderes da terra.
Quero chamar e reunir no circulo da luz e da ver-
dade o rebanho do pastor divino; desfacelado e perdido
no campo das trevas, e quero castigar a satanaz no.
escuro da terra cormbatendo contra a sua terceira revolt
Quero proclamar aos homes na terra as verdades
eternas, mostrando o caminho real do paraiso, mostran-
do a luz contra as trevas, a verdade contra a maid de
da calunia ensinando a virtu le contra o cri ne e a peni-
tencia contra o vicio. Ren,,va.,dvt e ensinando o amor e a
honra a Virgem Santissima desprezada e esquecida na
terra pelus filhns da luz, guerriada e injuriadt pela fa-
milla da serpente. E como e decreto de Deus o que bou-
ve no principio haver no fim, quero que a penitencia e
o sacrificio da minha vida na terra, tenha o poder de de-
eafrontar a magestade divina. Unido a J. C. na sagrada
eucaristia, cautigar eternamente o inferno corn a sua mal-
dade e soberb3, e que o circulo da redeng&o seja fechada
corn o numero cmpleto, e o trono do rei do c6u e da
terra permanega em paz no claro do dia eterno pro toda
eteraldade.
A magestade divina disse: o ten sacrificio 6 aceito
agradavel e frutuoso diante do poder da justiga e da ma-
gestade de Deus. J. C. e redentor e pal da humanidade,
e tA como segundo cordeiro de Deus, serAs defensor e pa-
drinho desta humanidade cega e enganada na terra. 0
Inferno e i maldade dos maus na terra, n&o terao o po-
der de impedir o caminho; e tit tens o poder e a liber-
dade de fazeres o que pedes diante do trono do teu












Deus fala'aos homes nA terra

creador e dos homens. E tens o poder de castigar e
confundir a satanaz inimlgo de Deus e dos home as.
Segue cvrdeiro de Deus, vitima do odio e da ca-
Iunla, sacrificado na terra pelo odio e a maldade de sata-
Daz e dos homes. Desce ao campo escuro das trsvas
e da guerre, tendo a certeza que a luz val sobre a tua
cabega, e o teu camnDho sera no clar,; a phz de Deus
te guard no campo da guerra e no sacrificio, de modo
que a tua alma nao se perturba e voltarA em paz ao
selo de Deus no paraiso.
J. C. disse ao segundo cordeiro; 6s amigo fiel de
Deus e dos h, mens e eu unido a v6s na sagrada euca-
ristia, havemos de combater e sofrer unidos na terra
Disee J. C. a satanaz; maldito, por toda a eternida-
de vwlta para o escuro da terra, os crimes e a maldale
da calunia ensinads oa tprra pelo inferno e praticados
pelos humens, te darao a liberdade de saires do hbismo
das trevas pnra teu maior castigo. Reune tcdo o inferno
na terra pmprega corn a forga do odio toda a maldade
e soherba contra a luz e a verdade ai terra, contra os
decretos da Magestate divina e tudo sery debalde.
A obra de Deus, flada complete e perfelta na ter-
ra, conforme o plano e decreto da magastade divina. Os
filhus da luz e da verdade t6m que chegar ao seu ultimo
fim e a complete perfeigao que Deus prometeu quando
creou e levantou o primeiro home na terra.
Tu, principle maldito inimigo de D-us e do home
ficarAs 86 con. aqueles que te acompaoharam no odio,
na maldade, na soberba e com a grande familiar da ser-
pente. Os herdeiros do odio, da maldade e da soberba
que seguem na terra o caminho das trevas, ador>m a ca-
lunia e amam o crime, corn estes serbs preso no abis-
mo das treves e nuaca mais veras a luz do dia eterno
por toda a eternidade.
Disse J. C. a satanaz; retira-te maldito por tua mal-












Deus fala aos homes na terra

dade e soberba, ciente que nuna poderAs enganar nem
veneer o filho de Deus feito home na terra. Quando te
levantaste a primeira vez contra Deus no paraiso, te man-
dei perguntar pelo arcanjo S. Miguel, quem como Dous;
te mostrando que tinha o poder para te confundir e cas-
tigar. Quando te levwntaste begunda vez na terra contra
Deus e contra o home te avisei e jurel que me fazia
home para te castigar eternamente, e que serla criada
uma nova Eva a quem a tua maldade e soberba nunca
havia de enganar e nem veneer, e ela te pisava a caoe-
ca eternamente. Quando no abismo do inferno maqui-
naste a terceira revolta contra o filho de Deus feito ho-
mem e e contra os homes na terra, lA mesmo no abismo
te falou um condenado obrigado pelo puder de Deus
te lembrando o p-der soberaao de Deup e o eastigo do
peso da sua justiga. LA mesmo nos abismos te falou o
arcanj.. S. Miguel, te m strando o poder infinito e sobe-
rano de Deus, e que tinha criqdo mais dois oceanos afn-
de tdos os doentes que se banbassem nesses oceanos
ficavam completamente curidos, e te dissa que a tua so-
berba e maldade ainda podia ser curada, e ta vcltavas ao
paraiso mais perfeito do que eras, se humilhado pedis-
ses a Deus, a graga de te banhares nesses dois cceanos.
A tua soberba e maldade recusou o remedio que
podia te dar ainda a vida, e por tua maldade e soberba,
a tua morte serA eterat oomo a vida de Deus 6 eterna.
Disse J. C.: maldito priacipe, a tua soberbti e m'al-
dade te deu o trono de rei lo crime no abi-mo do in-
ferno; porem nao serAs o rei dos homenq, e nem pi de-
rAs reinar na t rra como presume a tua sobe b.; por iue
o Wilho de Deus feito home levaatou o spu trono dp luz
e verdade na t, rrs, e jurou ser o rei do cea e da terra,
e o filht de Deus feito h(.me ndo muda de figure Dem de
caminho'. A nuveim negra que se levantou d escur" do
abismo para impedir a luz do s(1 aos hibitantes da terra,
esta nuvem serA destruida pelos raios do sol, e os habitaa-
tes da terra que desejam ver a luz e o seu caminho real,











Deis fala i. homenaI ii. tii

seguem no claro, e s6 ffcar n perdldos no rampo das tre-
vws, os que nflo q izerem a luz.
J. C. disse: deatro do circulo da redengao you rom-
per o v6u qije me oculta aos olhos dos bomens e mos-
trar na terra a luz a verdade e o testemunho da pala-
vra de Dius, e chimar a humanidade dos quatro cantos
do mundo, que venhpm receber a luz e ouvir a verda-
de pelo som da trombeta de Deus que brada na terra, em
testemuaho da verdade e para teu maolr castigo nao ha-
ver forgas nerm powder human que possa interromper o
chamado de Deup, na terra atW que complete o numero
de Deus, e entao serA quelmado o canipo.das trevas corn
a'grade tamilia da serpente. E a nova Eva; como mne
dos filhos da luz e da verdade que choram nas trevas. e
no cativeiro do inferno, vai mcstrar novamente na terra
o seu powder de rainha do ceu e da terra, quebrando as
caiieias do lnferno e dande a liberdade aos filhos da luz
e da verdade a voltarem ao seu caminho real; voltando
das trevas para a luz e da maldade da calunia as ver-
dades eternas. E a serpent t era calcada navamente de-
baixo dos p6s da segundi Eva, po', toda eternidade,
Jesus Cri-to e fiel e iafalivel nas suas verdades
e nas suas promessas na terra.
Os decretos de Deus-nao serAo confundidos e nem
destruidos, e J. C. reiaa eternamente contra os seus ini-
nigos.

350. DIA
Eu sou a voz de Cristo, que brada no desert cha-
mnando a humaaidade a f6 e a penitencia porque chegou
o seculo-da destruiQao do muado. E a separapo de Deus
ou a uniao cor -Deus 6 felta aqui na terra. EHte seculo
nao sa findaa qua o filho do himam n ao de testeemunho
de sua palavra.
J. C. disse: op mtsterios divinoes so tdo grades e
tan santos, que nao cabem na pequenez.da humauidaae












Deus fala aos hcmonsi i terra

compreender e nem saber como Deus os faz. E Deus nao
irupbd a fraqueza da humanitide saber e compreen-
der como sao feitu os misterios divinos, o que Deus im-
p6e a humanidade 6 somente o que est& ao seu aloance
crer e obed, cer; conbecendo e sabendo que Deus 6 todo
poderoso. Portanto a humanidade 6 obrigada a aceitar,
crer e ob*decer os decretoo de Daus, nao 6 compreen-
der porque isto nao cabe nem na lnttligencia dos anjos
no paraiso.
J. C. disse a verdade a satanaz e Ihe mostrou o po-
der infinite de Deus e a certeza do castigo da sua ter-
ceira revolta contra Deus e os decretos divinos. Porem
satanaz c6go pelo odio e surdo pela s berba, s6 ouviu J.
C. Ihe diz r: os crimes prati ados pela humanidadf, to
darAo liberdade de saires do abismo das trevas para a
terra. e tben? a liberdade e o powder de emprPgares toda
forVa do teu 6di,., maldade e sorerbi contra a luz e a
verdade na terra; s6 comn isso satanaz julgou segura a
vi 6ria da sua revolt contra J. C. na terra. Voltou do
paraio para o abisvo, o principle das trevas jA contun-
dido do engine sem ver; chegando no escuro de sen a-
bismo ordenou que reunidus osenviados da maldade e
do crime saissem para a terra, e fossem levaatar nova
guerra na terra, de crimes e de todas as-maldades que
o inferno podesse inventar contra a humanidade e os de-
cretos divinos na terra, e muito particularmente contra a
igreja de J. C e os seus sacerdotes para perturbar e in-
terromper o grande chamjdo que vai haver da humani-
dade na terta, que val ser chamada a luz e a verdade e
J. C. vai mostrar na terra o testemuaho da verdade e da
luz. E disse que volta pelos mesmos camishos e nao mu-
da de figure; e assim sendo 61e volta pelo nascente por
onde passou antes da redenpio. E como e grande o cha-
mado 06 poderA ser fttit em lugar onde tenha grande
numero de nabitante.-; e para que nao seja ouvido este
grande chemado pela humanidade, levantes a impiedade












Deus fala"aos hemens nA terra.

o amor ao crime, o desprezo e a destruicfo da virtude,
de modo particular contra a virtude da pureza, e ensi-
nern a desonestidade da vida em todas as idades por to-
da parte da terra.

Fagam reinar por todas as cortes a impiedade, o po-
der e o direito d3 crime contra a paz e a justice; por-
que se o redeitor dos homes na, mudar de figure, co-
mo rel nao poderd aparecer na terra, nemn sera atendi-
do nem ouvido o seu chamado entire os homes. E na i-
greja da luz empreguem todo esforgo da maldade para
desviar os seus encarregados da luz. da verdade e do seu
caminho real na terra. Intrdduzindo noo encarregados
da caridade na terra, a falta de caridade, a jnegagao
ao cumprimento do seu dever para corn Deus e para
corn o proximo. A falta de zelo na pratica da virtude, e
a descrenca corn os proprios misterios da sua missao, o
amor da avareza, o despreso as virtudes e o afeto as vai-
dades e as grandezas da terra. Engana-los corn o mal na
aparencia do bern, ensinando zelo sem caridade, a f6 con-
tra a Mf, que os tornem poderosos e donos dos misterios
da missdo que Ihe foi entregue na terra. E cheio de con-
fianga no poder de autoridade que tern julgam-se corn
direito de fazer e desfazer na sua misslo, de modo que
se tornem esquecidos, que nao podem reformar e nem
mudar o seu caminho. E se assim fizerem se torna facil
ser interrompido o testemunho da verdade e da luz,
quando Deus mandar fazer na terra o grande chamado
da humanidade, e quando J. C. se manifestar na terra
entire os homes e os seus encarregados, sera desconhe-
cido reprovado e negado. Ordenou a igreja das trpvas,
da maldade e do crime na terra, que empregassem a mal-
dade, o odio e a soberba contra a humanidade, ensinan-
do falsas doutrina e novos crimes por toda parte a-
t. que os torne a humanidade esquecida de Deus e de
seus mandamentos, e obscura a luz e a verdade entire os
proprios encarregados da luz e da verdade na terra; de












Deus fala aos homenis aL tiil

m odo que fagam a confuzso contra a luz e a perturbagto
da verdede, e d~em armas aos inimigos contra a Igreja
da luz e da verdade. E para que o inferno tenha o direl-
to e e poder de guerrear na terra contra a igreja da luz
e da verdade, facam corn que todaes as autoridades de todos
oe palses pertengam a igreja dae trevas, da maldade a
do crime. Para que quando vier o grande ohamado da
humanidade e o testemunho da luz e da verdade, o po-
der das trevas tenha o poder dae altas autoridades para
impedir e Interromper o chamado de Deus na terra. E
que o testemunho da luz e da verdade nao seja reco-
nhecido como luz e verdade, e depois de feita a contu-
z&o da verdade ea perturbaiao da luz na igreja da luz
e da verdade, a igreja das trevas terA o direlto e o po-
der de levantar guerra e decreto de exterminao contra
a igreja da luz e da verdade na terra. E os poucos en-
carregados da luz e da verdade quo nato torem veneidos
pelo amor e a paixao a avareza, serAo vencidos pel) (6-
go e pelo ferro os que n&o quizerem renunciar a luz e
a verdade. E ficarao interrompidos os decretos divinos, e
varrido da humanidade a doutrina de luz e da verdade que
tanto perturba o poder das trevas, embaraca a maldade
da calunia e do crime na igreja das trevas.
J. C. mostra na face da terra, a maldade que eata-
naz preparou nos abismos do inferno contra a humanida-
de, e mandou os seus sequazes que executassem na ter-
ra. 0 6odie a soberba de satanaz nao se convene e
nem change, contra Deus e contra o bem; mais tudo sera
debalde, a obra de Deus finda complete e perfeita.
J. C. 6 field e Infalivel nas suas verdades e nas suas
promessas.
Os decretoo de Deus nao serAo confundidos e hem
destruidos, e J. C. reina eternamente contra os seus ini-
migo s.









Deus fala aos homes na terra


36.o Dia
Eu sou a voz de Cristo que brada no desert cha-
manpo a humanidade a f6 e a penitencia porque chegou
ueculo da destruicAo do mundo, e a separag9o de Deus,
n a untio com Deus 6 felta aqui na terra. Este seculo
dao se finda que o filho do home nto d6 test-,urho
e sua palavra,
J. C. dJz: fundada e propagada na terra a igreja
das trevas e da maldade do crime contra 0 redentor dos
homes, e contra os homens, para interromper a mlse&o
do redeator e impedir os decretos diviaos. Levantou
satanaz terceira revolt na terra, e fez os homes adora-
rem o poder das trevas, obedeceram o crime e seguirem
as trevas em lugar da verdade.
Cega e engaaada a humanidade na terra, toracu a
cair nas trevas e no eativeiro de satanaz; inimigo do
genero human, J. C. que sabia e esperava a terceira re-
volta de satanaz contra os homes na terra, fez com-
pleta e perfeita a obra da redengao, porem deixou aberto
o circulo da redeng o para fechar no ultimo combat
das trevas contra a luz e da calunia contra a verdade.
J. C. chama e avisa a humanidade na terra, quo
neste seculo fecha eternamente o circulo da redena&o e
o trono de Deus permanece em paz na terra e no oeu sem
guerra e sem combat dos seas inimigos'
J. C. mostra a confusao e o engano de satanaz
na teroetra revolta quando subiu ao paralso pedir justiga
contra a humanidade que ele tinha eaganado na terra.
Voltou confundido e enganado sem sentir; J. C. disse que
ia fazer um grande chamado da humanidade ingrata na
terra, para que voltassem ao seu caminho real a luz e a
verdade. E satanaz compreendeu que, como o chamado
era grande, seria feito nas grades capitals do mundo, e
soe preveniu contra J. C. preparando a impibdade e o po-
der das trevae em todo o trono da terra: e pArtioularmente