Organizacao da Secretaria da Agricultura do Estado: A Situacao Economica.

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Organizacao da Secretaria da Agricultura do Estado: A Situacao Economica.
Physical Description:
Unknown

Record Information

Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
System ID:
AA00000207:00078


This item is only available as the following downloads:


Full Text






O'f
,+L.,
, 1. ... <<, <- ,.
ft -^ C'e'
;,\.. ^^ 4

4: 7 ,1 a' /- ,^'
| ::.. : --^ 7 ,'
d',, .^-^ i j
rIr, I




T-Rr -
,L (
ii9IYi T:ii ii1 i--T 1


~-


~i~-- ~k7


lj





*.,.. ...*. *

OXGAJIZA*-O DA BSECRETAIA DA AGBICUL5JDA DO 6tABW

A Situsago Iconomica
Durante os ultimos dez annos, a situaglo economic de
ItLnas-Gerais, a fallar de modo geral, tean sido pessima. 0 unico
seio ielo qual se pode seriamente cogitar ea aliviar esta situaglo
So de augmentar e melhorar os produetos agricolas exportados
pelo Estado. Pois vinos no Relatoria de Estatistica correspondent
ao anno de 1929, que 91 % dos products exportados provinhasm da
lawoura. Apenas 9 % foi de mineragio, products manufacturados
a madeira. Demonstra o sesmo relatorio que o prego de feijio paras;
Sexportagio foi mais elevado em Minas do que nos mereados da Frang s
e da Inglaterra. Indies isso que o a custo da produclgiao ean XMinas esgtIl
Sexaggerado. Frequentemente, durante os ultimos dez annos, ten haviL
iuportaglo de milho da Argaatina, para mercados de Rio de Janqn,
Notamos tasmbem que out ros prizes, como Java e Cuba1estlo forneeenda

Sassucar sos antigos freguezes de Minass
0 ever principal duaa Secretaria de Agricultura 6 deo

Sestlirular a producqlo agricola, melhorar os products e tratar de
por a venda os products da jAvoura. EL'impossivel conseguir iss '.
Ssea ura organizaqio efficient e sear que se reolizeo despezas
Sconsiderayeis.
0 Estado de Ninas, par meio de taxas, principalmenteo
indlrectas, tern sobrecarregado a sua agriculture, fonte principal
da sua renda. Porta, o auxLlio que o a Estado tea presoado i indas-
tria agricola, ter sido lamentavelmente inadequado e ulito insu-..
ficiente. 0 estado pessimo da agriculture estadoal proelaua este

facto mais positivamente do que as palavras.

A BECRETABIA DA AGRICULTUBA

A funacgo da Secretaria da Agricultura e de estimular *
melhorar a producggo agricola e os processes de veada de todos
os products da lavoura. Durante os ultimos dez annos, o stado
tea soffrido prejuizos enormes a irreparaveis, por nio toreom udtos
dos funecionarios da BSecretari da Agrieultura compreheadido a
, grandesa a altiwsz dos fins da Secretaria. Julgando pelas acgoeu







-2-


dalgumas dos funccionarios, comprehend gJeue a sua funcgao princi-

pal foi $ s impedir o mais possivel o progress da agriculture.

Urn Secretario recommendou minha demisslo antes -que o tecto do prem-

dio principal desta estabelecimento tivesse sido collocado. Dizem-

nos que urn outro Secretario, em logar public, teferiu-se ao esta-

belecimento como sendo '"0 OElephante ranco de Vigosa '. 0 effeito

desta attitude sobre os subordinados a estes Secretatios pode

ser facilmente imaginado pelos muitos aborrecimentos que dahi resui-

taram, diminuindo a efficiencia dos trabalhos que podiamos conse-

guir. 0 meu dever era em primeiro logar servir ao Governo ae < ..

Minas-Geraisp .ue pediu ao Governo dos Estados Unidos a indicagio

dum professional para emprehender esta tarefa, e & corn este pi'in-

cipio que me tenho orientado sepre.

Lamentamos profundamente dizer que a muitos dos runccion-

arios publicos corn os quaes se lidada antigamente, faltava em

absolute o patriotism, n podendo ver que, unindo os seus esfor-

gos para o desenvolvimento dum estado mais glorioso, estavam

servindo a patria. Para satisfazer uma i antipathJia pessoal, foram

capazes de deshonorar o seu estado perante urn paiz estranjeiro. Os

atrazos e prejuizos resultantes dessa falta de patriotism ternam sido

lamentaveis.

Indubitavelmente os funccionarios actuaes e igualmente

muitos dos antigos agiram do melhor modo possivel, considerando-se

a sua habilidade, comprehensio e conhecimentos. Porem, infeliz-

mente, muitos tinham e alguns ainda tem, ponto de vista errada.

Prefizlzam gozar dum pouco de poder autocratico do que cooperar
all
corn outros para a realizaggo de melhoqpentos no Estado. Fazem

tudo para agradar aos funccionarios superiores, e do mesmo Iuuu

agiriam para tornar sem effeito os trabalhos dos seus colLegas

e subordinados. Temos de lembrar que nao ha tanto tempo que a

Republica de Brasil surgiu da monarchia e esse typo de mentaiaaae

e'uma continuaggo dos ideaes da monarchia. Parece-nos ,que V typu

de funccionario public esta melhorando rapidamente, constituindo

isso uma indicagio promissora para o futuro desenvolvimento uu
Estado.








A QfiANIZAL93O INTERNA

Os goVernos estadoaes na America do Norte ou na Amaeriea

do Sul, sdo sempre os ultimos a acceitar os aethodos e melhoramaentos
de que gozna as melhores emprezas commercials. Nos istados Unldo39

os governor estados quasi nunea podes empregar numero sufficleuto

de auxiliares de gabinites, e nunca tern os apparelhos maim novos
para conservagao de trabalho. In Belo-Horizonte, o governor 6
extremasente conservador, a a condiqto l verdadeiramente aflietiva.,
Na nossa ultima. visit ahi, desperdigawas uea semana inteira an

receber os ordenados do ultimo semestre do anno passauo. Que desper-
dicio de tempo e esforl& humano assittilos it Horas, senlo dias,
gastos a a correr de departamente para departamentoj a de ust
funccionario para outro. Tudo devido ao system. antiquado.

Para que os trabalhos seojam ais ou menos efficientes,

deveria haver us dactylographo, bem treinado, em cada use das diii-

s~es da Secretaria. Isso viria, no future proximo, dobrar ou
quadruplicar os servigos que cada secgro podia realizar. Alguns dos

funecionarios actuaes preft-ern continuar co0 o system velho e

antiquado, pois nto saben outro system. Precisamos lembrar que

o Estado de Minas est& em evoluggo rapids. Sendo a reform tentada,

demasiadamente violenta para o memento actual, serviri para o future.
Os que na bpoea present forwulaa as leis Mineiras, devo
comprehender que a causa fundamental do atrazo da Agricultura de

linas e que est& em grande part responsavel pela actual misuria
rural, 6 a mesquinhez financeira dos governor anteriores, quanto

a tudo que se relaciona com a.Agricultura.
Como exemplo do sobreearregamento dos funecionarios da
Secretariat e a deficiencia de verbas adequadas, bern assim comr dos

grandes prejuizos resultantes, podesos citar as Officinas Graphicas

de statistical. Conhecemos pessoalmente o Dr. Hildebrvndo Clark a
admiramos suito a sua capacidade a dedicagRo. Est& cospletamete





r--ww, u s r r w w..
-4-

sobrecarreado. Buvidaws qua xista outra pessma que teanha eonso-

guido tanto servlqo sob as musaw eireastancias. lm Agosto do

1930 no dia 29a submettems ao 99 SBar. Secretario de entin

o manuscripts de 'A Bada do Citrus', send por ello examinado *

approvadov ordenaido que fosse publlcado imaediatamente. ft 6 de

Julho de 1931 recebemws as primeiras paginas para as coreig3es,

send as ultisas devolvidas no dia 12 de Agosto. Cean exesmplares

completes do foiheto foram recebidos por n6s em 17 de Setembro e

dppois disso ner n6s nen o estabelecimento aqui tern podido obter

mais exemplares. Os alumnos desta Escola nio comprehendem porque

lhes team sid impossivel comprar o folheto. R'difficil de compre-

hender.

0 Estado de NLnas-Gerais orgulha-se mwito Sustanente eom

o progress que vase fazendo o ensino agricola, portm, torna-se

impossivel para os aluanos na sua Escola Superior de Agricultura

obter exeaplares dun folheto publicado pelo proprio Estado1 0 de qua

o Estado possue centenas de exeamplares, e que encapa as experiencias

de trinta annos de cultural de citrus nuna das regimes mais adianta-

des do mundo e mais oito annos de experieneia em Inas. Ser por

falta de merecimento da obra ? 0 Dr. Edmundo Navarro de Andrade,

Ex-Secretario de Agricultura do Estado de Sio Paulo, se dignou

emittir seu 1arecer eam caloroso elogio so foiheto, bern assim como

muitas outras pessoas thm manifestado approvagio do mesma. Porque,

entao est! conservado nas prataleiras da Be retaria, sea que os

professores ou alumaos da Escola Agricola possam obter examplarest

Os nossos bons Amigos Nineiros ficariam iauensamente
envergonhados se soubessem que quasi todas as despezas anteriores

da publicagio desta folheto foram pagas por n6s pessoalm4ente. Sea

este dispendio particular (chegando certamente a alguns contos de

reos), o manuscript nunca podia ter sido publicado.








Desejamos frizar qje o grande atrazo nas publicag8es uteas .

& grieultura, ano 6 eulpa do E=2 Bar. Secretario, nes do Director
da Impreasa. Demonstra, Porni, coo a Secretaria esti necessitando
reorganizaglo. Como I qus os cidadlos possam respeitar a Becre-

taria de Agrieultura quando as publicagSes uteis sao press dentro
da meama Secretaria eomquanto dezenas de pessoas desejam adquirir
%**A$M1 exemplares ?

( Io admiramos que os ezcriptores agriwolas Kineiros seojam
"rfcos a que o povo rural continue em pr42nda ignorancia qmanto
aos principios mais elementares da agriculture woderna, A tiragem
spenas de 2.000 exeaplares deste folheto constituiu urns dispeza
aito exaggerada, pois a principal dispeza j& foi feita na composi-
gio do mesmo. Custou ao Estado, sea duvida, mals ou menos dois
contos de reis, antes quo sahisse urn k exemplar, da impressa.
Send que a Imprensa constitute a maior forga instructiva

inventado pelo home, devemos @proveital-a mais efficientemente as
peomilgaglo do ensino agricola util.
0 Estado de Minas-Gerais nunua poderg competir em agri-

cultura corn as outras regimes agricolas troplcaes e sub-tropleaes,

sea que o seu governor adopted principios mais progressistas quanto
i instrucgao agricola.

UN ECONOKISTA AGEICOLA. Seja qual for a denomlnagio deste

funccionario, ha de ser ura pessoa quo tenha instucglo e treino
especial neste mister. E'uma necessidade vital da Becretaria.

Minas twki que entrar em competigio direct corn ou outros Estadoa
do Brasil e outras regimes tropicaes e subtropicaes, deL todo o mundo*
Sera Wue entendam as estatisticas e que se tire dellas o ensinamentol

que offerecen, os esforgos dos estadistas seari em grande part
inuteis.
INTPRETAgQIO DA ESTATISTICA. De vez e- quando, o Governor

Estadoal ou Federal, dispende verbas consideraveis an obter esta-
tisticas relatives as condig5es nuraes. Geralmente estas estatie-
tanto
ticas desper/ean sahir da imprensa, qua perda grande parts do sou

valor. Alas disso, as estatisticas apresentas os dados de form tie







eomploxa, que o pow em geral nio as apreovita, a n-o ser que sejea

apresentadas por um interpreted. Alguns critics affirsam que as foSS

estatisticas so apreseatadas propositalmente de modo a cobra oas

factos desagradaveisa Um economist podia descobrir estes defeltos

* export as fraquezas que existed na agriculture. Quanto Is estatis-

ticas favoraveis, sao logo apregoadas pelos politicos, sendo des-

necessario o governor se preoccupar as espalhal-as. -
Como exemplo fktzante da despreoccupaglo dos antigos Inei-

ros quanto & situagio agricola, podesos eitar o caso do cafl. Ha-

vendo, uns trinta annos passados, fortes indicag;5es dun decressimo

na produclio cafeeira, fol nomeada urna cosisao de peritos pars

estudar o caso. 0 seu relatorio excellentej foi archivado. Caso os

estadistas verdadeires daquelle dia tivessem comprehendido o perigo
que corria esta industrial, podia o Eistado ser hoje grande centro

cafeeiro. 0 mesmo se den corn a industrial assucareira. -Se as esta-
tisticas fossem estudadas por us economist perito ter-se-ia evitado

a queda dessa industrial, Actualmente, Cuba e Argentina estlo con
quinze a vinte annos de adiantamente quanta a parte cultural e

industrial da canna de assucar.

Trabalhos Exernemos da Secretaria da Agriculturs.

Durante os ultimos quinze ou vinte annos, as emprezas
qgricolas inauguradas pelo Estado e dedicados ao melhoramento agri-

cola sob arias e diversas denominaqg5es, teriam sido mais que o

sufficient para collocal-o na vanguarda do progress agrlcolaj ceaso

takes emprezas tivessem sido dotadas de verbas adequadas e chefiadas

por pessoas competentes.

0 modo ma*s rapido e mais efficient de conseguir pessoas
habilitadas por experiencia a ensinasento para dirigir os estabele-
cisentos que ora discutimos, ter-sella indubitavelmente de importal-

as9 Jendo este wodo, porem, impraticavel financeiramente e politica-
mente itpossivel. Os ordenados que a Secretaria podia offereeer

attrahiria apenas os inexperientes do es-tranJeir&. babes a Seeres
taria 6 forgada a considerar sespre o effeito politico dos seus atas,

para nio sacrificas as verbas.








Ma se escolher ura pessoa coupeteoate pars dirgLr l -
estabeleciuento destinado ao soelhorasento da agricultuan, t uttit
ais difficii e serlo do que obter-se as verbas necessaries para o
inicto desta mesa eupresa. tuitas destas eamprezas, t sendo slims
ulito excellentes ternam sido iniciadas, perecenackp depois por falta
de verbas. titas vezes as regvas complexas e innuneras prowal-
gadas para o sea governor, tolhes de tal sodo sua acqio, que prestas
Waito poueo servigo.
Parece que o grande aml tern sido o fato de que os princi-

.paes funcilenarios do governor tO sido ciosos demais do seus proprios
poderes. Faltaa-lhes f e confiangamar se meswo, de sodo que n1o

sabes confiar deveres e poderes sos subordinados. Estes sto awito
mals interessados ea adular os fUnionarios de categoria alsi altaj

do que em deseompenhar lealsente os seans dereres. Nuitas vezes se
inaugurara pianos aagnificos, ehegando a despender somas elevadas

nUma inauguraglo de muit9 esplendor a poma, quando con un poueo de
estudo e critical da situagio, Ter-se-la clarasente a fallacia eco-
nomica do estabelecisento que estlo tentando fundar. Porque iniciar

novos estabeleaimentos euquanto as rerbas sao larentavelmente inade-
quadas pars os j& existentes T 0 estabelecirento e abandon de
innumeros pequenos estabel eacieatos destinados ao melhoramento

agricola (esbora tenhan sido multo luuvavels os pflanos de muitos
delles), tOn disperdigado part consideravel das verbas da agricul-
tura, sea que resultassem os beneficios que se podiaw ter tirade.
fNuero auito senor de estabelecin entos, Mt pagando o jM os ehefes
ordenados klito mais elevados (sendo or isso mais efficient o

servigo), a proprocionaluente oerbas mais adequadas e Bais certas,
pars nao haver soluggo da contlnUidade das experiencias inauguradas,

constitute a grand necessidade da agriculture Nineira hoje eam dia.
Experiencias agricolas scientlficas de valor nio podes ser

realizadas sob as condig~es actuaes de incerteza quanto Is verbal
necessarias para a continuagrao dusa experiencia iniciada. E'proavael
que a filta quasi absolute de trabalhos scientificos agricolas ea

Ninas seaa devido tais a esse factor do que a qualquer outro. Por
experlencia pessoal sabemos qua na E.S.AV.. waitas experiencias









absolute de pessoal (verbas) Para sua conclusfo.

FALTA DE PESSOAS HABILITADA8. &itre os sets a oito

roilhoes de pessoas em NiLoas-Gerais, aulto difficilamente se encontra-
rian des scientists agricolas capazes de dirigir estabeleciaentos
agricelas takes cown tfl sido fundados para o melhorasento da agri-
cultura. No 6 de admirar que pessoas totalsente sea conheeisimtos

teehnleos especializadas tenhas sido noweadas pare ehefiar os
Resmosn (Poar exmplo, quando us veterinaria b noaeado o chefe' duma
estagio de citricultura 111 ) Presenteunte as condiqfes ielhoraram

con sideraveluente.
Apezar da grande falta de pessoas habilitadas, cow indi-

cawos acina, o Estado de Minas-Gerais dever& iniciar a reform da
sua agriculture, nao s6 con a fundaglo de novos estabelecizeutos
bern como aelhoraatnt os existentes. rao resta duvida que a auitas
das pessoas nomeadas para estes estabeleclmentos faltan eaeriencias
ptaticas ou conhecimentos technicos. Taes dirigentes sto ineffi-
cientes, desperdigaa mnito tempo precioso, bean corn o dinheiro do
Estado, poreu, nao rest nenhum alvitre. Este f o pezado tribute

que a geraggo present paga pela falta de previdenela per part

dos seus antepassados.


tL --. -.
A Escola Ouperior de Agriculturae o eterinaria
Constitue indubitavelmente a empreza mais ismportante para

o melhoramento da agriculture Wineira doprehendido pelo Estado.

A actual Director do estabelecluento, o Dr. J. C. Bello Lisb~a, a
usa ver, e a pessoa mais capas sa Nihas-Gerais e possivelmente no
Brasil para desempenhar as funcq3es difficels desse cargo. 0 exit

JA attint64t-nio tern igual nests paiz, Como testarUnho disso, citaws
os aluamnos prorenientes de dez Mstados e tamben do Uruguay e Jappho.
0 exito ten sido conseguido apezar de seres os professors, excep-
tuando-se dois (si n~o me engano), sea exueriencia previa co9o pro-

fessores em esabelecisentos congeleren. Os ordeiado ter sidto








o sdo, dasiasdaaote pequenos papa attrahir pessoas iospeteutes
e que nso sejaa actuadas taoben por forte espirite do patriotisso.
Durante o amno passado perdemos tres homens peritos, e cujos services
necessitayaeos Uoito. Caso no future a Eeola Superior de Agriculo-- .

tura vier a fracassar, indicar& que o. poo RKneiro nlo 6 capaz do
apreelas um estabeleciento desse genero.
Os meus trinta annimos tie experienclas no enslano agricola,
sob o system mais perfelta de Ascolas Superiores de Agrieultura
que eotiste, proTavelmente me tea habllitado a enxergar o que deveAr

ser um dresses astabelecimentos. Neo por us momento assuzo intelli-
pencia superior, tendo apenas amaior esclarecimento devido ao aliar
nusero de armos de experiencia. Depois de des anmos em Einas-Geraia
posso ver o que sgo os maiores obstaculos para o desenvolvinento
rapido dwna agriculture lucrativTao Considere quae os salores ser-
vigos que tenho prestado ao Estado tu sido por neio de writicas
constructivas, embora sali que poderia gozar de suito mais favor so

me liritasse a louvores e congratulaq es pelos euprehendimentoas
esplendidos jA conseguidos,
UMA PASA DIRIGIR A ESCOLA. Os muitos e divTrsos
deveres do Presideate do Estado e Secretarlo da Agrlcultura, impos-
sibilitas-nos de terea conhecimento intimo e comprehensive do e&ta-
belecimento, porhs, apezar disso, sio elles obrigados a fazer decl-
s~es importantes quanto Sseola. Nos ultimos des annos, algusas
dessas decisois ten constitaidos grandes obhtaculos ao progress

do estabelecimento.
Nos Fstados Unidos da America do Norte, cada Escola Superior
de Agriculture 6 dirigida por una coumissao, sendo que geralmente os
mebros dessa comisss o sao nomeados pelo Governadores (Presldentes)
dos 1stados. Nas melhores commissoes, nao podem estes occupar outro
cargo public, seja estadoal ou federal, nao recebem venciaento, por
isso os logares sao sao procurados pelos politicos. Apenas as des -

pezas. sola pagas pelo 4stado, Mao pelo Escola.






-t&-

lsta comsisato, seja gqual for a sue designak, allIvtia
o Secretario de Agricultura de uitos probleftas difficeis de renl.-

ver e ao mesmo tempo dun peso financeiroo Os meabros sendo indicados
pelo Presidente do Estado, estgo seapre em sympathia cotn os proposi-

tos do gonemo. rIesta a forma iais efficente e mais effipa; para
a direcglo das Escolas Superiores de Agricultura que tern sido experi-

mentado nos 6stados Unidos da America do Norte e parece-sAe que sepia
perfeitasente adaptaTel is condi;5es Nineiras.
DEERES DA COMWISSIO. A co-missao deover reunir-se em

periods curtos e certos, nio menos do que tres ou quatro vezes por

anno. Na Florida a Commiasslo reune-se todos os maezes. (De 1905 a
1921, apemas ura vez nao poude funcclonar a commisslo no tempo cearto,
popr falta de numero sufficient de membros presentss) Acredito que
em Minas-Gerais podem-se encontrar cidadios tfo patrioticos e quo

trabalhario tgo abnegadamente para o melhoramento do Estado, coma
se encontra na Florida. Ainda o Estado nao lhes tam offerecido esta

opportunidade para demonstrar o se1hpatriotismo.
A commissao deveria promulgar as regras para o governor do
estabelecimento; obter as kerbas necessaries do longresso; approvTar

em cada reunilo as despezas a serem feitas; fiscalizar as despezas
realizadas; bearn assim como fiscalizar todos os departamentos. KEsta

ultima proviso inhibe que os professors se tornmem demasiadamonte
teoricos de modo a nao conformaram os seus ensinamentos corn as
necessidades dos alumnos e dos fasandeiros.
Ath a data actual a 1scola Uuperior de Agricultura da Xinas
n-ao tea tido verdadeira fiscalizagao. Os Secretarios nunca podiaf

fazer mais do que ura visit rapida, quasi comao fosse de aeroplane,.
Sendo um sambro da commissao de cada zone do Estado, cau-

aarf a disseninaggo da actividade do estabelecimento pelo Estado

InteiroActualmente algumas das zonas sdo representadas por menor

numero de alumnae do que outros estados. Todo meabro da commlssio

teria interesse em ver sua zons bea representada na Sscola, evitande

assim que ella se oceupa sais corn os problems duna Bo zone.









TVRBAB PARA A ISCOLA. 0 sftado de inas-Geraip 0f1% %at
tontndo water una bscoia Superior de Agrieuitura can as verbal
qua serias inusficientes para ua eptima Gusasio Agricola. K 19b
as verbas concedidas I Escola Agrlcola 'Luis de Queirosx', do Estado
do Slo Paulo, ficara eam quatro mul condos, mais ou menos cineo
vezes a quantia desta stbola, embora tiveros aqui mais aluios do
que a outra.
As verbas desta Escala tea sido reduzidas e o numero de
departamentos auito augmentado, de sodo que parties do trabalho

agricola inaugurado tern sido interrompldo ou anito retardado, o
que causa grade prejuizow I agriculture estadoali Durante tais ou
Means o ultimo anno, o Director tern sido demasiadamente sobrecarre-

gado, especialmento corn deveres extraordinarios, de sodo a iffi-

cultar-lhe wuito o peosamento construction. a mennr grio, isso
se tea dado corn os chefes dos departamentos. I Tal condigDo VIo
* privelegio de tinas-Gercis, sendo que de:enas de estabeleciemntos
congeneres nos Lstados Unidos tern sido reorganizados derido a
esse defeito.
Us enorme beneficio para a Escola, no estado actual do

seu desenvolviuento, serial em enviar o Director, Dr. Bello-Lisbla
numa viagem de estudos de ur anno, aos E.U.J.A., para conhecer
intimamente os estabelecimentos sob os moldes dos quaes a ES.A.t.
foi fundada.
0 SECRETARIO DA AGRICULTURA E A ESCOLA. Reconhecemaos

plenamente que o actual Secretario da Agricultura estS con viva

sympathia e interesse Intelligente no progress do ensaLno agri-
cola no Estado, nulto albs do manifestado por todos os seus prede-
cessors que tenho conhecido III Os beneflclos das suas visitas.
tea se manifestado claramente no melhoramento que se observou
ap6s as mesmas, na "morales dos alumnos e professoresC








As sudagas frequented nos Secretarios de Agricultura Wt o

causado effeitos profmundos pobre este estabeleciumito* Durante os des.

annos pa.ssados, logo que se realizou qualguer widanga na admainistra-

gao do Bstac, os effeitos foram logo reflectidos na orientagao

do estabelecimento, afim de concordar corn o ideaes dos dirigentes
do governor. aitas vezes o geverno tinha pouca comprehensao do

: "' ". ...
Terdqdeiro ensino agricola, havendo por isso series problems Za

direcggo da &scola. E'ineiLramente possivel para o Presidente *
Secretario de Agricultura numa administrator arruinar o estabelecei

mento (Isso se deu bastante vezes nos hstados Unidos, at% quo se
desenvolveu us system mais aperfeigoada). 0 actual Secretarioa, por

suito interesse e zelo que teobha con o ensino agricola, poder& des-
envolver suite o estabelecimento, e ser o mesmo arruinado em trinta
dias par seu successor.

0 DEPARTAIENTO DE VESTERINARTIA. A instrncago neste rawo da

sciencia agricola & maito necessario. Ports# os qqe dirigem a Escola

devem leubrar que a instrueglo de Veterineria maulto dispendiosa,
C f(pn," 1 jAr- Rmn4,4)
sc eubw por hori(de instrucaio regular em nada menos de trees a

cinco vezes a media do custo nos outros curses. Para dar un exito
-ia -regular a instrucgo em vetmtnaria, nao 4eve ser iniciada

sea que usa verbal bastante grande seja disponivel. Slo especialsene

cars as installag5es necessaries nos laboratories e campos. A Uscola

est& soffrendo actualamente de que podemos designer por "cruezas de
pobreza'. "a maaioria dos departamentos, a apparelhamento justifica

apenas a instrucogo do primeiro anno do Curso Superior. Para as
psssoas qua nko conheges o que deve ser us estabelecimento desse

genero, n~o b tao angustiosa essa condigfo) k que n~o deixa deo

enfraquecer auito o prepare dos mogos. Faltam aos professors
auxiliares corn preparo, de modo que elles meso tern de fazer altos

serivdgos qie fodis ser desespenhados por pessoas recebendo us ter"
ou quarto do ordenado dos professors.


I





q ..-.. . -- :h'' ; |
tFsperasos ardentamnte que seja essa condiglo passageira,
porfir, con o renowe do estabelecinito e a faa sempre crescent,
Mj eorre grave perigo (coMprehendido por auto poucas pessoas),
de ser sobrecarregado ao ponto de se extinguir. -ara o anno vin-
douro, parece possivel obter poucos professors novas, devendo por

isso ser acceito apenas o sesso nuamero de alusios ou atb senor nuaoro
do que fol acceito no anno passado. Una vez que ura Escola de Agri..
cultural degenere, ella est& quasi irremediavelmente peldida. r'imam-
samente mais facil e economic fundar um novo estabelecimento do
qua regenerar um que jf degenerou. (Isso team sido desonstrado
tantas vezes que ngo vale a pena o Estado de minas repstir a experi-

encia.)
0 governor de Minas deve obter para4 a Escola superior de
Agriculture verbas correspondents aos serviros que se esperan do
estabelecimento. Vao devem presumir que os Rs6os lineiros sio
superhumanos, que de instrucglo inadequada e incomplete poderlo
ter um preparo excellent. Tenho achado serem os alumnos en regra
uuito semelhantes aos da fllorida, neir rais brilliantes ner menos
intelligentes. Igualmente o Director e o Corpo Bocente sao ainda
maito novos e corn pouea ou nenhuma experlencia em estabelecimentos
congeneres. Sao bons elementos, porfu, nao Cao cpazes de realizer

prodigios. At4 o presenteo governor de Tinas team retribuido quasi nada

para o fazaideiro, de modo que b1lle julga ser quasi us verdadeiro

milagre quando o Estg.do (por intermedio da Escola), The presta un

pouco de auxillo, mesamo sendo este auxilio o custo de conforme
a verbal da E.S.A.VT. em 1929), um cigarro per capital per annum......*"
Corn o nosso apparelhamento deficiente e especialmente con

os professors corn pouca experiencia, e falta de bons auxiliaries, &
impossivel o estabelecimento proporclonar instruacgo boa quando o

nuueco de aluinos & maior do que ura media de 15 para eada professor
que dedica todo seu tempo ao estabelecimento (full-time professor).








dade urgeate par a fundaglo dun Instituto Biologieo na 5scola
de Agricultura, co o fil de augmentar os conheciaentos scientifi-
cos applicavels I agrieultura pratica. Nesta Escola reside o maior.-
numairo de scientists que se deicas exclusivemente so melhoramentot
4d agricultara. Ur inicio poderI ser realizado con a verba tlo
pequena, cpow urna de cem con tos de reis, o que ever& ser annual-
mente auguentado.
Esta verbal deverS ser conservada rigorosamente separada
das outras. verbas da Eseola, dispsndida exclusiveamte para pes-
quizas no melhoraaento de animaes domesticos, producgio de coiheitas
maiores e A silvicultura pratica.
Seando o Instituto Biologico collocada na Escola, o Estado
de ltnas vencer iflmediatamente innumeras difficuldades que contri-
buiriam para redusir os banificiaos do mesmo, nao sendo collocado
num estabelecimento de instrucgioa Os scientists podes conhecer
intimauente os togos que formal da d seola9 de modo a obter os melhoc
rwes auxiliares* Esses recemformados, Ap6s dois ou trees amnnos do
trabalho coB os scientists do Instituto, tornar-se-ao os elbhorps
liders na agriculture estadoal. Os alumnos tiram maitos proveitos
na observagfo das pesquizas anquanto estas estio sendo realizadas.
Os innumeras fazendelros qua visitam o estabelecimento lucram
tambem pelas experienclas* 0 custo da admlnistraigo e organizaglo
do Instltuto serao muito menores do quo sl fosse este separada.

Na America do Norte os Institutes biologicos suo indicados
eomo "Estag5es Experirentaess" e con ura unica excepgio (Ohio), formal
part das Escolas Superiores de Agricultura. Ha quarenta annos pas-
sados, 0tM i$M recebeu cada Estagmo ixperimental ura verbal annual
de $15000,03O (mais ou aenos duzentos e quarenta contos de rels),
sendo limitadas as suas pesquizas I economria na produoglo de plantas
e snisaes. Actualmente cada us recebe msals de $l00.0000 annualmentu
e as pesgquizas abrangeam enorae rariedade de assumptos, incluindo
os te complexes comaO nutriglo humana e econoula rural.











titas Estages gxperisentaes form estabeleeidas

separadamente das kscolas Superiores deAgricultura. Bestas ten sido

abandonadas por falta de resultados, enquanto que as estabelecidas

nas Escolas Superiores de Agricultura prosperaras alsa dos soahos

dos seus fundadores.




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID E8L1E1RXR_M4IZLC INGEST_TIME 2014-03-24T20:00:02Z PACKAGE AA00000207_00078
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES