Ejercicios Generales Para Mujeres, Assoc. Christa. Feminina.

MISSING IMAGE

Material Information

Title:
Ejercicios Generales Para Mujeres, Assoc. Christa. Feminina.
Series Title:
Correspondence and Subject Files 1921-1943
Physical Description:
Unknown
Physical Location:
Box: 2
Divider: Subject Files
Folder: Ejercicios Generales Para Mujeres, Assoc. Christa.

Subjects

Subjects / Keywords:
Agricultural extension work -- Florida.
Agriculture -- Florida -- Experimentation.
Agriculture -- Study and teaching -- Brazil -- Minas Gerais.
Agriculture -- Study and teaching -- Florida.
Citrus fruit industry -- Brazil.
Leprosy -- Research -- Brazil.
Minas Gerais (Brazil) -- Rural conditions.
Escola Superior de Agricultura e Veterinaria do Estado de Minas Gerais.
Florida Cooperative Extension Service.
University of Florida. Agricultural Experiment Station.
University of Florida. Herbarium.

Record Information

Source Institution:
University of Florida
Rights Management:
All applicable rights reserved by the source institution and holding location.
System ID:
AA00000207:00027


This item is only available as the following downloads:


Full Text

r~ I.


EJERCICIOS GENERALS PARA


MUJERES

Ejercicios diaries, 10 minutes por la mariana
y por la noche; ropa holgada.


J UVENTUD, destreza y salud for-
man un conjunto bien unido,
siendo la salud la mAs important de
las tres. La juventud y la destreza
dependent tan fntimamente de la salud
que bien podemos decir que esta ilti-
ma es la fuente de las otras dos. To-
das deseamos ser j6venes no hay
porque decirlo y hoy dia la destre-
za es la Have de todos los triunfos.
La salud, su derecho natural, la man-
tiene a usted joven y Agil. Para que
usted alcance este derecho se han pu-
blicado estos ejercicios por la Comisi6n
Continental de la Asociaci6n Cristiana
Femenina.
























1 2 3
Flexi6n del tronco hacia adelante
POSICION De pie, con pies separados (de 45 a
90 cms.) y paralelos.
MOVIMIENTOS- 1. Elevar los brazos hacia ade-
lante.
2. Flexionar el tronco hacia ade-
lante y abajo, rodillas rigidas.
3. Elevar el tronco conservando
los brazos elevados.
4. Bajar losbrazos hacialoscos-
tados alnivel deloshombros,
palmas arriba.
5. Palmas abajo, volverlosbra-
zos a la posici6n inicial.
Repetirlo de 5 a 10 veces



























Elevaci6n de los talones con flexi6n de las rodillas
POSICION De pie, pies paralelos, poco
separados.


MOVIMIENTOS 1.
2.


Elevar los talones.
Flexionar completa-
mente las rodillas


conservando la es-
palda derecha.
3. Extender las pier-
nas.
4. Posici6n initial.
Repetirlo de 5 a 10 veces


























Extension lateral de las piernas


POSICION- De pie, brazos a los costados.


MOVIMIENTOS -


1. Extender la pierna
izquierda hacia el
costado y volver a
la posici6n inicial.


2. Repetirlo con la de-
recha.

Continuar alternativamente con la izquierda
y la derecha de 10 a 16 veces.






















Sentada, circunducci6n del tronco

POSICION Sentada con piernas separa-
das, manos en las caderas,
tronco doblado hacia adelan-
te, espalda derecha.

MOVIMIENTOS 1. Girar el tronco ha-
cia la izquierda,
arriba, derecha y
abajo.
Hacerlo 5 veces seguidas.
Repetinlo hacia la derecha.

Repetirlo alternativamente 10 a 20 veces.






















Sentada, flexi6n lateral del tronco
POSICION Sentada con piernas separa-
das, dedos tocando las orejas,
codos bien hacia atrAs.

MOVIMIENTOS 1. Flexionar el tronco
hacia la izquierda.
2. Volver a la posici6n
inicial.
3. Repetirlo hacia la
derecha.

Alternativamente hacia la izquierda y la
derecha de 10 a 20 veces.






















Sentada, torsi6n del tronco


POSICION Sentada con las piernas sepa-
radas, dedos tocando las ore-
jas y los codos bien hacia
atras.

MOVIMIENTOS 1. Girar el tronco ha-
cia la izquierda.

2. Girarlo hacia la de-
recha.

3. Repetirlo hacia la
izquierda.

Alternativamente de 10 a 20 veces.

























Carrera en punto fijo


POSICION De pie, manos en la cadera.


MOVIMIENTOS 1.


Flexionar rdpida-
mente la rodilla iz-
quierda hacia arri-
ba y volver a su po-
sici6n, manteniendo
el tronco derecho.


2. Repetirlo con la ro-
dilla derecha.
Alternativamente con rapidez como si fue-
ra una carrera, de 20 a 40 veces.

























Marcha pausada sobre los talones

POSICION De pie, puntas hacia aden-
tro, talones separados.

MOVIMIENTOS 1. Elevar los pies y

2. Caminar en esta
posici6n.

3. Descansar.

Repetirlo 4 o 5 veces.
























Acostada, flexi6n de ambas rodillas


POSICION Acostada de espaldas con las
rodillas flexionadas, los pies
descansando sobre al suelo o
la cama.

MOVIMIENTOS 1. Flexionar en6rgica-
mente las rodillas
sobre el pecho.

2. Volver a la posici6n
inicial.

Repetirlo de 10 a 20 veces, en series de 5.
























Elevaci6n lateral de los brazos
POSICIQN De pie, pies paralelos.
MOVIMIENTOS 1. Elevar lateralmente
los brazos al nivel
de los hombros, pal-
mas hacia arriba,
inspirar con la na-
'riz y contraer los
mfisculos abdomina-
les.
2. Palmas hacia abajo,
volver los brazos a
la posici6n inicial,
expirando.
Repetirlo de 10 a 20 veces.






M UQHAS personas llevan una vi-
da sedentaria. Cuando los efec-
tos del sedentarismo no son controla-
dos por un ejercicio saludable y una
adecuada alimentaci6n traen como con-
secuencia muchas enfermedades. Pue-
den hacerse nueve grupos de estas
enfermedades: inapetencia, digestio-
'nes perezosas, poca asimilacidn, mala
circulaci6n, constipaci6n, flaccidez
muscular, debilidad cardiac, cansancio
cerebral con su consecuente desequili-
brio nervioso y depresi6n del espiritu.
;Cudn grande es este grupo de enfer-
medades contra las cuales debemos lu-
char!
Pero consudlese con esta idea, cual-
quiera que sea su dolor, el ejercicio
puede vencerlo. De:r6telo con el ejer-
cicio. Busque aire puro, sea regular y
sistemitica en su ejercicio y beba mu-
cha agua.
Pruebe que este folleto puede serle
iitil en la vida.

244008 JUAN H KIDD Y CIA.





EJERCICIO DE LOS PIES
Para la debilidad de la curvatura longitudinal.


A B
Levantamiento del borde interior del pie.
POSICION De pie con los pies paralelos. A.
MOVIMIENTOS I. Levantar el borde interior
de los pies hacia arriba'y
afuera, los talonesy los de-
dos de los pies fijos en el
suelo, rodillas derechas. B.
2. Volver a la posici6n inicial.
A.
Repetirlo de 10 a 30 veces, descansando. cada
series de 5.
Nota: Todo ejercicio debe ser hecho en medias
o descalzo.
Serle I B-2


















Copilados por la Comisi6n Directiva Nacio-
nal de "Y. W. C. A." de los Estados Unidos
y publicados por ia Comisi6n Continental
de la Asociaci6n Cristiana Femenina.
Buenos Aires, 1922





POSITION
Para camin.r










p t




Incorrecta Correcta

Caminar en actitud correct. Al caminar, los
pies deben estar paralelos y los brazos ba-
lancearse a los costados ligeramente.


Serie I A-2



















Copilados por la Comisi6n Directiva Nacio-
nal de "Y.W.C.A." de los Estados Unidos
y publicados por la Comisi6n Continental
de la Asociaci6n Cristiana Femenina.
Buenos Aires, 1922
























Levantamiento del pie.


EJERCICIO DE LOS PIES

(Para la debilidad de la curvatura longitudinal).

POSICION De pie, con las puntas de los pies
juntas, los talones bien separados

MOVIMIENTOS- 1. Levantar la punta de
los pies, manteniendo los
talones en el suelo.

2. Bijarlas.

Repetirlo de 10 a 30 veces, descansando cada
series de 5.

Nota: Todo ejercicio de los pies debe ser hecho
en medias o descalzo.
Serie I B-1












Copilados por la Comisi6n Directiva Naco-
nal de "Y. W. C. A." de los Estados Unidos
y publicados por la Comisi6n Continental
de la Asociaci6n Cristiana Femenina.
Buenos Aires, 1922





POSITION
Para sentarse


Incorrecta Corrects
Recostarse con la parte inferior de la co-
lumna vertebral contra la silla.
,Modo de inolinarse


Incorrecta Correcta
Inclinarse a partir de las caderas y no de la
cintura o la nuca.
Serle I A 3


















Copilados por la Comisi6n Directiva Nacio-
nal de "Y. W. C. A." de los Estados Unidos
y publicados por la Comisi6n Continental
de la Asociacion Cristiana Femenina.
Buenos Aires, 1922





EJERCICIO CONTRA LA CONSTIPACION
(Este ejercicio debe hacerse por las mafa-
nas y las noches despuds de haber
evacuado la vejiga)












Sentada, circunducci6u del tronco.

POSICION Sentada con las piernas se-
paradas, manos en las ca-
deras, tronco flexionado ha-
cia adelante, espalda dere-
cha.
MOVIMIENTOS 1. Girarel tronco ha-
cia la izquierda.
arriba, derecha y
abajo.
Hacerlo 5 veces seguidas.
Repetirlo hacia la derecha.
Repetirlo alternativamente 10 o 20 veces.


Serie I C-8


















Copilados por la Comisi6n Directiva Nacio-
nal de "Y. W. C. A." de los Estados Unidos
y publicados por la Comisi6n Continental
de la Asociaci6n Cristiana Femenina.
Buenos Aires, 1922





EJERCICIO CONTRA LA CONSTIPACION

(Este ejercicio debe hacerse por las maianas y las
noches despuds de haber evacuado la vejiga).

POSICION-De pie, brazos a los costados o
en las caderas, pies paralelos.

MOVIMIENTOS -1. Fle.~onar con energia
la rodilla derecha hacia
el pecho.

2. Posici6n initial.

3. Primer tiempo con la
rodilla izquierda.

Hacerlo alternativamente en tiempo de march,
10, 20 o 30 veces.
Serie I C-2.


Flexi6n alteruada de la rrdilla.












Copilados por la Comision Directiva Nacio-
nal de "Y. W. C. A." de los Estados Unidos
y publicados por la Comisi6n Continental
de la Asociaci6n Cristiana Feinenia.
Buenos Aires, 1922





EJERCICIO CONTRA LA CONSTIPACION.

(Este ejercicio debe hacerse por las mafianas y las noches despues de haber
evacuado la vejiga)








Flexi6o de ambas rojillas cou presidn de brazos.

POSICION-Acostada de espaldas, rodillas flexionadas, pies descansando en la cama
o en el piso, brazos cruzados ligeramente sobre Ml abdomen.
MO\IMIENTOS-1I. Flexionar energicamenle ambas rodillas sobre el pecho.
2. Posici6n inicial.
Repetirlo 10 o 20 veces en series de 5.
Serie I C-6.












Copilados por la Comisi6n Directiva Nacio-
nal de "Y. W. C. A." de los Estados Unidos
y publicados por la Comisi6n Continental
de la Asociaci6n Cristiana Femenina.
Buenos Aires, 1922





EJERCICIO CONTRA LA CONSTIPACION
(Este ejercicio debe hacerse por las mafia-
nas y las noches despuds de haber
evacuado la vejiga)


Flexi6n de ambas rodillas.


POSICION Acostada de espaldas con
las rodillas flexionadas; los
pies descansando en el suelo
o la cama.

MOVIMIENTOS I. Flexionar en6rgica-
mente ambas rodi-
las sobre el pecho.

2. Posicidn inicial.

Repetirlo 10 o 20 veces en series de 5.


Serie I C 5


















Copilados por la Comisi6n Directiva Nacio-
nal de "Y. W. C. A." de los Estados Unidos
y publicados por la Comision Continental
.de la Asociaci6n Cristiana Femenina.
Buenos Aires, 1922







DESORDENES MENSTRUALES


Ejercicio de la Dra. Mosher.


POSICION-Acostada de espaldas con las rodillas
flexionadas y los .pies descansando
sobre el suelo; las manos descansan-
do sobre el bajo abdomen.


MOVIMIENTOS-- Elevar el abdomen.

2. Relajarlo.


3. Contraer el
con fuerza.


abdomen


4. Relajar el abdomen.

Repetirlo ritmicamente sin violencia, 10 veces.


Serle I D-3




















Copilados por la Comisi6n Directiva Nacio-
nal de "V. W.C. A." delos E-tados Unidos
y publicados por la Comisi6n Continental
de la Asociaci6n Cristiana Femenina.
Buenos Aires, 1922





EJERCICIO CONTRA LA CONSTIPACION

(Este ejercicio debe hacerse por las mananas y las noches despuds de haber
evacuado la vejiga)





Acostada, flexidn alternada de la rodilla con presi6n de brazos.

POSICION-Acostada de espaldas, piernas derechas, Ics brazos cruzados ligeramente
sobre el abdomen.
MOVIMIENTOS- I. Flexionar con energia la rodilla derecha sobre el pecho.
2. Posici6n inicial.
3. Primer tiempo flexionando la rodilla izquierda.

Continuarlo alternando 10, 20 o 30 veces.
Srrie I C.4












Copilados por la Comisi6n Directiva Nacio-
nal de "Y. W. C. A." de los Estados Unidos
y publicados por la Comisi6n Continental
de la Asociaci6n Crisriana Femenina.
Buenos Aires, 1922





DESORDENES MENSTRUALES


Manos, rodillas-hamacindose hacia adelante y atrds.

PO3ICION De rodillas, el tronco flexionado hacia adelanie hasta que el pecho toque
las rodillas, brazos extendidos paralelamente hacia adelante con las
manos descansando sobre el suelo.

MOVIMIENTOS- 1. Llevar el tronco hacia adelante y hacia el suelo, extendiendo
las rodillas y flexionando los codos.

2. Volver a la posici6n initial.

Repetirlo de 5, 10 a 15 veces.
Serie I D-2











Copilados por la Comisi6n Directiva Nacio-
nal de "Y. W. C. A." de los Estados Unidos
y publicados por la Comisi6n Continental
de la Asociaci6n Cristiana Femenina.
Buenos Aires, 1922












V0 Triangulo Aztl
,Bolitiri Mensal da Associagio Christa Feminina.


Tiragem 2000 exemplares Largo da Carioca, 11 Telephone Central 8 e 9

ANNO III Rio DE J&NEIRO, NOVEB'E5BR DI. 1923 NUM. 10


HUMERO DElOCADO AO DEPARTMENT DE CULTURALA OA SAU'DE"


CALENDARIO 9


Dia 6 T, i,-f ,r, ds 15:30 horas
Festival do Departamento de
Cultural da Safide, no salo do Rio
de Janeiro Athletic Association, ai
rua Figui-ir: de Mello, 456 Sio

^ 'i ,, .
lii.' 8 Qi.iitii-f.: a is 15 horas
ReuniAo da Directoria.
D.i, 10 -- Sababdo das 14 ds 19 horas
Eleig o.
)i-i 10 Sabbado das 13 ds 18 horas
Miss King aguarda a visit de
suas amigas.
lDi.s 22 e* 29 Q lIilIri-fi irusI ds 20 ha-
ruo Club Spnak Eiiglisj.


ANNUIDADES VENCIDAS

Si este espago f6r assignalado
cor um signal vermelho indicard que
esta vencida a vossa annuldade. Vinde
renoval-a no escriptorio da A. C. F.


Commiss&o do Departamento de
S Cultura da Sadde
Mme. Klara Korte.
Mmne. Edla Caminha.
Mme. Joanna Salleiro.
Mmn Olga Penalva da Costa Junior.
Mlle. Mary Vianna Dias.
Mille. Elizabeth Hixson.
anri.. Ethel Bertram.
Mmne. Gladys Perrett.
Helen E. Rockwell Directora.
Dra. Iracema Freitas Medica.
Mlle. Adalinda Dias Pianista.
Oursos:
Para Moqas e Senhoras:
Gymnastica Rhythmica.
Jogos.
G.C'ii, iusti.ca Individual.

i-'EST'I'VAL DO DEPA.IlT1'A F.N'I ) DE
CULTURAL DA SAtDE
A 6 do correwit este departamento rea-
lizari a d.,-lust.lri'ci de gymnastics ry-
thmica, tal como 6 feita diariamente por
suas .,ilIIIniS. Os e(-cl'i"'lti"o serao acom-
panhados de m.usicas api':ipri;il.s.
A entrada sers faiultativa s6mente is
senhoras e mocinhas. ujmedi:iite o ingroPsn.
cuji:' c1 rta a 3$0(i0, eti :i 'vehdt i h) 1.-
criplorio da A. C .F.

"







2 0 TRIANGULO AZUL


Despedida de MYRTH KING

.


Meus caros amigos do Brasil:
Nio you dizer "adeus", mas sim. "at.' a
volta". Ndo podemos ver o future, nem o
que Deus reserve para n6s, mas ficaria benm
triste se pensasse que nunca mais voltaria
a estas bellas praias brasileiras.
lim.a carta como esta 6 um meio muito
imperfeito para exprimir aos incus bons
amigos os sentiments do meu coragpo e a
m.inha sincera gratiddo por tudo que estes
5 annos me t6m proporcionado. Apesar
de minhas palavras nuo manifestarem o
que sinto, sei que meus amigos comprehen-
derdo sua significacao.
Em primeiro lugar, nunca poderei es-
quecer a hospitalidade e amizade cor as
quaes fui tratada no Brasil. Cheguei es-
tranha em terra estranha, m.as hoje tenho
a profunda convicqio de pertencer tam-
ben aos amigos d'esta terra. NIo conhecia


a lingua do paiz, mas nossa syniplthia nio
dependia que fallasse portuguez on ingl'z.
Estive long de m.inha familiar e v6s
me convidastes iAs vossas casas e me hospe-
dastes em vossos lares. For toda esta ami-
zade sou, immensamente, grata; tem.os; lado
a lado, trabalhado, brincado, pensado, du-
rante todos estes annos. Hoje, mais do
que nunca, o m.undo precisa de mutua com-
prehensdo e amizade entire as nag6es, e um
grande desejo de auxilio nilmii.i. N6s, so-
cias da Associagco ChristL Feminina, ido
devem.os pensar que tambem tomAmos nossa
parte nesta communhao de id6as e espirito
de Associagao?
Em segundo lugar, consider que o pe-
riodo de 5 annos, vividos aqui, constituc
l:, 'ti,:I:rl: la l:, para mim, um.a experien-
-i: qu abr :i novos horizontes. Quando
os ideaes e os costumes dos povos slo diffe-
rentes, os pontos de contact nos abrenm os
olhos e fazem que n6s pensem.os mais pro-
fundamente.
NZo ha mais razdo para fazermos as
coisas porque nossos paes as faziam; e nem
tampouco acceitar outras porque elles as
acceitavam. Devemos pensar para n6s, in-
dependentemente. NiA:, eCra verdade que
o pensamento er-aldor i- uma comnpri-el-n.sl;ii
tolerante das opini5es dos outros apressa-
rao o progress mundial? Unamo-nos, pois,
com esforgos efficazes, apesar de todas as
incoherencias que perturbam a humani-
dade.
N'uma cidade tdo cosmopolita como 6
o Rio de Janeiro, n'um.a associaqao como
a nossa, que represent tantas nacionalida-
des, tantas classes, tantas religi6es, ha
abundantes opportunidades para alargar o
nosso horizonte mental e moral, como n6s
desejamos que este horizonte se ,alargde
at6 alcanqar o mundo inteiro!
Em ultim.o ponto, meu trabalho aqui
terh me proporcionado os mais vivos praze-
res; sem duvida temos tido grandes obsta-
culos a veneer e uma falta de comprehen-
sao do character profundamente christio do
nosso servigo, mas as difficuldades nunca
faltam em qualquer trabalho e nada se al-
canga sem a resolugao de veneer e nao ser








0 TRIANGULO AZUL 3


vencido. As montanhas no caminho sao s6-
mente um desa-fio. E que alegria sentimos
quando alcangamos o cume! As collins
do Rio nunca se apagario da minha memo-
ria; algumas eram bem ingrem.es e diffi-
ceis, mas esse esforqo para subir 6 recom-
pensado pelo descortinar do bello panorama.
Esquecen.o-nos, entao, immediatamente da
subida, quando vemos a belleza da vista.
Muitas moqas t.m subido estes montes
cormigo e juntas temos avistado o future
glorioso para as mocas brasileiras, de mo-
do que, ao apresentar minhas despedidas :is
menores dos clubs e As amigas em geral, sei
que o trabalho permanecerA e continuarA.
c que todas subirdo outras montanhas e al-
cancarlo vistas ainda mais deslumbrantes,
Dou gracas a Deus pela vida de cada
pessoa a quem m.e dirijo pi.:r esta carta e
peco que Elle vele por todas e por mim em-
quanito estivermos separadas.
Corn elevada estim.a, subscrevo-me,
Myrth King.
BAZAAR
At the last meeting of the BOARD of
the BAZAAR until DECEMBER 14th
the BAZAAR until DECEMBER 14 th
and 15th in order to bring it nearer to
XMAS. We are most anxious to make
this a success in every way. We must make
a special effort at this time and at thb"
occasion to make enough money to pay off
a debt of 3:600$000 which is owing to an
individual who loaned it in ain i-e., _u-i:-'
to meet some of our heavy expense for
installation. The postponement gives a
little more time for plans and for arrang-
ing contributions suitable for a Xmas Ba-
zaar. It is warm and it will be hot. This
makes a very good alibi and there are milany
others but if everyone will do their little
bit with the true Xmas spirit it will b( a
success.
Secretaries go to Buenos Aires for
Biennial Conference
Miss Barbara Ripley, Miss Helen Vo-
gler, and Miss Helen Rockwell leave on
November 9th for Buenos Aires to attend
the Seond Biennial Conference of the
Y. W. C. A. of South America.


O ABC DA SAUDE
PELO DR. J. P. FONTENELLE
Vou falar da saude. Por isso espero ser ou-
vido corn a melhor attengdo, pois o assumpto 6
nuito important.
Uma boa saude 6 a maior riqueza que Iod'-
mos ter na vida. Quando se tern saude tuo
parece bom, facil e agradavel, sendo a vida un
verdadeiro goso; quando nao se e sadio, vS-sO
tudo mao, difficil, aborrecido e a vida 6 um tor-
mento.
NRo p6de haver grande nacao si seus habi-
tantes nao forem individuos sadios, fortes c
trabalhadores. E' precise que cuidemos todos
de nosja saude, para podermos trabalhar e,
corn o nosso trabalho, fazermos o Brasil rico,
respeitado e feliz. Quasi toda a gente esta con-
vencida que e perfeita de corpo e ten boa sau-
de. A guerra mostrou que metade dos ho-
mens em idade de servir como. soldados, na Eu-
ropa e. na America do Norte. nao era perfeita.
Entre n6s ha fortes indicios de. que a sitduaQo
seja bem peior. A saude ter graos: muito boa,
boa, soffrivel, min, pessima. Temos obrigaefut
de procurar melhorar sempre, pelo que e indlis-
pensavel conlecermos pelo menos o "A B C' da
saude".
Muitas pessoas pensam que nio s precise
aprender como adquirir. manter e mnellorar a
saude. Isso 6 puro engano, pois. somente agora
comeamnos a comlprehender certos factors que.
se passam em n6s. Nosso corpo funcciona tal
equal uma machine. Ninguem dirf que nao seja
precise aprender como fazer trabalhar umna ma-
china, cor a menor despesa, o maior e melhor
resultado e a mais longa duraqco. lois os me,-
mos principios devem ser applicados ao corpo
human: precisamos cuidar do combustivel para
a machina (carvio. lenha, gazolina, nos moto-
res communs alimentos, na machine huma-
na); precisamos conserval-a em bom estado
(azeital-a, limpal-a, examinal-a, o que se faz
com o corpo por meio de cuidados corresponden-
tes); precisamos dar-lhe repouso, nao a fazenido
trabalhar excessivamente; precisamos tambenm
nio deixal-a muito parada, para que nao se en-
ferruge (e e assim tambem com o .'..,.. hu-
mano).
Os alimentos sao, como expliquci, o carvao
c a gazolina da machine humana. I)uas gran-
des funcqSes tem os alimentos no nosso corpo:
dao-nos calor e fornecem energih para o traba-
lho (trabalho do coragio, do estomago, dos mus-
culos, do cerebro, etc.), ou serve para refazer
as parties que diariamente se gastam e para au-
gmentar o tamanho do corpo no crescimento.
Todos os alimentos no' sb.o iguaes, tendo effoi-
tos differences e indispensaveis:, carne, leite,
ovos, feijio, gorduias, batatas, farinhas. pao.
legumes, frutas todos sao necessarlos, pois
cada um tem sua functS'o a preencher.
Ninguem deve usar sempre os mesmos ali-
mentos. A care, a leite, os oves e o zir l.;









4 0 TRIANGULO AZUL


sao alimentos reparadores dos gastos de nosso
corpo; as gorduras, as batatas, as farinhas e o
pio sao sobretudo fo':rn,:ce-dcres. de calor e de
energia; os legumes e as frutas trazem para o
corpo mineraes indispensavels, entire os quaes
ferro para o sangue, e certas substancias de
immense valor para regular e augmentar o ef-
feito dos outros alimentos. Essas substancias
absolutamente indispensaveis ao crescimento e
a boa saude existem principalmente no leite, nos
legumes frescos e nas frutas. Leite, legumes e
frutas, frutas, legumes e leite nunca devem
faltar na alimentag.o de cada dia. Variar os
alimentos, preparal-os corn simplicidade, co-
mel-os em horas certas, corn calm e mastigando
bem, els o segredo da boa rligsti;., e do me-
Ihor aproveltamento nutritive.
Nenhuma machine p6de funccionar bem sem
limpeza constant de todas as suas parties e sem
cuidados para que nao se desarranjem. Assim e
tambem o nosso corpo. Para que a pelle seja
mantida em born estado e indispensavel o ba-
nho diario corn sabio. Para que os dentes nao
se estraguem e assim possam bemr produzir o
seu trabalho de mastigaglo 6 necessario que se-
jam escovados de manhl e & noite, por fdra,
por dentro e pela parte que mastiga. Para que
conservemos bernm a nossa vista e indispensavel
sempre trabalhar, ler e escrever em lugar claro,
ser que a luz bata directamente sobre os olhos.
Para que nosso ouvido se mantenha perfeito 6
precise que evitemos de ferir o seu interior comr
palitos, grampos ou outros corpos extranhos e
que fagamos examiner esse orgao important,
por medico especialista, quando houver dor ou
corrimento. Assim por deante. Toda dpenga
deve ser cuidada logo em comego, procurando a
pessoa ser examinada e tratada por medico com-
petente. Ninguem deve tomar esses remedies
jA promptos na pharmacia e annunciados nos
jornaes como servindo para curar todos os ma-
les. Nao 6 verdade que tenham tal effeito! As-
sim se gasta muito dinheiro, emquanto o mal ca-
minha e as vezes se torna incuravel.
Multo important para a saude 6 o refresca-
mento do corpo. A queima do carvao na locomo-
tiva e da gazolina no motor do automovel des-
prende calor, sendo indispensavel nessas machi-
nas o emprego de apparelhos especiaes de re-
frescamento, para que nao se aquegam em ex-
cesso, produzindo diminuigro do trabalho until e
ate desarranjo do machinisn_ .\A'-imi na ma-
china humana, em que a utli.4acio *dos alimen-
tos desprende calor. Para que nio se aquega o
corpo em demasia existed um delicado system
de regular o seu refrescamento, conform. faz
frio ou calor e o ar esta parade ou ha correntes
de vento. E' pela pelle que L._mos de perder
calor e para augmentar esse effeito ella se hu-
medece, produzindo o suor. Quanto mais de-
pressa passar o ar sobre a pelle humida, maior
e o refrescamento, pelo que 6 excessive o effei-
to do vento forte quando se esta suado. Para
garantir o indispensavel refrescamento da ma-


china humana 6e nTii-i3a ij, .iu,. .i.'mln.n- o mats
pojssi.l do lade de f6ra das ca'e;. onde o ar 6
fresco, li re- e p6de ficar em movimento. Deve-
mos sempre dormir de .anellias abertas e usar
roupa leave e frouxa, pois que os lugares fecha-
dos e o vestuario abafado difficultam o refres-
camento da machine humana, diminuindo sua
capacidade de trabalho e impedindo que o corpo
se defend das doengas. Ar livre e sol formam o
melhor tonico do mundo. Valem mais do que
todas as drogas da pharmacia.
Machina que fica muito parada cria ferr.ugem
e se estraga. Quem nro faz exercicio, nio
anda, nao corre, nao nada, nro salt, nao faz
Cgmrnasti.: ou nro se di a desportos,.- estra-
g' i :ude ea encurta a vida. A saude exige mo-
viri:~,t:.. exige ar li\re E freco. exige agua fria
e sol. Viver sem. isso e viver como plant, de
estufa, criada por artificio. Para as mulheres,
principalmente, o exercicio, alem de saude, 'da
belleza. Sem exercicio a mulher tern de ser um
espeto de magreza ou uma bola de gordura.
Nunca ter& um corpo esbelto e de f6rmas mo-
deladas, como tinham as gregas antigas ou ain-
da hoje tem as bellas mulheres do centro da
Africa, vivendo em liberdade nas mattas. Exer-
cicio e repouso devem ser alternados com equi-
librio.
Ha um ponto important, antes de findar.
Sio os males contagiosos, as doengas que pe-
gam, que passam do doente para as outras
pessoas. Sao causadas por plants ou animals
extiemamente pequeninos, os microbios, -
que podem viver em nosso corpo, estragando a
saude e anniquilando a vida. A pulga e um
animal 500 milh5es de vezes menor que um boi.
0 microbio da tuielr, l.l.o uma plant apenas
duas mil vezes menor que uma pulga. A tu-
berculose, a -;. phiiil. a febre typhoide, as se-
zSes, etc., sao produzidas por microbios. Deve-
mos aprenlder a nro apanhar todos esses malej
evitando os microbios dos doentes que os espa-
lham. Precisamos combater as moscas, mos-
quitos, pulgas e percevejos, lue auiliam a dis-
tlil.ir o contagio de takes dli.crna-
Ao lado dos microbios ha tambem animals
maiores, como os vermes, ;Iu'- iui.o mal nos
causam. Uma das peores d,-Scra.,a: da nossa
gente da roga 6 a opilagLo ou amalrellio, doen-
ca da preguica, da molleza e do atrazo, que
quasi todos all apanham, porque nao tem priva-
das com f6ssas e andam de pse descalgos. Os
vermes estao nos intestines dos opilados, seus
ovos vio para a floor da terra e os filhotes que
delles nascem entran ptlai aell:- c ecalga, alcan-
gam os intestines e f:,.:om-in i urn doente.
Ha muito que aprerrJ,-r irnlda Chega por
hoje. Aos poucos precisamos nos adeantar no
"A B C da saude", para; sermos sadios, fortes,
trabalhadores. Quando o povo p6de trabalhar,
o paiz 6 rico, f po.,d,'_c..:.. e feliz. Quando to-
dos souberem o A B C da saude e sobretudo o
praticarem, o Brasil sera rico, o Brasil sera
forte, o Brasil ser& feliz.








0 TRIANGULO AZUL 5


ALPHtABTO PDA 5ADJ


A comega o uomo AGUA,
Els a bebida sem par.
No intervallo das coinidas
Sempre a devemos tomar.

B 6 pare escrever BANHO,
- o dever de cada dia -
kerve ao asseio do corpo
PE dA sande e energia.

C existed em CEo EAES,
Como o trigo, o milho e a aveia,
Nunca deixar de tomal-os,
No almogo. jantar on ceia.

D 6 da palavra DOCE,
Que as criangas da prazer,
be morango on de marmello,
On de ameixa p6de ser.

se encontra em ESTATURA,
Achada, sempre em' augmento,
Quando a crianga 4 sadia,
Tendo, assim, bomr crescimento.

F serve para ~rUTA,
1Laranja, banana on lima,
Na nutrigco da crianga
E' part de grande estima.


G 6 letra que nos lembra
Da GYMNASTICS o valor:
DA forga, prazer, saide,
Da resistenoia dA c6r.

H tem emprego sempre
Na HORA do dar oomida:
S6Edente assim p6e haver.
Refeigao bem digerida.

I existed em INSTRUCICAO,
Servindo bem a saide,
Para criar bonds costumes
Que a idade adult nao made.


J comega JANMELLA,
Sempro aberta, note e dia,
Quem este conselho segue
Tern vida long e sadia.

K nos lembra o nome KILO.
Ligado logo a balance.
Cada kilo 6 um pass certo
No progress da crianga.

L serve para LEITE,
Maravilhoso alimento,
Que torado todo dia
Garante um bomr crescimento.


M em MANTEIGA se encontra,
Sem a qual nio serve o pAo,
Junto ao leite, de manual,
Na primeira refeigqo.


N 6 usado em NUTRIIQAO,
A questao essential.
Si cuidados nfo merece
A crianga cresce mal.


() trem uso certo em O'0,
Este alimento excellent,
Que today crianga deve
Receber diariamente.

p serve em PROHIBZIAO,
Que a hygiene aqui langa,
De dar chl on dar cafe
A' delicada orianga.

Q trn emprego em QUITUTE,
Que a cozinha traz & mente:
V4-se o fogio muito Umpo
E a panella reluzente.


R apparece em REPOUSO,
Necessario a todos n6s,
Entre os jogos e os exercicios
E logo a comida ap6s.


S logo diz SABAO,
De emprego sempre indicado,
Nas mros, no corpo e no rosto
Deve ser bem esfregado.


T inicia TIJEI.LA,
Onde vos vem mais comida,
Seja leite on seja sopa,
Corn prazer 4 recebida.


U se emprega para USO,
Que do tempo bem-se faz:
Ella aprendendo a ser mae,
Elle, a ser until rapaz.


V 6 letra que se emprega
Para escrever VEGETAES:
Cenoura, nabo, espinafre,
A equal preferencia daes?


X lembra logo o XAROPE
Dos annuncios do journal.
Nenhuma crianga o tome,
Porque 6 veneno e faz mal.


Y comega YABA,
Que corre, com son irmdo,
Todo o dia no jardim:
Eis porque sadios sao.


Z ribomba em ZEPEMEIIEA,
Barulhento, sem ignal,
Pois que festeja a side,
Das coisas a principal.

E elf do Alphabeto o final








0 TRIANGULO AZUL


UMA LICAO DE-GYMNASTICA
POSIQAO PARA CAMIN HAR


a




k I















Deve-se caminhar em attitude correct. Ao
carninllar, os pes devem estar parallelos e os
,brailos b ilanQando aos lados, ligeiramente.

Exercicios dos p6s


'Para tornozelos fracos.
Posig~o: De pe, corn as pontas dos pes juntas. e
os calcanhares bem separados.


Movimentos: 1 Levantar as pontas dos pes,
mantendo os calcanhares no
chio.
2" Posieio natural.
Repetir 10 a 30 vezes, descancando cada so-
rie de 5.
Ndta: Todos os exercicios dos p6s devem ser
feitos em meias ou descalga.

Exercicios dos p6s


PosigHo: Sentada cor os pes parallelos.
Movimentos: 1 Flexio para -, baixo, cor
energia, .com os dedos dos
p6s.
20 Voltar Li posigLo primi-
tiva.
Repetir de 10 a 30 vezes, descangando de
cada vez.



Exercicios contra a prisio

de venture

(Estes exercicios devem ser feitos de manhi
e A noite, depois de ter esvasiado a bexiga.)
Posigio: Deitada de costas, joelhos dobrados e
os p6s poisados no chio.
Movimentos: 10 Respirar, contraindo ao mes-
mo tempo o abdomen. i
20 Expirar e :evni.t r o abdo.
men.
Repetir 10, 20 ou 30 vezes.










0 TRIANGULO AZUL 7


Outro exercicio


/


Outro exercicio


Posigao: Deitar-se de costas no chao on na ca-

ma, com as pernas esticadas.

Movimentos: 1] Dobrar o joelho direito.

movimentos rapidos.

20 Posiilo normal.

3 Repetir, dobrando o joelho

esquerdo.

Continue alternadamente 10, 20 ou 30 vezes.


Posigo: Em pe, com os bragos aos lados (ou
nas cadeiras), p6s parallelos.
Movimentos: 10 Dobrar o joelho direito atl
A altura .da cintura, rapidamente.
20 PosigSo normal.
3o Repetir com o joelho es-
querdo.
Continue alternadamente, com movimentos
rapidos, 10, 20 ou 30 vezes.

Outro exercicio


Exercicios geraes


Posigfo: Sentada com as pernas separadas,
maos nas cadeiras; flexao do tronco
para frente, corn as costas direitas.
Movimentos: Girar o tronco para a esquerda,
para cima, a direita e para bai-
xo, fazendo um circulo.
Fazel-o 5 vezes sem parar.
Repetir o circulo pela direita.
Repetir alternadamente de 10 a 20 vezes.


SBALANCAR -


10 De pe, com os pis separa-

dos e os braqos em posi-

iAo lateral ao nivel dos

hombros.


I-


I \


P
i i
i
I ~
I








r-
: `-~
r.
1

J









8 O TRIANGULO AZUL


20 Flexao do joelho direito.
tocando cor a mao direi-
ta o pE do mesmo lado.
S2 Esticar o joelho direito e
fazer flexio cor o es-
querdo, tocando corn a
ma.o esquerda o p0 do
mesmo lado.
Repetir de 5 a 10 vezes.



Exercicios geraes

SUBINDO A ESCADA -
1" Agarrar a escada cor a
Smo esquerda, flexao do
Sjoelho direito, collocando
f o p!6 direito sobre um de-
/ grau.
S 2 Subir, usando o outro
brago e a outra perna, do-
brando os joelhos bem al-
tos.
Repetir de 10 a 20 vezes.


Exercicios geraes


Exercicios geraes


BONECA DE MOLLA -
10 Ficar de p6, sobre as pontas dos
pes.
2 Dar um salto e ficar cor os pes
separados, juntando as maos no
cimo da cabega.
3o Juntar os p6s cor outro salto,
baixando os braqos.
Repetir de 10 a 20 vezes.


Posigio: De p6, corn os pes bem separados.
Movimentos: 10 Erguer os bragos pela frente
ate em cima.
20 Flexao do tronco para a
frente atO tocar no chao, conser-
vando os joelhos duros.
3 Levantar o tronco, cor os
bragos sempre para cima.
4" Posigao natural, baixando os
braqos devagar.
Repetir de 5 a 10 vezes..







0 TRIANGULO AZUL 9


Exercicios geraes


Posigio: Pes parallelos, pouco separados, bra-
gos aos lados.
Movimentos: 1 Levantar os calcanhares.
20- Flexao dos joelhos, bem pa-
ra baixo, costas direitas.
S3 Esticar os joelhos.
40 Abaixar os calcanhares.
Repetir de 5 a 10 vezes.
EDUCACAO DA SAUDE
SA Agua e o Ar
A Hygiene faz parte integrante da
nossa vida; precisamos de uma certa edu-
eagAo physical e algum conhecimento de
preceitos de hygiene para possuirmos os
elements para uma b6a sadde. Um am-
biente alegre e feliz s6 se consegue cor uma
vida em b6as condig6es physical, o que
poderemos adquirir no DepArtamento da
Educag o da Sadde, dirigido por Miss Ro-
ckwell, que nos proporciona cor facilidade
todos os meios para uma coompleta energia
physical. E' pela Hygiene de casa que de-
vemos comegar, sendo a agua e o ar puro
os principles agents para uma condiglo
normal no individuo.
O system hydrotherapico 6 usado ex-
terna e internamente como preservative e
restaurador da saide. A agua 6 geralmen-
te conhecida como simples product" de
limpeza, qiando devem ser conhecidos os
seus effeitos beneficos. A* agua estimula
todas as funeg6es do organismo. O ba-
nho quotidiano de agua fria, cuja acqlo


refrescadora 6 incomparavel, p6de ser tam-
bem substituido debaixo do ponto de vista
do asseio e do treino physico, pelo banho
de ar, acompanhado de fricg~es energicas
sobre toda a superficie da pelle.
Ber seria para todos, de preferencia
morar- f6ra. da cidade, onde ndo ha vizi-
nhos e o ar 6 mais puro.
Temos necessidade de ar, luz e agua e
saber principalmente utilisar a agua cor
proveito e prudencia. S6 se deve tomar
banho frio quando se ter o corpo quente.
Quanto mais suado estA o corpo, melhor
support a agua fria e mais resultado tira
da sua immersqo nella.
E' necessario tambem que nos interesse-
mos pelo exercicio em connexio corn a agua
e o ar. Toda mona devia praticar o pe-
destrianismo; todas deviam fazer gymnas-
tica (rhythmica), afim de evitarem muitos
inconvenientes.
Temos, portanto, obrigagqo de nos fa-
zermos fervorosos apostolos do Evangelho
do ar puro e preconisar a janella aberta e a
vida hygienica. E. Caminha.
PELA SAUDE

A said 6 o maior bem que possuimos.
Umia scienci'a; --a hygiene,-- se consa-
gra a proteger e melhorar a sadde e at6 um
congress de hygienistas acaba de reunir-se
no Rio de Janeiro, a cidad- por cuja saude
tafito fez Oswaldo Cruz.
Ao inaugurar o 10 Congresso Brasileiro
de Hygiene, pronunciou o Dr. Carlos Cha-
gas, director do Departamento Nacional de
Saide Publica, um discurso, que terminou
cor as seguintes palavras:
"Srs. hygienistas brasileiros: attentae
em que pela primeira vez se reune no Bra-
sil um congress especial de hygiene publi-
ca, facto auspicioso, que em si define o alto
grio de aperfeigoamento technico a que
attingistes. Attentae nisso, para consa-
grar, ainda uma vez, o nome do grande
creador da hygiene scientific no Brasil
e para 'b-,mdizer,-de joelhos, os beneficios
de seu genio, a influencia de sua vida so-
bre os nossos destinos.
Evoquemos, senhores, para veneral-o, o
norne de Oswaldo Oruz."









1 -0 TRIANGULO AZUL


Peso e estatura entire 10 e 16 annos
SEGUNDO O DR. J. P. FONTENELLE


Estatura


Peso


10 annos


1m,26




lm,30


a 1m,29


22 kg. a 32 kg.


11 annos.


a lm,34-


24 kg. a 34 kg.


12 annos


lm,36 a lm,42

m13 an:

lm,40 a lm,46


lm,47- a


14 anno

lm,50


15 -anno

lm,50 a lm,55:


16 anno


lin,54 a lm,60


'DANA E GYI
S'Em todos os tempos o c
Mnovimentos rythmicos e vey
f6i sempre grande attracgao
O desenvolvimento historic
da danga natural a danqa
indigenas as dangas sociaes
A raiz da cultural dos mr
(da danga) sdo as dangas
'corpo dos rapazes e rApariga
Ofazer do movimento cono
.-Relativamente tarde se-(
dangas indigenas as different
oas sociaes, mas sem. nellas
O desenvolvimento das p
danga social nio se faz em
Cada novo period cultural, t
mentos proprios a epoca,. m
complete as formas das dang
SA danga da renascenga tei
pletamente cerimonial. Elle


26 kg. a 37 kg.


acgco chela de cerimonias. A causa principal
d'estas dangas andadas 6 a phrase musical e
nao o pass ou a figure da danga. Assim pode-
se dizer que a epoca da renascenga teve uma
danga metrica.
S6 a dpoca do r6c6c6 6 que criou a verda-
deira danga social, a danga como centro da' vida
social, da vida em geral. 0 principal d'esta dan-
ca se compae ,de differences, mas itinariaveis
passes, posigees e figures. 'A danga do r6c6c6
tem regras como a gramrhatica. Todo o mui'do
danga e defxa danger para poder apreciar. :Co-
mo logo ficarem reconhecidos os effeitos thea-
traes da danga, agent comeCa a isolar as dan-
gas e leval-as da esphera do salao para ,crear
a danca artistic.
Assim se _desenvolve o bailado; uma especie
do jogp da danca: uma representacgo corn mu-
sica, porem sem palavras. A! dan.; do salQ e
do theatiro formam agora um- complete orgariis-
mo social. '- .


Como a grande revolug&o poz tudo em cinzas
8S e tudo socializou, ella tambem: socializou a dan-
ca. -A renascenga exigia que s6 gente da mes-
28 kg. a 40 ]kg. ma posicao social dangasse junto. Os pares das
dangas do-r6c6q6 tambem foram submettidos a
certas exigencias sociaes. Entretanto, depois da
S: revolucao, .qualquer um pode dangar corn qual-
quer uma e mudaIr o seu par tantas vezes como
30 kg. ,a 45 kg. quizer. A. dana circular se desenvolve cor a
repetigRo sem fim do mesmo pass; hilometros
e kilometros se fazem com o mesmo pass. As-
sim, a..daip.aperdeu today a animagao e: vida,r"f
restando simplesmente num exercicio gymnas-
36 kg.,, a 54 kg. tico muito rmoiotono. Multo tempo assim per-
*. maneqeu a.danea sem que novas creagSes fossem
-S ispiradas.
SAt&. que emfim no nosso tempo .surgiu: a
danga nova. .0 circulo qiur se fechar: A.dan-
40 kg. a 00 kg. marina n.:.,ierr,-n volta ao tempo da renascenga e
toma a phrase 'musical. como unidade, mas nio
MINASTICA danca somen.te..,metrica, como a renascqeng,. ou
.grj~imainr.:. a:.nio o.r6c6c6, ou. simplbsmente
orpo tem feito, com -_r'.,'i'-'i *:',:'n...:, romancismo, mas ella revive
stimentos artisticos, a musica.' A .i-i:,. nova forima o central entree
para a humanidade. a danCa"-antiga e a .pantomima; ella pass da
co da danga: se faz pantomima e/.quer ,approximar-se arte inven-
cultural, das dantas tiva. Assim se fala tambem dos quadros dan-
e theatraes; Cados. Estas.dangas, sao inspiradas pela music
oyimentos artisticos, e nao obedecem aos plans metrico., .A. d'aca
indigenas: jogos. do modern e mais que nunca uma .danga dos sen-
s, creado tanto pelo tinentos. A dangarlna modern e uma artists
jelo prazer da vida. da vida, o contrario de uma virtuose. No logar
lesenvolvem d'estas da antiga danqa .sem. personalidade, n6s temos
es formas das dan- agora a danga individual. .A danga nova.:tem a
s influir nem sup- origem no grande prazer inspirado r.elo. 0,: o li-
hases historicas- da vre do corpo.
uma ..linha recta. Agora surge a important- .I~itc C,_'on.:,'.-
em uns novos movi- faz uma dangarina, uma darn.;arin m.:...lrna?
as~ sem perder por Como se pode.adquirir a.capacidade para dangar
ia itt 1C existentes. estas dafigas novas?
m um character com- Ate agora se aprendia dangar como se apren-
*represeht ulrpa dit cozinhar ou fstenog.raphar. Pr,:.,ui;uAi-se pmay










0 TRIANGULO AZUL 11


.pessoa que tinha conhecimentos e comegava-se
a imitar, tao bem ou tao mal como se podia.
Mas a arte da danga exige um estudo muito
mais profundo, systematic e muito prolongado.
Ella 6 a arte do corpo; se serve como meio ex-
pressivo e artistic exclusivamente do corpo
himano. Ella exige um conhecimento profundo
do corpo e um exercicio continue. O corpo pre-
cita ser muito cultivado e exercitado, para poder
us~r os seus differences membros cor expres-
sao artistic dos sentiments proprios e inspira-
dos pela music. Para obter isso, a discipula
tern que comeqar corn a gymnastics. Toda a
danga ter como base a gymnastics. Mas nao
simplesmente a gymnastics para desenvolver o0
mi'sculos, por6m a gymnastics apropriada ao
cotlpo feminine, para Ihe dar forca, graga e f6r-
ma. O method antigo teve grande erros por
falta disto. Nas escolas de danga doutr'ora as
creancas comegavam logo a dangar; quero dizer
imitar os passes e posicSes indicados pela mes-
tra. Assim ellas aprendiam certa technical da
danga. MVas ellas dangavam sem alma, meca-
nicamente, como bonecas de corda. Faltava-lhes
a nota individual, a expressLo e a vivacidade.

A principiante nao deve logo comecar a dan-
car. Ella precise comecar cor exercicios phy-
.scos e nunca deve abandonal-os. Ella precisa
'azer gymnastics. Ella deve fazer uma gy-
1 nastica que Ihe ensine entesar e relaxar os
nusculos necessarios para cada fim e ter uma
respiragao direita. A mulher precise aprender
manejar o corpo em perfeita harmonica. S6 de-
pois do corpo ser desenvolvido em todas as suas
parties, ella sera capaz de reproduzir na danga
todas as impresses e todos os sentiments.

Depois' d'isto o corpo precise obter a capa-
cidade de transformer em movimentos os diffe-
rentes valores e as phrases musicaes. Elle pre-
cisa ter rythmo. Mas, como ella precisa trans-
formar em danqa nao s6 o rythmo da musical
como today pega musical, ella e obrigada tam-
hem a fazer nio s6 gymnastics rythmica como
gymnastics da danca.

Elisabeth Duncan fol inspirada por esta
grande Idea. Em sua escola as meninas devem
reviver a music. Cada uma conforme sua
aptidgo, de accord cor as inspiracqes dadas
pela music.

Assim, cada uma faz uma coisa original,
uma coisa different. E a music reune todas
ellas. Cada uma deve applicar na danca os seus
sentiments verdadeiros, conforme o coracfo
lhe indicar, o seu temperament exigir e o pra-
zer da danqa Ihe forgar.


MME. KLARA KORTE.


CONSELHOS PARA SAUDE

Dormir sempre corn as janellas abertas; o
ar puro d& um somno profundo e saudavel.
Fazer exercicios regularmente de manha, si
fOr possivel ao ar livre, sengo deante de uma
janella aberta.
Alguns simples exercicios, feitos s6mente
durante dez minutes cada manhl e noite, aju-
dam para conservar o individuo em boa condi-
Sio.
A maior parte dos exercicios agem directa-
mente sobre os orgaos interns, ajudam a di-
gestao, affectam beneficamente o figado e os
rins, expellindo assim do organismo os acidos e
venenos.
Beber muita agua ter um bom effeito na
prisao de venture, e nao esquecer o banho frio
diario. A agua fria 6 o maior meio de limpeza
internal e externa.
Andar a pD de manhg cedo 6 um esplendido
exercicio, si se usar sapatos confortaveis cor
saltos baixos.
Comer devagar e mastigar bem a comida;
assim nunca ter& indigestdo. A dieta leve corn
bastantes fructas e legumes 6 a mais benefica
para a saide do que muita care.
Deve se ter cuidado em ter a cabega coberta.
quando exposta ao sol, e evitar resfriados, o que
facilmente se apanha quando, cangada ou suada,
se exp6e o corpo a correnteza e ao vento.
A qualidade de comida que tormamos influe
muito em nossa pessoa; por isso 6 important
saber o qui e como deve-se comer.
A diet variada, em que entram os alimen-
tos necessaries ao organismo, 6 a melhor. Os
legumes, cereaes, toda a qualidade de saladas de
alface, repolho, beterraba, pepino, devem fazer
parte da alimentagqo diaria, porque contem
substancias indispensaveis A vida e & sadde.
Comer magas, torradas, alimentos duros, for-
talece os dentes. Deve-se comer em companhia
alegre e ter pensamentos agradaveis, porque
ajuda muito a digestao. Comer ao ar livre,
quando for possivel, pois ndo ha melhor tonico
do que o ar puro.
E' de muita importancia tomar as refeigdes
a horas certas. Tres refeioaes ao dia 6 o suffi-
ciente para uma pessoa normal. Nunca se deve
comer f6ra das refeices, a nao ser em caso de
doenga ou depois de violent exercicio.
O sol e o ar livre sAo os melhores remedies
que existem e sem os quaes nao podemos viver.
Onde entra o sol nao entra o medico, diz um
proverbio popular. Deve-se ficar ao ar livre o
maior tempo possivel; quando isto nao for pos-
sivel, estar em lugar arejado.
O exercicio muscular deve tomar o lugar da
medicine. Um asseio a pe antes de dormir darA
mals somno do que ler um romance. Para quem
soffre de prisao de venture, alguns exerciclos de
manha e & note daraio melhor resultado do que
laxativos, que enfraquecem cada vez mais a
accqRo dos intestines.







!2 0 TRIANGULO AZUL


E' multo grande a influencia da moral sobre
o physico e por isso devemos tomar bons ha-
bitos tanto physics como moraes. 0 success
na vida depend multas vezes de coisas que pa-
recem de somenos importancia, como a leitura
de bons livros, um genio agradavel, habits hy-
glenicos, assim como ideaes elevados.
Deve-se prestar grande attencao As roupas,
porque ellas tem uma grande influencia sobre a
nossa apparencia e safide. As roupas apertadas
t8m um effeito multo prejudicial, porque im-
pedem a circulagao e a livre accLo dos musculos.
Deve-se vestir conforme a temperature; uma
moga que usa um vestido decotado num dia hu-
mido e frio enfraquece a sua resistencia e e uma
victim facil dos:microbios.
NAo se deve tomar banho immediatamente
ap6s a refeigAo. Deve-se esperar uma hora
no minimo.
Um cabello bonito 6 o maior enfeite de uma
mulher. Todas podem conseguil-o se tiverem os
seguintes cuidados. O cabello deve ser lavado.
duas vezes por mez. Escovar o cabello corn
bastante forca uma vez por dia e fazer fricgao
na raiz dos cabellos. Isto faz a circulagRo do
couro cabelludo, crescer o cabello e evita a
caspa. As escovas e pentes devem ser lavados
uma vez por semana com ammonia.

Mlle. Mary Dias.
Mme. Perrett.
Mie. Bertram.
Conferencias das Secretarias
Estrangeiras

A 8 de Novembro p. v. as Secretarias
Misses Helen Vogler, Helen Rockwell
e a nova Secretaria Geral, Miss Barbara
Ripley partirio para Buenos Aires, afim
de tomarem parte na conferencia entire to-
das as colleges estrangeiras que trabalham
na America do Sul.
A ELEICAO
A eleic~o da Directoria realisar-se-A no
dia 10 de Novembro, das 14 As 19 .horas.
Contamos corn o comparecimento das so-
cias eleitoras, As quaes devemos enderegar
uma carta corn os esclarecimentos sobre a
referida eleigio.

A KERMESSE ADIADA

Attendendo ao accumulo de trabalho, a
Directoria da A. C. F. resolve adiar a
Kermesse, cuja realisagio serA a 14 e 15
de Dezembro p. f.


As socias e amigas poderAo, entretanto,
trazer as prendas desde jA, pelo que ficare-
mos muito gratas.


AGRADECIMENTO

A CommissAo do Departamento de Cul-
tura da Safde agradece, penhorada, is pes-
soas que tem collaborado gentilmente para
a realisagco do festival a 6 de Novembro.
Miss, Rockwell, Directora do mesmo
departamento, apresenta, tambem, A Com-
missao os mesmos agradecimentos.

Miss King partira em Novembro

para os Estados Unidos

E' con bastante pezar que noticiamos
a partida da primeira Directora do Depar-
tamento de Menores e Mogas da A. C. F.,
cuja vida entire n6s, durante 5 annos, foi
um incentive para o progress da Asso-
ciaq0o.
Miss King 6 amiga das socias da A. C.
F. e ndo ha quem desconhega o valor da
distinct moaa, tao querida, nao s6 como
Director das Jovens do Triangulo Azul,
como Secretaria organisadora, auxiliar de
Miss Batty.
Desnecessario 6 salientar os predicados
da bondosa companheira, porquanto tenha
ella as provas mais sinceras de todas as fa-
milias, cor as quaes privou e desenvolveu
o programma do seu departamento. *NAo
poderemos ainda affirmar sobre a data do
seu embarque.
A 10 de Novembro Miss King passarit
o dia na "A. C. F.", especialmente para
receber a visit das amigas e apresentar
suas despedidas.
Attendendo ao nosso desejo ella re-
servou esse dia para as socias, porque sera
impossivel visitor a todas, em suas residen-
cias. Pedimos A Commissao do Departa-
mento de Menores e Mogas que venha con-
ferenciar corn a Secretaria, Snrta. Corina
Barreiros, sobre a reuniAo que a Directoria
pretend realisar em homenagem a Miss
King.









0 TRIANGULO AZUL 13


"O DIA DA AMERICA"'

A 12 de Outubro o Departamento de Meno-
res e' Mr..;as realizou um grande festival, no sa-
lao nobre da Real Sociedade Club Gymnastico
]r" I luglu "
Transcreveremos aqui a rnuutic do "Correio
da Manha" e o programma iuohan,i. no "O
Paiz" e em todos os diaries da Capital:
"0 festival da Associagio Christa Peminina"
- O Departamento de Menores e Mogas da As-
-csar.',o Christa Feminina realizou hontem, a
noite, no salao de festas do Club Gymnastico
Portuguez, um festival promovido pelas jovens
do Triangulo Azul. A assistencia foi extraordi-
naria; o salao encheu-se de families e de pes-
soas gradas para assistirem ao festival, que
obedeceu a um grande programma, de que fi-
zeram parte monologos, c6ros, poesias e allego-
rias, nas quaes tomaram parte senhoritas que
se fizeram applaudir. A allegoria "'Promptas
para o trabalho", traduzida do inglez, que foi
bem interpretada, deixou magnifica impressao.
Durante o intervallo realisou-se a venda de
doces e flares, em favor da instituiqio."

PROG3AMMA

1- PARTE

1. Cantico original pelo Club Brasil America,
das Jovens do Triangulo Azul.
2. "Quem fol que disse" Monologo, pela me-
nina Jonadyr Mendes.
3. 'A Paz Universal" Pelas Jovens do Trian-
gulo Azul Paz: Snrta. Helena Lohman.
4. Declamaglo Prof. Maria Rosa Moreira Ri-
beiro.
5. COro "When the Heart Is Young" Por
um grupo de alumnas do Collegio Bennett,
dirigido pelo Prof. Albuquerque Costa.
6. Distribuiggo de anlieis symbolicos (premio
pelos deveres cumpridos conferido as Jo-
vens do Triangulo Azul), pela Secretaria,
Snrta; Corina Barreiros, representante da Di-
rectoria da "A. C. F."
7. Declamacqo Prof. Maria Rosa Moreira Ri-
beiro.
8. Plomlrru para o Trabalho" Allegoria es-
cripta em Inglez e traduzida por Mme. Elsie
Nascimento Machado.
Personagens:
Jovem do Triangulo Azul Snrta. Ines As-
terito.
Mocidade Brasileira Snrta. Yva Cerqueira.
Espirito da A. C. F. Snmta Zuleika Tel-
xeira.
E p;rito 'le Sadde Snrta. Eulalia Alves.
Espirito de Sabedoria Snrta. Noemia Fer-
raz.
Espirito do Espirito Snrta. Edna Perelra.
F.pirlto de Altruismo Snrta. Elly Sonnen-
feld.
Outras Jovens.


COro do Collegio Bennett.
Pianista Snrta. Luba Manducheva.
Ensaiadora Mme. John Pennington.

Discurso proferido pela Secretaria Corina Bar-
reiros, no festival das Jovens do
Triangulo Azul

"E' comn grande emogdo que venho attender
o convite da Directoria da A. C. F. e agradecer
as Jovens do Triangulo Azul pela realizagio
d'esta festa em beneficio da mesma instituigAd.
Esta reuniao 6 um depoimento da civilizagdo
modern, pois s6 entire os povos mais adiantados
a solidariedade e a interdependencia crescem
empre a media que o organismo se aperfeic6a
e ennobrece. Sim, porque a Associagdo Christa
Feminina recebe, neste moment, o apoio de to-
dos quantos collaboram no bello festival.
O intuito, pois, d'esta reunilo nao visa s6-
mente beneficiary a AssociagLo que se desenvol-
ve entire n6s: ter em vista a approximac&o de
todos os elements capazes para o progress ge-
ral, o contact dos espiritos que se dispdem &
pratica do bem pelo bem.
Como representante da Directoria da "A. C.
F." nao poderei deixar de salientar, neste mo-
mento, alguns pontos de vista da grande insti-
tuigio mundial, antes de desempenhar a incum-
bencia perante as Jovens do .Triangulo Azul.
Lamennto, entretanto, que a Directoria da
"A. C. F." nao acceitasse minha recusa e desi-
gnasse quem melhor pudesse desempenhar o de-
licado encargo.
De conformidade cor o seu programma, a
"A. C. F." se torna agora um campo de realisa-
c6es, obedecendo os ideas verdadeiros, basea-
dos no Christianismo. Mas o piano geral d'esta
organlsagHo nao dispensa as preliminaries da
Pedagogia, porque nio despreza a cultural com-
pleta da vida do individuo, homem-materia -
em relago corn o homem-particula divina.
Assim 6 que a AssociaQho procura cultivar a
Educagfo Physica, educagdo Intellectual, Moral
e Spiritual, corn os melhores methods de edu-
car.
Visa, pois, claramente, 4 parties: Cultura do
Corpo, cultural do Cerebro (intellecto), cultural
do Caraoter e do Espirito.
A vida assim constituida 6 a adaptaqio do
Individuo ao melo, e caracterisa-se pelo funccio-
namento mals ou menos perfeito de todos os ap-
parelhos e por essa troca constant entire o ex-
terior e o interior.
E' desnecessario repetjr o que, no seu ponto
de vista, ter feito a A. C. F. Desenvolvendo o
programma de cultural physical, a Associagio
ter promovido conferencias taes como t8m
sido feitas pelo illustre Dr. Fontenelle e por ou-
tros medicos e educadores. Mant6m um depar-
tamento especial para a Cultura da Satide e um
bem installado Restaurante.
Para a cultural da intelligencia mant6m o
seu Departamento Intellectual, assim como pelo









14 0 TRIANGULO AZUL
1


Departamento de Menores e Mocas aperfeig6a o
character e os sentiments.
Attendendo ainda ao dever de collaboraqgo e
ao espirito de auxilio mutuo faz o que p6de
em pr61 da felicidade e do bem estar das suas
associadas e da collectividade em geral.
Educando as Jovens, desperta, em cada uma,
o ideal de comprehender o conjuncto da sua pro-
pria personalidade e o interesse que a moga
deve manter pela familiar a que pertence e pelo
progress do meio onde vive. As "Jovens" com-
prehendem, portanto, o valor d'estas palavras
de Jesus: "A nossa vida 6 mais do que alimen-
to." As "Jovens" vivem do mundo exterior, po-
rem nao desprezam nunca o pensamento da ver-
dadeira vida.
A educag.o das "Jovens" 6 natural, simple,
pratica, porque, nao confiando s6 na natureza,
ellas devem reforgar o corpo e aperfeiqoar,
quanto possivel, a alma. Baseadas, portanto, no
verdadeiro regimen education moral e spiritual
estas mocinhas procuram fundir os seus sen-
timentos disperses, annullando os males que
desfibram a energia e amollecem o character.
Em cada uma ha a scentelha creadora que
6 a consciencia da forga e da bondade uma
corrente de solidariedade, de enthusiasm, que
as congrega na mesma aspiragdo. A Associagiio
Christi Feminina, sendo destinada a todas as
classes, para todas as nacionalidades e para to-
das as crengas, procura entrelagar todas as na-
gses pelo mesmo ideal de paz. E' a instituiio
christa, cuja grandeza reside na simplicidade da
parabola e na magiiificencia da f6; 6 como a
grande arvore que se estende pelo inifinito, fi-
xando suas raizes na consciencia do bem e na
ancia da Perfeig o: sua fronde toca a belleza
spiritual e eterna.
Gentis amiguinhas: E' bem important a
investidura que neste moment recebeis.
O vosso encargo 6 promover o progress, a
vida e a felicidade do lar: 6 o trabalho de dedi-
cacio e de patriotism. Deveis prestar esse ser-
viqo com o vosso espirito, cor o vosso coragoo.
Sereis bellas no vossa mocidade e na vossa
vida complete: corpo forte, safde, robustez,
energia. Serels as mensageiras do sorriso sin-
cero e da harmonia. Tereis assim a visao per-
feita da Perfeigio e da Altura! Cada qual dei-
xard o seu rasto luminoso ajudando, traba-
lhando, at6 que na Terra a vida seja mais suave.
Aqui tendes o premio, o merecido premlo
pelos vossos esforgos e pelo exacto cumprimento
de deveres.

O Departamento de Menores e Mogas da
A. C. F. offerece as "Jovens do Triangulo Azul"
este annel: o symbol do mesmo Triangulo:
igual na mente, no espirito e no corpo. E' a
igualdade das 3 faces do Triangulo.
3is senhores e senhoras, a synthese elo-
quente do Triangulo Azul.
E porque, queridas Jovens, vos 6 offerecido
este annel? Que deveres soubestes cumprir?


Melhor do que n6s (eipectadores nesta solemni-
dade) podereis risporJ-r
Cumpristes 25 deveres (ganhando pontos de
saide), como, por exemplo: dormir com as ja-
nellas abertas durante 2 mezes, fazer exercicios
ao ar livre, manter boa safide corn as regras
de evitar molestias beber 5 copos d'agua por
dia, etc. Cumpristes tambem 25 deveres de co-
nhecimento: taes como: cozinhar pao e bolo,
preparar sopas, care, legumes, etc., por diver-
sas f6rmas e com economic. Passar roupas a
ferro, tirar manchas de diversos tecidos, arran-
jar a casa, tratar de doentes e de criangas; ve-
rificar si o leite 6 puro, interpreter os vagidos
das criancinhas, cultivar as artes e a Historia
Patria, conhecer as leis do Paiz, principalmente
as que interessam A familiar; trabalhar com ale-
gria e perseveranga.
Cumpristes ainda 25 deveres de espirito, co-
mo os de auxiliar no lar; nRo pedir roupas ou
dinheiro emprestado. Auxiliar voluntarlamente
uma instituig.o como a Cruz Vermelha, A Cru-
zada contra a Tuberculose, a Llga Contra o
Analphabetismo, no Instituto de Proteaeqo a In-
fancia, aos hospitals, a Associagto Christ. Fe-
minina.
Organisar divertimentos na intimidate da
familiar para o goso dos paes e dos irmilosi-
nhos; ensinar a criada a ler e escrever. Fazer
e vender trabalhos mrrnuaes para ajudar & fami-
lia ou aos necessitadbs. Mostrar-se sempre di-
gna de confianca e responsabilidade nao s6
pelas palav.ras como pelo desempenho dos deve-
res. Tomar nota quando falar com mau humor;
ouvir sempre 'carinhosamente os conselhos dos
Paes e dos Professores; conhecer a vida de Je-
sus.


Senhores, senoras: Estas "Jovens" con-
servam suas cadernetas de notas cujos pon-
tos foram contados e os algarismos provaram
que as possuidoras das respectivas cadernetas
mereceram o premio que Ihes 6 conferido hoje.
Tenho, pois, o grande prazer, a felicidade de
sentir a emocgo de offerecei este annel a cada
uma. E' o 6lo do Bem a estabelecer a cor-
rente da Fraternidade.

(Neste moment foram chamadas as seguin-
tes "Jovens", que mereceram o premio de um
annel symbol do Triangulo Azul):

Snrta. Carmen Carvalho organizadora e "lea-
der" do Club Esperanga 1921-1922.
Snra. Elvira Mendes organizadora e "leader"
do Club Brasil-America, organizado a 7 de
Novembro de 1922.
Snrta. Leonor Martins president do Club
Esperanca. Faltou apenas 4 vezes as re-
uniles dos clubs, durante 3 annos. Tornou-
Sse Jovem do Triangulo Azul em Setembro de
1921. Ganhou o 1o grau,







0 T'IANGULO AZUL 15


Snrta. Yva Cer.lieLra social fundadora do
Club Espe~r.'nia, il.-de 1i de 1iTa]: de 1921.
G.nhlo.u 0 10 grau
Snrta. Mara Emilia Patricli socia funda-
dora do Club Espe-rarir.. .esde 18 de Malo
de 1921. Ausent ,e-',mnwril 6 vezes, durante
3 annos. Ganhou o 2 grau.
inlnri Irene Lemos social do Club Gemines
de i rirtroy. desde Nov.-nemro de 1921. Se-
oretaria actual, 10 grau.
Snrta. A.nnita Ferraz pre.simcnter do Club Pa-
tria ova organizadora, desde Julho de
1922 20 grau. Freqlenit.. desde o prin-
cipio, de 100 '01.
Snrita Edna Pereira social fundadora do Club
ColomLni. organizado em Maio de 1921. Se-
critarii actual, promrpta para o segundo
grau. Faltou s6mente a 4 reunites, durante
3 annos.
Snrta. DDinah Leite president do Club, Colom-
bia entrou como socia em Agosto de 1921.
Faltou s6mente a 3 reunites, durante 3
annos.
A Secretaria Corina Barreiros terminou as-
sim o seu discurso, por entire prolongada salva
de palmas:
"Queridas "Jovens": o vosso ideal e muito
elevado; nio deveis receiar os caminhos que 1I
conduzem, por mais difficeis que sejam.
Com os olhos para o Alto, subi, subi sempre
at6 o Cume do Verdadeiro Am6r!"
A solemnidade causou a melhor iiiloe, i3.
As pessoas presents, pois o trabalho das "Jo-
vens do Triangulo Azul" vem despertando a at-
tengro dos chefes de familiar que desejam collo-
car -suas filhas no nivel que merecem.
A 2" PARTE constou de uma comedia pe-
las alumnas da Escola Dramatica :Brasileira,
cuja representaCAo foi levada -~ol. *, i:;....i' da
sua president, Snra. Maria n-.jl .i.,iria Ri-
beiro.


A Directoria da "A. C. F." estO gratissima
pela collaboraglo do Collegio Bennett, ao Snr.
Prof. A. Costa, & Mrs. John Pennington, a Miss
Manducheva e a todos quantos souberam con-
correr para o bom exito do festival em com-
memoragco ao "Dia da America".


Miss M. King, na qualidade de Directora do
Departamento de Menores e Mogas, enderega
tambem os mesmos agradecimentos.


AS MTTNHAS IMPRESSES SOBRE A
AULA DE GYMNASTICS DA
A. C. F.

De todas as aulas que frequent na
A. C. F. a de que mais g6sto c a que mais
me diverted 6 a de gymnastics, nao s6 por-
que estou sempre alegre, devido a grande
camaradagem que existed entire todas as alu-
mnas, como pelo modo correct e distinct
cor que a nossa Directora nos da o seu
grande conhecimento sobre interpretacao
de music e gymnastics rythmica propria-
mente dita.
A par de todo este contentamento e ale-
gria que me dA esta aula de gymnastics,
eu teli o lucrado physicamente muito corn
ella, tenho os meus movimentos desemba-
ragados e leaves, sinto-me bem, son comple-
tamente outra, gragas a esta salutar aula.

Yara Brasil.
Rio, 9 de Outubro de 1923.




Ha sempre duvida sobre este ponto:
"Seri mesmo necessario fazer exercicios
pl,1 sir..,s para se ter boa saide?" E quan-
tas mocinhas frao'. pallidas, encurvadas,
desanimadas nao precisam de gymnastics
para sua saide, para fortificar seu orga-
nismo aiJ:rei-i.ido no descuido em que vi-
vem de si mesmo?! Por que nao frequen-
tarem, uma aula de gymnastics rythmica
para quem 6 fragil, sem desenvoltura e
muitos outros defeitos que tanto enfeiam
as nossas boas :n]iiga todos os defeitos do corpo, do m.odo de an-
dar, alem de al pri,.-itaini s a gvminu-ti-,:,
comn interpretagAo da music, que tanto
bemr faz ao nosso espirito.
Si sio gordas em excess poderio fre-
quentar outras aulas de gymnastics um
pouco mais forte, e em pouco tempo se sen-
tirfo levels e esbeltas.
Procurem o mais d:.lrie--a possivel a
gymnastics como element de side, vida e
n'i.t.iila, Ella imp6e o sufficient para







16 0 TRIANGULO AZUL


viverm.os corn alegria e sempre boa dispo-
sigAo para as lutas da vida.
Laura Duarte.

E' do grande utilidade fazer-se parte do
departamento de cultural da sauide.
A safde 6 o maior e mais precioso the-
souro que possuimos. Devemos empregar
todos os esforgos para conserval-a.
Toda a pessoa que desejar ter uma b8a
safide, desenvolver-se e fortificar-se, deve
fazer diariamente os exercicios physics.
Devemos educar o corpo corn o mesmo
desvelo corn que educam.os o espirito, por-
que a educagio do corpo 6 o segredo de uma
sauide perfeita.
Iracema ,F1;,i,..:, 1.
Rio, 9 de Outubro de 1923.

ODE TO POSTURE
Good Posture is an asset
Which very few possess
Sad to relate, the favored ones
Seem to be growing less.

We see the folks around us
All slumped down in a heap
And the way that people navigate
Is enough to make you weep.

Some elevate their shoulders
Some hollow in their backs
Some stiffen up their muscles
And some just plain relax.

The one who walks with grace and poise
Is a spectacle so rare
-; *. That even down on gay Broadway
S The people turn and stare.

If you would cut a figure
In business, sport or school
SJust mind the Posture Precepts
Obey the Posture Rule.
Don't thrust your head on turtlewise
Don't hunch your shoulders so
Don't sag and drag yourself around
No stylo to that, you know.
Get Uplift in your bearing
And strength and spring and vim
No matter what your worries
To slouch won't alter them.
Just square your shoulders to the world
You're not the sort to quit
"It isn't the load that breaks us down
It's the way we carry it".


DEPARTAMENTO

INTELLECTUAL

Continlia esse Departamento a funccio-
nar cor regularidade, dando sempre gran-
de resultado, corn todas as suas secgies.'
Em Dactylographia e St:-l.:igr.1aphii es-
tao matriculadas muitas alumnas.. JA ha
diversas aulas, nas ti-r.as, quartas e. sextas,
As 10 h., 11 h., 1 h., 2.h. e 3 horas. Ha
tamnbem aulas nocturnas as -ii-ii .~- e
quintas.
No mez passado terminaram o curso 10
r.moas, fnrzr-il.. estas provas excellentes. Os
diplomas Ihes sero. conferidos brevemente.
Estao .uito bem frequentadas as aulas de
Inglez; ha 6 cursos, para adiantadas, in-
termediario e principiantes. Mais um cur-
so para principiantes foi aberto, as segun-
das e quintas, das 4 As 5 horas, leccionado
por Miss Hixson.
Funcciona um novo curso de chapeos,
tendo as alumnas mostrado jA algum apro-
Veitam.ento.
Ah.llaiim-- abertas as matriculas para
C6rte e Costura, a cargo de uma compe-
tente professor, que ji traqou um optimo
program.ma, que pretend executar rigoro-
samente.
As aulas de Francez, Portuguez e Ha-
bilitagio continuam dando bons resulta-
dos, havendo. sempre novos pedidos de ma-
triculas. 0, Curso Nocturno de Habilita-
gco 6 frequ-iitr'lo p,:or muitas alumnas, as
quaes 1tn-r,. iipr:'grdiid.. bastante.

GREMIO MUSICAL

O,'ia;,l, especialmente para as social e
amigqas da "A. C. F."

Miss Elizabeth Hixson, nossa Secreta-
ria interina, auxiliada pela pianist Miss
Luba Manducheva, resolve organisar urn
gremio musical, afim de cultivar o Canto
na "A. C. F."
Sem, distincego de idade, todns as social
poderio pertencer a esse grewico, cuja inau-








0 TRIANGULO AZUL. 7


guirai;a serA a 3 de Dezembro, p.- f., as 14
horas, na sala da Asspciadcio..

Basta- que as candidates tenham bom
ouvido, vontade de cultivar a music e fre-
quentem assiduamente o curso de theoria e
solfejo.

Este curso funccionar6 aos sabbados,
das 15 As 17 horas.


A Gymnastica e a Esthetica

Gymnastica 6 a arte de dar ao corpo forga e
flexibilidade, por meio de exercicios apropria-
dos. Desde a mati remota antiguidade que os
povos comprehenderam a necessidade e a van-
tagem de exercicios c.-rprot.i-. nao s6 para o
desenvolvimento da forga e da satde, como para
o aperfeigoamento da belleza physical, alem da
sua comprovada efficiencia para corrigir consti-
tuigSes defeituosas e debeis. A cultural physical
tem tomado no nosso seculo notavel incremen-
to, e todos os governor se empenham em esti-
mular a sua diffusAo. Entre n6s, multiplicam-
se as associagSes desportivas, onde, de accord
corn as suas preferencias, mogos, velhos, senho-
ras e criangas praticam variados desportos. Os
exercicios; gymnastics propriamente ditos obe-
decem a varias escolas, que visam sempre o
mesmo fim, levando, entretanto, em conta a ida-
d e o sexo do individuo. A nossa mocidade
entrega-se cor enthusiasm A pratica do athle-
tismo, e os frutos desta preferencia J& podem
ser fartamente constatados. E as criangas? E
as senhoras? Ambas precisam de uma orienta-
gAo especial na pratica da cultural physical.
As senhoras sao as que tAm menos opportu-
nidade de cultival-a. Af6ra certos exercicios
ao ar livre, como tennis, natagao, etc., que nao
sao do agrado de todas, ha, modernamente,
grande tendencia para reviver og. rtenip:, gre-
gos, ministrando a educagao ply.-'i frtminina
por melos agradaveis, em que, embora cor em-
prego de energies, nao ha excess de fadiga,
visando-se particularmente a conservagao e o
desenvolvimento da esthetica. As dansas gy-
mnasticas tem felto numerosas adeptas, pois,
sendo um excellent exercicio, constituem igual-
mente um agradavel passatempo, em que a gra-
ga, a flexibilidade, a elegancia femininas tern
campo largo para se exercitarem, sem risco de
comprometter a sadde, antes fortificando-a.
As dangas gymnastics, corn outros exerci-
cios complementares, ja sao praticadas entire
n6s, e sao sobremodo indicados a todas as se-
nhoras ciosas da sua graga e da sua esthetica. A
Associagao Christa Feminina, que tAo uteis ini-


ciativas ter tido I pr61 das suas associadas,
possue tambem, sob a competent direcgLo de
Miss Brockwell, um excellent curso de cultural
physical, sob as mais modernas bases, e adequa-
do ao nosso meio e As nossas necessidades.
Minha querida Lais:
Aproveitando o bem estar de que me acho
possuida neste lindo dia de Setembro. lembrei-
me de escrever-te algumas linhas, falando-te da
magnifica Associacko Christa Feminina, de que
-ou associada.
NAo sei bem se jA ouviste falar dessa insti-
tuiqco utilissima, que, ha pouco fundada entire
n6s, promette tornar-se dentro em breve unia
associacao proveitosa e benefica. Bern p6les
imaginar o que tem a ganhar a mulher, reti-
rada dessa inactividade physical em que em ge-
ral vivemos e no cultivo de exercicios corporate
adequados e convenientes, tornar-se. forte e
capaz.
Quizera ter-te ao meu lado para transmittir-
te o meu enthusiasm sobre as aulas de gy-
mnastica que eu e outras amiguinhas estamos
frequentando, e ja sentindo os melhores pro-
veitos.
Talvez nao saibas que a falta total de exer-
cicios physics traz multas consequencias des-
agradaveis e As vezes furiestas.
Quanto mal estar e aborrecimentos sentimos.
As vezes, que nao sabemos explicar a origem?.
Na vida actual da sociedade 6 indispensavel
a gymnastics, que, alem de nos tornar fortes e
sadias, nos traz uma suave alegria de viver,
d ido-no4 coragem e disposicAo. P6de-se dizer
que a maioria dos males,'d.;ido A fafta de acti-
vidade, desapparece como por encanto quando. o
corpo produz diariamente uma certa porgio de
trabalho physico, e a gymnastics systematica
que a Associai.o nos ensina satisfaz plena-
mente essa necessidade.
E' justamente isto que eu e minhas compa-
nheiras ja estamos verificando,.e estou ancioba
que aqui chegues para ft'z.-er tambem pajte
dessas aulas, tAo sabiamente dirigidas por nqs-
sa Directora, que a uma grande delicadeza de
sentiments allia uma gentileza captivante e
distinctissima.
Quando aqui estiveres te direi muito mqis
do meu enthusiasm e satisfag&o, na certeza
absolute de que compartilharAs commigo a idea
muito elevada que fago da Associagcao Christi!
Feminina e dos esplendidos beneficios que ella
vem prestar entire n6s.
'Abraga-te com muita amizade,
Tua
Marunha.

Rio, 8 de Outubro de 1923.








A MACHINE DE ESCREVER
L. C. SMITH & BROS
a "sllenciosa" .Ae lpbra-
A machine da dactylographa
John Roger, Quitanda, 156 e 158.

MME. HORTENSE
HIGH CLASS FRENCH DRESSMAKER.
Fit and style guaranteed
AV. RIO BRANCO, 95 1st.
English spoken. N. 3579.

GREGORY & SHEEHAN

Late Of
MAPPIN & WEBB
Precious & semi-precious stones
At Lowest Prices
RUA DA ALFANDEGA 65 SOB.
Telephone Norte 5883

BRAZILIAN SOUVENIRS

CASA DO FIO DE OURO
126, Rua do Ouvidor, 126

TINTURARIA "LEAO "
Especialidade em lavagem de' vestidos de
luxo e flanellas.
RUA 7 DE SETEMBRO, 115
Tele. Central 75

PHARMACIA WERNECK
Grande Deposito
ESPECIALIDADES PHARMACEUTICALS.
R. DOS OURIVES, 5 e 7

MLLE. LUCIE CROPERE
(Couturiere Frangaise)
BUENOS AIRES RIO DE JANEIRO
Vestidos e reformas por qualquer figuring.
Telephone: Central 4757
RUA URUGUAYANA 22 sobrado
QUANDO PRECISAREM DE VESTIDOS
para Snler, lri. ~trhrrirr e Meninas: on En-
xovaes para Recemnascidos e Baptisados,
Pedimos procurar a casa
AGUIA DE OURO a una do Onvidor, 169

TOYS: BRINQUEDOS: JOUETS:

"VA LERIO"
A MAIS ANTIGA CASA DE BRINQUEDOS DO RIO
62, R. da Quitanda

Photographia dos amadores
R. PERDIGAO & Cia.
R. 7 DE SETEMBRO 82, 1.-Tele. C. 3626.
Your films developed and printed.
Revelagio, films e copias.


AILL KINDS OP BRAZII.IAN STONES
Charles Ohannan
LAPIDAQAO AMERICANA
Av Rio Branco, 7
BEFORE SELECTING YOUR HAT
call at Mrs. Bella Temple's
Rua Ouvidor 187 1st. floor
SHats imported and made to order.
English Spoken. N. 3180
RSAR ESTYLCe AV. RIO BRANCO, 131
The Best Remembrance of. Brazil Artistic
articles manufactured with the roots and lianes
of the Brazilian forest. Ornamental objects and
useful presents. Lamp shades wonderfully
transparent.

CASA CIRIO
Rua do Ouvidor, 18'3
Pine Perfumes, Soaps, Powders,
All kinds of toilette supplies
English spoken
PAPELARIA E TYPOGRAPHIA MASCOTTE
165, Rua do Ouvidor, 165
Entre Gongalves Dias e Uruguayana
Especialidade cartSes de visit, partici-
pagoes e felicitaq6es, objects para escriptorio.
presents, etc. ANTONIO BRUNO N. 1004

LINGERIE MODERN
Always Novelties in Dresses, Hats and
Underwear. -Execute any order in this line as
well as embroidery to perfection.
Praia Russell, 50 near Gloria Hotel.
Teleph. BMl. 3646. Eglish spoken.

Luvas, Leques, Gravatas, Bolsas
Meias, etc.
R. FORMOSINHO & Cia.
R. Gongalves Dias, 64-Av. Rio Branco, 171
Tel. C. 5553 C. 3678

CASA FLORA c CHLICK e NOGUEI1A
R. do Ouvidor, 61 Tele. Norte 1281
R. Gongalves Dias, 30 Tele. Central 486
Casa especial em trabalhos de flores.

QUEREIS APRENDER INGLEZ
DE GRACA?
Lede a Revista
"BRAZILIAN AMERICAN"
TODOS OS SABBADOS

LACES OF NORTHERN BRAZIL
CASA ODEON
RUA SETE DE SETEMBRO, 72
Prices reasonable and assortment varied

CASA GOMES
(Antiga Smith)
Calgados sob media para Homens e
Senhoras.
Estylo americano e europeo.
R. S. PEDRO, 22 -:- N. 5448.

G. Januzzi & C.a
ARCHITECTOS-CONSTRUCTORES
Escriptorio: RUA DA CARlIOCA N. 34 -
TEL. CENTRAL 1652.


-`~"~"




Full Text
xml version 1.0 encoding UTF-8
REPORT xmlns http:www.fcla.edudlsmddaitss xmlns:xsi http:www.w3.org2001XMLSchema-instance xsi:schemaLocation http:www.fcla.edudlsmddaitssdaitssReport.xsd
INGEST IEID ENMG7NVEJ_N0A7Z2 INGEST_TIME 2012-10-18T17:45:09Z PACKAGE AA00000207_00027
AGREEMENT_INFO ACCOUNT UF PROJECT UFDC
FILES